Confição Proibida

Autor

Meu nome é Jennyfer, sou de uma família pequena com uma irmã chamada Jéssica que é dois anos mais velha que eu e meu papai Wilson com 46 anos, e se minha mamãe Gabriela fosse viva ainda, ela teria 32 anos, eu tenho 16 anos e tenho certeza de eu ser mais experiente sexualmente que a maioria dos leitores aqui e as pessoas pelo mundo afora, pois apesar de minha pouca idade, eu faço parte de uma minoria de pessoas que viveram esse prazeroso estilo de vida. Vou contar para vocês resumidamente o que poucas pessoas no mundo sabem a respeito desse estilo de vida que existe, e espero não ser criticada aqui pelos leitores, pois muitas pessoas fora desse site e que vivem o mesmo *estilo de vida que eu (preferem manter esse estilo em segredo), repudiariam a mim e minha família pelo que vou confidenciar aos leitores aqui. Tudo começou com meu nascimento em 2001 em Santa Catarina, cidade no litoral Sul do Brasil, “para os que não conhecem”, com belas praias e calor no verão. Nasci bem branquinha, alva como a neve com cabelos negros e olhos castanhos para verde folha pois puxei minha mãe na aparência e na pequena estatura do corpo como vim a certificar com o passar dos anos de minha vida. Nascer em 2001 em Santa Catarina, muitas pessoas nasceram, mais nascer em 2001 em um campo de naturista em SC apenas eu e um primo meu tivermos esse privilégio. Para que eu possa continuar prosseguindo minha confidência eu vou explicar para os leitores sobre a diferença de um campo de naturismo á de uma praia de naturismo, pois muitas pessoas acreditam que sejam a mesma coisa, mais não são. Tirando o fato de que em ambos todos estarem nus. A praia de naturistas são locais públicos permitidos a todas pessoas andarem livres por toda a extensão da praia, já diferente de campo de naturistas onde são colônias privadas de moradores, parecido com condomínios fechados, onde só são permitidos a entrada de moradores e convidados. Até ai, muitas pessoas sabem disso, mais o que muitas pessoas não sabem é que dentro da maioria dos campos de naturistas, não somente no Brasil, mais também pela Europa como a França, Inglaterra entre outros e mesmo nas américas, a maior parte das famílias praticam relacionamentos incestuosos como modo de educar seus filhos desde cedo, para assim não houverem riscos de suas filhas se engravidarem precocemente ou pessoas maliciosas venham com más intenções e praticar estrupo, já que todos vivemos nus. Com minha família não foi diferente, assim quando eu estava com 9 anos, começaram a me iniciar em relacionamentos incestuosos. Relacionamentos incestuosos são considerados normais por muitas famílias dentro do campo de naturistas, mais apenas poucas famílias passam desse nível para outro ainda mais excitante e arriscado. Por isso o que vou contar agora é mais reservado entra poucas famílias do campo de naturistas e mantido em segredo. Poucas famílias mais abertas adotam a prática de união de famílias em almoços ou jantares e festas fechadas onde se juntam parentes e familiares e amigos mais próximos para banquetear e praticarem brincadeiras e jogos divertidíssimos com presentes, e onde se permite a troca de casais e filhos e amigos, “para vocês de fora do campo de naturistas, falariam em orgias”. Minha família também aderiam as festas. Assim também me relacionava sexualmente com meus tios e tias e primos e primas e vizinhos em um determinado tempo após minha iniciação sexual com 9 anos, e tudo era uma maravilha, pois todos eram carinhosos e amorosos uns com os outros, protegendo e educando no maior prazer, o que nos deixavam felizes. Foi em um mundo assim que nasci e fui criada até os 13 anos quando minha mamãe faleceu em um acidente de carro, e eu com minha irmã e meu papai tivemos de mudar do litoral para o interior do Brasil. Relatando isso, agora fica claro para vocês o motivo de eu ter falado que são poucas pessoas que tem a experiência sexual que tenho na minha idade. Vocês lendo até aqui podem está pensando que eu sempre fui uma garotinha precoce e cheio de malicia e safadeza devido esse estilo de vida, mais ei não fui. Fui iniciada sexualmente quando tinha 9 anos e antes disso eu não sabia nada do que confidenciei acima sobre sexo, por que eu era muito ingênua e sempre ficava de