Comi a Empregada da Minha Casa e a Filhinha dela de 9 aninhos (Parte 3)

Autor

Finalmente irei contar como comi a Kamila, a filha putinha da Sheila, uma puta safada que veio trabalhar em minha casa. Quem não leu os dois contos anteriores, é só procura-los neste mesmo site.

Pois bem, quando a Sheila voltou pra ksa eu fui conversar com ela e relatei o que a Kamila havia feito (pedido pra ver meu pau). A Sheila simplesmente sorriu e disse: “Olha que putinha!”. Eu achei isso muito estranho. Foi, então, que a Sheila me falou que no começo dos abusos do parte do padrasto, a situação era realmente traumatizante para a Kamila, pois ela só tinha 7 anos e foi descabaçada por um adulto de forma muito violenta. Mas com o passar do tempo, a Kamila passou a gostar da putaria. Sheila me falou que a Kamila dava até o cuzinho pra o padrasto. Segundo Sheila, em algumas ocasiões, era a própria Kamila que procurava o padrasto pra que ele a fudesse. Foi aí que caiu a ficha! A Kamila, além de sempre ver a mãe transando com o padrasto (por dormir no mesmo quarto que eles) e ter sido abusada desde muito cedo, foi iniciada precocemente na vida sexual. Ao invés de ficar traumatizada, a Kamila pegou gosto pela putaria! Isso se confirmou quando a Sheila falou que a Kamila dava pra os meninos da vizinhança onde elas moravam no Rio de Janeiro.

Sheila me perguntou se eu queria algo com a Kamila, pois se não quisesse ia falar pra ela parar. Eu fiquei calado olhando pra ela. Sheila, então falou: “O que tem demais ela ver teu pau? Ela num quer ver? Mostra pra ela! Deixa ela dar uma mamadinha. Não é ela que quer?” Ela ainda disse que não tinha pra quê me denunciar se eu não estava forçando a menina a nada, era tudo consentido. Eu perguntei se ela já havia menstruado (pq hj em dia as meninas começam a menstruar muito cedo). Sheila respondeu que não e falou: “Não vai enfiar essa piroca grossa na menina que ela ainda não aguenta isso tudo!” Eu perguntei: “mas o padrasto não comia ela?”. Sheila falou que o ex-padrasto tinha o pinto pequeno, que até uma criança aguenta. O único trauma foi na hora de deplorar mesmo, pois foi sem cuidado algum. Aí combinamos que da próxima vez que elas viessem, Sheila ia dar um jeito de nos deixar a sós por um tempo.

Naquela mesma semana, Sheila vem de novo à minha casa. Eu só ia trabalhar a noite, por isso, pela manhã eu estava acordado. Não comi a Sheila pela manhã pq estava guardando tudo pra Kamila que em breve chegaria do colégio. Quando a Kamila chega ela vem me dar um abraço e a Sheila manda ela ir tomar banho pra almoçar. Fiquei com vontade de ir tomar um banho com ela, mas me contive. Depois de uns minutos a Kamila sai do banho vestida com uma sainha jeans curtinha e uma blusinha rosa de alça acentuando os biquinhos dos peitos que estavam começando a crescer. Eu já tava comendo ela com os olhos. Almoçamos e, em seguida, a Kamila foi assistir a netflix e eu fui tomar um banho.

Ao sair do banho, a Sheila me disse que ia ao trabalho da irmã resolver um assunto e a Kamila ia ficar comigo (isso ela falou com um sorrisinho bem malicioso e eu devolvi com um sorriso do mesmo tipo). Assim que a Sheila saiu, eu fui à sala, tranquei a porta, fechei a porta da varanda tbm e sentei ao lado da Kamila no sofá, dei um abraço nela e perguntei se ela ainda queria ver meu cacete. Ela disse que sim. E eu já tirei ele duro de dentro do calção e ela ficou olhando pra ele. Pegou meu cacete com sua mãozinha, olhou de um lado e do outro, olhou pra sorrindo e disse: “Nossa, Thiago, como teu pinto é grande. Parece daqueles que tem nos filmes!” E eu falei: “E vc vai ficar só olhando? Por que vc não chupa um pouquinho?” Ela sorriu e começou a mamar minha rola. Tinha só 9 aninhos, mas já fazia um boquete delicioso, parecia que tinha nascido pra isso!

Ela só conseguia colocar na boca um pouco mais que a cabeça do meu pau pq apesar de não ser muito grande (19cm), é bem grosso. Eu perguntava: “Tá gostando de mamar minha rola, sua putinha pequena?” Ela respondia sem tirar o cacete da boca: “um hum!”. “Vai tomar o leitinho todinho, vai, sua putinha safada?”. Ela só respondia: “um hum!” e não parava de chupar. Que boquete gostoso! Foi então que eu tive a ideia de coloca-la deitada de ladinho no sofá, de frente pra o encosto. Eu comecei a alisar aquelas perninhas gostosas bem lisinhas, depois subi levemente minha mão por debaixo da sainha dela e comecei a alisar aquela bundinha deliciosa. Foi então que ela, enquanto mamava, abriu as perninhas e eu entendi o que ela queria. Comecei a massagear a bucetinha dela por cima da calcinha de algodão, depois afastei a calcinha pro lado e comecei a massagear aquele pequeno clitóris e vi que a bucetinha dela já estava molhadinha. Aquela ninfetinha de 9 anos começou a gemer com minha rola na boca. Que momento excitante! Nunca imaginei que teria uma experiência dessas!

