Magrinha de 10 anos – II

Autor

Meu nome é Rafael hj tenho 32 anos, mas na época do conto (conto verdadeiro) tinha uns 15anos, bom sou branco, cabelos e olhos castanhos, 1,80m, nada atlético, sou magro e alto, um cara normal. A Paula (personagem fictícia), tinha na época 10anos, moreninha clara, cabelos encaracolados, magrinha de corpo, esticada, perninhas finas e bem roliças, bundinha pequena e arrebitada, peitinhos pequenos, nascendo, aqueles carocinhos, que estufavam a blusa.
Bom eu ajudava no coral da Igreja e a Paula tinha acabado de entrar, como ela me chamou muito atenção, e queria aprender a tocar os instrumentos, me propus a ensina-la e então rolou nossa primeira relação intima, sala do coral (conto anterior).
Depois que rolou esse episódio fiquei preocupado dela bate geral e ser denunciado o que tinha feito com ela, mas para minha surpresa, ela tinha gostado e não falou nada a ninguém. Passamos uns dois dias sem nos ver, quando nos encontramos conversamos sobre o acontecido, e ela me disse que queria continuar namorando comigo, eu disse a ela que podia ser mas tinha que ser um segredo nosso, ela topou.
Uns dias depois houve um ensaios todos foram embora e eu fiquei guardando os instrumentos, era um sábado por volta das 16h, até a Paula tinha ido, para minha surpresa, em seguida ela voltou.
Paula- Rafael vim te fazer companhia.
Na verdade eu saquei o que ela queria, olhei nos corredores rapidamente para ver seu alguém a viu voltar, fechei a porta da sala.
Rafael – alguém sabe que vc voltou?
Paula – Não, tomei cuidado, para ficarmos a sós, como naquele dia.
Fui ao encontro dela e dei-lhe um beijo na boca bem demorado e romântico, comecei a dizer que ela era linda, que estava a fim dela, joguei-lhe vários adjetivos, e fui levando ela pro fundo da sala, ela estava vestida com um vestido até os joelhos, calcinha de tecido branca e sem sutiã, os peitinhos eram pequenos dois carocinhos, ela não gostava de usar porque incomodava, pois eram doloridos.
No fundo da sala encostei ela na parede, beijando-a na boca, fui levantando o vestido, deixei ela só de calcinha, coloquei ela sentada num móvel que tinha no canto, e comecei a chupar os peitinhos, ela no começo reclamou por ser dolorido, depois ficou de boa, começou a gostar, inclinei-a um pouco tirei a calcinha e vi a bucentinha, moreninha sem pelinhos, toda lisinha sem marca de calcinha ou biquíni, perto do grelinho estava nascendo pequenos pelos, comecei a lamber parecendo um cachorrão, depois abri as pernas dela e vi o grelo todo marrom, todo molhadinho, cai de boca, comecei a saborear aquele doce, azedinho, chupava com nunca, ela gemia de tesão, bem baixinho, chupei tanto que ela deu uma pequena gozada, senti sair um liquido na buceta, para não chegar alguém, depois consegui colocar ela de ladinho, abri um pouco as pernas, e vi o cuzinho dela, bem magrinho, fechadinho, não tive nojo nenhum, comecei a lambe-lo, e a chupa-lo, tentando enfiar minha língua dentro, queria tirar a virgindade do cuzinho dela com a língua, e ela gemendo e querendo se contorcer, mas na posição que estava não dava, momentos depois coloquei ela de joelho na minha, dei meu pau pra ela chupar, meu pau estava duro, parecendo ferro, a cabeça vermelha toda molhadinha, tinha momentos que até latejava, baixei a calça, e pus na sua boca, ela começou a chupar, já tinha aprendido no nosso encontro anterior, enviava com carinho, já não estava mordendo mais, passava aquela língua quentinha, sobre a cabeça, que me deixava louco, acabei gozando na sua boca, meu tesão era tanto, que mesmo ela com a minha porra na boca, levantei-a e chupei a sua língua, coloquei-a no móvel de volta com as pernas abertas, como não era mais virgem, já tinha tirado no encontro anterior, e estava toda lubrificada, enviei com vontade, parecia uma animal no cio, ia no vai e vem com força, ela gritava e gemia bem baixinho, e pedia sempre mais, envia, envia, envia, que delicia, estava com tanto tesão, coloquei ela em pé de costas pra mim, inclinada, com as mãos no móvel, em abaixei e comecei a saborear o cuzinho virgem dela, quando percebi que estava molhadinho, levantei-me e fui forçando, era muito magrinho e apertado, tentei, tentei, ela gemia de dor, até que a cabeça entrou, quando isso aconteceu comecei a força mais e mais, até entrar o resto, ela gemia, pedia para parar, mas não conseguia o tesão era muito, fui enviando no vai e vem louco no cuzinho dela, ela gemendo, eu enviando, passei minha mão a frente e comecei a brincar com o seu grelo, enquanto enviava, para ver se ela relaxava, foram momentos perfeitos, ela acabou gozando pela segunda vez, e eu estourei de gozo agora no seu cuzinho, gozei bastante, chega derramava, depois nos vestimos ficamos ali sentados exaustos, minhas pernas trêmulas, até que nos recuperamos e fomos para casa.
Gente esse conto realmente aconteceu, ficamos transando por alguns meses, depois ela terminou, e começou a namorar com outra pessoa. Desculpa os erros.
contatos rezender@bol.com.br