Meu tio meu melhor amigo.

11-10-17 5 ★ 4.75

Meu nome é Ricardo, tenho 17 anos e isso aconteceu com o meu tio e eu, ele se chama Tiago e tem 35 anos, ele mora na casa ao lado em cima da casa do meu avô. Sempre nos demos bem, ele é solteiro e trabalha de enfermeiro, ele é reservado na dele e não tínhamos muita intimidade. Mas ele sempre me tratou bem, sempre procurou me agradar, desde pequeno lembro que ele me levava na casa dele e assistia filmes comigo, me dava brinquedos, brincava comigo, sempre tive muito respeito por ele.
Meu tio é bonito, tem mais ou menos 1,75m, branco, grande, forte, e careca, ao contrário de mim, que sou magrelo, moreno, um pouco mais baixo que ele, mas tenho uma bundinha empinada bem saliente, esse é meu orgulho. Sempre gostei muito dele, e sempre tive o maior respeito por ele, assim como ele por mim. Mas depois que fiz 14 anos,comecei a ver ele de um jeito diferente (nessa época já era gay, mas só minha mãe sabia) eu frequentava bastante a casa dele para poder jogar no PlayStation 3 que ele tinha acabado de comprar, e ele nem ligava, trabalhava no hospital dia sim e dia não. Então ficava jogando comigo nos dias que estava em casa, reparava nele andando sem camisa pela casa somente com aquele shorts de futebol ou então deitado no sofá coçando o saco e eu ficava só de canto de olho, vendo os braços fortes dele. Acho que ele sabia que eu era gay, mas nunca comentou nada e acho que ele sabia que eu ficava de rabo de olho nele. Uma vez enquanto ele foi no mercado, eu pausei o jogo e corri no guarda roupa para ficar cheirando as cuecas dele, que delícia.
Ficamos nisso durante uns dois anos, sempre mantivemos um contato de tio e sobrinho, e eu olhava ele e ele fingia não reparar, mas uma coisa engraçada do meu tio é que quando ele bebe ele se solta, fala umas asneiras até dizer chega, abraça os outros, dá beijo, enfim… um dia durante uma festa de família eu pedi para subir na casa dele e jogar vídeo game e ele deixou. Aproveitei para arrumar um pouco a casa pq estava uma bagunça, e depois fui no banheiro, na hora que eu saí ele me abraçou do nada e eu me assustei, ele disse:

– Calma, tá em choque é? Tava fazendo coisa errada?
– Não tio, vc me assustou.
– Até arrumou a casa, que menino prendado. Pode casar já, só arrumar um marido bacana.

Aquilo me gelou por dentro, pois sabia que tinha jogado uma indireta sobre mim, enquanto ele entrava no banheiro e dava uma risadinha sem vergonha. Ele deixou a porta aberta e eu saí. Passado algumas vezes depois disso, percebia que toda vez que ele bebia era a mesma coisa, até algumas vezes mesmo sem beber, ele falava algumas coisas que insinuavam que ele sabia, mas dizia que não ligava se outros fossem gay (uma vez ele até brigou com um vizinho nosso que me chamou de viado).
Já tinha batido varias punhetas pensando nele, até que eu perdi o medo e comecei a me insinuar mais, ficava com roupas curtas falava besteira para ele, nossa intimidade tinha aumentado, frequentava a casa dele direto, mesmo ele não estando, pois ele me deu uma cópia da chave. Até limpava a casa para ele de vez em quando. Foi quando resolvi contar:

-Tio, posso te falar uma coisa?
– Pode Ricardo, fala aê.
– Tio, eu sou gay.
– E tu acha que eu não sabia? Demorou pra falar hein. Kkkkkkkk
– E que eu tinha medo da sua reação.
– Tua mãe já sabe?
– Sabe sim, faz tempo.
– Bacana, mas já tá namorando alguém?
– Não.

Passou um tempo acabamos ficando melhores amigos, ele me perguntava e contava tudo e eu passei a falar tudo para ele, assim como perguntar também.
Passei a falar para ele de quem eu gostava e de que posições sexuais eu queria fazer (ainda era virgem), e ele me falava das transas dele, de coisas que ele pensava.
Era uma sexta à noite, e pedi para ele baixar um programa para mim no meu notebook, pq ele manjava de tecnologia melhor do que eu. Fui na casa dele e ele estava deitado de samba canção na sala e eu vi que ele já tinha bebido umas seis latinhas de cerveja e estava mais pra lá do que pra cá. Via que o pau dele estava marcando a samba canção e fiquei excitado demais, pensei comigo mesmo: “é hoje, tudo ou nada”.
Me sentei do lado dele e pus a mão na coxa enorme dele, tipo fazendo uma massagem. Ele não disse nada, mas fez cara de quem estava relaxando.

– Tá gostando tio?
– Tô sim, continua que está gostoso.
(Vi que o pau dele estava ficando duro)
– Vou continuar aqui tá?
(Pus a mão no pau dele, ele abriu o olho e pegou na minha mão)
– Continua aqui por dentro do shorts.