Comecei então a penetrar aquela bucetinha apertada com o dedo e foi aí que ela começou a gemer mais ainda. Acho que pelo fato de a Kamila ser ainda uma criança, e sua buceta não estava ainda desenvolvida, eu sentia o colinho do útero dela com a ponta do meu dedo. Comecei a enfiar o dedo com rapidez enquanto ela chupava e gemia na mesma velocidade. Foi aí que eu não aguentei e gozei como nunca antes na minha vida. Que gozada gostosa! Gozei muito, e como foi de repente, a Kamila se engasgou um pouco, mas não tirou a rola da boca e engoliu tudo. Essa foi uma das melhores gozadas da minha vida! Nunca vi menina mas safada que a Kamila. Ela ainda apertou a cabeça da minha rola pra sair o restinho da porra. Depois disso, ela levantou a cabeça pra mim e abriu bem a boca pra mostrar que havia engolido tudo. Então ela disse: “Tomei tudinho pra ficar fortinha!”. Acho que ela havia aprendido isso com a mãe que tbm era engolidora de porra.

Fiquei um pouco com ela no sofá fazendo carinho no seu cabelo e depois fui tomar banho com ela. Entramos juntos no banheiro, mas ela disse que ia fazer xixi e sentou no vaso, enquanto isso e eu fui ligar chuveiro. Nesse meio tempo, minha rola endureceu de novo. Então, pus meu pau duro na cara dela e disse: “Olha, Kamila, tá dura de novo. Se chupar sai mais leitinho”. Sentada como estava na privada, ela começou a fazer outro boquete gostoso. Acho que essa menina chupava muito o padrasto, pois ela chupava igual a uma puta adulta, que chupa e punheta uma rola ao mesmo tempo. Mas como eu demorei pra gozar, levei logo ela pra debaixo do chuveiro pra tomar um banho e só fiz bulinar a bucetinha sem pêlos dela.

Mas meu desejo mesmo era comer a bucetinha e o cuzinho daquela putinha, mesmo contra os conselhos da Sheila. Então sai com a Kamila do banheiro e fui com ela para a minha cama. Ela se deitou na minha cama virada para cima, eu desenrolei a toalha e disse a ela que agora seria minha vez de chupar a bucetinha dela. Ela respondeu: “Vai, Thiago, chupa minha bucetinha!”. Que bucetinha deliciosa de chupar! Pequeninha, limpinha e sem nenhum pelinho. Comecei a chupar aquela bucetinha e ela gemia como uma adulta com voz de menina, segurando meu cabelo com as duas mãos.

Chupei aquela xoxotinha pequena por uns cinco minutos, mas eu queira mesmo era enfiar meu cacete nela. Aí eu parei de chupar, peguei meu pau duro de 19cm e coloquei por cima da bucetinha dela. O comprimento do meu pau começava na bucetinha e chegava até a metade da barriguinha dela. Eu falei só pra provocar: “Olha, Kamila, onde chega minha rola se eu enfiar na tua bucetinha!”. Ela respondeu sorrindo: “Nossa, vai sair pela minha boca!” (com certeza ela ouviu algo assim em alguma conversa de adulto ou em algum filme pornô). Aí eu perguntei: “Mas vc quer que coma sua bucetinha?”. Ela respondeu: “Quero, mas acho que não vou aguentar tudo pq o pinto do meu padrasto não era grande assim, mas mesmo assim doía”. Eu disse: “Não se preocupe, meu amor, que eu vou fazer com cuidado. Se machucar, vc pode pedir pra parar, tá?”. Ela fez que sim com a cabeça. Eu peguei o gelzinho que eu usava pra comer o cu da Sheila pra ajudar na penetração. Como ela já estava deitada de pernas abertas, eu a coloquei na posição frango assado, lambuzei minha piroca de gel e tbm a portinha da buceta dela e coloquei a cabeça na entradinha. Em seguida comecei a penetrar bem devagarzinho aquela bucetinha que foi a mais apertada que eu já comi. Ela fez carinha de dor e tentou fechar as pernas, mas eu impedi e consegui enfiar a cabeça. Em seguida eu comecei a introduzir mais meu pai até que quando passou um pouquinho mais da metade ela deu um gritinho de “ai”, tentou fechar as pernas e colocou a mão na minha barriga pra impedir que a rola entrasse mais fundo. Daí eu percebi que meu cacete já tinha chegado no útero infantil da Kamila e não fui mais além. Fiquei penetrando aquela bucetinha de 9 anos enfiando o pau só até a metade. A Kamila gemia meio que de dor meio que de prazer, mas a bucetinha dela foi até agora a mais gostosa que eu já comi na vida. Não demorou muito e eu enchi a bucetinha dela de porra. Aproveitei o fato de ela não ter tido a primeira menstruação. Se a gozada do boquete foi gostosa, essa hipergostoa! Nunca senti tanto prazer na vida, comi a bucetinha apertadinha de uma mulatinha de 9 aninhos.

Nem preciso dizer que foi a foda mais gostosa da minha vida! Após gozar, deitei por cima dela e disse: “Kamilinha, meu amor, vc é uma menina muito gostosinha. Vc gostou de transar comigo?”. Ela disse que gostou, mas que tinha doído um pouco. E não é de se estranhar isso, pois ela só tem 9 anos, seu aparelho sexual não está desenvolvido ainda. Ficamos ali abraçadinhos por um tempo conversando e fomos tomar outro banho em seguida. Ela foi fazer xixi e reclamou que estava ardendo igual quando ela havia sido comida pela primeira vez. Eu falei que era normal, que depois ia se acostumar. Tentei come-la no banho, mas não deu. Ela estava dolorida. Ainda me fez um boquetezinho básico, mas foi aí que a campainha tocou. Era a Sheila que havia chegado. Saí enrolado na toalha pra abrir a porta.

No próximo conto vou relatar como comi o cuzinho apertadinho e delicioso da Kamila.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,56 de 9 votos)
Loading...