Minha sobrinha novinha. inocente e funkeira

Autor

Bom, eu sou o Carlos, quem quiser leia meu último conto para saber um pouco, bem pouco, sobre mim.
Certo dia de manhã eu estava em casa de bobeira pensando em onde iria arrumar uma novinha diferente pra mim “brincar” com ela, pois já tinha enjoado das que eu tinha na lista , quando meu telefone toca, até estranhei pois fazia tempo que eu mão recebia uma ligação, só mensagens no whats e no face, atendi e era minha irmã mais nova, e única também, a Melissa, que a tempos tinha se mudado pro interior de MG para trabalhar de caseira junto com o marido, a última vez que a vi foi na festinha de 4 anos da minha sobrinha, isso a 5 anos atrás, e eu fui pra la participar da festa e ver minha sobrinha que não via desde quando ela era bebezinho, eu pensei que ela ia me pedi dinheiro emprestado mas o negócio era pior do que eu pensava, ela estava nervosa e parecia chorar:
_Carlin, me ajuda, eu briguei com meu marido ele me botou pra fora de casa e não tenho para onde ir, deixa eu ficar um tempo ai com você até resolver minha vida? Disse ela no telefone.
_calma Mel, fica calma, isso deve ser coisa de casal, briga de momento, daqui a pouco tudo volta ao normal, não se desespere à toa. Disse eu tentando acalma-la.
_não é não, o negócio e sério, faz duas semanas que aconteceu, eu sai de casa com a Nayara (minha sobrinha) e to morando de favor na casa de uma conhecida minha aqui, já tentei conversa com o Jorge (marido dela) mas ele não quer nem me ver, já me colocou pra correr do sitio várias vezes, e eu tenho que arrumar minha vida, mas aqui no interior não da, não tem serviço, me deixa morar ai naquele barraco de aluguel que você tem, eu e a Nayara, assim que eu arrumar um serviço eu te pago os alugueis, deixa Carlin, por favor, eu te imploro. Disse ela aos prantos.
Eu não comentei isso antes mas no fundo do meu lote tem um barracão de 4 cômodos que eu alugo.
_mas Mel, o barraco já ta alugado e o contrato só venci daqui 4 meses, mas se o negócio e serio como você ta falando eu não vou deixar minha irmã nem minha sobrinha na rua, vem pra ca, chegar aqui a gente vê o que faz até você controlar a situação. Disse eu já preocupado com minha irmã e minha sobrinha.
_obrigado Carlin, o negócio aqui é sério mesmo, eu não queria mais é, e você vai nos ajudar muito fazendo isso, muito obrigada irmão, quando puder eu te recompenso por essa ajuda. Disse ela.
_fica de boa mana, se a coisa ta feia mesmo pode contar comigo, nunca te deixaria na mão, mas ai, se tem dinheiro pra viagem? Disse eu.
_sim, eu tenho pouco, da pra pagar as passagens minha e da Nay de trem e comer algo no caminho, mas não da pra mim ir pra Betim depois, não vai sobrar, você pode nos buscar na estação?? Disse ela mais calma.
_da sim Mel, fica de boa, pode vim que quando chegarem aqui eu estarei la esperando vocês. Disse eu.
_ta bom então Carlin, muito obrigada mesmo, não sei o que seria de nos sem sua ajuda, vou hoje mesmo comprar as passagens, eu tenho que ir embora desse lugar e também da sossego pra minha amiga aqui, já atrapalhei ela demais. Disse ela.
_faz isso mesmo, e me liga falando pra quando comprou as passagens. Disse eu.
_ta bom mano, vou la resolver isso e te ligo pra falar, e muito obrigada mesmo, te adoro Carlim, bjs…
_também te adoro Mel, fica de boa, vai la resolve tudo e me liga, bjs…tchau.
Desliguei o telefone e comecei a pensar em como seria minha vida de agora em diante tendo minha irmã e minha sobrinha morando comigo, mas eu não podia deixar elas na mão, era só eu e ela de irmãos e nossos pais já não estavam mais junto de nós, então eu tinha que ajuda-la, mesmo que pra isso eu atrapalhasse meus esquemas, já que elas iam ficar na minha casa pelo menos nos próximos 4 meses, que é o tempo que ainda resta de contrato do pessoal que alugou o barraco do fundos, mas ta bom, deixa elas virem, chegar aqui a gente vê o que da.
Fui ver como estava o outro quarto da casa, já que estava trancado e fazia meses que eu nem entrava nele, abri e estava uma sujeira que dava até medo, cheio de coisa velha, comecei a limpeza, o que dava pra ser aproveitado futuramente eu amontoei na garagem, o resto eu coloquei no lixo; limpeza feita ai eu percebi que não tinha nada nele, como cama e guarda roupas para as meninas, pensei em sair pra ver se achava essas coisas baratas em algum topa tudo mas lembrei que eu não podia sair porque não sabia a hora que a Mel iria me ligar pra contar que hora ia vim, e como ela iria ligar pro meu telefone fixo eu tinha que espera.
Então eu me deitei no sofá e comecei a pensar em como elas estariam de aparência, já que fazia tempos que não as via, minha irmã era meio magra, tipo falsa magra, branca, olhos pretos, cabelo todo trabalhado no salão, pois o natural era ruim, peito médio e bunda grande, ela era 10 anos mais nova que eu, me lembro que na nossa infância eu já curtia novinhas e abusava muito dela, via ela tomando banho, tacava mão boba nela toda hora, as vezes ia ao quarto dela a noite, passava a mão nela toda e gozava por cima de sua bucetinha lhe deixando toda melada, mas nunca passou disso, acho que ela nunca desconfiou de nada pois nunca falou nada pra ninguém; já minha sobrinha eu nem imagina como estaria, pois quando a vi pela última vez ela tinha 4 aninhos, era branquinha, do cabelo preto liso e olhos castanhos claros, hoje ela já deve ta beirando os 10 anos de idade…pensando isso tudo eu acabei cochilando e acordei 2 horas depois com o telefone tocando, eu atendi.
_alô…
_Carlin, sou eu, liguei pra dizer que já comprei as passagens pra hoje mesmo, o trem passa em Valadares la pelas 13:10 e chega em BH la pelas 19:30, se nada de errado no caminho, então hoje ainda eu estarei ai, graças a Deus e a meu irmão querido. Disse ela.
_que bom Mel, to louco para ver minha irmã e minha sobrinha querida, estarei la esperando vocês. Disse eu.
_também estamos com saudade Carlin, agora vou desligar que tenho que arrumar nossas malas, despedi do pessoal e ir correndo pra Valadares, já são 11hs e não posso perde nem um minuto e nem o trem. (risos)
_ta bom Mel, vai la arrumar tudo, a noite estarei la esperando vocês, bjs e boa viagem.
_obrigada mano, até mais tarde, bjs…
Desliguei o telefone e voltei a pensar em como as coisas mudam de uma hora pra outra, de manhã eu estava pensando em onde arrumar uma novinha diferente pra mim comer, agora eu to pensando que tenho que ir em BH a noite busca minha irmã e minha sobrinha que estão vindo morar comigo, que mudança, mas já que vai ser assim que dê tudo certo. Parei de pensar e sai para procurar os moveis baratos pro quarto das meninas, depois de muito procurar encontrei uma cama box e um guarda-roupas, tudo seminovo e de casal, por 500 reais e comprei, falei com o cara da loja que precisa desses moveis na minha casa hoje antes da 16hs, na mesma hora o cara junto com seu ajudante carregou o caminhão e me acompanhou até a minha casa para entregar tudo, chegando la descarregaram o caminhão e colocaram tudo no quarto, beleza, o quarto da meninas já estava quase pronto, dei uma limpeza extra no moveis novos, como minha cama box é de casal roupas de cama era o que eu mais tinha, só faltava travesseiros e cobertores, mas antes de resolver isso eu fui na cozinha e tirei a tv de 20 polegadas que tinha la e instalei ela quarto da meninas, como a tv era de led eu coloquei ela pendurada na parede, assim economizava e não precisaria comprar móvel pra ela, fiz uma gambiarra na parede e instalei o receptor de tv a cabo, fui ao meu quarto e tirei um dos meus criados mudo e coloquei no quarto das meninas, eu queria deixar tudo bonito e organizado pra elas perceberem que eram muito bem-vindas a minha casa; depois de arrumar tudo isso eu sai pra comprar os cobertores e os travesseiros, aproveitei e almocei no restaurante popular do centro; depois voltei pra casa e acabei de organizar o quarto da meninas, já eram 16:30 da tarde e eu fui descansa antes de sair pra ir em BH busca-las.
A hora deu sair pra busca-la chegou e eu fui rumo a BH, chegando parei meu carro próximo à estação e fui até lá, esperei uns 20 minutos e o trem chegou, fiquei olhando os passageiros descerem e quando menos espero alguém me abraça por trás, era minha irmã junto com minha sobrinha, abracei muito minha irmã, beijei-lhe o rosto e fiquei muito feliz em revê-la, é isso era recíproco, quando fui cumprimentar minha sobrinha eu pirei, ela estava linda, mas muito linda mesmo, um rostinho lindo, branquinha, cabelos cortados na altura do ombro, corpinho em formação, mas a bundinha já estava grandinha, puxou a mãe nisso, os biquinhos dos peito já apontando, notei isso porque ela usava uma blusinha branca de alcinha, e uma saia jeans, me segurei pra não falar nem fazer bobagem, abracei ela também, ela ficou meio tímida, mas também fazia 5 anos que não a via, ela nem se lembrava mais de mim; peguei as bagagens dela, e fomos rumo ao carro, no caminho Nay, minha sobrinha, falou:
_mãe, eu to com fome, vamos comer alguma coisa.
_filha, espera chegar na casa do tio, o dinheiro da mamãe acabou. Respondeu a mãe dela.
_nada de esperar, se minha sobrinha linda que comer ela vai fazer isso agora, e vai comer o que ela quiser, vamos colocar as malas no carro e procurar algum lugar pra gente lanchar. Disse eu.
_que bom. Disse Nay.
_nossa, mal chegou e ela já ta dando trabalho e gasto pra você. Disse Mel.
_fica quieta Mel, minha sobrinha linda nunca me dá trabalho, eu faço o que ela quiser na hora que ela quiser. Disse eu sorrindo e piscando pra Nay que sorriu pra mim.
Colocamos as malas no carro e fomos procurar algum lugar descente para comer algo e achamos uma lanchonete meia boca, entramos e fizemos um lanche, todo mundo satisfeito, saímos, pegamos o carro e pegamos estrada pra Betim, no caminho Mel começou a falar.
_nossa Carlin, as coisas la ficaram difíceis pra mim, eu e o…
_depois falamos disso Mel. Disse eu a interrompendo, ela intendeu que eu não queria falar da briga dela com o marido perto da Nay e ficou calada.
_então Nay, se já ta estudando?
_sim, eu estou na 1° serie, já sei ler e escrever direitinho. Respondeu ela toda feliz, ela já estava ficando menos tímida.
_que legal, e quantos anos você tem? Porque na última vez que te vi você só tinha 4 aninhos, deve que você nem se lembra muito de mim.
_eu tenho 9 anos, e eu lembro pouco de você tio. Disse Nay.
_você não Nay, ele é seu tio, tem que chamar ele de senhor. Disse Mel.