fora das festas ou já estava dormindo. Vou narrar a vocês como foi meu primeiro dia. Eu me lembro muito bem desse dia pois eu vi uma coisa que eu nunca tinha visto em todo os meus 9 anos de vida até aquele momento, por isso me marcou aquele dia na memória. Eu já devia de ter mais ou menos 1 metro e meio de altura e meus seios já estavam bem evoluídos para minha idade, apesar deles serem bem pequenos devido a genética que eu puxei de minha mamãe. Assim como foi com minha mamãe de ter tido os seios já formados quando ela tinha 9 anos, comigo não foi diferente e já apresentava os seios do tamanho de pequenas peras, e mais abaixo exibia minha pequena vagina que formava pouquíssimos e ralos penugens que corriam de encontro com meu reguinho de trás assim formando duas formosas nádegas que exuberavam em destacar uma pequena bunda empinada assemelhando-se com a silhueta da bunda de uma mulher. Talvez não fosse o acaso de neste dia minha mamãe e minha irmã terem saído de casa sem eu perceber para onde teriam ido, é que continuei brincando sobre o sol, desenhando amarelinha no chão com meu giz é que percebi por minhas costas, “já que estava desenhando agachada de quatro com minha pequena vagina empinada”, uma sombra se mexendo, ao olhar para trás mais atentamente vi meu papai em pé me observando e notei o que eu nunca tinha visto antes e que me marcou a memória. Eu vi que o pênis do papai estava enorme e muito grosso. Eu já vi pênis de muitos homens e meninos pelo campo de naturismo e sempre estavam pequenos e caídos tipo mole, mais nunca vi um pênis ficar daquele jeito. Como sou muito curiosa vendo aquilo e meu papai rindo de mim, eu perguntei a ele. Papai? Porque seu pênis está diferente? O motivo do meu pênis está assim é porque você é muito bonita minha filha. Papai? Os pênis dos outros homens também ficam assim? Também ficam minha filha. Papai? Porque eu nunca vi os pênis dos outros homens ficarem assim? Eles me acham feia? Sim, talvez eles te acham feia minha filha, mais o papai te acha a princesa mais linda do mundo. Assim fiquei muito feliz com meu papai e perguntei a ele. Papai? Posso pegar ele para eu saber como é? Sim, pode minha filha. Então eu fui com minha pequena mão e apertei o pênis do meu papai. Nossa! Papai! Ele é um pouco quente e duro, parece com um pirulito enorme. Estava com os olhos vidrada naquele pênis cheio de alegria, pois era uma novidade para mim. Papai posso te fazer outra pergunta? Claro minha filha, você pode sempre. Papai? Já que ele é parecido com um pirulito enorme, será que também ele tem o mesmo sabor que um pirulito? Eu percebi que o pênis do meu papai ficou ainda maior e mais grosso com a pergunta que fiz, ele me respondeu. Eu não sei se ele é saboroso minha filha, pois eu nunca chupei ele, mais eu deixo você chupar para experimentar. Então meu papai segurou na base do seu pênis e puxou fazendo surgir por completo a ponta de seu pênis, uma bela cabeça brilhante e vermelha igual a um pirulito de morango. Eu segurei com minhas duas mãos pela metade do comprimento do enorme pênis e comecei a lamber em círculos com minha língua até que pude sentir um sabor que nunca tinha provado até então, mais era um sabor realmente incrível e diferente, o que me fez deixar as lambidas de lado e começar a chupar e sugar com força aquela bolota avermelhada igual se chupara um pirulito. Então eu percebi meu papai gemendo e parei preocupada com aquilo e perguntei. Papai? Está doendo? E por isso que está gemendo? Não está doendo minha filha, eu estou gemendo por que estou sentindo um prazer enorme com sua chupada em meu pirulito. Isso é de felicidade minha filha, pode continuar e quando eu estiver gemendo, você pode chupar mais rápido e com mais força que me fará muito feliz. Está bem papai. Comecei novamente a chupar o pirulito do meu papai e quis fazer ele ficar feliz comigo e fui chupando mais rápido e quanto mais ele gemia, mais eu esforçava para ficar rápida, até que de repente eu senti sua mão por trás de minha nuca me empurrando de encontro ao seu enorme pirulito, fazendo com que ele entrasse quase todo em minha pequena boca, parando somente ao adentrar minha garganta que já sentia um enorme volume de um líquido quente me fazendo engasgar enchendo minha boca a transbordar e meu papai