Papai e filhinha 2

Autor

Olá, meu nome é Lilica e tenho 12 anos.
Meu primeiro relato está em Papai e filhinha (Papai e filhinha )
No conto anterior relatei minha primeira experiencia com papai, e foi a primeira vez que eu peguei num pau assim ao vivo e a cores.
É claro que no meu relato não me prendi a muitos detalhes, senão iria ficar muito extenso.
Mas o fato é que desde bebê meu pai me dava banho, mesmo quando ainda era casado com minha mãe. Então pra mim sempre foi normal ser banhada por ele o que aconteceu até meus 8 anos mais ou menos (depois disso voltei a morar com minha mãe) sem falar que quando fomos morar com papai, se tornou rotina .
Bom, depois do ocorrido no relato anterior, aquela palavra (leitinho) e a cena em si não sairam da minha cabeça. Porém as coisas voltaram ao normal, sem muitas alterações.
Outro episodio mais interessante foi quando minha sobrinha foi viajar pra passar um final de semana na casa da mãe dela em outra cidade. Então ficamos Papai, meu irmão e eu.
Deixando os detalhes de lado, como sempre… a noite chegou e estávamos os 3 no quarto assistindo TV. Meu irmão em uma rede e papai e eu nos colchões.
Só um detalhe será importante aqui para melhor o entendimento. Morávamos em uma KitNet, e tava tudo meio improvisado. Não tínhamos cama, somente colchão no chão mesmo. A TV ficava no quarto onde dormia eu, meu irmão e minha prima. Meu pai dormia em outro quarto sozinho.
Então meu irmão estava em uma rede acima dos colchões e eu e papai deitados nesses colchões em baixo da rede. Eu só de calcinha e meu irmão e meu pai de cuecas, era super normal, como disse ficávamos bem a vontade dentro de casa, inclusive minha prima quando estava em casa tbm ficava so de calcinha(Box) e sutiã.
Me lembro que eu ficava olhando pra TV e pro pinto do papai cheia de curiosidades na minha cabeça (como soltava aquele leitinho!?, Como inchava derepente!?, essas coisas). Quando em umas das minhas olhadas percebi que ele estava pulsando (não sei q termo usar) embaixo da cueca, ficando maior, ficou tão grande que ergueu a cueca um pouco. O pinto do papai quase que sai, mas não chegou a sair. Ficou apontado pra barriga dele, mas dava pra ver a cabeça pq como eu disse ficou quase pra fora da cueca, mas dava pra ver nitidamente, principalmente pq estávamos deitados paralelos.
Em meio a esses acontecimentos percebi que meu irmão já havia pegado no sono. Mas ainda continuamos a assistir TV, meu pai e eu, ou pelo menos fingindo, pq tenho certeza q ele ficou daquele jeito pq percebeu q eu estava olhando pra cueca dele. Em uma das minhas olhadas, percebi uma aguinha transparente no pau do meu pai. Deduzi, claro, que era o tal “leitinho”. Me lembro que minha ppk ficava piscando e coçando. Vendo que meu irmão já estava em sono profundo, tive uma reação que foi mais um impulso, levei meu dedinho na cabeça do pau dele pra sentir aquela “aguinha”. Apenas passei o dedo na cabeça molhada e disse “leitinho”. Isso fez com que ele crescesse mais e pulasse de uma vez pra fora da cueca.
Papai não falou nada, apenas e abraçou, me trouxe pra mais perto dele e ficou acariciando minhas costas. Fiquei com a cabeça no peito dele, uma mão alizando o peito dele e outra na minha ppk debaixo da minha calcinha e olhando mai pro pau do papai do que pra TV. Eu coloquei minha perninha sobre o pinto dele e ficamos assim por um tempo. Papai nunca fazia movimentos bruscos, eram sempre suaves e compassados, hj sei que era pra não me assustar, ele meio que jogava a isca pra eu morder rsrsrs.