Eu lhe dei um beliscão no braço e falei:
_aiiii… Gritou a Mel.
_ que senhor que nada, ela pode me chamar de você sim, me chamar de senhor vai parecer que eu sou um velhinho, deixa de ser chata. (risos) Disse eu.
_ta bom. Disse Mel.
Todos nós rimos.
Depois de um tempo chegamos em minha casa, abri o portão pelo controle, entramos fechei o portão, descemos do carro e eu falei:
_chegamos meninas, a casa é de vocês, não precisam me pedi pra fazer nada, pode fazer o que quiserem na hora que quiserem, principalmente você Nay, não liga pra chata da sua mãe não, fica à vontade aqui, a casa é sua. Disse eu abrindo a porta da sala.
_ta bom tio, muito obrigada. Respondeu Nay.
_ixi, já to vendo que você vai mimar de mais essa menina. Disse Mel.
_vou mesmo, ela é minha única sobrinha, comigo ela vai poder tudo. (risos) Disse eu.
Entramos, Nay olhou a sala e falou:
_que sala bonita, que tv grande.
_verdade Nay, e você vai poder ver muito desenhos nela, já que vão dormi no sofá, você no pequeno e sua mãe no grande, ta bom? Disse eu.
_ta bom sim tio. Disse ela.
_ta ótimo mesmo mano, muito obrigada por tudo. Disse Mel me abraçando.
_então vamos conhecer o resto da casa pra você saber onde fica tudo e pode pegar o que quiser. Disse eu adentrando a casa e chamando elas pra me acompanharem.
Mostrei pra elas o meu quarto, a cozinha, a área de serviço, e na volta eu abri a porta do quarto delas.
_aqui que vocês vão ficar, nunca que eu deixaria minha irmã e minha sobrinha linda dormirem no sofá. Disse eu.
Mel chorou de alegria e me abraçou e Nay ficou muito feliz.
_obrigada Carlin, não sei o que seria de nos sem você, muito obrigada mesmo. Disse Mel.
_de nada mana, contem sempre comigo, nunca deixaria você e minha sobrinha na mão. Disse eu.
_brigada tio, muito obrigada mesmo. Disse Nay.
Eu à abracei e lhe beijei o rosto.
_de nada linda. Disse eu.
Meninas bem acomodadas, tudo no lugar, eu fui pra sala ver tv e elas ficaram arrumando as coisas dela no quarto, pouco depois, já era mais de 22hs da noite Mel veio e se sentou na sala no mesmo sofá que eu estava, se deitou no meu colo, sorri, passei a mão em seus cabelos e ela começou a contar sua história triste, ouvi tudo calado depois eu disse:
_ta de boa Mel, agora vocês já estão em casa novamente, você é batalhadora e rapidinho vai arrumar sua vida de novo, e enquanto isso não acontecer não vai faltar nada pra você nem pra minha sobrinha, nada mesmo, conte sempre comigo.
_obrigada irmão, muito obrigada mesmo. Disse ela.
Os dias foram se passando, eu fui me acostumando com elas e elas comigo, Mel sempre saia cedo para procurar serviço e Nay ficava em casa, já que ainda não havia sido matriculada na escola, minha sobrinha já estava se soltando mais e ficando mais a vontade comigo, sempre me perguntava algo, pedia pra mim ensinar ela a mexer no computador, eu ensinei um pouco e fiz um face pra ela; alguns meses se passaram, Mel arrumou um serviço numa empresa de limpeza e Nay estudava de manhã, como eu não fazia nada da vida, ficava em casa o dia todo, e quando Nay chegava da escola eu cuidava e ficava com ela até a Mel chegar, a mãe dela até falou em arrumar uma pessoa pra cuidar dela depois que ela saísse da escola mas eu falei que não precisava e que eu cuidaria muito bem da minha sobrinha linda, até uma piscina de plástico eu comprei pra ela brincar no quintal, na verdade eu fiz isso pra ver minha sobrinha de biquíni, que tesão de menina ela era, as vezes ela ia brincar na piscina, quando a mãe dela não estava em casa, ai ela não colocava o biquíni, ela tirava só o short e ficava de calcinha e blusinha, ai na hora de entrar pra dentro de casa ela na inocência tirava a blusinha pra não molhar o chão e entrava pra dentro só de calcinha, eu pirava com isso, via aqueles biquinhos apontando e quando ela estava de calcinha branca molhada eu via perfeitamente o desenho da sua bucetinha, eu ia a loucura com isso mas me segurava pra não fazer bobagem.
Certo dia, à tarde, eu estava mexendo no computador e Nay veio falar comigo.
_tio, você não tem aqui um rádio pra mim ouvir minhas músicas?
_acho que tem sim Nay, vou ver isso pra você. Disse eu me levantando e indo pro meu quarto.
Chegando la eu encontrei uma caixinha de som que eu tinha, daquelas do camelo que tem rádio FM e entrada pra pen drive, e dei a ela.
_essa aqui serve Nay? Disse eu.
_serve sim tio, obrigada. Ela falou e me abraçou.
Eu sem pensa na consequência lhe abracei, passei a mão nas suas costas e desci ela até a bundinha, passei de leve a mão e soltei ela, só de fazer isso meu pau foi la no teto.
_que tipo de música você gosta Nay? Perguntei.
_eu gosto de funk tio. Disse ela.
Eu ri e falei.
_legal, e você dança também? Perguntei.
_sim, eu danço, minha mãe não gosta disso, mas eu faço sem ela saber. (risos) Disse ela.
Vi ali uma oportunidade de me aproveitar daquele bebezinho lindo, ela é minha única sobrinha, mas pra mim isso era de menos.
_dança ai pra mim ver se você dança bem. Disse eu já com segundas intenções.
_mas não tem música aqui. Disse ela.
_vamos pra sala, ai eu coloco a música no computador e você dança pra eu ver se tu dança bem. Disse eu.
Fomos pra sala, chegando la eu abri o YT e perguntei:
_você gosta de dançar qual música?
_mc kevinho. Disse ela.
Coloquei a música para tocar e ela começou a dançar, nesse dia ela estava usando um short jeans não muito curto e uma blusinha preta, na verdade ela nem dançava direito, mas só de ver uma novinha de 9 aninhos rebolando a bundinha já é tudo de bom, eu via ela rebolando e meu pau até doía de tanto tesão que eu sentia, a música acabou ela me olhou e falou:
_gostou tio? Eu danço bem?
_gostei sim linda, você dança bem, quando sua mãe chegar eu vou contar essa novidade pra ela. Disse eu.
_não tio, não faz isso não, ela vai me xingar e me bater, não conta não por favor. Disse ela apavorada.
Me aproveitei da situação, peguei ela e a coloquei no meu colo, senti aquela bundinha em cima da minha rola dura quase me fez gozar.
_to brincando minha linda, eu não vou falar nada não, fica tranquila. Disse eu.
_ainda bem, que susto que você me deu. Disse ela sorrindo.
Peguei a caixinha de som e um pen drive para explicar ela como fazia para tocar as músicas.
_olha só linda, aqui pra tocar músicas você tem que coloca-la aqui, e depois colocar ele aqui ai vai tocar suas músicas, ai eu vou baixar todas as músicas que você quiser e vou colocar aqui, ai depois é só você ouvir e dançar. Disse eu.
_ta bom tio, eu intendi. Disse ela.
_mas, se sua mãe não gosta que você dance funk e melhor se nem falar pra ela dessa caixinha que eu te dei, deixa ela no meu quarto, ai sempre que sua mãe não tiver em casa e você quiser dançar suas músicas se vai la e pega ela. Disse eu.
_boa ideia tio, assim ela não vai me xingar. Disse ela.
_e isso ai, então dança mais pro tio ver, eu gostei de ver minha sobrinha linda dançando, mas esse seu short e muito apertado, vai la e vesti um mais folgado, assim fica melhor pra você dançar, enquanto isso eu vou baixado as músicas aqui no computador. O que você acha? Disse eu já querendo começa a me aproveitar dela.
_verdade tio, vou la trocar de roupa e já volto. Disse ela descendo do meu colo e indo pro quarto dela.
Eu sou um cara de muita sorte, parece que as coisas caem na minha mão, eu sou demais, pensava eu enquanto baixava uns funk pra ela. Eu particularmente odeio funk, mas essa música do caralho é boa pra colocar as novinhas pra kikar e rebolar.
Não demorou muito e ela voltou vestida com o short amarelo de um baby-doll, ele não era muito curto e nem muito comprido pra ela, quando ela rebolasse com certeza eu ia ver a calcinha dela.
_olha tio, esse é o mais folgado que eu tenho, será que ta bom? Disse ela.
Eu me aproveitei disso, puxei ela pra perto de mim, virei ela de costas, passei a mão de leve em sua bundinha e falei:
_ta ótimo linda, ficou muito bom, e você tem bunda grande igual sua mãe. (risos)
Ela sorriu, virou novamente de costas pra mim e falou na maior inocência do mundo:
_você acha tio? Meu bumbum é grande como o da minha mãe?
Eu sem pensar duas vezes passei a mão novamente naquela bundinha linda e grande, apertei com vontade e falei:
_tem sim linda, seu bumbum é grande como o da sua mãe. (risos)
Ela sorriu.
Eu coloquei uma música do Bonde da Maravilhas pra tocar e falei:
_dança pro tio ver.
_vou tentar tio, essa eu não sei dança direito não. Disse ela sorrindo.
_vamos ver se não sabe mesmo, dança ai. Disse eu.
Ela dançava, meio sem jeito, mas dançava, era lindo ver ela rebolando com aquele short folgado, várias vezes deu pra ver a pontinha da calcinha rosa que ela usava, na hora de fazer o quadradinho de 8 ela tentou, saiu tudo errado mas ver aquela novinha linda de pernas pra cima tentando mexer a bundinha e eu vendo a calcinha dela, aquela pacotinho gostoso, meu tesão foi a 1000, meu pau doía de tão duro, deu vontade de ir pra cima e chupar ela toda, mas eu tinha eu me controlar, tinha que ir com calma pra não estragar tudo. Quando a música acabou eu falei:
_você dançou muito bem linda, parabéns.
_obrigada tio. Disse ela.
_agora senta aqui pra você escolher as músicas que você quer ter no seu radinho.
_ta bom tio. Disse ela vindo e sentado no meu colo, ajeitei ela direitinho do jeito que aquele bumbum gostoso ficasse certinho em cima do meu pau duro.
Comecei a baixa as músicas que ela ia me falando, eu de pau duro, com ela sentado no meu colo não tinha como me controlar e toda hora meu pau mexia, e ela com certeza sentia isso porque estava usando um short de pano fino, mas ela não falava e nem demostrava nada, então continuamos a baixar as músicas, quando acabou eu falei:
_pronto linda, já baixei suas músicas, agora você pode ouviu quando quiser e quando sua mãe não estiver em casa.
_ta bom tio, obrigada.
Dei a ela a caixinha com o pen drive e falei:
_vamos no meu quarto, vou te mostrar um lugar pra você deixar a caixinha pra sua mãe não saber.
Ela não falou nada e me seguiu até meu quarto, chegando la mostrei a ela um lugar qualquer e falei:
_quando sua mãe estiver em casa você deixa ela aqui, ai quando sua mãe sair você vem e pega, ta bom assim linda?
