,

Uma voyeur descontrolada!

Há 1 ano 10 ★ 3.50

Oie galerinha, historia que contarei hoje a vocês é um relato sobre o meu voyeurismo, e tudo aconteceu recentemente. Mas o meu lado voyeur começou a muitos anos atrás.
Meu nome é Fernanda, tenho 23 anos mas eu me descobri uma voyeur na adolescência. Eu devia ter uns 14 anos, e morava em uma cidade do interior do estado de São Paulo e uma vez chegando no sítio dos meus pais após a escola, ouvi uns barulhos e gemidos estranhos, eu segui o som e me deparei com minha irmã mais velha e o namorado dela no quarto dela fodendo, a porta estava entreaberta e, fiquei ali assistindo tudo. Eu era bem nova mas sabia o que estava ai acontecendo, e me deu um forte tesão ver minha irmã de quatro na cama e o namorado dela metendo com força o seu pau na xota dela, por sinal o namorado de minha irmã tinha uma pica enorme; e ver aquela cena encheu-me de tesão, uma estranha coceira tomou conta de minha buceta e quase que involuntariamente eu levei minha mão para dentro da calcinha e eu comecei a enfiar o dedo dentro de minha bucetinha, aquela era a primeira vez que eu fazia aquilo e eu estava gostando e muito, a minha buceta estava um pouco úmida e eu comecei a me masturbar de forma frenética, logo, ela já estava super encharcada, e quanto mais o namorado da minha irmã bombava na xotinha dela de quatro, mais molhada e louca eu ficava.
Depois de muito meter em minha irmã de quatro, o namorado dela deitou-se na cama e minha irmã sentou-se por cima e ficou rebolando na piroca dele. Eles dois gemiam enlouquecidamente por achar que não havia ninguém em casa; muito não tardou e minha irmã começou a gritar dizendo que ia gozar, então o namorado dela a colocou deitada na cama e começou a chupar a buceta dela, e logo ela gozou na boca dele, neste momento eu me enchi de tesão, comecei a me masturbar com movimentos bem rápidos no meu clitóris e sem nem me dar conta, gozei assistindo vendo eles fodendo, despois deste orgasmo eu me encostei na parede ainda um pouco alucinada, sentei-me no chão e continuei assistindo eles dois. Logo depois de minha irmã ter gozado, ela se sentou na cama, o namorado dela ficou em pé no chão, diante dela e ela chupou a piroca dele de forma bem gostosa, a baba escorria da boca dela e repousava sobre seus seios. Com aquela chupada gostosa, logo ele gozou na cara dela todinha, eu queria que um pouco daquela porra fosse na minha cara, pena que não era eu ali. Depois que ele gozou, os dois se deitaram na cama abraçadinhos, então eu fui para o meu quarto, não conseguia tirar aquela cena da minha mente, então tirei toda minha roupa, deitei-me em minha cama e voltei a me masturbar até que gozei novamente. Foi essa a minha primeira experiência como voyeur!