Minutos depois ele sutilmente me puxou pra cima dele, deixando minha ppk (ainda de calcinha) alinhada ao pau dele. Eu me ajeitei pra sentir e foi a primeira vez que eu senti o pinto do meu papai na minha ppk (mesmo que por cima da calcinha). Mesmo assim foi melhor que meu dedinho.
Ficamos assim por mais um tempo, somente a luz da TV no clareava, eu com a região da ppk no pau do papai e minha cabeça no peito dele, mas em nenhum momento trocamos palavras ou olhares. Nesse momento eu já estava aumentando os movimentos no meu quadril, pq qndo meu pai me puxou pra cima dele eu fiquei fazendo movimentos lentos, esfregando minha bucetinha na rola dele.
Me lembro que eu tava adorando tudo aquilo. Tava muito gostoso. Quando comecei a acelerar meus movimentos ele levou as mãos na minha bunda e pela primeira vez me tocou dessa forma. Colocou a mão na minha bundinha debaixo da calcinha e forçava em direção ao pau dele, fazendo com que meus movimentos fossem mais fortes. Desse modo eu podia sentir o pau dele pressionar mais minha bucetinha.
Não demorou muito eu já tava bem ofegante, ele tentou tirar minha calcinha, mas eu tava de pernas abertas deitada sobre ele, e tava tão bom que eu não queria sair daquela posição, foi então que ele forçou mais um pouco a calcinha pra baixo, começou a machucar minha perna, então resolvi parar por um segundo e reposicionar a perna pra que ele tirasse, claro que eu ajudei pra que fosse muito rápido, pois queria voltar a posição que eu estava, e realmente durou milésimos de segundos, foi tão rápido que so tirou uma perna, a calcinha continuou vestida na outra. Essa tirada de calcinha eu continuei deitada no peito dele, so tive que impinar a bunda e tirar uma perna de volta dele, me fazendo sair de cima do pau dele. Mas quando ele tirou uma perna eu já passei a perna de novo e encaixei, foi aí que percebi que o que tava bom melhorou muito, se eu soubesse já tinha tirado a calcinha. Encaixei minha buceta no pau do meu papai e continuei esfregando cada vez mais forte. Tava muito melhor, o contato pele a pele era muito melhor que o contato com o pano da calcinha no meio. Meu pai continuava de cueca, mas não atrapalhava pq o pau dele tava todo de fora. Pela primeira vez pude sentir aquele pau duro, quente e babado esfregando no meu grelinho. Papai não fazia movimentos, eu tava montada em cima dele rebolando, mas ele acariciava minha bunda, meu cuzinho e a entrada da minha ppk. Eu rebolando, ele me apertando sobre ele com uma mão e a outra mão passeava pelo meu corpinho, parecia q ele tinha uns 4 braços rsrsr. Na posição que eu estava dava pra eu esfregar meu grelinho em toda a extensão do pau dele, desde a cabeça até a base, e foi assim que eu fiquei, feito uma cadelinha no cio me esfregando. Eu já tinha esfregado em travesseiro e bixinhos de pelúcias, mas nada se comparava aquilo.
Depois de rebolar muito fique bem ofegante, aumente a intensidade das reboladas e tive uma sensação ótima, que hoje entendo que foi meu primeiro orgasmo. Foi muito gostoso. Parei de me mexer e fiquei ali totalmente relaxada largada em cima do meu papai, ainda na mesma posição, mais dessa vez inerte. Meu pai deve ter desconfiado que eu havia gozado, ele me retirou de cima dele vestiu minha calcinha e foi pro banheiro. O pinto dele ainda continuava duro.
Bom, essa foi minha segunda experiência com papai. Ficou mais extenso do que eu previa, eu oculto alguns detalhes, outros eu não me lembro mesmo. Tento contar o mais resumidamente possível, mas espero que tenham gostado.
Ah! Essa história não é fictícia então não tem muita fantasia e pra alguns pode não ser muito boa. Mas é apenas um relato.
Em breve terá continuação.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,56 de 16 votos)
Loading...