_sim tio, ta muito bom. Disse ela me abraçando e me beijando o rosto, nessa hora eu peguei ela no colo, ela agarrou o meu pescoço e sem pensar duas vezes eu lhe segurei firme pela bundinha, pegando com as duas mãos aquela coisa linda, fiquei segurando ela por um bom tempo, me aproveitando ao máximo daquele momento, quando acabou o abraço ela foi pra sala ver tv e eu pro banheiro bater uma punheta, gozei litros pensando na minha sobrinha linda, de quem eu ainda ia me aproveitar muito.
A noite chegou e junto com ela minha irmã, tentei manter a calma mas por dentro eu estava com medo da minha sobrinha comentar algo e me fuder legal, mas isso não aconteceu, Nay ficou na dela e não comentou nada, minha irmã tomou banho, fez algo pra ela e a Nay comer, e foram pro quarto delas ver tv, eu fiquei na sala mexendo no computador e vendo tv ao mesmo tempo, era umas 21:40hs quando Mel chega na sala se senta no sofá e começa a conversa comigo que estava de costa pra ela mexendo no computador.
_Carlin, precisamos conversa.
Eu tremi todo, não sabia o que fazer, o medo tomou conta de mim, mas eu me levantei tentando manter a calma, sentei no sofá perto dela e falei:
_sobre o que Mel?
_é que já está quase no dia deu receber meu 1° pagamento e eu queria saber quanto você vai me cobrar pela hospedagem minha e da Nay aqui na sua casa? Disse Mel.
Respirei fundo, um alivio tomou conta de mim, eu me aproximei mais de minha irmã e falei:
_deixa de ser boba, não precisa pagar nada não, junta uma grana pra quanto desocuparem o barracão dos fundos você e Nay se mudam pra la, ai com a grana tu começa a compra as coisas que faltam pra sua casa, mas não precisa se preocupar não, porque o contrato do pessoal que ta la acaba daqui 2 meses, mas o cara já me procurou querendo renovação e eu fiquei de pensar.
_renova não Carlin, aluga ele pra mim. Disse Mel.
_porque essa presa toda de sair da minha casa? Ta gostando de ficar aqui não? Perguntei.
Ela se sentou mais perto de mim, me deu um beijo na bochecha, deitou no meu colo e falou:
_que nada, eu to gostando muito de ficar aqui e a Nay também, mas a gente não quer ficar te dando trabalho.
_deixa de ser boba, vocês não me dão trabalho nenhum, e eu to adorando ter companhia aqui, pode ficar tranquila, e eu vou renovar o contrato de aluguel com o cara sim, é bom que você terá mais tempo pra junta uma grana pra quando se mudar pro barracão poder compras suas coisas. Vai ser melhor pra você e não discuta comigo, sou mais velho é quem manda sou eu. (risos) Disse eu lhe dado um aperto na bochecha.
_então ta, se você ta falando eu não vou discuti, mas quando quiser que a gente sai da sua casa é so falar, ta? Disse ela.
_cala a boca, você já falou bobagem de mais, você deve ta cansada e com sono. Disse eu.
Ela sorriu.
Continuamos a ver tv, na verdade eu nem sabia o que estava passando, ela pegou o controle e começou a mudar de canal, parou num canal que estava passando um filme, que nem me lembro o nome, e ficou ali vendo e deitada no meu colo. Foi ai que eu comecei a notar ela disfarçadamente, ela estava usando um baby-doll branco com desenhos pretos, olhei aquelas coxas grossas, os seios grandes e aparentemente firmes, barriga não muito pequena, mas também não era grande, bumbum enorme, ela estava até gostosinha, mas não me interessava não, eu curtia ela quando era pequena, hoje mesmo se ela quisesse eu não comia.
Ficamos vendo tv em silencio, eu acabei cochilando, quando acordei já eram 23:35hs, e minha irmã até roncava deitada no meu colo, tentei acorda-la mas foi em vão, tirei ela do meu colo e me levantei, pensei em deixa-la dormindo ali mas depois resolvi leva-la pro quarto, fui até lá, abri a porta e acendi a luz, foi quando vi minha sobrinha deitada, descoberta já que a noite estava quente, ela vestia uma camisolinha rosa, como a perna dela estava dobrada eu vi que ela usava uma calcinha branca, olhei por alguns segundo e voltei pra sala, peguei minha irmã no colo e a levei pro quarto, coloquei ela na cama, dei mais um olhada na minha sobrinha, a mão de mexer nela até tremeu mas eu me segurei, apaguei a luz, sai do quarto e fechei a porta e fui pro meu quarto dormi.
No outro dia acordei cedo, apesar de não trabalhar eu sempre acordo cedo, as 7hs eu já estou de pé, estava na cozinha fazendo café quando minha irmã chegou, ela tinha ido levar a Nay na escola, a escola fica a 3 ruas abaixo da minha casa, mas Mel gostava de levar a menina la, as vezes eu ia buscar ela, mas na maioria das vezes ela vinha com as novas amiguinhas dela, Mel só sai pro serviço as 8:00hs.
_bom dia. Disse ela.
_bom dia Mel. Respondi.
_fui levar a Nay na escola, agora é só tomar meu café e ir pro trampo. Disse ela.
_muito bom, senta ai que ta quase pronto. Disse eu.
_não, eu vou me arrumar, quando acabar eu volto. Disse ela.
_ta bom. Respondi.
Ela foi se arrumar e eu fiquei ali arrumando o café da manhã, acabei de fazer, arrumei a mesa do café e comecei a tomar, Mel voltou pronta para ir trabalhar, se sentou e começou a tomar café e conversa:
_ontem eu dormi no sofá e hoje eu acordei na minha cama, você sabe o que aconteceu? Disse ela.
_sei sim, você dormiu no meu colo, ai era tarde e com o tu não acordava eu à levei pra cama. Disse eu.
_nossa, que legal, vou dormi sempre no sofá pra você me levar pra cama. (risos) Disse ela.
_nem pense nisso, você ta muito gorda, eu quase me machuquei te carregado de tanto peso que era. (risos) Disse eu.
_eu não to gorda não seu chato, eu emagreci mais de 15kg nos últimos meses. Disse ela.
_então pode emagrecer mais uns 20kg que vai fica bom. (risos) Disse eu.
_aonde eu to gorda? me mostra aqui seu chato. Disse ela se levantando ficando em pé próximo a mim e levantando a blusa.
Apertei sua barriga e falei:
_olha esse pneu.
Dei-lhe um tapa na bunda e falei:
_olha o tamanho dessa bunda. Começa a ir na academia que vai ser melhor. (risos)
_você é chato de mais, eu vou trabalhar que é melhor, tchau. Disse ela tomado o ultimo gole de café e saindo.
_vai a pé que é melhor, assim você faz exercícios e perde um pouco dessa barriga. (risos) Disse eu.
_tchau seu chato. Gritou ela antes de sair pro serviço.
Acabei de tomar café, arrumei a cozinha e o resto da casa, acabei era umas 9hs, como Nay só chegava as 11:10hs eu aproveitei o tempo que tinha e fui ao centro resolver algumas coisas simples, era 10:40hs quando eu retornei pra casa, então comecei a fazer o almoço pra quando Nay chegasse ele já estaria quase pronto, o tempo passou, e Nay chegou, como ela tem a chave do portão ela já entrou em casa gritando:
_tio, cadê você?
_to aqui na cozinha. Respondi.
Ela foi ate la.
_bom dia tio. Disse ela.
_bom dia minha linda, como foi a aula hoje? Eu disse.
_foi boa tio. Hummm… o cheiro aqui ta bom, o que você ta fazendo? Disse ela.
_to fazendo o almoço, hoje vai ser, arroz, feijão, bife de frango empanado e salada de alface com tomate, vai la guarda suas coisas, troca de roupa e vem que já ta quase pronto. Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela indo pro quarto troca de roupa.
Continue preparando o almoço e comecei a ouvi um funk tocando, já imaginei que era ela com sua caixinha de som, pensei em ir la ver mais achei melhor não, eu não podia ficar muito em cima dela para não levantar suspeitas, tinha que deixar as coisas acontecerem naturalmente, então fiquei ali mesmo acabando de preparar o almoço, minutos depois a música parou e ela voltou pra cozinha.
_ta quase pronta a comida, pode sentar ai que jaja eu te sirvo. Disse eu.
_ta bom. Tio, depois do almoço eu posso nadar? Hoje ta calor. Disse ela.
_você pode nadar a hora que quiser minha linda, a piscina é sua, mas quando acabar de almoça espera um pouco antes de entrar na agua, faz mal entrar na agua de barriga cheia, ai depois do almoço você vê um desenho, ou faz o dever de casa ai depois você pode ir nada, ta bom? Disse eu.
_ta bom tio, quando acabar de almoçar eu vou fazer meu dever de casa ai depois eu vou nadar. Disse ela.
_isso ai linda, faz assim mesmo. Disse eu.
O almoço ficou pronto, eu servi o dela e o meu, almoçamos, quando acabamos ela foi pro quarto dela fazer o dever se casa, eu fiquei ali ajeitando tudo de novo, não gosto de ver nada bagunçado, quando acabei fui pra sala ver tv, passados pouco mais de uma hora ela chega na sala e fala:
_tio, posso ir pra piscina agora?
_pode sim minha linda, pode ir nadar a vontade. Disse eu.
_que bom, então eu vou trocar de roupa. Disse ela sorrindo e retornando ao seu quarto.
Continue assistindo tv, minutos depois ela volta.
_pronto, agora vou nadar tio. Disse ela.
Eu olhei e a vi vestindo apenas uma calcinha rosa com ursinho desenhado na frente, eu olhei aquilo e quase babei.
_ue, vai vesti um biquíni não? Disse eu sem tirar os olhos dos biquinhos dos peitos dela.
_eu ia, mas ele esta sujo, vou nada de calcinha mesmo. Disse ela toda inocente.
_ta bom, vai la então. Disse eu.
Ela saiu e foi nadar, eu até perdi o interesse na tv e fiquei só pensando nela que agora estava la fora só de calcinha rosa , toda molhadinha, brincando na piscina, dei um tempo para respirar, desliguei a tv e fui pra varanda de onde eu podia ver a piscina e ela nadando, me sentei e fiquei ali fumando e admirando aquela visão maravilhosa, minha sobrinha novinha linda e inocente brincando na piscina usando apenas uma calcinha rosa, vendo aquilo meu pau até doía de tão duro que estava, quando ela me viu sentado ali gritou:
_tio, vem brincar comigo.
Como o muro da minha casa e alto e não tem prédios próximos eu nem pensei duas vezes, tirei o short que vestia e fui pra la só de cueca box branca, o pau fazia até volume, mas eu nem me importei, cheguei e sentei dentro da piscina, como ela era pequena, de 1500 litros, só dava pra mim sentar mesmo, ela ficou muito feliz e começou a jogar agua em mim usado o baldinho que ela usa para brincar e eu só pensando maldade.
_vou molhar você todo. Dizia ela enquanto me jogava agua.
_pode molhar linda, hoje ta calor. Disse eu.
Quando vi que eu já estava muito molhado eu me levantei e comecei a brincar de joga agua nela, mas fiz isso pra ela ver o volume na minha cueca que estava ainda mais visível.
_agora e minha vez de molhar minha sobrinha linda. Falava eu enquanto lhe jogava agua.