Com o passar do tempo eu dei um jeito de assistir mais vezes minha irmã fodendo com o namorado dela, até meus pais eu vi fodendo e gostei demais; então eu passei a ler sobre isso na internet e a ver vídeos de voyeurismo em sites adultos, ali realmente eu entendi que era uma voyeur. Os anos se passaram e eu mergulhei ainda mais no meu vício sobre voyeurismo; minha irmã terminou com o namorado dele mas, logo começou a namorar um outro cara, ainda mais lindo e mais gostoso. E sempre que eles transavam no sitio dos meus pais eu dava um jeito de assistir tudo. Mas, quando eu já estava com 22 anos, me mudei para a cidade de São Paulo, para fazer faculdade e trabalhar; eu passei morar em um apartamento, em um prédio de um condomínio de prédios, morava sozinha e não tinha mais muito tempo para pensar em minhas fantasias voyeur. De manhã eu acordava e ia trabalhar, de noite eu ia para a faculdade, assim, não sobrava muito tempo para outras coisa.
Com alguns meses morando na cidade de São Paulo, eu comecei a namorar Pablo, um cara lindo, gostoso, nosso sexo era maravilhoso mas, ainda tinha em minha vida uma lacuna; o voyeurismo.
Para minha infelicidade eu morava sozinha e não tinha ninguém para eu ver transando, e naquele condomínio parecia também não haver nenhum casal que transasse para eu poder ver, era isso que eu achava até que, em uma noite de sexta-feira, o meu namorado foi dormir comigo no meu apartamento, a gente deu uma fodida bem gostosa e logo após ele virou para o lado e dormiu cansado, eu então me levantei, fui até a cozinha, peguei uma cerveja e comecei a beber, fui até a sacada para tomar um ar fresco, tudo estava normal até que meus olhos flagraram um casal transando gostoso na sacada de um apartamento de um outro prédio do mesmo condomínio que eu morava. Meus olhos quase não acreditavam naquilo que viam, fazia mais de um ano que eu não assistia a um casal transando, eu esfreguei os olhos para ter certeza que estava enxergando direito, e eu estava enxergando muito bem, e para minha surpresa, aquele não era um casal tradicional, era um casal lésbico, duas belas mulheres fodendo ali naquela sacada, uma era mulata com os cabelos curtos e encaracolados; a outra era loira com a pele bem branca, dona de cabelos longos e lisos. A mulata estava inclinada sobre uma mesa e com a bunda empinada, enquanto a loira estava com aquelas cintas com uma piroca de plástico, e metendo muito na mulata. Eu instantaneamente comecei a me masturbar vendo aquela cena, por sinal, aquele foi meu primeiro voyeurismo com um casal lésbico, pena que não dava para ver muito bem já que estava um pouco longe, então eu me lembrei que nas minhas tralhas havia um binóculos, então eu corri para dentro a procura dele, estava difícil achar mas eu o achei, devo ter demorado uns dez minutos para acha-lo, quando voltei para a sacada, aquelas duas belas moças não estavam mais ali fodendo, elas sumiram, deviam ter entrado. Eu não acreditava na minha falta de sorte; mas estava feliz por ter visto aquilo. Então me deitei na cama ao lado do meu namorado e continuei a me masturbar, acabei sem querer acordando meu namorado com meus movimentos, e ele ao acordar, perguntou:
– Amor… Mas teu fogo não apaga, né?
Naquela hora eu queria muito dar minha buceta, então disse a ele:
– Meu fogo nunca apaga, mas se você quiser tentar.
Meu namorado Pablo, então me beijou, me botou de quatro, chupou minha buceta e o meu cu, depois começou a me foder com força. Então eu pedi para ele me foder na sacada, ele atendeu o meu pedido e fomos para a sacada, eu me debrucei sobre a mureta da sacada empinei bem a bunda, Pablo comeu primeiro o meu cuzinho e depois minha buceta, enquanto ele me fodia eu olhava para a sacada onde aquelas duas moças estava fodendo para ver se elas voltavam, não voltaram, mas com Pablo me fodendo, eu imaginei que eu fosse aquela mulata dando para aquela loira e não demorou muito e gozei gostoso na piroca do meu namorado, logo em seguida ele gozou dentro da minha buceta. Então fomos para minha cama e nos deitamos, mas não saia da minha cabeça aquelas duas belas mulheres fodendo na sacada.

