Acidente com minha filha

Autor

Meu nome é George, tenho 36 anos, vivo com uma mulher 6 anos mais velha que eu, Maria Rosa, tenho uma loja de materiais de construção e minha mulher trabalha em uma multinacional, e viaja muito para o exterior é curso é palestra, ela tem uma filho do seu primeiro relacionamento João Paulo, temos uma filha Ana Carolina de 12 anos, minha mulher viajou a China para um corso de Market por 90 dias, certo dia a van escolar que minha filha usa se envolveu em uma acidente mina filha quebrou uma cana do braço direito e fez uma luxação feia na junta da mão esquerda, o medico engessou a direita e enfaixou a esquerda, e ela chegou em casa com a duas mãos imobilizadas, no primeiro instante serviu de graça, mais em seguida surgiu a preocupação, como banco e trocar de roupa. Mandei-a ir para o meu quarto que é Suíte e tornaria mais pratico para se movimentar. Porem quando foi para tomar banho surgiu o primeiro problema ela não aceitou a empregada dar banho nela e passou aquele dia sem tomar banho, a noite disse que precisava de banho, mas tinha que fazer coco, disse a ela vou chamar a empregada ela disse não você me ajuda, você é meu pai não tem nada de mais você me ajudar, fomos ao banheiro e arriei o short de e sentou no vaso cagou e deia descarga ela pediu para tirar a blusa que ia tomar banho retirei blusa dela e vi uns peitinhos lindo, mais não foi só isso quando a vi nuazinha com seu corpinho lindo, vi que minha filhinha era um tesão, procurei me controlar, mais foi impossível não ter uma ereção, abri o chuveiro e ela entro debaixo, com os braços pra cima e pediu pai passa sabão no meu corpo, ai foi o mei tormento não queria pensar mais passar sabão, dar banho lavar a bucetinha dela o cuzinho, depois enxugar, eu com vergonha e ela também enxuguei ela todinha desde o cuzinho a bucetinha e vesti a roupa pra ela dormir. Deitamos e eu fiquei horas acordado pensando na minha filha e a situação constrangedora pra mim. Em fim dormi, as 5 da manhã acordei e fui ao banheiro ela também levantou e disse que queria fazer xixi, pediu para abaixar a calcinha dela e suspender o baby-doll ela fez o xixi e levantou quando eu fui levantar a calcinha dela, disse papai tem que me enxugar e abriu as perninhas, ficamos nessa situação por uma semana quando tirou as ataduras da mão esquerda, mais mesmo assim ela continuava pedindo minha ajuda, certo noite eu estava tomando banho quando ela chegou e disse que ia tomar banho também e já foi tirando a roupa e entrando debaixo do chuveiro, você não podia esperar eu estou tomando meu banho e estou nu não tá vendo ela disse o que é que tem você já me viu nua porque não posso te ver, com isso meu pau já ficou duro, ela disse o seu pênis está crescendo e ficou duro, me virei de costa pra ela tirei o sabão do corpo e sai do banheiro, elas disse não vai me ajudar hoje não disse aborrecido ela disse então vou chamar João Paulo você não que me ajudar, fui acabei de enxugar e a vesti.
A noite pra dormir falei pra ela me dar um tempo pois não estava resistindo vê-la nua, dar banho passar a mão na bucetinha, isso estava sento um tormento para mim e pro isso era melhor ela ir dormir no quarto dela, ela deitada ao meu lado disse pai eu te amo e quero que você seja o meu primeiro homem, esse acidente serviu para que nos tivéssemos intimidade e eu dizer a você o que sinto. Disse a ela sou teu pai nos não podemos.
Continua
George

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 4 votos)
Loading...