Minhas lembranças (XI) B

Autor

continuação …..Minhas lembranças (XI) Me tornei a putinha da família toda,
Gemi e quase chorei. Era a primeira vez que eu estava sendo fodida daquele jeito, e eu não queria parar.
– Mete, Beto… ohhhhhhhhhh… mete bem gostoso nela… soca tudo… vai… ahhhhhh…fode a sua putinha !!!!! que delícia…! – eu falava e mamava no pau do Edu ao mesmo tempo.
Mas o meu primo Edu também queria um pouco da minha boceta. Depois de alguns minutos ele tirou o pau da minha boca e se sentou ao meu lado.
– Agora é minha vez, gatinha… vem dar essa bucetinha gostosa pra mim… vem! Senta no pau do seu primo – ele falou e foi me puxando pra cima dele.
Me ajeitei em cima do Edu e ele, com as mãos na minha cintura, puxou meu corpinho para baixo. Nossaaaa! O pau dele entrou rasgando em mim, mesmo eu já estando muito lubrificando. Senti a piroca dele entrar até o talo. Seus ovos encostaram na minha bunda, de tão fundo que entrou. Eu estava toda entupida de rola.
Fiquei paradinha em cima do pau dele, sem saber muito bem o que fazer. Nisso ele colocou suas duas mãos fortes embaixo da minha bunda e começou a subir e baixar o meu corpo, me fazendo deslizar em seu pau enorme. Gemi muito gostoso. Para aumentar ainda mais o meu prazer, ele começou a chupar e morder os meus peitinhos.
– Ela é putinha demais, não é, Edu? – o Beto falou e se sentou ao nosso lado, tocando uma punheta e vendo o irmão dele meter em mim. Cada descida no pau do Edu me arrancava gemidos de puro prazer, pois eu sentia sua carne dura entrar o mais fundo possível em minha bucetinha já bastante castigada.
– Agora sou eu de novo! – o Beto falou, como se eu fosse obrigada a deixar os dois revezarem na minha buceta. Me levantei e tirei o pau do Edu da minha xota e me sentei da mesma forma em cima do Beto. Novamente senti a pica dura e grossa dele abrir minhas paredes vaginais até o fundo.
– Ohhhhhhhhhhhh… sssssss… delíciaaaa… Betooooo… soca tudo nela… soca tudo… ahhhhhhhhhh… está tão gostosoooooooo…! – falei quando ele me segurou pela cintura e começou um delicioso vai-e-vem dentro de mim. Em poucos segundos eu tive outro orgasmo enorme. Lágrimas desceram pelo meu rosto, tamanho foi o prazer que senti.
Minha buceta já estava ficando dolorida, mas eu não queria parar. Fiquei saltando na vara do Beto, e logo senti falta do Edu. Girei a cabeça e não o vi. "Deve ter ido fazer xixi", pensei. Voltei a me concentrar no Beto e logo percebi que o Edu já havia retornado, ele foi pegar algo que estava na mochila.
– Ei… o que você está fazendo? – me assustei quando ele começou a passar um gel no meu cuzinho.
– Calma… é pra não doer! – ele falou calmamente.
– Não… aí não vou deixar não, Edu!… nunca fiz uma DP – reclamei e o Beto começou a rir. Não se preocupe, não vai doer, você esta acostumada a dar o cuzinho.
Eu percebi que ele estava passando um anestésico no meu cú. Continuei rebolando lentamente na pica do Beto enquanto o Edu ficou passando o gel no meu rabinho, por fora e por dentro. Logo senti o meu cuzinho ficar menos sensível.
– Agora você vai se sentir uma mulher de verdade, priminha gostosa! – ele falou e empurrou meu corpo um pouco para a frente, me deixando quase deitada em cima do Beto. Em seguida ele se posicionou atrás de mim e ficou tentando enfiar seu pau enorme no meu cuzinho.
Meu deussss! Não queria entrar de jeito nenhum, mesmo com o gel que ele tinha passado. Ele tentou várias vezes, encaixava a cabeça na entrada do meu cu e em todas as vezes a cabeça do pau escorregava, já que eu estava muito nervosa e eu trancava a porta do cu.
– Pode ficar tranquila, Flávia… não vamos te machucar, tá?… pode ficar mais relaxada! – o Edu falou dando beijinhos nas minhas costas.
O Beto continuava metendo na minha xoxota, bem compassado, fazendo carinho nos meus cabelos e tentando me acalmar. Senti o dedo do Edu no meu cuzinho, massageando a entradinha e depois enfiando um pouco, girando, tirando e enfiando novamente. Depois ele colocou dois dedos e meu cu começou a lacear, aí lá veio ele com o pau novamente.
– Aiiiiiiiiii… nossaaaaaaaa… está doendo muitooooo… não vou aguentarrr…! – gemi desesperada quando ele forçou um pouco e meu ânus cedeu, engolindo um enorme pedaço daquele seu pau grosso e quente. Que dor que eu senti. Senti como se algo estivesse me rasgando por dentro.
– Isso, gatinha… está vendo como você aguenta dois paus? – o Beto falou e me abraçou bem forte. Nisso o Edu me abraçou por trás e começou a enfiar o pau bem fundo no meu cuzinho, me abrindo ainda mais. Agora eu tinha duas picas enormes dentro de mim, castigando meu corpinho de garotinha.
– Ohhhhhhh… é minha primeira vez fazendo isso, Edu… vai mais devagar… senão vou gritar … ahhhhhhhh… devagarrrrr… meu deussssss…! é a primeira vez que faço uma DP !!!!!! – gemi quando os dois começaram a se mexer dentro de mim, um no meu cuzinho e o outro na minha buceta, parecia que os dois paus se tocavam dentro de mim. Que loucura! Eu estava realizando uma fantasia da minha vida.
– Ahhhhhhhhhhhhh… issooooooo… que bundinha gostosaaaaaa…! – o Edu falou, soltando um grito de triunfo quando o pau dele entrou todinho no meu cú e eu senti as bolas encostaram na minha bunda. Quando percebi eu estava chorando, não sei se era de dor, de prazer, ou pela minha situação. A verdade é que fiquei chorando baixinho, enquanto meus primos metiam em mim sem dó.
E de repente, do nada, o prazer inesperado daquela dupla penetração veio. Quase vi estrelas na hora que os dois finalmente conseguiram sincronizar seus movimentos. Quando o pau do Edu entrava no meu cú a pica do Beto saía da minha buceta, e vice-versa. Que delícia!
– Ahhhhhhhhhhh… ohhhhhhhhhhhh… meteeeeee… meteeeee… soca tudo nesse cú, meteeeeee… bem fundoooo…! – comecei a gemer mais alto.
Não demorou muito e eles trocaram de posição. O Beto foi para o meu cuzinho e o Edu ficou embaixo de mim, metendo na minha boceta. Fizemos mais uma duas posições, e eu sempre com duas picas dentro de mim e eles aproveitando ao máximo meus dois buraquinhos. Devo ter gozado mais umas três ou quatro vezes, meu gozo vinha em ondas, parecia um tsunami.
Eu já estava a ponto de pedir para eles pararem quando o Beto não aguentou mais e gozou dentro do meu cuzinho, me apertando em seus braços. Que delicia sentir o leite quentinho dentro do meu reto. O coitado ficou tão fraco que saiu de dentro de mim e se deitou, super cansado.
– Ahhhhhhhhh… vou gozar também, Flávia… vou gozarrrrr…!! – o Edu avisou e me apertou contra ele, enfiando o pau o mais fundo possível.
Gosaaaaaaa… dentro, enche minha buceta de porra… Edu… Senti seu leitinho quente dentro de mim Nossaaaa!! Eu estava esgotada, fraca e com as pernas tremendo, mas muito satisfeita por ter feito aquilo com os meus dois primos. Correndo o risco de chegar alguém e nos pegar aí nus e metendo, de repente percebi que o meu cu e a minha xota, estavam muito doloridos, arregaçados de tanto levar pica dos meus priminhos queridos.
Deitamos lado a lado nus, e descansamos um pouco, sentamos, tínhamos levado suco de uva gelado numa térmica e lanches, comemos e descansamos um pouco. Eles me deram os parabénspor eu ser uma garota novinha e ter resistido dois paus enormes ao mesmo tempo, pois não era qualquer garota que aguentava duas picas ao mesmo tempo, principalmente na minha idade.
Voltamos a repetir essa experiência outras vezes, principalmente nas férias escolares, as quais eu fazia questão de passar na Fazenda. Meti muito com o Edu e com o Beto, e eles aproveitaram ao máximo os meus dois orifícios gulosos e quentes, e muitas vezes gozaram na minha boca e eu bebi todo o leitinho deles, Meu deussss!! Como eu gosto de fazer tudo isso.
Voltamos para casa, estava difícil pra eu andar a cavalo, pois meu cu e minha buceta estavam doloridos e inchados.
Meus tios desconfiaram da nossa demora, mais não falaram nada, tomamos banho, jantamos e fui pro meu quarto dormir, minha tia entrou e me perguntou se estava tudo bem comigo, Eu disse que sim, que eu estava um pouco dolorida e se ela tinha alguma pomada para aliviar um pouco, ela sabia que eu tinha dado pros primos, Ela pegou uma bisnaga de pomada, e passou na minha buceta e no meu cu, por dentro e por fora, ela disse- Nossa com deixaram seu cu e sua buceta, precisa dar um tempinho pra que seus buraquinhos voltem ao normal, vou cuidar disso pra você, vem dormir no meu quarto assim os meninos vão te deixar em paz um pouco, fui pra cama dos meus tios e deitei entre eles, dormi a noite toda, Nessas férias ainda tem muito mais……

E-mail: flaviacmantovanni@gmail.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...