Nos dias seguintes, eu passei a ficar na minha sacada olhando para a sacada onde elas foderam naquele dia, eu queria ter a sorte de vê-las fodendo novamente, não tive esta sorte tão cedo, sempre que eu olhava, lá elas não estavam. Passou-se duas semanas e finalmente eu voltei a ter a sorte de vê-las as duas fodendo na sacada, desta vez a mulata que estava usando cinta com a piroca, ela estava sentada em uma cadeira e a loira estava sentada em seu colo cavalgando gostoso. Desta vez eu havia deixado o binóculos ali mesmo na sacada e então usei ele para ver tudo, estava tão gostoso que logo eu tirei minha roupa e comecei a me masturbar vendo aquela cena, minha bucetinha logo se encharcou e eu enfiava três dedos bem no fundo dela e fazia um vai e vem bem alucinante, eu continuei me masturbando enquanto a loira cavalgava gostoso no colo da mulata. E enquanto a loira cavalgava na mulata, a mulata passava suas mãos pelo corpo da loira, na bela bunda que ela tinha, nas costas, puxava o cabelo dela; aquela foda das duas estava muito gostosa. Foi ai então que a loira se levantou do colo da mulata, puxou a mulata pelo braço; com a mulata de pé, a loira se ajoelhou, deu uma chupada no pau de plástico, parecia querer sentir o próprio gostinho, depois ela ficou de pé novamente e beijou a mulata na boca. Como aquela safadeza das duas era boa. Então a loira tirou a cinta da mulata, depois a mulata subiu na mesa que tinha na sacada, ficou de quatro na mesa e a loira começou a chupar a mulata, não dava para saber se ela estava chupando o cu ou a buceta, então eu usei o binóculos para aproximar a imagem, como estava um pouco de lado para mim, dava para ver a língua da loira entrando na xota da loira, depois lambendo o cuzinho dela, aquilo foi muito tesão para mim, tanto tesão que eu esfreguei com muita força o meu clitóris, e logo eu gozei, gozei muito gotoso, talvez o melhor orgasmo de minha vida, eu pirei completamente, meus lábios ficaram secos, porem minha boca encheu-se de água, minha buceta ficou ensopada, minha pele se arrepiou, meus músculos tiveram espasmos e meu cuzinho ficou piscando, isso é so para vocês terem dimensão de como foi bom aquele meu orgasmo.
Mesmo depois de eu ter gozado, eu continuei assistindo as duas com o binóculos e me tocando. Logo depois de a loira lamber a mulata, a loira subiu também na mesa, as duas se sentaram com as pernas abertas uma de frente para a outra, e começaram assim a esfregar a xota de uma na outra, aquilo era maravilhoso, eu comecei a de novo sentir muito tesão, tanto que voltei a esfregar muito o meu clitóris, estava tudo tão bom. Enquanto eu me masturbava na minha sacada, na sacada delas as duas continuavam esfregando a xota de uma na outra, não demorou muito e a mulata parecia estar gozando, ela ficava se contorcendo, parecia estar gemendo também, logo em seguida, ela passou a própria mão entre a xota das duas e depois passou sua mão na boca da loira e deixou a loira chupar a mão dela, como aquilo estava gostoso, eu queria estar lá com elas, aquilo parecia estar sendo muito delicioso. Depois que a loira chupou os dedos da mulata, a mulata se levantou, saiu da mesa, abriu as pernas da loira, e começou a chupar a xota dela, curiosamente a mulata estava debruçada sobre a mesa e com a bunda empinada e virada para mim, parecia até ser de proposito, então eu foquei meu binóculos bem na bunda da mulata, por sinal que bela bunda, grande, redondinha, e além disso tudo, dava para ver o cuzinho dela piscando enquanto ela chupava a loira. E aquele cuzinho piscando me enlouqueceu, não demorou muito e eu gozei de novo, esse orgasmo foi tão incrível quanto o primeiro, eu estava tomada pelo prazer; saia tanto liquido da minha xota que ele escorria pela minha virilha, descia pela parte interna da minha coxa e já chegava em minha panturrilha. Logo em seguida ao meu segundo orgasmo, não demorou e a loira pareceu ter gozado na boca da mulata, ela ficou se contorcendo na mesa, seu corpo ficava meio que rebolando, aquilo era lindo de se ver. Depois disso as duas se beijaram bem gostoso e lentamente, um beijo bem demorado, depois elas duas entraram para dentro do apartamento de mãos dadas. Depois disso eu me deitei em uma espreguiçadeira que eu tinha na sacada, e continuei me masturbando relembrando cada momento da foda delas duas, não demorou e eu gozei pela terceira vez, depois de gozar, eu levei minha mão até boca e chupei todos meus dedos, meu melzinho estava maravilhoso. Depois disso eu entrei, me deitei e dormi, por sinal, a muito tempo não dormia tão bem e tão serena como naquela noite.