agora gritando AHHHHH!! Foi quando ele tirou para fora seu pênis, é que ele me viu com os olhos cheios de água devido eu ter engasgado e beber aquele líquido de forma inesperada com boa parte escorrendo pelos meus lábios e caindo sobre meus pequenos seios é que ele me abraçou e dizia que me amava e que tudo estava bem. Me recobrei do susto e pude agora perceber que o líquido era um branco viscoso muito saboroso parecido com uma textura cremosa que me fez lamber os lábios e acabar de saborear aquele líquido delicioso. Então disse ao meu papai: Eu também te amo papai, mais estou um pouco frustrada com o senhor. Por que minha filha? Não gostou? Não é isso papai, é que eu não sabia que um pênis de um homem fosse para chupar, e nem sabia que um pênis fosse mais saboroso que um pirulito de verdade, e também não sabia que ele saltava esse líquido gostoso. Por isso estou frustrada, pois o senhor poderia ter me dado seu pênis a muito tempo atrás para eu poder saborear, ao invés de gastar dinheiro comprando pirulitos para mim. E foi assim por uns três meses eu permanecendo chupando o delicioso pênis do meu papai sempre que estávamos as sós, até que faltando uns 2 meses para eu fazer 10 anos, estava a brincar na areia quando meu papai me chamou dizendo que minha mamãe tinha saído novamente e deixado recado para eu ir tomar banho pois estava muito suja. Minha irmã estava na escola nesse momento, e assim meu papai me disse que faria uma surpresa para mim, mais que eu não deveria contar para a mamãe ainda, pois a minha mamãe não iria gostar se soubesse da surpresa. Assim meu papai me disse: Continua brincando que eu vou preparar a surpresa volto em dez minutos para te buscar. Eu não tinha mais intenção de brincar pensando na surpresa que iria ganhar e sem perceber o tempo lá estava meu papai me chamando. Quando cheguei a ele, ele me suspendeu me carregando em seus braços e eu perguntando. Papai onde está a surpresa? Calma minha filha estou te levando para o banheiro que a surpresa vai está lá. Quando chegamos no banheiro, meus olhos brilharam de alegria ao ver que a banheira da mamãe estava cheia e meu papai me colocando dentro dela com a água morna. Mais papai? A mamãe não gosta que eu e a Jéssica entra na banheira dela… Por isso é uma surpresa que quis te fazer minha filha, pois você está merecendo pois tem se comportado bem comigo ultimamente. Por enquanto deve ser nosso segredo e não deve contar para sua mãe quando ela chegar, depois eu contarei para ela e ela aceitará. Está bem papai. Papai? O senhor pode me ajudar a lavar minhas costas? Claro minha filha. E meu papai foi entrando dentro da banheira se posicionando sentado em minhas costas e eu sentado por cima de suas pernas com ele me ensaboando as costas e aproveitou para lavar meus pequenos seios com suas mãos me causando uma sensação nova até então não conhecida por mim nos meus mamilos que enrijeciam os bicos fazendo meus seios ficarem duros. Meu papai percebendo isso, começou a fazer movimentos circulares neles e me puxou um pouco mais para trás me fazendo encostar minhas costas em seu peito cabeludo e eu já estava sentindo sensações estranhas quando de repente senti um volume por debaixo de mim, já que estava no colo do meu papai, pude perceber que o pênis dele estava ficando ereto passando por de trás de minha bunda e ficando exposto à frente de minha pequena vagina. Então perguntei. Papai estou vendo que seu pênis esta ereto, isso é porque o senhor quer que eu chupe ele agora, como sempre faço? Agora não minha filha, deixe o papai apenas feliz junto de você agora. E ele continuou a lavar meus pequenos seios, mais agora estava sem o sabonete, somente com a mãos me fazendo sentir novamente aquela sensação nova nos seios. A medida que meu papai acariciava meus seios, eu percebi que ele largou um dos meus seios e foi com sua mão em seu pênis e posicionou a ponta do seu pênis na entrada de minha pequena vagina e fazia movimentos segurando seu pênis para cima e para baixo na rachadura de minha vagina. Eu ainda não sabia o que estava acontecendo mais comecei a sentir outra sensação diferente da que sentia em meus seios, era mais forte vinda da minha pequena vagina que fazia minhas pernas tremerem ao sentir toda vez o toque da cabeça do pênis do meu