Notei que ela ficava reparando o volume que tinha na minha cueca mas não falava nada, continue brincando de lhe molhar com o baldinho, depois em sentei novamente na piscina e lhe puxei pra cima de mim, eu lhe segurava com uma mão e lhe molhava com a outra, ela era só alegria, e eu só tesão e maldade, aproveite essa brincadeira e enquanto eu lhe molhava passei a mão nos biquinhos dos seios dela, ela não falou nada, meu tesão era tanto que só de fazer isso eu quase gozei, aproveitei essa brincadeira na piscina e abusei muito dela, passava a mão pelo seu corpo todo fingindo está lhe molhando, ela como era inocente aceitava tudo achando que o tio estava só brincando com ela, mas na verdade eu estava era me aproveitando ao máximo daquele corpinho lindo, branquinho e gostoso, numa dessas brincadeiras eu passei a mão por cima da bucetinha dela, nessa hora eu não me aguentei e gozei gostoso melando toda minha cueca, depois dessa minha gozada fantástica eu fiquei mais um tempinho brincando com ela, e resolvi sair da piscina, me levantei, meu pau estava meia bomba mas ainda fazia volume na cueca e agora tinha uma mancha mais escura por causa do meu gozo.
_linda, eu cansei de nadar, vou entrar e me secar. Disse eu.
_ta bom tio, daqui a pouco eu vou também. Disse ela sem tirar os olhos da minha cueca.
Sai da piscina e entrei na casa, fui pro banheiro me limpar e me secar, nisso eu comecei a ficar com medo dela querer pergunta a mãe dela o que era aquele volume na minha cueca, eu torcia pra que ela nunca comentasse nada com a Mel, senão a coisa ia ficar feia pro meu lado, pensando isso eu me limpei, me sequei, vesti uma roupa, peguei uma toalha pra Nay e voltei pra varanda, me sentei e fiquei só observando ela brincar mais um pouco, depois ela saiu da piscina e veio pra varanda.
_cansei de nadar. Disse ela.
_ta bom, olha a toalha ai, se seca e vai trocar de roupa. Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela pegando a toalha e se secando.
Eu achando que ela ia se secar e ir pro quarto dela trocar de roupa, mas me enganei, ela se secou, colocou a toalha em volta do pescoço e tirou a calcinha ali mesmo, na minha frente, jogou-a no chão, se secou mais um pouco, depois se enrolou na toalha e falou:
_vou colocar minha calcinha no tanque, minha mãe não gosta de roupa molhada dentro do quarto. (risos)
_faz isso mesmo, linda, deixa ela ali no tanque que amanhã eu vou lavar roupas. Disse eu com o coração batendo forte e o pau subindo de novo.
Ela colocou a calcinha no tanque que ficava nos fundos da varanda e entrou pra dentro de casa, eu fiquei ali sentado com o pau duro e os pensamentos a mil, eu tinha acabado de ver minha sobrinha linda de 9 aninhos inocentemente ficar nua na minha frente, foi rápido mas o que eu vi seria difícil de esquecer, vi aquela bundinha grande, pra idade dela era grande, e branquinha, aquela rachinha linda da bucetinha dela, que visão maravilhosa que eu tive, só aquilo ia me reder muito punheta, enquanto eu estava ali ainda digerindo aquela imagem linda ela volta, estava vestida com uma saia de pano fino não muito curta, ficava pouco acima do joelho dela e uma blusinha preta, ela se sentou no meu colo e falou:
_tio, posso te perguntar uma coisa?
_pode sim minha linda, pode pergunta tudo que você quiser. Disse eu tentando volta a normalidade.
_o que era aquele negócio na sua cueca quando você tava na piscina? Parecia uma salsicha gigante. Disse ela.
Eu engoli a seco essa pergunta, meu coração acelerou, eu quase e tive um ataque cardíaco ao ouvir aquilo. Pensei se eu conto ela pode contar para alguém e eu vou ta na merda, se eu não conto quando a mãe dela chegar ela vai pergunta isso pra ela e eu vou ta mais na merda ainda, e agora o que eu faço? Respirei fundo, pensei rápido e comecei a falar:
_linda, eu vou te contar e te mostrar o que era aquilo, mas você tem que promete pro tio que não vai contar nada pra ninguém, isso vai ser um segredo nosso, você promete pro tio?
_prometo tio, vai ser outro segredinho nosso, eu não vou contar nada pra ninguém, eu prometo. Disse ela.
_então ta bom linda, o tio vai te contar o que era, aquilo é o pinto do tio, e por ali que o tio faz xixi. Disse eu.
Ela riu e falou:
_porque é diferente? Por onde eu faço xixi não é grande daquele jeito não. Disse ela levantando um pouco a saia a passando a mão na bucetinha por cima da calcinha.
Vendo ela fazer aquilo ali sentada no meu colo eu “chutei o balde”, não me importei com mais nada, passei a mão com vontade sobre aquele pacotinho que ela tem e falei:
_porque sim linda, homem tem pinto e mulher tem perereca, o tio tem pinto e você tem perereca.
Tirei ela de cima do meu colo, coloquei meu pau duro pra fora e mostrei a ela, ela ficou com os olhos parados só olhando a minha rola dura e não falava nada.
_ta vendo linda, isso é o pinto do tio, eu tenho pinto e você perereca, mostra sua perereca pro tio. Disse eu já nem me importando mais com o que ia acontecer depois.
Ela então levantou a saia, abaixou a calcinha e falou.
_aqui tio, olha minha perereca, ela é bem diferente do seu pinto.
Eu me abaixei um pouco para ver melhor aquela coisa linda que ela estava me mostrando, era pequena e fechadinha, com ela em pé eu só via a rachinha da bucetinha dela, mas só com isso meu pau até pulava de tanto tesão, sem pensar duas vezes e sem falar nada com ela eu passei a mão naquela coisinha maravilhosa.
_sua perereca é bonita, já o pinto do tio é feio. (risos) Falei isso, tirei a mão da bucetinha dela e fiquei em pé novamente passando a mão na minha rola.
_seu pinto não e feio não tio. Disse ela sorrindo.
_quer pegar nele? Perguntei.
Ela olhou, pensou, pensou e sem falar nada colocou uma mão nele, nessa hora meu pau tremeu e ela tirou a mão meio assustada com o movimento da minha rola.
_seu pinto mexeu. Disse ela sorrindo.
_sim, é porque ele gostou da sua mão, pega nele de novo, precisa ficar com medo não. Disse eu.
Ela colocou a mão nele novamente e apertou um pouco, só de senti aquela mãozinha segurando minha rola eu quase gozei novamente. Ela o segurava é ficava olhando sem falar nada, eu nem imaginava o que se passava na cabecinha dela, mas na minha só passava maldade e vontade e tocar e chupar a bucetinha dela, então eu falei:
_você já viu e pegou no pinto do tio, agora deixa eu ver melhor sua perereca, senta ai.
Ela não falou nada, apenas largou minha rola e se sentou na cadeira, eu acabei de lhe tirar a calcinha que estava na altura dos joelhos, levantei sua saia e pedi pra ela segura, ela fez o que pedi, então eu me ajoelhei na frente dela, abri com calma suas perninhas e tive a visão do paraíso, vi aquela coisinha linda, pequenininha, rosinha e fechadinha, era a bucetinha mais linda que eu já tinha visto, fui com os dedos e abri devagar os pequenos lábios dela, olhei e vi o buraquinho fechadinho, rosinha, que maravilha era aquilo, fiquei olhando por alguns segundos, minha boca até salivava de vontade de chupar aquelas maravilha, mas me levantei com medo de perde a cabeça e ir além do que eu já tinha ido naquele momento. Guardei o meu pau que estava até babando de tanto tesão que eu sentia e falei:
_viu linda, agora você sabe o que era aquele volume na minha cueca, ta bom assim?
_sim tio, agora eu sei o que era aquilo. Disse ela com um sorriso no rosto mais ainda sentada na cadeira sem calcinha com as pernas e a saia levantada.
_então ta bom, pode vesti sua roupa de novo. Disse eu.
Ela se levantou pra vesti a roupa, eu me sentei novamente na cadeira e chamei ela para sentar novamente no meu colo, ele veio e se sentou.
_linda não fala nada isso pra ninguém ta bom? Vai ser segredo nosso. Disse eu.
_ta bom tio, pode deixar que eu não vou falar nada pra ninguém não, vai ser outo segredo nosso, igual o rádio que você me deu pra ouvir funk. Disse ela.
_isso ai linda, continue assim que o tio vai te ensinar muitas coisas. Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela.
Continuei ali sentado com ela no meu colo, mas antes que o pior acontecesse eu mandei ela levantar e falei:
_vou la pra dentro ver um pouco de televisão.
_eu também vou, quero ver desenho, você vê comigo. Disse ela.
_claro que sim linda, vamos. Falei isso e entramos pra dentro de casa.
Chegando na sala eu falei:
_linda liga a tv ai que eu vou no banheiro e já volto.
_ta bom tio, disse ela pegando o controle e se sentado no sofá.
Eu fui pro banheiro do meu quarto e bati uma punheta sensacional pensando na bucetinha rosinha e fechadinha da minha sobrinha e gozei gostoso, que gozada fantástica. Me limpei, lavei o rosto e voltei pra sala, ela estava assistindo “Masha é o Urso” deitada no sofá pequeno, eu me sentei no grande, ela mais que rápida já se levantou e foi pro outro sofá, se deitou com a cabeça no meu colo e falou:
_posso deitar aqui tio?
Passei a mão em seus cabelos e falei:
_pode sim minha linda, você pode tudo.
Ela sorriu e continuamos a ver o desenho num silencio total.
Vendo ela deitada no meu colo eu comecei a pensar se ela era mesmo uma criança inocente ou era uma safadinha se fazendo de inocente, mas eu acho que ela era uma criança inocente mesmo, porque ele foi praticamente criada num vilarejo que fica na zona rural de Governado Valadares, lugar onde só tem fazendas e sítios, roça mesmo, quando minha irmã foi pra la ela, a Nay, tinha pouco mais de 1 ano de idade e ficou la até a alguns meses atrás, acho que ela realmente é uma criança inocente querendo conhecer novas coi…
_tio, quando puder você me leva num parque de diversão? Quero andar de montanha russa, roda gigante…
Meus pensamentos foram interrompidos com ela me perguntando isso.
_levo sim minha linda, no final de semana nos vamos no parque e você vai poder andar em tudo isso e muito mais. Eu disse.
_ta bom tio. Disse ela.
_você já foi no parque antes? Perguntei.
_não, nunca, la onde a gente morava não tem isso. Respondeu ela.
_e quando você tava la você saia pra onde? Onde sua mãe te levava? Disse eu.
_la a gente não saia muito, e quando saia ia só na cidade e voltava rápido, la eu só ia pra escola e mais nada. Disse ela.
Pensei “acho que ela realmente é uma menina inocente criada na roça e cheia de curiosidade.”
_então amanhã mesmo a gente vai sair pra passear pela cidade, vamos no shopping, no parque, e aonde mais você quiser, ta bom minha linda? Disse eu.
_nossa, a gente vai num shopping? La tem cinema e mcdonald’s? disse ela toda empolgada.
_sim linda, la tem tudo isso e muito mais, e você vai pode ir em tudo. Disse eu.