Senti aquele pau engrossando na minha mão e estava tremendo por dentro, puxei para fora e me deparei com uma rola de 17 cm, a cabeça era mais fina e o resto ia engrossando até a base, era depilado, todo branquinho, já estava com água na boca. Olhei para ele e nem esperei aprovação, cai de boca, chupei muito enquanto ele empurrava minha cabeça pra baixo.

– Você queria isso faz tempo né?
– Hummmmmmmmm
– Chupa minha piroca bezerrinho, que esse boi tem muito leite pra dar.
– Posso tirar seu shorts?
– Hoje vc pode tudo.

Tirei o shorts dele e deixei ele pelado. Passei a lamber saco, bola por bola, era a primeira vez que eu tentava qualquer coisa com o meu tio, mas já éramos tão amigos e íntimos que parecia que já tínhamos transando outras vezes, então eu nem me dei ao trabalho de ficar rogado, fui tomando as rédeas da situação.
Ele estava com a mão na minha bunda e tirou minha roupa me deixando de cueca. Subi em cima dele e sentei com a bunda no pau dele, começamos a nos beijar e ele disse para irmos pra cama.

– Vou ter dar pirocada até deixar espaço pro metrô passar.
– Tio, quero fuder faz tempo, vc é uma delícia, queria vc em cima de mim.
– Ah eu tbm, meu pau já te homenageou demais, aproveita que hoje ele pode realizar o sonho dele, da mais um beijinho de língua nele.
– Só se vc me ajudar!
– Com o quê?
– To com uma dorzinha no cú, da uma olhadinha pra mim?
– Claro, vou dar uma injeção de rola nele e ele vai melhorar rapidinho.

Chupei mais um pouco e fiquei de 4, ele ficou chupando meu cú e perguntando se ainda tava doendo, enquanto eu só gemia. Ele passou KY no meu cú e no pau dele e começou a forçar, quando a rola já estava toda dentro eu deitei na cama e ele caiu por cima de mim. Meteu até as bolas enquanto colocava a língua na minha orelha.

– Sempre soube que vc queria rola, se tivesse pedido antes eu dava, viadinho do cú gostoso.
– Eu tinha medo tio, mas agora eu só quero que vc enfie pica no meu reguinho, por favor.
– Nem precisa implorar, minha vagabundinha gostosa vai ter muita.
– Vc é muito gostoso, macho do caralhooooooooo.
– Fica de ladinho pra eu beijar essa boca delícia.
(Me comeu de ladinho uns 15 minutos)
– Deixa eu sentar?
– Deixo, deixo sim, quero que vc cavalgue igual uma amazona.
– Com essa rola de cavalo, vou pular que nem um viadinho no macho.
– Desce e rebola na minha rola.

Sentei muito na rola dele, do nada ele me vira de frango assado e começa a meter violentamente, com uma cara de dor e eu sinto aquele caldo quente dentro de mim. Ele gozou muito, nesse dia liguei para minha mãe e disse que ia dormir no meu tio e ela concordou. Transamos à noite inteira e de manhã era sábado, eu não ia pra escola e nem ele ia trabalhar, acordei ele com um boquete dos deuses, ele gozou na minha boca, um gozo grosso e com cheiro forte, amei e tomei tudo. Depois que ele levantou, tomou café e não falou comigo, perguntei se aconteceu alguma coisa.

– Que foi tio?
– Nada.
– Vc não gostou de ontem?
– Gostei, mas tô meio assim sabe, não fala pra ninguém, por favor.
– Nem se preocupa com uma coisa dessas, pode deixar, segredinho nosso.
– Eu fiz alguma coisa que vc não gostou, contra sua vontade?
– Não
– Que bom

Ele ficou mais tranquilo, mas ainda achei ele estranho.

– Tio, eu gostei muito de ontem, queria isso faz tempo, mas não precisa se preocupar não vou contar pra ninguém e nem te chantagear kkkkk se vc quiser não fazemos mais. Quero continuar seu amigo.

– De boas, fico feliz com isso.

Ele veio por trás e me abraçou, beijou meu pescoço e abaixou minha cueca.

– Eu te machuquei?
– Não
– Quer de novo?
– Sim.

Pois a rola mole na minha bunda e ficou se esfregando até endurecer. Me encostou na mesa e colocou devagar, transamos na cozinha e depois no chuveiro, fudemos o dia inteiro.
Já estamos transando a quase um ano, e somos super amigos, aquela amizade colorida, porém nunca mantivemos um relacionamento propriamente dito, apenas gostamos de transar.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,75 de 4 votos)

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. TIOZÃO

    Caralho que dlca de foda.. Tbm quero

  2. Que delícia! Queria um sobrinho assim. Amei seu conto.

  3. Joana

    Oiii , quantos anos você tem afinal ? Eu tenho 16 sempre tive vontade mais tenho medo e como foi contar pra sua mãe ?

  4. paulo

    vem transar com um tio mais velho e experiente aqui.Vai levar rola bem gostoso nesse seu rabinho

    • Anônimo

      Delícia