No banheirinho do cemitério

25-09-17 Por 6 ★ 0.00

Tenho 41 anos, casado, duas filhas e sou um profissional muito conhecido na minha cidade. Por recomendações médicas, faço caminhadas e dou umas corridinhas quase que diariamente pelas avenidas da cidade, em geral de manhã mas, aos finais de semana no final da tarde. Vou até o final da avenida onde tem o cemitério, vou até o fundo onde tem um banheirinho apertadinho masculino e outro feminino e depois volto. Nunca tive experiências homo, mas tinha curiosidade e arriscava umas punhetas com vídeos na net. Sou bonito e muito paquerado, mas evito corresponder pois tenho casamento sólido e não sou dado a traições.
Há algumas semanas ocorreu algo que não sai da minha cabeça… Era sábado, final de tarde e o tempo estava fechando. Decidi aproveitar e caminhar antes que começasse a chover. Quando estava chegando no cemitério deu vontade de urinar e resolvi usar o banheiro do fundo do cemitério. Quase não é utilizado pois recentemente foram inaugurado os novos sanitários ao lado da administração. Fui correndo pois começou a chover e eu estava apertado.
Entrei ofegante e fui abrindo a portinha imaginando não ter ninguém … pra minha surpresa um senhor de porte grande já havia urinado e estava com dificuldades de subir as calças pois estava com o braço quebrado e engessado sobre uma tipóia. Ele disse para eu ficar a vontade e usar e que o zíper do jeans estava travado e ele estava tendo dificuldades para se vestir. Pedi desculpas mas disse que ia mijar pois estava muito apertado e que depois eu ajudava se quisesse. Não tive como não olhar o pau dele, era muito grande e ganhou um pouco de volume enquanto eu mijava e o meu também começou a crescer involuntariamente. Fiquei meio constrangido e passamos a falar amenidades para disfarçar, ele disse que era de fora e que veio passar o final de semana na casa da irmã e veio ver o tumulo da mãe, mas ele ficava olhando e o pau dele ficou duraço. Fingi que não notei e me agachei para subir suas calças mas o pauzão ficou pra fora ele tentava ajudar com uma das mãos e começamos a rir… Eu falei … nossa, assim vai ser difícil, ele do nada falou tenta empurrar pra dentro … rindo… eu disse, nunca segurei outro que não o meu… e o meu é pequeno… bem que eu queria ter um do tamanho do seu … e rimos… pus a mão desajeitado e tentei por para dentro da calça mas tava difícil… então ele disse, se já tá segurando mesmo… bate uma punhetinha pra mim… tô no atraso com esse braço quebrado… Começou a chover muito forte e ele disse q por isso ninguém iria aparecer… Meu pau estava duro e eu não tinha como disfarçar que não estava gostando daquilo… e eu não tinha largado do pinto dele desde que tentei guardar… ai comecei a punhetá-lo bem devagar… Nossa aquilo ficou enorme e a cabeçona brilhava … não tinha mau odor e eu fui me animando cada vez mais com a punheta … estava achando ótimo aquele contato… com a outra mão eu segurava o meu pau duraço também … uma sensação muito diferente ocorreu, meu cú começou a ter contrações involuntárias e eu molhado, suando de escorrer e ele enfiou a mão por dentro do meu short e levou um dedo no cuzinho virgem e eu não aguentei e gozei … varias esguichadas… fiquei mole e meio deprimido e acho que demonstrei, mas ele me puxou pra perto dele e falou deixa eu por no seu cuzinho ? Eu fiquei louco de vontade mas disse que jamais caberia aquele cacetão no meu cú cabacinho… e que não era gay… Ai ele foi enfiando o dedo aproveitando o meu suor e começou a mexer devagar e disse para eu me curvar para entrar mais e dar uma chupadinha no pau dele … Eu resisti a princípio mas ele foi me guiando a cabeça e eu comecei a chupar o pau dele … no começo devagarinho… mas conforme ele mexia o dedo no meu cuzinho e fui ficando louco a parecia devorar aquele cacetão… enfiei até a garganta e olhava pra cima para ver a expressão sorridente dele…
Coisa de louco nunca imaginei que pudesse ocorrer uma coisa daquelas… minha caminhada inocente havia se transformado numa experiência homossexual inimaginável… a vontade de mijar, a chuva, o horário, o grandão ali de braço quebrado… tudo conspirou para aquilo acontecer.
Passei a chupar e punhetar o gigante até que ele me mando virar e colocar as duas mãos na parede e me curvar para ele me comer… Minhas pernas já estavam bambas e começaram a tremer… aquela situação não tinha mais volta e eu estava ali prestes a dar o cú para um pintão enorme… que eu sabia que não ia caber …rss . mas ele não parou e se posicionou me engatando pelas costas e foi enfiando o pau no meu buraquinho… não entrava pois pouquíssimo lubrificado com meu suor e minha baba no pau dele, mas ele deu uma guspida na mão e melecou meu cuzinho e foi enfiando devagar … indo e voltando… faltava eu relaxar um pouco pois estava muito tenso e tremendo… mas fui ficando louco de tesão e não queria perder aquela oportunidade de ser fodido… ajudei a forçar … foi dolorido, pernas bambas mas foi entrando e rasgando… ele era hábil e me segurou firme com uma só mão na cintura e com movimentos rápidos e bruscos foi metendo até o fim do cacete… suas bolonas batiam na minha bunda e eu gemia baixinho de medo de alguém ouvir… ficamos ali não sei por quanto tempo mas ele meteu muito… ficou em sopa de tanto suar… chovia mais estava calor e ele foi aumentando os movimentos e senti o pau dele esticar dentro de mim até que ele gozou … gozou muito… um exagero de porra… me encheu e me melecou todo, escorreu tudo pela minha perna. E ele estava com uma expressão feliz e intimo… me abraçou e me beijou e ainda cafungou no meu pescoço e orelha eu fiquei doido parecia uma putinha tinha até trejeitos de vadia… mas disse que precisava ir embora e sai meio que de pressa com as pernas toda escorrida de porra…
Acontece que dei de cara com os portões do cemitério fechados, já não havia mais ninguém lá… voltei e falei pra ele que ele a pular o muro e ligar para os bombeiros para avisar q um senhor tinha ficado preso no cemitério… ele concordou pois não tinha como pular o muro de braços quebrados… mas pediu para eu dar mais uma chupadinha antes de ir… eu consenti e não resisti e acabei gozando de novo e ele também, só que desta vez na minha boca, na minha cara e no meu pescoço…
Sai dali me despedindo… e fui em direção ao muro… a agua da forte chuva lavava o esperma na minha cara … e eu cheio de culpa mas com um sorrisinho de felicidade …

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)

Por

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Andy

    Também quero dar meu cuzinho para um coroa e chupar sua pica, vou deixar ele gozar muito na minha bundinha, ainda vou de calcinha fio dental pra ele me comer gostoso, sou do RJ.. [email protected]

  2. Pachecao

    Pena que não te encontro neste banheiro pois também te foderia muito…

  3. Paulo Hernandes

    Muito excitante. Gostei e fiquei de pau duro…

  4. Natycholate63

    Me excitei imaginando a cena, estou aqui com a bucetinha ensopada e o cuzinho em brasa cada vez com mais vontade de sentir uma rola nele

  5. Anônimo

    Oi, tenho 16 anos sou Virgem do cuzinho, sou louco pra dar mas não tive oportunidade, quem quiser falar safadeza etc; chama no meu e-mail.
    [email protected]

  6. DUDU safado

    kdlinha viadinho gostou de dar o cu.