Vida nova II

Autor

Os dias seguintes corriam tranquilamente, sempre que podia, Camila vinha me abraçar e beijar e como ela é uma menina muito carinhosa, sua avó não ligava, só pedia pra neta não me incomodar. Varias vezes quando eu estava em meu escritório nos fundos da minha casa, Camila ficava lá comigo e nessas horas eu a sentava no meu colo e ela rebolava no meu pau como se estivesse se masturbando e uma vez, pedi que ela se sentasse de frente para mim e quando ela o fez, nos beijamos pela primeira vez. Em principio ela estranhou minha língua na boca dela, mas logo se acostumou e colocava a língua dela em minha boca também, ela se esfregava na minha rola enquanto nos beijávamos e eu a segurava pela bundinha, apalpando gostoso e com isso fomos acelerando até gozarmos juntos, Camila gostou tanto de beijar que mesmo gozou gemendo não largava minha boca, que delicia de menininha. Depois de alguns minutos, pedi pra ela descer do meu colo pra nos limparmos e eu tinha medo de melar o shortinhos fininho que ela usava, mas notei que mesmo eu tendo gozado um monte não havia vazado nada, mas ela estava com o shorts melado do próprio gozo dela. Fomos ao banheiro e nos limpamos mas pedi que ela ficasse sentada no sofá mexendo no meu tablet enquanto o shortinhos dela secava. De noite, infelizmente não rolava mais nada, pois a Lurdes demorava a dormir e ficava abraçada a Camila o tempo todo, não deixando que ela se aproximasse de mim enquanto assistíamos a TV e Camila acabava dormindo no colo da avó e que depois eu ajudava a levar para o quarto delas, mas nas tardes no escritório desenvolvíamos cada vez mais nossas brincadeiras amorosas, mas eu sempre ficava muito atento, pois a toda hora Lurdes ia lá nos levar café, sucos e lanchinhos e isso me deixava com medo de sermos pegos, mas dava mais tesão ainda.
Paralelo ao nosso cotidiano, conseguimos encontrar uma escolinha para Camila e era bem próximo de casa e ela adorou, logo fez amizade com as meninas e as vezes pedia para trazer uma ou outra amiguinha em casa, como ela estudava pela manhã, ela as trazia para almoçar conosco, depois faziam as tarefas juntas e depois iam brincar, nessas horas é que eu via como ela ainda era uma menininha, apesar do corpinho dela já estar se desenvolvendo, com as coxas engrossando, a cinturinha se afinando e os peitinhos crescendo ela ainda era uma criança. Um dia houve uma reunião na escola e eu e Lurdes fomo a reunião, aonde acabamos conhecendo os pais das amiguinhas de Camila, a maioria eram casais jovens ainda e simpáticos e acabamos marcando um churrasco em casa no final de semana, como estávamos no verão seria ótimo aproveitar a nossa piscina e nos conhecermos melhor. Chegou o sábado e os convidados foram chegando, e já começamos a beber umas cervejas e caipirinhas enquanto petiscávamos umas linguicinhas e outras coisas mais, as crianças já estavam brincando na piscina e eu vi que a mais linda era Camila, mas outras também se destacavam. Até que chegou a mãe de Mariana, a melhor amiga de Camila, ela se chama Roberta, ela é separada e deve ter uns 30 anos, muito gata, morena de cabelos longos com um corpo muito lindo, pernas grossas, bumbum arrebitado e seios empinados com um rostinho de uma beleza rara. Quando ela chegou, chamou atenção de todos, inclusive das mulheres, mas logo todos já estavam conversando animadamente. Fomos comendo e principalmente bebendo no decorrer do dia e acabamos caindo quase todos na piscina e na água as brincadeiras começaram e já meio altos pela bebida acabei me aproveitando discretamente de Roberta, que disfarçava, mas estava curtindo minhas passadas de mão pelo corpo dela. Com o passar do tempo todos foram indo embora agradecendo pelo ótimo dia que passamos juntos e combinamos de fazer mais vezes e acabou que as ultimas a saírem foram Roberta e Mariana, sendo que Roberta já estava na minha e vira e mexe nos abraçávamos e trocávamos beijinhos, o corpo daquela mulher, estavam me deixando louco, ainda estávamos com roupa de banho, eu de sunga e ela com um biquíni pequeno e sensual, estava bem excitado até que cruzei o olhar de Camila, que nunca havia visto daquele jeito, parecia que estava possuída e falava pra Mariana que já estava na hora delas irem embora, peguei-a e pedi pra ela me ajudar a pegar uma coisa na cozinha e mesmo bufando ela me acompanhou. Chegando a cozinha ela já pegou e perguntou por que eu estava ma engraçando com a mãe da Mariana?
– Calma Camila, não precisa ficar brava, não esta rolando nada.
– Pensa que só porque sou criança eu sou boba, eu vi você se engraçando com a mãe da Mariana e ela se esfregando em você!
– Deixa eu te explicar, é bom todo mundo ver eu e ela juntos, afinal nós dois somos livres, desimpedidos e adultos e assim, ninguém desconfia de nós dois e é você que eu amo de verdade. Minha desculpa foi aceita por Camila e nessa hora Camila fica com os olhos cheios de lágrimas e me abraça forte e tenta me beijar, mas eu digo que é melhor não, pois a casa ainda estava cheia e depois eu daria toda atenção do mundo pra ela.
Depois disso sai enquanto Camila foi ao banheiro enxugar as lágrimas e voltei a dar atenção para Roberta, que estava com Mariana no seu colo, continuamos a conversar e Camila chama por Mariana lá de dentro de casa, chamando-a para brincarem no vídeo game. Nisso, pego Roberta e olhando a nos olhos, nos beijamos pela primeira vez, nos beijamos intensamente enquanto acaricio o corpo daquela deusa, sinto ela ficar ofegante quando eu começo a roçar minha rola na buceta dela que esta protegida apenas pelos tecidos da minha sunga e do pequeno biquíni dela, ela o sente duro e rebola pra senti-lo mais intensamente, de repente ela geme e acaba gozando, fica tremula e para de se mexer, abre os olhos e me sorri me chamando de safado. Eu simplesmente digo que ela não viu nada ainda e rimos juntos. Como ainda é sábado, convido Roberta pra voltar amanhã e passar o dia conosco, nisso Camila e Mariana aparecem aonde estávamos e Camila pergunta: – Tia, já que você vai voltar amanhã a Mariana pode dormir aqui? Tio você deixa ela dormir aqui em casa?
– Por mim tudo bem e pra você Roberta?
-Sem problemas, amanhã eu volto pra aproveitarmos os dia juntos.
Acompanho Roberta até o carro dela e nos despedimos com mais um beijo tórrido e ela bem safada pega no meu pau e o aperta sobre a sunga e diz que esta louca para experimentar a minha tora. Dou lhe um beijo e digo que em breve ela vai sentir minha rola invadir a bocetinha dela com muito tesão. Eu até queria que ela dormisse em casa, mas eu tinha outras ideias para aquela noite.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 3 votos)
Loading...