Ela se levantou me abraçou me beijou no rosto e falou:
_obrigada tio, você é muito legal, quando minha mãe chegar vou contar pra ela com você vai me levar no shopping e que eu vou no cinema.
_ta bom linda, conta isso pra ela, mas não conta o que aconteceu hoje, ta bom?
_ta bom tio, isso eu não vou contar não. Disse ela.
_isso ai linda, não conta nada pra ninguém, aquilo é segredo nosso. Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela.
Continuamos a ver tv.
Mais a noite quando a mãe dela chegou ela estava toda feliz contando pra mãe dela que eu ia levar ela no shopping, no cinema, no mc donald’s…
_nossa filha, você já começou a dar trabalho pro seu tio? Disse a Mel.
_fala bobagem não sô, ela não me dá trabalho nenhum, foi eu que falei pra ela que amanhã à tarde vou leva-la pra dar um passeio pela cidade. Disse eu.
_ta vendo mãe, o tio que quer me levar pra passear, deixa eu ir? Disse Nay.
_ta bom Nay, pode ir passear com seu tio. Disse Mel.
_que bom, amanhã eu vou no shopping. Disse Nay toda feliz.
Mel me olhou e sorriu; a noite foi passando, Nay foi dormi, eu fiquei mexendo no computador e Mel vendo tv na sala.
_você ta mimando de mais essa menina. Disse Mel.
_você ta com ciúmes? Se for pode deixa que no fim de semana eu te levo pra passear também. (risos) Disse eu.
_não é ciúmes não, é que você ta deixando ela mimada, depois quem sofre sou eu. Disse Mel.
_deixa de ser chata, eu não to mimando ninguém não, só vou levar minha sobrinha querida pra passear, só isso. Disse eu.
_ta bom, quando ela ficar mimada eu quero ver o que tu vai arrumar. Disse Mel.
_ok, quando isso acontecer eu me viro com ela, deixa comigo. Disse eu.
Mel se levantou, chegou por tras de mim, me deu um abraço e falou.
_obrigado por ser assim com ela, e comigo também, você é demais.
_nem precisa agradecer, vocês são minha família. Disse eu lhe dando um beijo na testa.
_bom , agora eu vou dormi, amanhã acordo cedo. Disse Mel.
_vai mesmo, não dorme aqui de novo não porque eu não aguento carregar esse tamborzinho todo dia. (risos) Disse eu.
_seu chato. Disse ela me dando um tapinha no ombro e indo pro quarto.
_gorda. Disse eu lhe dando um tapa na bunda.
Ela sorriu e foi pro quarto dormi.
Apesar de esta abusando da minha sobrinha eu gostava demais dela e da minha irmã, minha consciência, as vezes, pesava de estar fazendo isso, mas eu não conseguia parar.
Desliguei o computador, fechei a casa e fui dormi.
O dia amanheceu, acorreu tudo dentro da normalidade, então eu vi que Nay não tinha falado de mais, fiz as coisas de sempre, e quando deu 11:15hs Nay chegou correndo.
_tio, tio, vamos, vamos, não quero me atrasar.
_vamos pra onde Nay? Atrasar pra que? Disse eu.
_pro shopping, quero ir cedo pra aproveitar tudo, vamos. Disse Nay.
_ata, mas calma, vamos nos arrumar primeiro, você não quer ir no shopping com roupa de escola? Não é mesmo? Disse eu.
_é verdade, perai que eu vou vestir outa roupa. Disse Nay.
_mas não é so vesti outra roupa, você tem que tomar banho primeiro, pode se arrumar com calma, que a gente vai ter muito tempo pra passear no shopping. Disse eu.
_ta bom, eu vou la tomar banho e me arrumar. Disse ela.
_isso ai, vai la que eu vou me arrumar também. Disse eu.
Nay foi pro quarto se arrumar, eu estava na cozinha sentando de onde tinha uma visão do corredor, onde ficava os quartos e o banheiro, quando menos espero a porta do quarto dela se abre e de la sai Nay com a toalha no pescoço e vestida apenas com uma calcinha amarela, ela me olhou na cozinha e falou:
_tio, eu vou tomar banho.
_ta bom linda, vai la. Disse eu.
Ela entrou no banheiro e eu fiquei com aquela imagem na cabeça, e imaginando ela peladinha debaixo do chuveiro, com esse pensamento eu acabei fazendo uma coisa de louco, fui ao meu quarto, peguei minha toalha e fui até o banheiro do corredor, bati na porta, Nay respondeu.
_oi tio, eu to aqui.
_eu abri um pouco a porta e falei.
_posso tomar banho com você linda? assim a gente demorar menos pra nos arrumar e sai.
_pode sim tio, vem que a agua ta quentinha. Disse ela.
Eu acabe de abri a porta do banheiro, entrei e vi a imagem dela debaixo do chuveiro pelo vidro do box, pendure a toalha, tirei minha roupa toda, abri a porta do box e me deparei com aquela menina linda, branquinha, peladinha e molhadinha debaixo do chuveiro, meu pau subiu na hora, fiquei ali admirando aquela linda cena por alguns segundos, ela me olhou e falou:
_vem tio, vem tomar banho pra gente não se atrasar.
_to indo linda. Disse eu acabando de entrar no box e fechando a porta, me aproximei do chuveiro, esperei ela sai para se ensaboar e entrei, comecei a me molhar e fechei os olhos pra não olhar muito pra ela pra não perder o controle, mas foi em vão, enquanto estava me molhando eu senti a mãozinha dela pegando no meu pau que estava duro como rocha e ouvi ela falando:
_tio, seu pinto fica sempre assim?
_as vezes minha linda, as vezes ele fica assim, as vezes não. Disse eu quase gozando na mão dela.
Abri o olho e vi ela segurando meu pau e olhado fixamente pra ele.
_você tomava banho com seu pai linda? Perguntei.
_não, só com a minha mãe. Disse ela.
_e você não tem vergonha de tomar banho comigo? Perguntei.
_não tio, ontem eu vi você pelado e você me viu também, por isso não tenho mais vergonha. Disse ela.
_que bom linda, me empresta o sabonete ai. Disse eu.
Ela me entregou o sabonete e continuou segurando meu pau.
_perai linda, deixa eu me ensaboar aqui. Falei isso pra ver se ela soltava meu pau antes que o pior acontecesse, eu gozar na mão dela.
_ta bom tio. Disse ela soltando meu pau.
Eu em ensaboei e ela ficou ali me olhando, acabei de me ensaboar, coloquei o sabonete no lugar e me enxaguei, ai ela falou:
_tio, você é muito bonito.
Eu sorri e falei.
_bonita é você minha linda. Respondi.
Ela sorriu e não disse nada.
Continue meu banho me esforçando ao máximo para não colocar a mão nela, mas não teve jeito, eu sai debaixo do chuveiro pra ela entrar ai ela falou:
_tio, me ajuda a esfregar minhas costas.
Olhei e ela já estava de costa pra mim e com a bucha na mão, nem pensei duas vezes, peguei a bucha e comecei a passar em suas costas, olhei aquela bunda grande molhadinha e não aguentei, passei a bucha nela, Nay não falava nada, meu pau doía de tanto tesão, ai eu pensei “já que estou aqui, vou aproveitar ao máximo”; coloquei a bucha no lugar, peguei o sabonete e falei:
_vou ensaboar seu corpo todo, pode?
_pode sim tio. Disse ela ainda de costa pra mim.
Comecei passando sabonete nas costas dela e fui descendo aos poucos, quando chegou na bundinha eu ensaboei de um lado, do outro, voltei pro outro lado, minha mão estava tremendo de tanta vontade que eu tinha de enfia-la no reguinho dela, mas me contive, desci e ensaboei suas coxas, voltei e ensaboei mais sua bundinha linda e falei:
_vira de frente que aqui já ta bom.
Ela se virou e eu tive a visão dela peladinha de frente pra mim, que coisinha linda, ela me olhava com aqueles olhos de inocência, eu comecei passando sabonete em seu pescoço e fui descendo, quando chegou nos peitinhos que só estavam apontando eu passei sabonete nas mãos e passei elas neles, fiquei ali um bom tempo alisando aquelas coisinhas lindas, depois fui descendo a mão, agora eu já não passava o sabonete direto no corpo dela, eu passava na minha mão e ia passando a mão nela, passei a mão pela barriguinha dela enquanto eu olhava sua bucetinha linda, não me contive, passei sabonete na mão e passei nela.
_vou lavar sua perereca também. disse eu enquanto passava a mão com vontade la.
_ta bom tio. Disse ela.
Sendo assim eu comecei a passar a mão com mais vontade ainda naquela coisinha linda, esfregava com gosto sua rachinha, ela abriu um pouco mais as pernas e começou a respirar forte, acho que ela estava gostando, e eu também estava, mas eu percebi que se eu continuasse eu ia fazer merda ali mesmo, e ainda não era hora para fazer isso, então eu parei e falei:
_pronto, ela ta limpinha linda, vamos nos enxagua pra gente se arrumar e sair.
_ta bom tio, mas antes que vou lavar seu pinto. Disse ela já passando sabonete nas mãos e as colocando no meu pau.
Só podia ser o diabo me atentando, foi a conta dela dar 2 esfregadas nele e eu começar a gozar, foram 2 jatos fortes que caíram direto no peito dela, ela olhou, passou a mão naquele negócio branco e melado e falou:
_o que é isso tio?
_é o sabonete que espirou, você esfregou muito forte. Disse eu rindo e segurando meu pau para não sair mais nada.
_vamos acabar com o banho, já estamos atrasados. Disse eu me virando, acabando de gozar discretamente, me enxaguando e saindo do box.
Olhei pra tras e ela estava la parada passando a mão na minha porra, pela carinha ela não tinha acreditado na história de que era sabonete espirando.
_linda eu vou no meu quarto troca de roupa, acaba ai pra você se arrumar também. disse eu saindo do banheiro.
Já no meu quarto trocando de roupa eu comecei a pensar “caralho, eu gozei nos peitos da minha sobrinha, que delicia, mas com certeza ela vai me pergunta o que era aquilo, ela não acreditou na história do sabonete espirando, e se ela vier falar comigo com certeza eu vou perde a linha de novo e vou acabar fazendo pior e isso não vai ser bom, não por agora, eu estou louco pra meter a boca e a rola naquela bucetinha linda e rosada mas não agora, isso tem que ser com calma, e pior que isso e se ela em vez de vim falar comigo for falar com a mãe dela, ai sim a coisa vai ficar feia…”
_tio, eu já acabei, vou vesti minha roupa. Ouvi ela gritando do correndo e interrompendo meus pensamentos.
_ta bom linda, vai la que o tio já ta acabando aqui pra gente poder ir pro shopping. Respondi.
Ouvi a porta do quarto dela fechado, continuei me vestindo, como estava calor eu vesti uma bermuda jeans, uma camisa branca e tênis, acabei de me arrumar e fui na cozinha toma um café para aliviar um pouco a minha tensão, na verdade eu tinha adorado o que aconteceu, mas eu tinha que me segurar para não me animar muito e acabar estragando tudo, enquanto estava tomando meu café escuto ela entrando na cozinha e falando:
_to pronta tio, já podemos ir?
Virei para vê-la e ela estava mais linda ainda, ela usava um vestidinho de alcinha, vermelho com desenhos de flores brancas que ficava pouco acima de seus joelhos e uma sandália baixa.