papai roçar. Ele percebeu eu sentindo essas sensações e começou a beijar minha nuca me fazendo ter arrepios e começar a me ofegar saltando suspiros baixinhos, até que minha curiosidade me falou mais alto e eu perguntei. Papai? Posso te fazer uma pergunta? Claro, minha princesa. Papai? Estou percebendo que o senhor está rocando a cabeça do seu pênis na entrada de minha pequena vagina, e isso está me fazendo sentir umas sensações que eu nunca senti e nem sei o que é. Porque eu estou sentindo isso papai? Minha filha, essas sensações que está sentido se chama prazer, é essa sensação que sinto quando meu pênis está ereto e me deixa muito feliz. Assim também é com você minha filha, por isso que está sentido isso, minha princesa. Papai então vamos continuar pois é muito gostoso sentir prazer. E meu papai me levantou do colo me mudando de posição, agora me colocando em cima do colo dele, só que agora de frente para ele, e ele me dizendo que agora não conseguiria mais beijar minha nuca, mais que se eu quiser, já estaria na hora de eu aprender a beijar na boca. Nisso meu papai começou a me dar selinhos e foi aprofundando em seus beijos mergulhando sua língua dentro da minha boca e eu adorando estar aprendendo a beijar, até que senti a ponta do pênis do meu papai novamente na entrada da minha pequena vagina. Só que agora era diferente pois ele não roçava mais. Percebia que ele tentava colocar em pequenos movimentos de tira e coloca, a cabeça do pênis dele, com isso me deixando com enormes sensações de prazer e eu deixando acontecer até que resolvi perguntar. Papai? O senhor está passar seu pênis dentro da minha vagina? Sim, minha princesa. Papai? Para que o senhor quer colocar seu pênis dentro da minha vagina? Eu fazendo isso com você, estarei te dando mais prazer minha filha. Mais papai? Seu pênis é enorme o buraco da minha pequena vagina é pequenino, seu pênis vai caber dentro dela? Sim minha filha, vai caber pelo motivo de toda mulher ter elasticidade na vagina e também o líquido que sai da sua vagina ajuda a lubrificar para assim meu pênis entrar. Que líquido que sai da minha vagina papai? Oh minha filha, vamos nos secar e vamos para o quarto, pois a água da banheira não deixou você perceber o líquido de sua vagina, mais no quarto você verá. Está bem papai. Chegando no quarto ele me deitou na cama vindo por cima de mim já beijando minha boca e pescoço e meus seios enquanto seu pênis roçava minha pequena vagina me fazendo sentir novamente todas as sensações de prazeres que havia sentindo na banheira, só que agora era mais intenso. Foi quando meu papai pegou em minha mão e a levou sobre minha vagina e me fez sentir uma coisa melada na minha mão em contato com minha vagina. Agora você pode ver minha filha o líquido que te falei que sai de sua vagina e ajudará meu pênis entrar no buraquinho dela. Falando isso, meu papai começo a forçar a entrada de minha pequena vagina com a cabeça do seu pênis cada vez mais profunda em movimentos como se fosse em câmera lenta, me fazendo agora suspirar baixo novamente com cada milímetro que ia penetrando. Eu estava em uma situação delirante de muito prazer e euforia, pois tudo aquilo era novo para mim e eu estava gostando muito daquilo que acontecia com meu corpo. De repente eu dei um grito com a dor que senti dentro de minha pequena vagina e desvencilhei do pênis do meu papai, assustada pela dor e percebendo que minha vagina sangrava um pouco. Papai você me machucou? Não minha filha, isso não é um machucado, é apenas o hímen de sua vagina que se rompeu. Isso acontece com todas meninas que perdem a virgindade e mostra agora que elas não são mais meninas e sim mulheres. Agora que você virou uma mulher, não sentira mais dor e só sentira prazeres mais intensos ainda. Mais estou com medo de doer ainda papai. Está bem minha filha, vamos fazer de uma forma diferente onde você é que vai colocar sua vagina em cima do meu pênis, assim não sentirá mais dor e mesmo porque você é uma mulher agora. Então meu papai se deitou de costas para a cama e me colocou agachada de pernas abertas por sobre o seu corpo e me dizendo. Agora você vai abaixando sua vagina em cima do meu pênis e vai descendo devagar até onde você conseguir esconder o meu pênis dentro de sua vagina, depois você vai