Outro amigo quis participar

Eu e meu amigo Léo já fazíamos nossas troca troca a mais de 1 ano. Meu amigo sugeriu esta brincadeira, então disse que iria me dar primeiro. Ele trouxe uma pomada que nâo lembro o nome, iniciei minha investida no cuzinho dele, que reclamava um pouco mas aguentava minhas metidas nele, gozei dentro dele e foi muito melhor que uma punheta. Quando chegou a vez dele tive que ceder também, meu cuzinho ficou bezuntado com aquela pomada. Seu pau era praticamente do mesmo tamanho que o meu. Quando senti a cabecinha encostar no meu cuzinho, vi que não podia mais recuar. Senti ele entrar sem resistencia, a pomada tinha facilitado. Léo estava adorando, enquanto eu fazia força para suportar a dor. Depois que ele gozou também, senti um alívio quando ele saiu de dentro de mim. Assim fomos seguindo, um satisfazendo o outro, e no mais completo sigilo, sempre assistindo um pornô para pra dar mais tesão. Antes de um mês, nenhum mais reclamava de dores. Meu amigo sempre era o que tinha novas ideias, e inventou para um chupar o pau do outro. Mas esta novidade ninguém queria ser o primeiro, apenas ficávamos um mandando o outro ser o primeiro. Mas foi com a visita de seu primo Abel, que havia chegado para passar uma semana de férias na sua casa. Tínhamos que despistar ele para poder nos divertir, dois dias não podemos fazer nada, até que tivemos uma oportunidade, chegamos na casa do Léo e não encontramos Abel. Voamos pro quarto do Léo e já fomos nos pelando, Léo e eu comentamos que achávamos que teríamos que esperar Abel ir em bora pra transarmos. Depois de metermos um no outro e nos virarmos para a porta, levamos um susto. Abel estava muito excitado de pau duro, dizendo que tinha visto tudinho e queria nos comer para guardar segredo. Eu vesti meu calção e fiquei aguardando o desfecho, dizendo que não daria para ele, pois seu pau era maior que o nosso. Meu amigo também disse o mesmo, Abel não aceitou nossas desculpas e insistiu que ia contar pra mãe do meu amigo. E Abel pediu então para nós chuparmos o pau dele, meu amigo disse que chuparia se ele não gozasse na boca dele. Sentados um de cada lado de Abel, meu amigo pegou no pau dele e foi chupando, até pegar o jeito, Abel pediu para eu chupar também, mas me neguei. Abel colocou de volta na boca do seu primo, que já chupava com um prazer, dizendo que não era tão ruim. Depois de ouvir seu elogiu, chupei um pouquinho. Abel estava gemendo com duas bocas no seu pau. Soltei e meu amigo colocou na sua boca de novo. Abel estava no auge, segurou o primo pela cabeça e despejou seu gozo todo dentro da boca dele, que tirou da boca para respirar e novamente começou a sugar de novo, dizendo que tinha gostado muito. Quando vi o pau do Abel livre, coloquei na minha boca e fiquei mamando. Abel dizendo que não tinha mais leite pra me dar, senti o pau dele murchando na minha boca. Eu também queria provar leite de pica. Abel disse que a noite ele teria pra me dar. A noite nos encontramos de novo, mas a casa estava cheia para repetir, fomos para a rua, para encontrar um lugar seguro, Encontramos um quintal escuro dum dos vizinhos. Meu amigo deveria ficar na frente cuidando, nós entramos e quando eu já estava chupando o Abel, vejo meu amigo assistindo meu desempenho. Abel diz pra eu me preparar pra engolir seu leitinho que esta por jorrar. Fiz ele expulsar todo aquele leite que ele tinha guardado até a noite, direto pela minha garganta, meu amigo ainda ps na boca querendo ver se tinha sobrado um pouco para ele. Saimos dali muito satisfeitos. Encontrei meu amigo pela manhã, ele com um sorriso diferente e um segredo para me contar. Procuramos uma sombra na praça, e ele fez um misteriozinho pra me contar. Até que me revelou que a noite em seu quarto, Abel passou para sua cama, nu de pau duro e pediu pra me comer, me virou e forçou o pau dele no meu cuzinho e entrou de vagarinho, que eu não senti nenhuma dor e fiquei quietinho pra ele gozar no meu cu. Mas ele tinha outra novidade, Abel pediu para eu deixar ele me comer também, que não ia doer. Abel nos encontrou junto com nossos amigos e nos convidou para ir pra casa. Quando olhei pro pau do Abel, pensei em não aguentar, mas acreditando no amigo que disse que não tinha sentido dor, Abel queria muito me comer, que nem prestava atenção nas minhas recomendações, me virou e só senti seus dedos babando meu cuzinho de saliva. Logo senti o calor do seu pau deslizar dentro da minha bunda, passou o medo inicial e precebi que podia receber ele por inteiro. Passamos aquela semana revezando o Abel, que sempre estava pronto, só voltamos a brincar sozinho com a volta dele. Foi com meu amigo e seu primo que nós aprendemos a nos entregar completamente. Espero que alguns leitores possam se identificar ou ao menos um pouco com este conto. Obrigado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...