O Primo do interior

Autor

Meu nome é Carlos, na época do acontecido eu tinha 12 anos e meu irmão mais novo 8 anos nos fomos passar as férias na casa do nosso primo Edgar que tinha 17 anos. Lá nós tínhamos que acorda cedo para ajudar no Plantio, pegar leite, coler lenha etc… Mesmo assim eu e meu irmão adoravamos ir pra la. Apesar de que já faziam uns anos que não íamos, chegando lá fomos recebidos pelo nosso primo e seus país que fazem uns doces e umas comidas deliciosos.

Conversamos um pouco, brincamos fomos tomar banho no corgo. Depois chegamos na casa jantamos e dormimos de madrugada eu acordo com alguém subindo minha força e sinto minha bunda meio molhada mais por causa do cansaço voltei a dormi. De manhã fui no banheiro olhei pelo espelho era uma coisa branca e estava dura tive que tomar banho é esfregar com bucha. Logo em seguida lanchei e já fui ajuda nos afazeres. A noite foi a mesma rotina (meu primo Edgar tem 1.82 de altura, Moreno, corpo malhado por causa da roça e uns 14 a 15 cm de rola, não muito grossa). Fui dormi no quarto com o meu irmão mais novo eu durmo em baixo em um colchão e ele em cima em outro. De madrugada sinto algo passando pela minha bunda puxando minha coeca para baixo abrindo Minha bunda sinto algo quente encostando na minha bunda e ouço som de cuspi depois outro cuspi e mais uma respiração ofegante movimentos fortes sinto jatos de algo molhado forte e quentes em cima da minha bunda é um gemido abafado. Volto a sentir minha coeca sendo puxada para cima é uns 2 tapinhas em minha bunda. No dia seguinte não falei nada pra ninguém… Me senti um pouco estranho fiz o que tinha que fazer voltei para casa dos meus tios jantei banhei e fui dormi… meio curioso para saber se iria acontecer novamente… E de novo na madrugada sinto uma mão Mais agora no meu rosto tocando em meus lábios juvenis um dedo tenta invadir Minha boca. Logo sinto outra mão empurrando meu queixo para baixo deixando minha boca meio aberta em seguida sinto algo quente e molhado tocando meus lábios se esfregando isso aconteceu por uns 13 min depois sinto a respiração ofegante novamente e um jato na minha boca outro na bochecha e um no olho. Vejo então a pessoa sair de costas com somente a bermuda sem coeca com o pau meia bomba balançando era meu primo Edgar. No dia seguinte me limpei arrumei as coisas que eu tinha e voltei para casa mais cedo. Minha tia pediu para eu ir no paiol pegar ovos e vê se David meu irmão não estava atrapalhado o trabalho do Edgar, no meio do caminho vejo os dois indo para dentro do matagal. Fui atrás deles escondido, chegando lá Edgar começa a conversa com David e fala que quer ir mijar e bem ali tira sua rola na frente do meu irmão que só tinha 8 anos e começa a mija depois da uma mexidas no pau para tirar as últimas gotas nisso seu pau já estava meia bomba. Ele vê que meu irmão não tira o olho e pergunta se meu irmão já tinha visto um desses meu irmão inocente diz que não ainda sentado em um tronco Edgar sem camisa mostrando aquele peitoral e sua barriga defenida chega perto do meu irmão e pergunta se ele quer pegar meu irmão sempre quer agradar todo mundo acaba pegando Edgar pergunta se ele quer ter um corpo forte e musculoso igual ao dele David diz que sim Edgar continua olhando para o rosto de David enquanto o mesmo pega em sua rola Edgar começa a acariciar o rosto de David e diz que para ele ter um corpo assim tem que tomar proteína uma substância que só os homens tinham e que saia do pau dele. Edgar pegou um pouco da baba que saia passou na boca dele e outro pouco perguntou se David queria prova David provou não sentiu gosto de nada pediu mais Edgar pegou sua rola e pediu para David abrir a boca colocou a cabecinha e disse que assim era mais fácil David mamava somente a cabeça da rola de Edgar pois era o que cabia depois de algum tempo Edgar segura firme a cabeça de David e goza. Mais goza tanto que escorre pelos cantos da boca e faz David engasgar tocir e quase vomitar. Edgar pede segredo para David e diz que logo ele vai ser forte igual ele, saí do matagal entrei no puleiro peguei uns ovos quando eu estava saindo.Quando eles estavam voltando. Conversamos um pouco e eu voltei com meu irmão na casa eu fui ajudar minha tia e meu irmão foi brincar no terreiro… De noite eu voltei a dormi de coeca meu primo na madrugada foi me visitar um pouco mais Ousado, dessa vez depois que baixou minha coeca pincelou meu cu infantil e frágil com seu pau passou algo gelado em meu cu então senti seu dedo grosso áspero abrindo caminho aquilo parecia que ia me rachar no meio isso ainda era metade de seu dedo ele fez um leve vai é vem eu não aguentando mais a dor respirei fundo e me mexi ele assustado levanta da cama e senta na cama de meu irmão passando uns minutos ele aperta a bunda do meu irmão bate com o pau na cara dele se esfrega um pouco e volta pra minha bunda ainda descoberta e jorra sua porra forte na minha bunda toda. Quase 1 minuto só gozando sobe minha coeca e vai pro quarto dele. De manhã ele chamou meu irmão pra andar de cavalo até o milharal eu fui atrás deles escondido morrendo de curiosidade, chegando lá os 2 entram no milharal ficam bem no meio conversando sobre algo que eu não consegui entender só quando Edgar começa a baixar o zíper da calça e tirar suas bolas e seu cassete pela perna da coeca David então lambe com a pontinha de sua língua as bolas dele por um tempo e em seguida a mão de Edgar segura a cabeça de David e auxilia até que ele começa a mamar sua
Cabeça Edgar ainda força um pouco mais como a boca de David era muito pequena não entrava nem a metade de sua rola, Edgar faz David encostar sua cabeça em um pé de milho e fica meio encurvado só socando a boca do menino por um tempo e eu ali vendo aquilo tudo acontecer com meu irmão, Meu irmão que hora engasgava é hora limpava as lágrimas de tanto chupar aquela rola. Edgar as vezes dava um tempo esperava ele retomar as forças e colocava na boca dele novamente isso durou no mínimo uns 40 minutos até que Edgar começou a segurar forte na cabeça de David e a socar com força é David tentando empurra lo em vão pois além da posição não favorecer ele ainda tinha a questão da força Edgar solta um urro tão alto e forte que se tivesse mais alguém ali perto pensaria estava morrendo, sei que ele nem deu opção para David engolir ou não sua porra David caiu sem ar no chão e Edgar continuava a gozar em cima dele foi um pouco dentro da boca de David que toci a, outros jatos em seu cabelo e em seu rosto. Então Edgar se ajoelhou na frente de David e eles conversaram um pouco David estava quase chorando depois de um tempo parou e os dois foram no rumo do cavalo novamente. A noite enquanto comíamos doce de Cocô feito pela mãe de Edgar eu escuto Edgar falando para David que assim fica mais gostoso. Então me perguntei do que será que ele estava falando foi quando eu descobri que Edgar tinha gozado no prato de David. David comeu tudo sem reclamar e levou vários elogios

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...