Minha prima supe tarada

Autor

Vou contar pra vocês como me envolvi com minha prima novinha.

No mês de julho eu mudei de endereço, ou seja, muita confusão e estresse por causa da mudança, mudei para uma casa a 20 metros da que eu morava, mesmo sendo perto, deu um certo trabalho, com isso alguns amigos e minha prima vieram me ajudar, inclusive a minha vizinha dos contos anteriores.

Depois que fizemos as mudanças, meus amigos foram embora, ficando só a minha prima pra ajudar a organizar as coisas em casa. A letícia, tem 19 aninhos, uma moreninha baixinha mas com uma bunda de respeito e seios médios, ela sempre me deu um tesão absurdo pois amos as baixinhas, nossa relação sempre foi muito próxima, nunca ouve segredo entre a gente, ela adorava quando eu contava dos meus casos quando ela era adolescente e devia fantasiar com eles, quando ela perdeu a virgindade eu fui o primeiro a saber, disse que não tinha gostado pois o namoradinho era bem fraco, dei a indireta que deveria fazer com alguém mais velho, ela entendeu o recado.

O tempo foi passando, ela se envolveu com outros carinhas, mas era difícil alguém fazer ela gozar, tinha muita dificuldade, nossos papos foram ficando cada vez mais quente, e sempre ficava com a rola dura, ela reparava mas não falava nada.

No dia da mudança, estávamos colocando as coisas no armário e falando putaria como sempre, minha rola deu sinal de vida e ela percebeu, não parava de olhar, nem disfarçava, subi em uma cadeira e pedi pra ela me dar uma caixa pra que eu pudesse colocar no armário, quando ela levantou a caixa na minha direção, esbarrou o braço na minha perna e sentiu o volume na minha calça.

– Nossa o que é isso aqui? Ela já foi deixando a caixa de lado e pegou no meu pau
– Ta maluca menina? Fui tirando a mão dela mas ela voltava a colocar
– Vc sempre fica duro quando a gente ta conversando, vc sente tesão na sua prima é? Confesso que fiquei muito sem graça, porem deixei ela apalpando
– Nossa tá bem dura, sempre imaginei como é sua rola. Ela abaixou meu calção mas a minha rola ainda estava dentro da cueca box, mas a cabecinha tava pra fora
– Nossa é rosinha
-Pronto já viu, puxei o short pra cima encobrindo minha rola
– Não vi nada, só vi a cabeça, quero ver tudo
-Então vai me mostrar sua bucetinha
– Eu não seu tarado
-Quem tá pegando na minha rola é vc e eu que sou tarado? Ela fez um movimento com a cabeça em sinal de afirmação, ela é muito meiga, e isso deixa ela bem mais gostosa.

Deixei ela abaixar o calção e a cueca, minha rola pulou pra fora como um tira, quase acertando seu rosto.

– Que saco grande vc tem. Nessa hora ela abocanhou minhas bolas, tomei um baita susto, ela segurou minha rola pra cima e foi chupando meu saco, já nem ligava mais por ser minha prima, só tava curtindo a sensação.
– caralho lê, por essa não esperava
-Tenho um tesão por bolas
-Chupa a cabecinha também. Ela foi lambendo toda a extensão da minha rola, quando chegou na cabeça, ela abocanhou e ficou sugando gostoso, fazendo movimento com a língua enquanto minha rola estava dentro da sua boca.
– Se continuar assim não vou aguentar
-Então goza. Não segurei, o primeiro jato foi bem forte, ela fechou os olhos enquanto eu gozava dentro da boca dela, porém ela não engoliu, deixou a porra escorrer pelos seus lábios caindo no chão.

Sentei na cadeira totalmente extasiado pela gozada, vi estrelas, ela foi no banheiro lavar a boca, ela disse que não gosta de engolir por causa do gosto. Temendo ficar um clima estranho entre nós, fui direto beija-la
– A partir de agora vc vai ser minha cadelinha, e foda se nosso lance de primo, vai ser minha fêmea. Com a minha postura confiante, ela ficou mais tranquila com o que aconteceu. Voltamos a arrumar a casa, porém estava ficando tarde, tinha muita coisa pra montar, ela liga na minha tia dizendo que vai dormir na minha casa pra me ajudar a montar as coisas.

Fiquei arrumando as coisas enquanto ela foi tomar banho, quando voltou, entrou totalmente pelada no quarto, pela primeira vez vi o corpinho dela, segurei na mão dela e a fiz dar uma voltinha pra apreciar seu corpinho, abaixei um pouco o short e tirei a rola, fiquei roçando naquele bumbum empinadinho enquanto beijava seu pescoço cheiroso, minha cama ainda não tava montada, então joguei ela encima do colchão no chão e cai de boca na bucetinha dela com poucos pelinhos e bem cheirosa, já estava toda lambuzada, chupava e colocava meus dedos, a menina se contorcia toda, implorava pra meter nela, não me fiz de rogado, ficamos ppmm, metia bem forte, ela batia na minha bunda, arranhava minhas costas, puxava meu cabelo enquanto bombava forte e beijava sua boca, ela parecia querer me devorar, até me assustei um pouco, lembrei que ela tinha me dito que tinha dificuldade pra gozar, achei estranho pela forma que ela tava delirando com minha rola.

Ela montou em cima de mim e ficou cavalgando bem gostoso, comecei a bombar com ela sentada, ela se debruçou em cima de mim, me deu um abraço bem apertado e depois relaxou.

-Parece que alguém gozou. Ela não respondeu, mas continuou abraçada em mim e rebolando de leve, senti sua bucetinha encharcada na minha rola, dai eu percebi que tava metendo sem camisinha, coloquei ela deitada na cama e fui beijando todo seu corpo, sua orelha, seu pescoço, descia pros peitinhos dela e abocanhava com gosto, ela não reagia, o prazer do gozo foi tão grande que ela estava toda mole no colchão, bati uma punheta e gozei nos seus peitos, ficamos deitados descansando por um tempo pensando no que acabávamos de fazer e pegamos nos sono. Foi algo surreal pra mim, direto ela vem aqui em casa pra gozar na minha rola.

Quando tiver mais histórias bem bacana com ela eu trago pra vcs.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...