Nos dias seguintes eu continuei espiando para ver as duas transando na sacada, as vezes tinha a sorte mas era raro, mas sempre que rolava delas foderem, eu usava o binóculos e me masturbava vendo aquela cena do divino.
Então em uma tarde de terça feira com o céu nublado, eu vi as duas fodendo gostoso na sacada de novo, logo comecei a me tocar vendo aquelas duas safadas transando ali; mas para a minha infelicidade, começou a chover, então as duas entraram para dentro para não se molharem. Mas dava para ver que as duas estavam fodendo no sofá da sala, só não dava para ver os detalhes, mas eu sabia que elas estavam ali; mas isso era inútil para mim. Então também entrei para não me molhar. Me sentei no sofá da minha sala e comecei a me masturbar, estava maravilhoso, mas antes de gozar eu tive a curiosidade de ir até o prédio delas, e escutar pela porta do apartamento delas para tentar ouvir elas fodendo. O bom senso mandava eu não fazer aquilo, mas a carne mandou e eu obedeci ela. Me vesti e sai do meu apartamento, fui para o prédio delas e como era no mesmo condomínio que o meu, eu não tive problemas para entrar, entrei e fui até o andar delas, tive um certo problema para achar o apartamento delas, mas quando eu achei, encostei meu ouvido na porta do apartamento, dava para ouvir bem baixo mas, era audível. Eu ouvia elas gemendo, uma dizia “vai amor, esfrega essa sua xota na minha” a outra dizia “tá gostando amor? Tá gostando da minha xota quentinha e molhadinha?” Aquilo fez o tesão tomar conta do meu corpo e logo eu enfiei a mão dentro da calça e comecei a esfregar meu clitóris, eu sabia que corria o risco de ser pega por alguém ali, mas acho que isso só serviu para aumentar o meu tesão, continuei me masturbando e ouvindo elas fodendo, logo eu já estava prestes a gozar, então decidi esfregar o meu clitóris de forma intensa para gozar logo e sair dali. Mas quando eu estava quase gozando, uma das portas do corredor se abriu, eu comecei a disfarçar, um senhor saiu de um dos apartamentos e me perguntou:
– Boa tarde, posso te ajudar?
Eu estava bem tensa, mas resolvi disfarçar, então disse:
– Boa tarde, pode sim. Eu estou procurando o apartamento de uma moça mulata e de uma outra loira.
O senhor apontou para a porta onde eu estava ouvindo tudo e disse:
– É essa ai mesmo que esta perto de você.
– Ah, eu imaginei que fosse aqui, mas não queria chamar sem ter certeza. Vou chama-las, obrigado.
– Não tem de que!
O senhor se afastou, eu continuei disfarçando até ele entrar no elevador. Então eu voltei a ouvir através da porta delas, elas continuavam fodendo e falando sacanagens. Eu voltei a esfregar minha bucetinha e logo gozei. Foi de novo um orgasmo maravilhoso, minhas pernas ficaram bambas, minha calcinha toda encharcada. Então eu sai logo dali e voltei para meu apartamento antes que mais alguém aparecesse. Ao chegar em em meu apê, eu coloquei um filme pornô de voyeurismo na TV e comecei a me masturbar mais ainda, esfreguei tanto meu clitóris, enfiei meus dedos dentro de minha buceta, depois peguei um consolo que eu tenho e enterrei ele no meu cu enquanto continuei me masturbando, logo eu gozei mais uma vez bem gostoso. Lembro que meu cuzinho ficou piscando por minutos como consolo dento dele, mas eu queria que fosse o pau do meu namorado atolado no meu cu e eu piscando meu cu no pau dele. Então eu liguei para ele e disse que estava afim de dar muito o cuzinho para ele.
Eu continuei me masturbando, uns 15 minutos depois ele apareceu, eu então abria a porta, ele me viu já pelada e disse:
– Nossa, já esta peladinha?
Eu respondi:
– Cala a boca. Você veio aqui para comer meu cuzinho.
Então peguei ele pelo braço, joguei ele no sofá, e sentei na cara dele e mandei ele chupar só o meu cu, mandei ele deixar meu cuzinho bem babadinho, então ele chupou meu cu com gosto eu estava adorando aquilo. Depois disso eu me levantei da cara dele, tirei sua calça e sua cueca e sentei com o meu cu no seu pau, eu só queria dar o cu, então cavalguei gostoso na piroca dele, ele gemia enlouquecidamente de tesão, eu fiquei cavalgando por alguns minutos, depois me levantei, e fiquei de quatro no sofá, empinei bem a bunda e mandei ele meter no meu cu, ele fez o que eu mandei e começou a comer meu cu, só que ele estava comendo fraquinho, então mandei ele socar com força, ele socou com muita força, enquanto ele socava, eu comecei a me masturbar e não demorou e eu gozei novamente, dando o cu para ele, e meu cuzinho ficou piscando no pau dele, como eu queria. Logo depois que eu gozei, ele disse que ia gozar também e perguntou onde eu queria. Eu fui sucinta e disse: “Quero no cu, dá porra no cuzão da sua cachorra” ele bombou ainda mais forte e logo gozou no meu cu. Depois que ele gozou, ele se jogou deitado no sofá, eu me deitei sobre ele, nossos corpos estavam suados e grudentos, ele então me beijou e perguntou:
– O que te deu hoje?
– Nada! Só queria te dar, amor…
– Adorei! Agora vamos tomar um banho e tirar esse suor dos nossos corpos?
– Já já a gente vai, me beija agora.
Nós dois ficamos nos beijando, num clima bem romântico. Depois de uns instantes fomos para o banheiro e tomamos um banho enquanto fodemos mais um pouco debaixo do chuveiro.