_nossa, você fica mais linda ainda com esse vestido. Disse eu.
Ela sorriu.
Acabei de tomar o café, coloquei o copo sobre a pia e falei:
_vamos linda, vamos pro shopping. Disse eu saindo da cozinha.
Quando passei perto dela senti um cheiro de perfume maravilhoso no ar.
_você passou perfume? Perguntei.
_sim tio, eu passei um pouco de perfume da minha mãe. Ela respondeu.
Me abaixei e cheirei seu pescoço, o cheiro era muito bom. Fui ao meu quarto peguei as chaves do carro e minha carteira.
_vamos linda, já nos atrasamos muito. Disse eu.
Na verdade ainda eram 12:40hs, nós tínhamos a tarde toda pela frente, tínhamos tempo de sobra pra ela fazer o que quisesse no shopping.
Saímos e no caminho eu pensava se a levava no Partage ou no Monte Carmo, ai eu lembrei que no Partage havia um parquinho lero lero montado no estacionamento, então decide leva-la pra la, chegamos, e ela já se espantou com o tamanho do lugar. (Quem conhece sabe que aquela porra é grande mesmo.)
_nossa tio, esse lugar é grandão. Disse ela espantada.
_é sim minha linda, esse shopping é enorme, vamos procurar um lugar pra gente comer algo, porque nos ainda não almoçamos. Disse eu.
_ta bom tio.
Demos uma volta pelo shopping até chegar na praça de alimentação, chegando la eu disse:
_você que comer o que?
_eu quero comer no mcdonald’s, e quero aquele sanduiche que vem com brinquedos. Disse ela.
Apesar de não gostar muito do Mcdonald’s, porque eu prefiro o SubWay, eu levei ela pra la, pedi um kit básico e pequeno pra mim, com hambúrguer, batatas e refri e um mclanche feliz pra ela, ela gostou mais dos brinquedinhos, que não me lembro quais eram, do que do lanche, acabamos de comer e eu disse:
_e agora linda, o que você que fazer?
_eu vi um parquinho ali atrás, me leva la tio. Disse ela.
Saímos e fomos pro parquinho do estacionamento, era simples mas tinha uns brinquedos legais la, andamos de roda gigante, carrinho bate bate, ela andou no carrossel, brincamos no tiro ao alvo, enfim nos divertimos muito ali, e ela estava muito feliz, dava para ver isso no olhar dela.
_e agora linda, vamos aonde? Disse eu.
_não sei tio, tem cinema aqui? Disse ela.
_sim, tem sim, vamos la ver que filme tem pra gente assistir. Disse eu.
Saímos e fomos pro cinema, chegando la olhei para ver o que tinha e tinha 2 desenhos em cartas, que eu também não me lembro quais eram.
_linda, tem esses dois desenhos pra gente assistir, qual você que ver? Disse eu.
_quero ver os dois tio. Disse ela.
Ela escolheu qual queria ver primeiro, filme escolhido fomos comprar os ingressos o refri e a pipoca, depois entramos na sala, ela se encantou com o lugar e o tamanho da tela, sentamos, nas cadeiras do fundo que onde gosto de ficar no cinema, ai tirei uma foto nossa e mandei pra minha irmã com a legenda “curtinho um cineminha com minha sobrinha linda”. Enquanto o filme não começava ela ficava comendo pipoca e reparando em tudo e eu só reparando nas pernas delas, o desenho começou, ela assistiu tudo prestando muita atenção, a sessão acabou saímos da sala.
_nossa tio, o cinema é muito legal, vou quere vim aqui mais vezes. Disse ela.
_e você vai sim linda, ainda tem mais um desenho pra gente assistir, vamos la comprar os ingressos e mais pipoca. Disse eu.
_a não tio, depois eu vejo esse outro desenho, la é bom mas ficar sentada o tempo todo é ruim e da dor nas costas, quero ie no cinema hoje mais não. Disse ela.
_ta bom linda, então vamos passar ali na loja, comprar chocolates pra você e pra sua mãe e ir embora, ta bom.
_ta bom tio, vamos. Disse ela.
Saímos dali, passamos na Cacau Show, compramos chocolates pra ela e pra minha irmã e fomos embora, no caminho de volta ela era só alegria, falando que o shopping era grande e bonito e que ela ia contar tudo pra mãe dela.
_conta mesmo minha linda, mas não conta que a gente tomou banho juntos hoje não, aquilo e outro segredo nosso. Disse eu já antevendo o pior.
_eu sei tio, isso eu não vou contar não porque quero tomar mais banho junto com você. Disse ela.
_ta bom linda, depois a gente toma outro banho juntos. Disse eu.
Tomara que não conte mesmo. Pensei comigo mesmo.
Chegamos em casa era 17:20 da tarde, chegamos, entramos e eu fui trocar de roupa, ela só tirou a sandália e ficou de vestido sentada no sofá brincando com os brindes do mclanche feliz e comendo chocolate, eu fui secar o banheiro que tinha ficado molhado e depois fui pra cozinha preparar o café pra quando minha irmã chegasse estivesse tudo pronto, acabei de fazer tudo e voltei pra sala pra ver um pouco de tv, chegando la vejo Nay sentada no sofá brincando, ela estava sentada com as pernas abertas então eu pude ver uma pedaço da usa calcinha rosa, deu vontade de pedi pra ver o resto, e se eu pedisse ela com certeza deixaria eu ver, mas como estava quase na hora da Mel chegar resolvi não arriscar.
Pouco tempo depois Mel chegou, mal ela entrou e Nay já começou a contar tudo na maior empolgação.
_mãe, mãe, a gente foi no shopping, o lugar era grandão, eu brinquei no parque de diversão, assistir desenho no cinema, comi no mcdonald’s, ganhei esses brinquedos e também chocolate…
_calma filha, deixa a mamãe sentar pra você poder contar tudo com calma. Disse Mel.
_ta bom mãe, senta ai que eu vou pegar o chocolate que o tio comprou pra você. Disse Nay indo ao quarto pegar o chocolate.
_ela ta feliz demais, obrigada por deixa-la assim. Disse Mel para mim.
_de nada Mel, ela é minha sobrinha linda e farei de tudo pra deixa-la cada dia mais feliz. Respondi.
Nay voltou com o chocolate e o entregou para mãe dela.
_aqui mãe, o tio comprou pra você, o meu eu já comi. Disse Nay.
_nossa, obrigada mano. Disse Mel olhando pra mim.
_de nada, come aos poucos pra você não engorda mais. (risos) Disse eu.
_seu chato (risos) eu vou tomar banho e arrumar a janta pra nós, depois eu como chocolate. Disse Mel se levantando e indo pro quarto.
Mais tarde eu estava na sala vendo jogo na tv ai chega Mel.
_nossa, até que enfim ela dormiu, ela ficou tão feliz com o passeio que não parava de falar e contar tudo que fizeram e o que ela viu la. Disse Mel deitando no sofá e colocando a cabeça no meu colo.
_ela gostou mesmo, ela queria ver 2 filmes mas depois ela desistiu. Disse eu.
_ela nunca passeou assim antes, la na roça ela só ia de casa pra escola e da escola pra casa, de vez em quando eu levava ela na cidade comigo, mas era coisa rápida, não dava nem pra ela passear direito. Obrigado, ela ficou muito feliz com o passeio e eu por você ter deixado ela feliz, valeu mesmo Carlin. Disse Mel.
_de nada, ela merece. Disse eu passando a mão nos cabelos dela.
Ela sorriu.
_não vai dormi aqui de novo não, você ta pesada e eu não vou ficar te carregando pro quarto não. Disse eu.
_você acha eu gorda mesmo? Disse Mel levantando a blusa e passando a mão na barriga.
_acho nada, eu falo isso zuando, tu é um mulherão com um corpão. Disse eu.
_nossa, obrigada. Disse Mel.
_e ai, já arrumou muito contatinho la no seu trampo? Perguntei.
_que nada, os cara la são devagar, mas eu também não to afim de arrumar nada agora não, nem contatinho, nem nada. Ela respondeu.
_que isso, um mulherão desses de bobeira e os cara nem pra chegar junto. Disse eu.
_pois é, mas é melhor, assim eu não preciso cortar eles. Mas e você, tem namorada, contatinho? Disse ela.
_eu tenho uns rolo aqui, outro ali, to afim de nada sério não, to de boa assim. Disse eu.
_seu safado, ta só enrolando as mulher né?! (risos) Disse ela.
_to enrolando ninguém não, elas sabem que eu não quero nada sério. Disse eu.
_você ta certo, tem que curti mesmo, vou dormi, to cansada de tanto ouvir a Nay contanto sobre o passeio, boa noite. Disse ela se levantando e me dando um beijo no rosto.
_vai la, boa noite e bons sonhos. Disse eu lhe dando um tapa na bunda.
Ela foi pro quarto e eu fiquei pensando como minha irmã estava gostosa, se eu curtisse mulher mais velha, eu chegava nela.
O jogo acabou, meu time perdeu e eu fui dormi.
Nos dias seguintes deixei tudo rolando normal, eu não chegava na Nay e nem fazia nada que levasse a isso, eu estava deixando rolar pra não assusta-la e não estragar tudo, até que um dia eu estava na sala mexendo no computador, era umas 14hs, ai eu começo a escutar um funk vindo do quarto dela, continuei de boa mexendo no computador, rolou umas duas músicas ai o som parou e Nay chega na sala.
_tio, eu queria ver eu dançando, você pode me gravar dançando pra eu ver? Disse Nay.
_posso sim linda. Disse eu me levantando e pegando meu celular.
Olhei e a vi vestindo uma bermudinha jeans e uma camisa verde florida.
_mas essa roupa ta ruim pra você dançar, vesti uma mais leve. Disse eu já pensando maldade.
_ta bom tio, vou la vestir e já volto. Disse ela.
Foda-se, hoje vou chupar aquela bucetinha linda e rosada. Pensei enquanto ela foi no quarto troca de roupa.
Pouco tempo depois Nay volta vestindo uma camisolinha branca de pano fino com um ursinho desenhado na frente, bem curtinha, ficando pouco a baixo do seu bumbum, era bem transparente, dava pra ver a calcinha rosa que ela usava por baixo.
_meu baby-doll ta sujo, ai eu vesti a camisola, porque não tenho outro short igual aquele, ta bom assim tio? Disse ela.
_ta ótimo minha linda, vamos gravar você dançando. Disse eu me sentando no sofá com o celular e a caixinha de som nas mãos.
Coloquei um funk qualquer para tocar, comecei a gravar e ela a rebolar, ela até que melhorou muito o rebolado, deve que estava treinando, não era perfeito mas estava muito bom ver uma novinha rebolando de roupa curta, meu tesão só subia e meu pau também, quando terminou a primeira música eu a chamei pra sentar no meu colo e ver como ela dançava bem, ela viu e falou:
_nossa, ficou legal e eu danço bem, não é tio?
_sim linda, você dança muito bem, quer gravar mais? Disse eu.
_quero sim, quero gravar muitos vídeos dançando. Disse ela.
_ta bom, mas lembre-se de que sua mãe não pode saber disso, senão ela briga com nós dois. Disse eu.
_eu sei tio, não vou falar nada com ela não, senão ela me bate e eu não quero apanhar. Disse ela.
_então ta bom, vai la dançar que o tio vai gravar. Disse eu.
