A brincadeira ficou séria. 2ª parte

Autor

Ele pediu para minha irmã sair. Então pude ver o cacete todo… Parecia ainda maior. Virou-me de costas e me puxou ao seu encontro… Fez-me apoiar com as mãos em meus joelhos e encostou a cabeçorra no meu cuzinho que ainda estava melado com a porra do André. Ele ficou brincando um pouco na entradinha e eu estava adorando… Mas ele segurou meu quadril e me fez sentar na rola dura de uma vez só… Aquele homem me arrombou o cu… Senti uma dor terrível… Pensei que ia desmaiar… Parecia que uma tora tinha sido enterrada no meu cu… As lagrimas estavam escorrendo do meu rosto. Fechei os olhos, o sujeito me segundo pela cintura me fazia subir e descer no seu cacete. Fechei meus olhos e esperei que terminasse…
Então sem tirar o cacete do meu rabinho ele me ergueu e me virou para o sofá e me deixando de joelhos. Apoie minhas mãos no encosto e o sujeito socava seu mastro com vontade. A dor já não era tão intensa, e comecei a gostar de ser arrombado. Empinei um pouco a bunda e o homem percebeu que eu estava gostando. Então deu um tapa na minha bundinha que estalou e ardeu um pouco, mas adorei… Meu pinto estava duro e agora eu queria mais… Foi quando senti que ele me segurou forte… Enterrou até o talo… E gozou no meu rabinho… Sentia os jatos quentes dentro de mim… E o homem ofegante ainda socou algumas vezes depois de gozar até que tirou o cacete… Meu cuzinho estava ardendo… Mas eu tinha gostado… Sentei no sofá ainda de pau duro… O homem sentou-se no cato do quarto sobre os papelões… André e minha irmã olhavam pra mim… Minha irmã sentou-se ao meu lado e pôs a mão no meu pau e começou a punhetar… André sentou-se do lado dela, e ela também pegou no pau dele… Que biscatinha… Ela punhetava nós dois… Que delicia… Passei a mão os peitinhos dela… E André mechinha na xaninha da minha irmã… Já não nos importávamos mais com o homem no canto do quarto… Estávamos adorando a brincadeira… Então, de tanto ser punhetado explodi em gozo… E André também gozou… Deixamos minha irmã com as mãozinhas meladas de esperma… O homem sentado no canto do quarto com as costas na parede, com as pernas abertas acariciava sua rola e sorria… Então percebemos que aquela rola que tinha me arrombado começou a crescer… Estava adorando aquela suruba, mas fiquei com medo pela minha irmã… Certamente seria a vez dela… E eu não estava enganado… Aquele sujeito levantou-se e caminhou em nossa direção lentamente… Eu e minha irmãzinha olhávamos fixamente para o pau daquele sujeito… Ele parou entre eu e minha irmã, esticou os braços e segurou-nos dois pela cabeça e foi nos puxando para sua rola… Abri a boca e engoli a cabeça do pau dele… Minha irmã lambia o que sobrou pra fora… Chupei com vontade… As vezes dava espaço para que minha irmã também pudesse chupar e vez ou outra roçávamos nossas bocas… Foi quando ele se afastou e disse: Agora eu quero você bonitinha… Pegou minha irmã pela mão e a levou até os papelões no canto do quarto… Deitou-a de barriga pra cima e começou a chupar a bocetinha dela… Minha irmã gemia e se contorcia de tesão… Aquilo era excitante demais apesar de saber que aquele sujeito ia estuprar minha irmã… Não demorou pra ele parar de chupar e se ajeitar para o coito… Ele ajoelhou-se e puxou minha irmã pelas pernas até encostar a cabeçorra na bocetinha dela. A minha surpresa foi não ver minha irmão assustada. Ela parecia estar querendo… Então vi quando ele começou a forçar aquela jeba pra dentro da minha irmãzinha… Ela estava com os olhos fechados a boca entreaberta e se segurava agarrada nos braços do sujeito. Ela continuava com os olhos fechados e agora com os dentes serrados… Percebi que aquela rola estava entrando na bocetinha da minha irmã… Ela soltou um gemido mais forte e mexeu forte todo o corpo… O sujeito bufava feito um touro bravo… Então ele a empurrou pra trás e se deitou sobre ela… Eu sabia que a rola dele já estava arregaçando minha irmã mas ela só emitia alguns gemidos com “ai” misturado com “hummmm”… Ele mexia devagar… Entrando e saindo. Não dava pra ver se ele tinha enterrado toda a vara nela… Mas pelo movimento do seu quadril ele estava aproveitando cada centímetro da bocetinha da minha irmã… Ela estava com as pernas totalmente abertas e quase sumia debaixo daquele homem… De repente ele se afastou ficou de joelhos segurou a rola e esguichou seu esperma sobre ela em meio a gemidos e grunidos… Parecia que não acabava mais de gozar… Então ele se abaixou novamente sobre ela e deu um selinho… Minha irmã continuava deitada com as penas abertas e de olhos fechados… André que estava do meu lado também tinha gozado na punheta olhando os dois… Ambos se vestiram e saíram sem dizer uma só palavra… Eu estava nu sentado naquele sofá… Minha irmãzinha deitada no chão com a buceta arreganhada… Levantei fui até ela, me abaixei e passei a mão em seus cabelos… Ela abriu os olhos, respirou fundo e sorriu pra mim… Não acreditei … Ela tinha gostado… Ela levantou-se devagar… Limpou a porra que estava espalhada pelo seu corpo com sua calcinha e jogou ela do lado… Começou a se vestir e eu fiz o mesmo… Então saímos pulamos o muro e no caminho de volta pra casa ela pegou na minha mão. Olhou pra mim e disse: Não vamos contar pra ninguém tá? Consenti com a cabeça… Continuamos de mãos dadas e quando chegamos em frente a nossa casa ela parou me deu um beijo no rosto e disse: Vou querer brincar de namorar com você de novo… Sorriu e entrou… Que bom que ela tinha gostado… Porque eu também amei essa brincadeira…
Contatos: paulo_hz@yahoo.com.br