Esposa safada – Meus tios comedores

Autor

Depois da aventura de Natal, Cris e eu passamos a nos aventurar mais, nao tinhamos frescura com nada. Cris passou a ser arrumar mais, usava roupas que a deixavam cada dia mais gostosa. Final de ano sempre ia pro sitio do meus avós. No ano passado nao fui, resolvi ir naquele ano, Cris ficou animadinha e quiz ir tambem.
Viajamos e nao demorou muito, minha familia toda nos receberam bem, Cris gostou da minha familia e minha familia dela.
Ficamos proximo de todos e assistimos a queima de fogos, meus tios Nino e Severo nao tiraram os olhos da Cris, sempre que dava eles nao paravam de elogiar, na hora que todos se cumprimentavam na hora da virada, meus tios tiravam uma casquinha da Cris. Ela gostou da safadeza dos meus tios e nao paravam de se olhar.
Percebi e ela falou que eles eram bem safados, ficamos ali junto dos meus familiares. Saimos pra dar uma volta pelo quintal e o meu tio Nino veio ao nosso encontro. Meu tio Nino era o mais novo irmao do meu pai, ele estava com 51anos e o meu tio Severo 54. Falamos um pouco e meu tio nos levou pra sua casa, era proximo 5min de caminhada, meu tioSevero chegou logo depois. Eles nao paravam de elogiar a beleza da Cris, e realmente era linda minha mulher, ela estava com uma calça jeans bem colada e uma blusinha branca.
Como sempre bem cheirosa, meus tios colocaram uma musica e revezavam dançando com ela, dava para perceber que ali cheirava a sexo. Puxei a Cris pra dançar, falei no ouvido dela e ela topou. Como nao quer nada fui ao banheiro, esperei um pouco e voltei pra sala, meu tio Nino estava dando um beijo na Cris, e meu tio Severo na costas dela, esfregando na bunda dela. Os tres ficaram pelados na sala mesmo e Cris chupava os dois sem cerimonia. Meu tio Severo, sentou no sofa e puxou pro seu colo. Nino ficou na frente dela enfiando na boca dela.
Os dois nao tinha pena dela nao, cada buraco eles metiam forte nela. A safada gostava de ser a putinha deles, o Nino a deitou no sofa e foi sem pena, a xota dela ja estava bem fudida pelos dois, quando voltei pra sala, ja voltei de pau duro, Cris sem vergonha ja foi me abocanhando sem frescura. Puxei a Cris e pus de quatro, meti no seu cuzinho. A safada abria mais aquele rabao e empinava. Deixei ela acostumar e enfiei tudo de vez, a safadinha adorava ser invadida no rabinho. Meu tio Severo deitou no chao e ela foi sentar na rola dele. Nino foi comer o cuzinho dela. A safada fazia carinha de dor, mas nao parava de rebolar.
Dei o meu pau pra ela chupar e a safada rebolava mais, os tres buraquinho dela tinha um pau enfiado e a safada ficava linda.
Que cachorrona! Revezamos sem parar nela. Gozamos no seu corpo todo, ela ficou bem lambuzada…
Ficamos um pouco na sala e ela foi tomar um banho…
Voltamos pra sede do meu avô e ficamos ate voltarmos pra cidade…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...