Ela dançou mais duas músicas, meu pau já estava quase explodindo de tanto tesão, e minha boca até salivando de vontade de chupar aquela bucetinha linda e rosada, mas eu tinha que ir com calma pra não estragar tudo, quando ela acabou de ver os vídeos eu falei:
_vamos gravar mais linda, só que agora você muda de roupa pra não fica sempre a mesma. Disse eu.
_mas que roupa tio? meu baby-doll ta sujo e eu não tenho outra camisola. Disse ela.
_vesti um biquíni e vamos gravar na beirada da piscina. Disse eu.
_boa ideia tio, perai que eu vou vesti o biquíni. Disse ela indo pro quarto.
Enquanto ela foi ao quarto eu tirei meu pau pra fora e dei uma punhetada de leve só para aliviar um pouco, mas eu queria mesmo era chupar aquela bucetinha linda e rosada.
Ela voltou usando um biquíni rosa, parou na minha frente e falou:
_ta bom assim tio?
_da uma voltinha, deixa o tio ver melhor. Disse eu.
Ela deu uma voltinha e meu tesão foi a 1000, dei uma desculpa de que ia arrumar o biquíni atrás pra ele ficar melhor no vídeo e peguei com vontade naquela bundinha grande dela, dei uma apalpada tão gostosa que quase gozei. Fomos pra piscina pra gravar o vídeo, chegando la coloquei as mais pesadas que tinha pra ela dança, ela rebolando de biquíni me deixava com mais tesão ainda, gravamos o primeiro vídeo, antes de gravar o segundo eu falei:
_linda, entra um pouco na agua só pra você molhar o corpo e o biquíni, vai ficar legal no vídeo.
_verdade tio. Disse ela entrando na agua.
Ela nadou um pouco e depois saiu, com biquíni molhado ela ficou mais gostosa ainda, gravei mais 2 vídeos dela dançando e falei:
_agora vamos la dentro ver os vídeos.
Ela sorriu e sem dizer nada fomos pra dentro, mas antes de entrar, quando chegou na varanda eu falei.
_linda, tira esse biquíni molhado e coloca ele na máquina senão você molhar o sofá com ele.
_é mesmo tio, minha mãe também odeia que eu entro em casa com roupa molhada. Disse ela tirando o biquíni e ficando peladinha, depois ela se secou e se enrolou na toalha, eu quase fui a loucura com isso.
Entramos em casa e rapidamente eu me sentei no sofá e chamei ela para sentar no meu colo, ela nem pensou duas vezes e foi, tendo aquela novinha linda semi nua, já que ela estava apenas enrolada na toalha, sentada no meu colo eu não aguentei e gozei, senti minha porra melado minha cueca, mas fingi que nada aconteceu e continuei com ela no meu colo vendo os vídeos dela dançando, quando acabou eu falei:
_você dança muito bem, e também tem o bumbum lindo e grande.
_é mesmo tio, meu bumbum é grande mesmo? Disse ela.
_sim, ele é grande igual ao da sua mãe, levanta e deixa o tio ver ele melhor. Disse eu.
Ela se levantou e ficou de costa pra mim, ainda enrolada na toalha, eu dei uma apalpada naquela maravilha por cima da toalha e falei:
_levanta a toalha e deixa eu ver ele melhor.
Ela deu um sorriso e levantou a toalha ai eu puder ver melhor aquela coisa linda, grande e branquinha, não resisti e peguei com vontade, passei a mão com gosto na bundinha dela.
_nossa, ela é mesmo linda e grande. Disse eu.
_obrigada tio. Disse ela sorrindo.
_posso dar uns beijinhos nela. Perguntei.
_pode sim tio. Ela respondeu.
Me posicionei melhor e comecei a beijar aquela coisa linda, comecei dando beijos de um lado e do outro, depois eu abri a bundinha dela com as mãos e vi aquele cuzinho lindo, rosado e fechadinho, dei uns beijos bem próximo à ele, meu tesão estava grande e mesmo depois de ter gozado meu pau ainda estava duro então sem pensar muito me levantei e falei:
_linda, você pode ficar de joelhos aqui no sofá pro tio poder beijar muito o seu bumbum grande e lindo?
_posso sim tio, eu faço tudo que meu tio lindo quiser. Disse ela sorrindo e já ficando de joelhos no sofá com o corpo apoiado no encosto.
Ouvindo ela falar assim e fazendo o que eu pedi eu pensei: “que se foda, hoje eu passo dos limites com essa novinha gostosa.”
Como ela ainda estava enrolada na toalha eu mesmo a tirei, olhei e vi aquela coisa linda com a bundinha arrebitada pronta pra mim cair de boca, não pensei duas vezes e já fui logo abrindo a bundinha dela com as mãos e caindo de boca naquele cuzinho gostoso, chupava com vontade e metia a língua nele com força, no começo ela ficou rindo, mas com o tempo e as chupadas o riso foi dando lugar a suspiros e a respiração dela ia ficando mais pesada, ela estava gostando das minha chupadas em seu cuzinho, fiquei chupando aquela coisa linda por um bom tempo, depois parei e falei:
_senta no sofá linda.
Ela não disse nada, apenas se sentou no sofá e ficou me olhando, sem falar nada eu me ajoelhei, puxei ela mais pra beira do sofá, abri suas pernas e comecei a chupar sua bucetinha linda e rosada, chupei com vontade aquela maravilha, quando enfiei a língua no buraquinho ela respirou forte e gemeu alto.
¬_huuuuummmm…aiiiiii tiiiiiiiooooooo…
Me empolguei com isso e a chupei com mais vontade ainda, meu tesão estava a 1000 e meu pau até doía de tão duro que estava, parei um pouco e vi que Nay estava com os olhos fechados, a boca aberta e respirado forte, ela estava gostando, então voltei a lhe chupar, pensei em enfiar o dedo no cuzinho dela mas num momento de lucides eu pensei melhor e não fiz isso, ainda não era hora, lhe chupei por mais uns minutos parei mel levantei tirei o pau pra fora e comecei a esfrega-lo em sua bucetinha, ela sentiu algo diferente e olhou pra ver o que era.
_calma linda, meu pinto só está brincando com sua pererequinha. Disse eu.
_ta bom tio. Respondeu ela com voz ofegante.
Esfreguei meu pau na bucetinha dela por um bom tempo, a vontade de enfia tudo naquela bucetinha virgem era grande mas me segurei pra não perde o controle e fazer mais merda, pensei em coloca-la pra mamar meu pau mas resolvi esperar um pouco, com ela eu tinha que fazer tudo com calma, não podia apresar nada, mas meu tesão estava a 1000 então não aguentei e gozei muito sobre aquela bucetinha linda, ela sentiu meu gozo na bucetinha dela, então olhou e perguntou:
_que isso tio? Você mijou em mim?
Eu sorri e falei:
_não linda, isso não é mijo é o leitinho do tio.
_ue tio, mas eu achava que leite saia do peito e não do pinto. Disse ela.
_sim linda, na mulher o leite sai do peito, mas no homem sai do pinto, mas esse leite ai é diferente do da mulher, passa a mão nele e coloca na boca pra você senti que o gosto e diferente.
Ela passou o dedo sobre a bucetinha para pegar um pouco da minha porra e colocou na boca.
_eca tio, seu leite é melado e salgado, ele é ruim demais, quero bebe dele mais não. Disse ela.
_ta bom linda, não precisa beber dele não, quando ele sair eu jogo ele no seu rosto e no seu corpo, ta bom? Disse eu já pensando no futuro.
_ta bom tio. Disse ela.
_bom linda, mas e ai, você gostou da brincadeira que o tio fez com você?
Ela sorriu e falou:
_gostei sim tio, é muito bom você lamber minha perereca, eu senti uma coisa muito boa, não sei o que é mais foi muito bom.
_que bom linda, sempre que quiser e só pedi que o tio faz de novo. Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela.
_bom, então vamos tomar um banho e depois a gente vai na sorveteria tomar um sorvete, hoje ta calor, você quer?
_quero sim tio, eu adoro sorvete. Disse ela.
_então ta bom, vamos tomar banho e depois a gente vai la. Disse eu pegando ela deitada no meu colo e indo pro banheiro, no caminho ate la eu so pensava em colocar aquela novinha pra mamar na minha rola, mas eu tinha que me controla e fazer tudo aos poucos e com calma, eu não podia assusta-la e nem estragar tudo.
Tomamos o banho, durante ele eu não fiz nada com ela não, nos vestimos e fomos pra sorveteria, chegando la eu peguei um sorvete pra mim e ela quis um açaí, eu não gosto desse negócio de açaí, aquilo pra mim tem gosto de jabuticaba estragada, durante o sorvete eu tirei uma foto nossa e mandei pra mãe dela com a legenda “tomando um sorvete com minha sobrinha linda…kkkkkkkkkk”.
Acabamos e o sorvete e voltamos pra casa, durante uns dias as coisas la ficaram normal, não rolou nada de novo, apesar de eu estar muito afim de chupa-la novamente eu não fiz isso acontecer, deixei tudo tranquilo pra não estragar nada, Nay continuava brincando na piscina, e dançando em seu quarto, vez ou outra eu passava a mão nela de leve mas nada além disso; até que certo dia eu estava preparando o almoço e esperando a Nay chegar, ela chegou me cumprimentou eu a cumprimentei e ela foi pro quarto trocar de roupa, almoçamos, eu arrumei a cozinha depois fui pra varanda fumar um cigarro e ficar de boa, e Nay estava em seu quarto vendo desenhos, pouco depois ela aparece na varanda, ela estava com um vestidinho rosa com pequenos desenhos de ursinhos brancoa, sem falar nada se aproxima de mim, se senta no meu colo e me olha.
Eu sorri e falei:
_o que foi minha linda? Aconteceu alguma coisa?
_não tio, é que eu quero te pedi uma coisa mas to com vergonha.
Passei a mão nos cabelos dela sorri e falei:
_precisa ter vergonha do tio não, você pode me pedi o que quiser, se aqui não tiver eu busco pra você, vamos pode pedir que e tio faz.
Ela sorriu timidamente, olhou pro chão, olhou pra mim e falou:
_brinca comigo de novo igual você brincou aquele dia, brincar de ficar lambendo minha perereca.
Eu respirei fundo e pensei: “caralho, não é possível eu sou um cara de muita sorte mesmo”.
_você quer que fazer aquilo de novo? Disse eu.
_quero, eu gostei muito daquilo e quero repeti. Disse ela.
_então ta bom, vamos brincar. Disse eu me levantando com ela no meu colo e levando ela pro meu quarto.
No caminho até la eu pensei: “hoje eu coloco essa novinha pra mamar na minha rola.”
Chegando no meu quarto eu a coloquei no chão e falei:
_você quer mesmo brinca de novo com o tio?
_quero sim tio, quero senti aquilo de novo, não sei o que era mas foi bom. Disse ela sorrindo.
_então ta bom linda, tira o vestindo e deita ai na cama do tio. Disse eu.
Ela tirou o vestindo, por baixo ela usava uma calcinha branca, coisa que eu amo, adoro ver novinha com calcinha branca, fica bem infantil do jeito que eu gosto. Ela já ia tirando a calcinha ai eu falei:
_não tira a calcinha não linda, pode deitar ai que o tio tira ela.
_ta bom tio. Disse ela sorrindo e deitando na cama.