Depois desse dia eu continuei observando aquela mulata e aquela loira fodendo naquela sacada sempre que elas faziam aquilo. Pena que a frequência não era tão grande! Mas sempre que eu via, era enlouquecedor e, engana-se quem pensa que com o tempo perdeu a graça, pelo contrario. A cada dia que passava eu mais adorava aquilo!
Mas teve um dia que aconteceu algo inesperado. Eu cheguei da faculdade e fui para a sacada ver se elas estavam lá, mas não estavam; então fui tomar banho, depois vesti minha camisola e antes de dormir, peguei uma taça de vinho e fui para a sacada como quem não queria nada. Ao chegar lá, para minha felicidade, estavam elas duas lá fodendo, eu logo peguei meu binóculos a comecei a observar. A mulata estava debruçada sobre a mureta da sacada e a loira estava atrás dela ajoelhada a chupando, não dava para ver muito bem mesmo com o binóculos, mas aquilo já foi o suficiente para me enlouquecer de tesão, por instinto enfiei minha mão dentro da calcinha e comecei a me masturbar, minha buceta estava sequinha mas vendo aquela cena e com meus dedos, ela logo se encharcou, preciso nem dizer que estava gostoso. E logo depois da loira chupar a mulata, ela se posicionou atrás dela, desta vez a loira estava usando a cinta com o pênis de plástico novamente, então ela e começou a bombar com força na mulata, aquilo era o que eu precisava para enlouquecer de vez, eu comecei a esfregar muito forte o meu clitóris vendo aquela cena, eu já estava doida para gozar mas, então pelo binóculos eu percebi a mulata apontando, na hora não me toquei que era para mim e continuei a me masturbar, quando eu percebi que as duas pararam de foder e estavam olhando para minha direção e apontando, ai eu me assustei de verdade; meu corpo gelou, eu não sabia o que fazer, então entrei para dentro do meu apartamento, tranquei todas as janelas e portas, apaguei todas as luzes. Em anos de voyeurismo, espiei minha irmã, meus pais, tios e tias, primas e amigas fodendo, mas aquela foi a primeira vez que perceberam minha presença; eu não sabia o que fazer, estava muito tensa, então fiquei quietinha em casa. Passou-se uns 45 minutos, eu já estava relaxada, pensei que estava tudo bem, mas aí a campainha do meu apê tocou, eu não sabia quem era, pensei que pudesse ser o sindico, podia ser as meninas, podia ser a policia, eu estava muito envergonhada, não queria abrir. Mas voltaram a tocar a campainha, então eu respirei fundo, fui até a porta e eram as duas moças, a vergonha tomou conta do meu corpo, eu não queria abrir, mas eu tinha feito aquilo, eu estava espionando elas a meses, era a hora de assumir meus atos como uma verdadeira mulher. Então abri a porta…

Se vocês quiserem saber o que aconteceu depois que eu abri essa porta, deixem nos comentários; ai eu arrumo um tempo para escrever tudo que aconteceu naquele dia para vocês lerem.
Espero que tenham gostado até aqui!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 2 votos)
Loading...

,

10 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. denilson

    nossa que tesao…conta o que aconteceu,,,

  2. Maya

    Também adoro olhar

  3. kleber

    Que delícia de conto, nossa , me masturbei gostosamente lendo, queria eu der seu namorado pra comer seu vizinho nessa loucura.

  4. Barnabé Araújo

    Show show! Conte o que aconteceu

  5. Barnabé Araújo

    Delicioso! Maravilhoso! Acabei de bater uma !continue

  6. Anônimo

    esperando continuaçao, mtu bom

  7. Henry

    Que conto delicioso é rico em detalhes. Continue e não demore rsrs

  8. Rafaella

    Abre a porta e transe com elas.. voce vai adorar..

    Beijos

  9. Lucas MT

    Tbm sou voyeur desde meus 12/13 anos, mas gosto de ver mulheres tomando banho, trocando de roupa, ou descuidadas de saias/shortinhos…. Tenho tesão infinito nisso

  10. DUDU safado

    conta oq aconteceu? elas te comeram? fala putinha.