subindo a vagina até a ponta do meu pênis sem deixar ele sair do buraquinho de sua vagina e vai descendo e subindo no meu pênis. Fazendo isso você vai ficar muito feliz com o prazer que vai sentir. Meu papai segurou a base do pênis dele e direcionou a cabeça do pênis na direção da entrada de minha vagina e eu fui fazendo como ele me pediu bem vagarosamente sentindo mais uma vez cada milímetro do seu enorme pênis até que já não era mais milímetros que entrava, pois já tinha centímetros dentro de mim me fazendo ficar mais molhada com aquela coisa dura me abrindo apertadamente, mais que me fazia querer mais e mais. Senti que seu pênis já tinha entrado mais da metade pois o pênis do meu papai tem 16 centímetros e uns 10 cmt estava dentro de mim. Quando retornei minha vagina de volta para a ponta do pênis foi mais fácil e comecei a fazer o que ele havia me falado para fazer, estava ficando eufórica com a sensação de prazer que fulminava minha pequena vagina e fui aumentando o ritmo do vai e vem em cima de meu papai e percebi que já não estava suspirando baixo mais, pois estava gemendo com gritinhos como se minha respiração fosse explodir juntamente com meu papai gemendo alto, o que me fez ficar mais frenética, pois queria muito fazer meu papai feliz. Assim eu ia mais rápida e quando lembrei que toda vez que eu chupava rápido o pênis dele, ele derramava seu leite em mim em seguida, foi quando eu sentir uma sensação tão forte que me fez estremecer toda e cair fraca com minhas pernas bambas em cima do meu papai que já estava derramando seu leite dentro de minha pequena vagina, fazendo transbordar seu leite viscoso pelos lábios de minha vagina e dizendo. Descanse minha filha, estou muito feliz com você. Eu também estou feliz com o senhor papai, foi maravilhoso papai, mais estou fraca agora. Você está fraca agora porque na hora que você teve a sensação mais forte, era o momento em que você ejaculava igual ao papai quando derramo meu leite. Isso se chama gozar minha filha, e de agora em diante faremos um ao outro gozar de prazer. Papai? Posso te fazer uma pergunta? Claro, minha pequena princesa. Papai? Isso que você me ensinou agora é o que os adultos fazem na cama a noite? É sim minha filha. Ohhh! Então o que você me ensinou foi sexo papai? Sim minha filha, e a partir de hoje você não só será minha filha como também será minha mulher. Ouvi aquelas palavras já me adormecendo com um sorriso estampado na face de alegria e no outro dia acordei já no meu quarto me lembrando das coisas que tinha aprendido e explodia de felicidade. Minha mamãe chega no quarto e me beija na testa falando que hoje ela me ensinaria como amar os homens e as mulheres corretamente. Ela sorriu muito quando ei disse que meu papai já tinha me ensinado a como amar um homem. Sim minha filha, eu posso ver isso na sua expressão de alegria estampada no seu rosto e no lençol de sua cama que está cheio de esperma do seu pai. Agora é minha vez de te ensinar a amar uma mulher igual eu ensinei sua irmã, eu vou chamar a Jéssica para ajudar. Bom nem precisa eu continuar mais pois vocês já sabem o que aconteceu a parti daí resumido por mim na minha confissão. Posso apenas acrescentar que hoje somente eu e minha irmã e meu papai moramos juntos em outra cidade e continuamos nos amando muito uns aos outros e que sempre que estamos de férias, vamos para Santa Catarina para visitar nossos familiares e amigos e aproveitar para participar de novas festas. Falando em Santa Catarina, me fez lembrar que esqueci de confidenciar uma outra coisa que é como se fosse o mais proibido em se comentar nos campos de naturistas. A maioria das famílias dos campos de naturistas tiram fotos de seus filhos para venderem em sites com o objetivo de levantar renda financeira para ajudar a nos criar e educar, e com minha família isso também não foi diferente e meu papai tira fotos de mim e minha irmã até hoje. Minha irmã já tem 18, por isso ela tem seu próprio site e ganha seu próprio dinheiro, eu já por outro lado terei de esperar por mais um ano e meio para eu ter o direito de segui os passos de minha irmã. Não que eu não tenha um jeitinho escondido de fazer isso, pois hoje nós jovens temos Skype e zap zap.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 3 votos)
Loading...