Sem perde tempo eu tirei o short que eu usava, ficando apenas de cueca box preta, me deitei por cima dela na cama, ela sorriu, eu lhe beijei a bochecha, sorri e falei no ouvido dela:
_hoje além da sua perereca o tio vai beijar seu corpo todo, ta bom?
_ta bom tio. Disse ela.
Então eu comecei a beijar sua bochecha, seu pescoço, ela riu quando eu fiz isso, deve ter sentido cocegas, fui descendo beijando seu corpo até chegar nos carocinhos do peitinho dela, eram pequenos mas eu chupei muito eles, eram deliciosos, fui descendo beijando sua barriguinha, passei a língua em seu umbigo, e fui descendo até chegar em sua calcinha branca, beijei-a por cima e fui beijando suas coxas, pernas e tirando sua calcinha ao mesmo tempo, quando chegue aos seus pés eu acabei de lhe tirar a calcinha e voltei lhe beijando e abrindo suas pernas, cheguei em sua bucetinha linda e olhei um pouco aquela maravilha que estava ali prontinha pra mim cai de boca, comecei dando beijinhos e lambidas, abri os pequenos lábios e cai de boca, beijava, lambia, enfia a língua no buraquinho, enquanto eu fazia isso eu ouvia sua respiração ficando mais forte, chupei com vontade aquela bucetinha linda e virgem, meu tesão estava a 1000 e a respiração de Nay só aumentava, vez ou outro ou ouvia um gemido baixinho dela “ai..hummmm…” era só o que saia da boquinha dela, senti a bucetinha dela ficar um pouco meladinha, ela estava realmente gostando das chupadas, me deliciei muito com aquela bucetinha, meu pau até doía dentro da cueca de tão duro que estava, chupei ela bastante nessa posição, depois parei e falei:
_linda, vira de costa e empina bem a bundinha pro tio.
Ela respirando forte e sem falar nada fez o que eu pedi, ai eu a ajudei a ficar na posição que eu queria, de 4 com os braços abertos e o rosto colado no colchão e a bundinha bem empinada, olhei aquela coisa linda, toda aberta pra mim, tirei minha cueca e voltei a lhe chupar, passei a língua com vontade indo da bucetinha até o cuzinho dela e cai de boca nele, ela não aguentou, tremeu o corpo e gemeu alto:
_huuuuuuuummmmmmm…hummmmmmmmm…
Me empolguei com isso e continue chupando forte seu cuzinho enquanto lhe dedilhava a bucetinha, chupava com vontade, enfiava a ponta de língua no buraquinho deixando ele molhadinho, chupei seu cuzinho e dedilhe sua bucetinha por um bom tempo, quando vi que não me aguentava mais de tesão, eu parei, me levantei e comecei a esfregar meu pau na bucetinha e no cuzinho dela, ela só respirava forte e gemia baixinho, quando vi que ia gozar posicionei a cabeça do pau na entradinha do buraquinho da sua bucetinha e gozei forte e gostoso, quando ela sentiu meu leite quente ali ela rebolou e gemeu alto:
_huuuuummmm…aaaaaaiiiiiiiiiiiiii tiiiiioooooooooo…..hummmmmmmmmmmmmm…
Acabei de gozar e esfreguei forte meu pau na bucetinha e no cuzinho dela, deixando-os meladinhos com a minha porra depois me deitei ao lado dela na cama e chamei ela para deitar com a cabeça no meu peito, ela fez isso sem falar nada, estava suada e com a respiração ofegante, dei um tempo pra ela se recuperar e depois perguntei:
_e ai linda, gostou da brincadeira de hoje?
_sim tio, gostei muito, hoje tava melhor que aquele dia, senti uma coisa muito boa, não sei o que é mais foi bom demais, a gente tem que brincar assim mais vezes. Disse ela com um sorriso no rosto.
_e vamos brincar muito linda e hoje ainda não acabou não, vamos tomar banho e la no banheiro o tio vai te ensinar uma coisa nova, acho que você vai gostar também. Disse eu.
_ta bom tio, quero aprender tudo com você, meu tio querido. Disse ela.
Me levantei, peguei ela no colo e a levei até o banheiro, chegando la liguei o chuveiro e começamos a tomar banho, como o caminho já estava livre pra mim eu sem falar nada peguei o sabonete líquido coloquei um pouco nas mãos e comecei a esfrega-la por todo aquele lindo corpo já eu já considerava ser meu, passei as mão pelos seu peito, barriga, bucetinha, bumbum, enfiei-as em seu reguinho e comecei a passei o dedo em seu cuzinho, fiz uma leve força pra entrar mas só de brincadeira, porque para mim ela ainda não estava pronta pra ser penetrada, e eu não queria me apresar e nem estragar tudo, ensaboei ela bem e depois ela foi se enxaguar, enquanto ela fazia isso eu me ensaboava e principalmente a rola, que já estava ficando dura novamente, ela terminou de se enxaguar ai foi a minha vez, quando terminei falei:
_linda, agora é sua vez, o tio vai te ensinar a lamber meu pinto.
Ela me olhou, olhou pra ele e disse:
_mas tio, ele é muito grande, não vai caber na minha boca.
Eu ri e falei:
_não precisa colocar ele todo na boca, você pega ele, lambe como se fosse um pirulito, coloca a ponta dele dentro da boca, lambe e assim vai. Entendeu?
_entendi mais ou menos, vou tentar. Disse ela pegando meu pau.
_e você vai conseguir, vai fazer certinho e vai ver que é bom, se não gostar pode parar quando quiser. Ta bom linda? Disse eu.
_ta bom tio. Disse ela.
Então ela começou a lamber minha rola, começou a lamber do meio até a cabeça dele, depois colocou o que coube na boca, e coube só a cabeça, mexeu com a língua com ela la dentro, estava muito bom mas ela estava indo rápido demais, isso é ótimo, mas eu queria apreciar mais ela chupando minha rola, então eu falei:
_isso linda, você ta fazendo certinho, só faz mais devagar, não precisa correr não.
_ta bom tio, vou fazer devagar. Disse ela voltando a me chupar.
Eu ficava olhando ela lambendo e chupando minha rola, a visão era maravilhosa, meu tesão ia só aumentado e meu pau ficando cada vez mais duro. Deixei ela chupando um pouco e depois falei:
_ta gostando ou que parar linda?
Ela parou de me chupar e falou:
_quero parar não tio, seu pinto é macio é bom chupar ele.
_ta bom linda, então vamos fazer melhor, enquanto você chupa meu pau eu vou lamber mais sua perereca.
Ela soltou meu pau, me olhou assustada e perguntou?
_mas como vamos fazer isso tio?
Eu desliguei o chuveiro e falei:
_vai ser assim, eu vou deitar no chão e você vai deitar por cima de mim mas de cabeça pra baixo, intendeu?
_intendi mais ou menos. Disse ela.
_calma que você vai entender agora. Falei isso me deitei no chão e falei pra ela colocar os pés um de cada lado da minha cabeça e se deitar por cima de mim, ela fez isso ai eu ajeitei o corpo dela do jeito que desse para fazer um 69, como ela e menor que eu não ficou 100%, mas ai eu posicionei ela de um jeito legal pra ter como eu chupar a bucetinha dela e ela meu pau.
_ta vendo linda, é assim, agora eu vou lamber sua perereca enquanto você chupa meu pinto, ta bom?
_ta bom tio. Disse ela já começando a chupar minha rola.
Então eu comecei a lhe chupar a bucetinha, enquanto ela chupava minha rola, ficamos um bom tempo assim, ela me chupava cada vez melhor, não era um boquete profissional mas ter uma novinha me chupando a rola é muito bom, enquanto isso eu lhe chupava com vontade a bucetinha e ficava brincando com o dedo em seu cuzinho, eu fazendo isso ela me chupava cada vez melhor, ficamos assim por um bom tempo, quando senti que estava para gozar eu parei e falei:
_linda vai sair leitinho do pinto do tio, levanta pra ele não cai na sua boca.
_ta bom tio. Disse ela com voz ofegante.
Ela se levantou, eu também me levantei e falei.
_ja que você não gostou do leite do tio eu vou jogar ele todo no seu rosto, ai você se abaixa um pouco e fecha a boca e os olhos ta bom?
_ta bom tio. Disse ela se encurvando um pouco com os olhos e a boca fechada.
Ver aquela novinha daquele jeito esperando eu gozar é bom demais, dei umas punhetadas e já comecei a gozar forte, gozei muito e gostoso, sobreo rosto dela, caiu porra em seus olhos, cabelos, bochecha, boca, lambuzei o rosto dela todo com a minha porra, acabei de gozar, passei minha rola nos lábios dela, olhei aquela novinha toda lambuzada com a minha porra e fiquei muito feliz. Ela ainda continuava de olhos e boca fechada, liguei novamente o chuveiro, peguei o chuveirinho e comecei a limpa-la, limpei mais ou menos o rosto dela e falei:
_acabou linda, pode abrir os olhos.
Ela abriu os olhos e falou:
_nossa tio, eu senti meu rosto todo melado com seu leite, e ele é meio quentinho.
_é sim linda, ele é quente e melado, mas você gostou ou não? Disse eu.
_gostei, gostei muito tio, é bom você ficar lambendo minha perereca e também é bom chupar seu pinto, ele é macio e gostoso, vou querer brincar assim todo dia. Disse ela sorrindo.
Lhe abracei forte, ela também me abraçou então eu falei:
_que bom linda, o tio fica feliz com isso.
Acabamos de tomar banho, nos vestimos e fomos pra cozinha comer alguma coisa, enquanto estávamos lanchando eu falei:
_linda, não conta nada pra ninguém não ta? Isso tudo é segredo nosso.
_ta bom tio, eu não vou contar nada não, senão a gente não vai poder brincar mais assim e isso eu não quero. Disse ela.
_é isso ai linda, e também não deixe ninguém mais brincar assim com você, se alguém te chamar pra brincar assim você me conta que eu vou la conversar com ele, você só pode brincar assim aqui em casa e com o tio. Disse eu.
_tudo bem tio, eu também não vou querer brinca assim com mais ninguém não, só com meu tio querido. Disse ela se levantando e vindo até mim me abraçar, eu retribui o abraço e lhe beijei na testa.
Terminamos de lanchar, ainda faltava umas duas horas pra mãe dela chegar, ela foi pro computador jogar e eu fui pra varanda fumar e pensar em tudo que tinha rolado naquela tarde, nas chupadas gostosas que eu dei na minha sobrinha novinha, no boquete bom que ela tinha me feito, tudo tinha sido bom e maravilhoso, e daquele dia em diante o sexo oral entre eu e ela se tornou frequente, praticamente todas as tardes a gente fazia, e ela sempre guardava segredo, nunca contava nada pra ninguém e nem demonstrava nada, ficava sempre do mesmo jeito perto da mãe dela, meu tesão por ela só aumentava, eu estava louco pra estourar o cabacinho dela mas achava que não era hora, minha vontade era esperar ela completar no mínimo uns 12 anos mas eu sabia que eu não ia aguentar tanto tempo assim, e com o tempo ela também não ia aguentar e ia querer mais, foi então que uns 5 meses depois do seu aniversário de 10 anos, com ela já sabendo o que estávamos fazendo, eu estourei aquele cabacinho gostoso, mas isso é outra história.
Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,67 de 3 votos)
Loading...