#

Oque era uma punheta virou sexo

747 palavras | 0 |3.00
Por

Meu nome é Gustavo hoje tenho 20 anos, 1,80 de altura, olhos castanhos, cabelo preto e meu relato é sobre um tesão que eu tinha por uma empregada que trabalhava na minha casa a 4 anos atrás.

Na minha casa tinha uma empregada que era muito gostosa a Bunda dela nao era enorme mais era uma delicia ela tinha 1,70 de altura por aí, cabelos curtos, uns peitos bem empinados, olhos castanhos ela era uma maravilha.
Eu sempre ficava de pau duro quando via ela passando roupa porque ela sempre usava calça ou short que marcava muito a buceta dela que ficava muito inchada.
Na minha casa só ficava mais eu e meu irmão e a empregada porque minha mãe e meu pai trabalhava o dia todo. Então um dia cheguei da escola e de longe vi meu irmão na janela ele estava estranho então eu passei por ele vi que ele estava de pau duro. Guardei a minhas coisas e me escondi no quintal atrás de um carro sem ele perceber e prestei bem atenção ele estava batendo uma punheta, mais nao demorou logo ele saiu pra rua. Eu fui na janela ele tinha gozado na parede a porra dele tava escorrendo pela parede. Quando olhei pela janela e vi aquela bunda gostosa com a calça muito apertada e mostrando um pouco a calcinha não me aguentei meu pau fico duro eu comecei a bater uma igual ao meu irmão que tinha acabado de fazer a mesma coisa, mais ela parou de passar a roupa então coloquei o pau pra dentro e fui para a sala aonde ela tava passando a roupa. Depois de um tempo ela voltou e disse.
– você acha que eu não vi oque você tava fazendo não? Sem falar que você sujou a parede toda.
E nao tinha sido eu que sujou a parede foi meu irmão, mais eu não podia entregar ele então eu disse.
– a me desculpa, mais você realmente me deixa louco. Então ela disse que logo ia voltar pra conversar comigo.
Quando ela chegou ela disse porque vc faz isso? você não tem nenhuma namora não?
Eu nunca tinha feito nada então falei a verdade.
Então eu nunca tive a oportunidade de fazer sexo com ninguem. Então ela me falou.
– nossa sério ? Eu sei como é complicado eu já passei isso de vontade de fazer e não encontrar alguém com a mesma vontade.
Ela me puxou para a lavanderia que ninguem nunca entrava. Me deu um beijo bem molhado e meu pau foi ficando duro denovo e ela sentia meu pau encostando nela. Ela era muito safada tirou minha roupa e começou a me chupar ela engolia meu pau com muita vontade. Segurava na minha bunda e me puxava pra frente com força para o meu pau entrar todinho na boca dela eu estava com muito tesão.
Ela tirou a sua roupa toda. Aqueles peitos gostosos, durinho e bem empinados eu fui chupa ela me disse.
-Meus peitos não! Chupa minha bucetinha.
Comecei a chupar a buceta dela. Ela estava muito molhada, lambusei meu rosto inteiro tava uma delícia.
Parei de chupa ela e soquei meu pau na bucetinha dela toda meladinha e comecei a meter muito rápido logo senti vontade de gozar. Tirei da buceta dela e coloquei no cu ela nem gritou só começou a gemer mais alto eu meti com força soquei meu pau até às bolas no cu dela e gozei gostoso com o pau todinho dentro do cu dela e enchi ela de porra. Meu pau continuou duro e ela começou a me chupar denovo engolindo meu pau todo não demorou muito eu gozei na boca dela. ela me falou.
– agora​ é a sua vez de me fazer gozar.
Eu chupava ela e socava dois dedos na bucetinha dela e ela começou.
– isso vai vaaai mais rápido mais rápido aiii que gostoso eu vou goza vou goza.
E gozou na minha boca eu continue chupando ela por mais um tempinho e ela falou.
– vou voltar a trabalhar.
Eu disse.
– tabom espero que tenha uma próxima vez.
Ela com uma cara de safada me disse.
– é quem sabe né.

E foi uma pena porque nao aconteceu denovo mais foi muito bom porque oque era só uma punheta virou uma transa completa.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 5 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos