Páscoa com a família

Há 1 ano Por 0 ★ 0.00

Não tínhamos o costume de passar a páscoa com nossa família. Sempre estávamos em casa, entre nós. Minha família não era tão grande, mas quando se juntavam, faziam barulho. Sempre tinha discussão, até porque os tios e tias não são muito unidos. Enfim, isso aconteceu na páscoa desse ano e eu não pude deixar de contar quando caí nesse site. Tenho 18 anos (no dia eu ainda tinha 17), moro com meus pais e minha irmã de 19 anos. Nesse ano, meus pais resolveram passar a páscoa no sítio do meu avô, com a nossa família. Lá, tinha bastante gente já, tios, primos, irmãos, avós… Tinha gente que não víamos desde 2015. Eu nunca gostei de me reunir com a família, nunca gostei deles, eles nunca fizeram questão da gente, fora que eles eram insuportáveis.

Enfim, fiquei sentado com minha irmã em uma mesa, estávamos querendo morrer de tanto tédio. As crianças estavam brincando para ganhar ovos e nossos pais ficavam nos chamando. Nossos primos de quase nossa idade não gostavam da gente e nem a gente deles. Felizmente eles moravam perto e iam pra casa depois, como nós morávamos mais longe (1h e meia), ficaríamos no sítio, assim como alguns tios. Mais tarde, quando estávamos dormindo, eu acordei com barulho no quarto. Eu estava dormindo no mesmo quarto que dois primos, em um colchão no chão e os outros dois estavam na beliche. Um tinha entre 12/13 anos e o outro 10/11. O de 12/3 anos, era gordinho e ficava toda hora levantando pra ir no banheiro, devia estar com diarreia de tanto comer chocolate e, o outro ficava na cama tentando dormir. O gordinho sempre fazia barulho quando levantava e deitava na cama, por isso meu primo e eu não conseguíamos dormir. Eu reclamei com ele, e quando voltou do banheiro, disse que ia dormir e já estava aliviado. E ele acabou dormindo mesmo, mas roncava muito. Eu continuei sem sono, então fui na cozinha beber refrigerante e ver se tinha sobrado algum pedaço de pizza de bacalhau. Nisso, enquanto comia e bebia, meu outro primo veio e pegou um pedaço do ovo de páscoa e ficou me olhando enquanto comia na minha frente. Eu estava apoiado no balcão, comendo a fatia e bebendo coca e ele na frente da geladeira, comendo ovo e me olhando.

– Você não devia comer tanto chocolate, vai ficar com caganeira igual o primo.

Eu disse isso pra ele e fiquei rindo, ele apenas riu e continuou comendo e me olhando.

– Que foi? Por que tá me encarando?
– Nada não. É porque você tá diferente.
– Diferente como?
– Você cresceu. Tá alto.
– Ata, quando você tiver minha idade também vai ficar assim.
– Sério?
– Arram, vai ter pelos no suvaco, na perna, igual a mim.
– Você tem pelo no saco também?
– Tenho, mas eu aparo.
– Meu pai disse que todo homem de verdade deixa lá.
– Seu pai é porco.

Ele ficou com raiva e disse pra eu não falar assim do pai dele, então comecei a rir e a zoar ele. Disse que ele não tinha pelo no saco e que isso fazia dele um fracassado, então ele disse:

– Mas se você corta, você também é.
– Sou nada, meu pinto é maior que o seu.
– Não é nada.
– É sim, sou mais velho que você.
– Então mostra.

Eu parei e fiquei olhando pra cara dele, mas ele estava falando sério, ele queria ver. Eu não ia mostrar, claro. Mas ele ficou dizendo que eu era mentiroso. Eu disse que eu não tinha que provar nada pra ele e então ele ficou dizendo “mulherzinha, fracassado” pra mim. Caí na pilha e abaixei meu short. Quando ele viu minha rola pendurada ele ficou imóvel. Disse que era grande mesmo, abaixou seu short e me mostrou o seu. Fiquei rindo dele e então ele tocou no meu pau. Eu me assustei, tentei me afastar, mas ele conseguiu mesmo assim e minha rola deu um pulo. Senti um calafrio subir dos pés à cabeça. Ele pegou na mão e ficou segurando o dele, comparando. Eu não me segurei e deixei ele ficar pegando, que se foda. Disse pra ele me masturbar e fui mostrando pra ele, com ele imitando. Imediatamente minha rola ficou igual uma pedra, apontada pra cara dele. Ele ficou com medo e largou, pegou outro pedaço de chocolate e saiu, eu o puxei e disse: “você vai terminar o serviço”. Nos trancamos no banheiro, peguei a mão dele, coloquei no meu pau e fiquei fazendo movimento de vai e vem. Ele ficou tentando tirar, mas eu segurava firmemente. Não demorou muito pra que eu quisesse colocar na boca dele, mas ele não deixou de jeito nenhum, mesmo doido pra botar. Ele só estava com medo do tamanho. Fizemos um trato de ele continuar me masturbando e depois eu masturbava seu pintinho, ele aceitou e prosseguiu. Sem jeito nenhum, ele movimentava pra frente e pra trás, às vezes com força, às vezes fraco. ele ficou perguntando se eu não ia fazer nele, então eu coloquei ele sentado na pia e fiquei mexendo naquele pauzinho que era do tamanho do meu dedo mindinho, mas ele gostou. Depois voltou a me masturbar e ficamos um tempão, já não conseguia conter meus gemidos. Eu já estava doido pra gozar, meu pau inchou, virei pra bancada da pia e gozei vários jatos de esperma. Estava branquinho e quentinho. Quando abri o olho, a bancada estava toda melada e principalmente o pedaço de ovo da páscoa dele. Eu nem tinha visto aquele pedaço de ovo ali. Disse pra ele comer assim mesmo, ele não quis, então o chantageei dizendo que se não fizesse, diria pro seu pai que ele tinha pegado no meu pau. Então ele com muita cara de nojo comeu, mas gostou. Gostou bastante. Até hoje, já nos encontramos 2 vezes, e sempre conseguimos uma hora a sós pra podermos fazer isso. Da última vez, ensinei ele a chupar. Estávamos no churrasco na sua casa e sua casa é enorme. Fomos para seu quarto e ele já chegou tirando a roupa. Coloquei meu pau pra fora e ele já foi pegando e masturbando. Depois que já estava igual a uma tora, coloquei meu pau na sua boca e ensinei ele a chupar direito. Às vezes ele arrastava os dentes, mas não era nada que me machucava, gozei na sua boca, ele se engasgou e adorou. Estamos esperando a próxima reunião, talvez no aniversário da minha tia agora dia 22. Vamos esperar e torcer, quero fazer algo legal, pois vamos ficar 3 dias lá e vai ser lá no sítio dos meus avós.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...

Por

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos