Arrombando o filho da vizinha – parte 2

Autor

Como já havia contado no meu conto anterior, meu nome é pedro fiz 19 anos esse ano e moro com minha mãe, sou moreno alto, tenho alguns musculos porque lutava boxe no ensino médio e tenho um dote de 20 cm. Jorge é filho da vizinha do lado, ele é bastante popular até onde sei está sempre rodeado pelos amigos da escola e tem uma namorada.
No meio de Maio, Raquel mãe de Jorge estava conversando com minha mãe lá em casa que o aniversario de 16 anos de Jorge seria nesse final de semana e que ela queria fazer um bolo pra ele e chamar alguns familiares, fiquei ouvindo toda a conversa deitado na minha cama e pensando na pica que iria dar de presente pra minha mais nova putinha, arrombei ele 3 semanas antes e ele gostou bastante, quando nos esbarrávamos na rua ele sempre dava um sorriso discreto e eu retribuía. Ela estava contando que estava precisando de uma ajuda pois iria dar uma arrumada em sua casa enquanto Jorge e seu irmão Caio estavam na escola, mas que não queria pedir a ajuda do Jorge pois ele estava estudando bastante pra semana de prova que seria após o final de semana, sua mãe estava bem orgulhosa do seu filho, quando Jorge estava lá em casa me contou que estava na seca pois o pai de sua namorada tinha pegado eles transando depois bateu muito nele e eles não se viam, sua mãe estava muito preocupada que ele tentasse ver a namorada e apanhasse novamente, porém por coincidência uma semana e meia depois de transarmos Jorge terminou o namoro e focou nos estudos, esse motivo deixou sua mãe orgulhosa, e ao falar que precisava de ajuda minha mãe disse que eu poderia ajudar e me chamou para perguntar se poderia ajudar e concordei que poderia ajudar ela com a decoração, consertar a pia do banheiro e levar o sofá velho da sala para o quarto do Jorge pois ela iria comprar um video game que ele queria bastante e no sofá os amigos dele poderiam sentar e seria mais confortável para eles.
No dia seguinte umas 10:20, Raquel me chamou pra começar a ajudar e fui, ela disse pra esperar Jorge chegar para me ajudar a levar o sofá velho para seu quarto no andar de cima, comecei consertando a pia do banheiro que foi bem rápido, troquei a lâmpada da cozinha e da área e quando estava arrumando o disjuntor, ouvi o portão abrir quando olhei para a porta eram Jorge e Caio que haviam voltado da escola me cumprimentaram e subiram pra deixarem as mochilas, sua mãe gritou Jorge e disse que era pra ele me ajudar, trocar seu uniforme e cuidar de Caio pois ela iria ao banco com minha mãe, Jorge falou que cuidaria de seu irmão e iria me ajudar, assim que ela saiu, falei pra ele pegar o sofá e eu peguei o outro lado então subimos no outro andar carregando o sofá colocamos ele onde a mãe dele havia pedido e ele disse que iria trocar de roupa, eu estava arrumando os cabos da tv pra quando o video game chegasse seria só colocar os cabos e ele começou a tirar a roupa dele comigo ali, tirou a camiseta e pude ver as costas, tirou o tênis, a calça e ele estava com uma cueca azul escuro apertada que devia ser um número menor do o número que ele deveria usar, quando ele desceu sua cueca pude ter a visão perfeita da bunda dele, fiquei com o pau duro rápido e antes dele vestir a cueca falei "Jorge esse cabo serve pra alguma coisa?" e ele veio devagar com a cueca tampando seu pau, quando ele chegou perto dei um beijo nele e tirei aquela cueca de sua mão, comecei a alisar aquela bunda gostosa e fui levando ele para o sofá, deitei ele no sofá com a bunda pra cima e ele se empinou todo cai de boca naquele cu rosado, ele quase não tinha pelos só no pau mas ele se depilava e nas pernas que ainda eram loirinhos, ele se contorcia naquele sofá e gemia bem baixinho, mordia o braço do sofá saí de trás dele e sentei perto de sua cabeça tirando meu pau pra fora, ele estava deitado quando viu meu pau me olhou e deu um sorriso antes de cair de boca, aquela boca quente estava sedenta por uma rola, puxava e empurrava a cabeça dele, tirei minha camiseta e depois levantei e tirei a calça, sentei de novo ele veio sentando no meu colo e começou a rebolar, tava morrendo de tesão, eu olhava pra ele e estava gostando, sempre que nossos olhares se encontravam ele dava um sorriso, aquilo me matava por dentro, ele começou a bater uma punheta enquanto rebolava no meu pau, quando gozou gemeu alto e aquele cu piscando com meu pau dentro, não demorou muito pra eu falar pra ele sair de cima, fiquei de pé ele deitado no sofá e gozei jatos que caíram na barriga, peito e um pouco no rosto, ele passou o dedo e engoliu, tomamos um banho rápido, nos vestimos dei um beijo nele e descemos para almoçar e colocar almoço para seu irmão.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...