Rose – Os Amigos da Lúcia

Autor

Oi! Me chamo Rose, sou gaúcha asdim como meu marido Arnaldo, eu tenho 25 anos e ele 26, temos uma filha de 11 anos, loirinha com corpinho se formando, eu tenho bunda e peitos médios e sou fitness, igual meu marido, sendo que ele tem 1,80m e eu sou mais baixinha. Neste sábado, a Lúcia, nossa filha, quis chamar uns amigos pra brincar aqui, moramos num condomínio daqui de São Paulo, o que facilita nossa vida naturista e sexualmente ativa, elas iriam ficar no quarto da Lúcia brincando, eu e o Arnaldo achamos ok, mas ele viaja toda sexta de manhã pra o Rio, voltando apenas no sábado de madrugada, então eu teria que me virar com as crianças sozinha em casa, chegado o dia, comecei a fazer uma lasanha por volta das onze, disse pra Lúcia vestir um vestido, ela ainda estava brincando nua pela casa e não tardava pra alguém chegar, então fomos nos vestir, ela pôs apenas um vestido e eu uma legging cinza escuro com uma blusa básica verde claro, continuei cozinhando e ela foi assistir TV, perto do meio dia, os pais da Paloma e do Gustavo chegaram, fiz sala pra eles que estavam com um pouco de pressa e levei as crianças pro quarto da Lúcia depois que eles foram embora, finalizada a lasanha, os pais da Eduarda chegaram, eles deixaram ela entrar, e me agradeceram por cuidar dela e foram embora, levei a Duda pro quarto da Lúcia e quando abri a porta, todos se calaram e me olharam assustados, a Lúcia na esquerda do quarto e de frente pra ela o Gustavo e a Paloma, clássica cena de crianças pegas aprontando, deixei a Duda e fui pegar a lasanha, quando cheguei na porta do quarto, parei pra ouvir um pouco:
-Era isso que vocês tavam fazendo?! – voz de menina
-Era! – Gustavo disse animado
-E se ela descobrir? – voz de menina
Neste momento eu entrei com a lasanha gerando a mesma situação de antes, parti um pedaço pra cada, saí do quarto pra levar a lasanha, tirei um pedaço pra mim, comi e fui pro meu quarto, fechei a porta e sentei na cama, fiquei pensando no que eles estariam fazendo…então eu decidi ir ouvir pela porta do quarto da Lúcia pra tentar descobrir alguma coisa, cheguei e botei um copo de vidro na porta e funcionou! Comecei a ouvir tudo:
-Bem vindo ao nosso hospital, o que deseja, senhor? – voz da Lúcia
-A minha barriga dói muito!!
-Hum…onde? Aí tu diz "embaixo do umbigo"!
-Embaixo do umbigo! – continuou Gustavo
-Oh! Vamos operar ele doutoras! – ouço todos rindo – aí tu tem que tirar a roupa pra botar a roupa do paciente!
-Tira, Gustavo, que besteira! – voz de menina, provavelmente Paloma, a irmã dele, depois de um pouco de silêncio ouço a Lúcia;
-Prooonto, agora bota a roupa de paciente! – mais silêncio e então minha filha continua a comandar – vamos começar a operação! Tirem a roupa de paciente dele. – mais silêncio – pronto, aí tu usa o pano pra tampar a visão dele igual no hospital.
-Assim? – voz de menina
-Nããão…assim ó! – voz de menina
-Ah tá…eita! Por que o pinto dele tá assim?
-Assim c…eita Gustavo!
Entro no quarto de uma vez e vejo o Gustavo nu na cama com a minha filha e a Duda do lado dele e a Paloma segurando o pano, todos olharam pra mim assustados:
-O que o paciente tem?
-Era dor de barriga mas agora o pinto dele tá em pé! – disse Paloma, irmã dele – como resolvemos?
Neste momento eu notei que iria me satisfazer com aqueles anjinhos:
-Bom, pra começar, tirem a roupa também, assim ele não fica com vergonha! – minha filha rapidamente tirou o vestido e eu percebi que ela estava sem calcinha, a Duda, uma menina de cabelos negros, cumpridos e ondulados, com uma bundinha perfeita e olhos grandes e azuis que combinavam perfeitamente com suas sobrancelhas grossas fazendo um rosto lindo, ela só desceu sua saia depois da minha filha, quase que imitando-a, assim que ela tirou a saia e começou a tirar a blusa eu baixei minhas leggings, estava sem calcinha, a Paloma começou a tirar seu casaquinho jeans logo depois que viu minha buceta já molhada, ela é uma menina loirinha de olho castanhos, magrinha saltando apenas sua buceta que marcava muito na sua legging azul-piscina.
Todos nus no quarto, eu abocanhei aquele pau de 13cm do Gustavo a primeira de criança que eu chupei, dei duas chupadas boas e ele tremia todo respirando forte, eu disse:
-Façam igual.
A Lúcia começou a chupar ele até ele esporrar a boca dela toda, ele se contorceu todo na cama, e parou de frente pra minha buceta, então eu tirei ele da cama, com ele no braço, levei as crianças pro meu quarto, chegando lá botei as quatro de frente pra mim e sentei na cama, e disse:
-Vocês gostaram do que acabou de acontecer? – todos eles concordaram, o Gustavo olhando pro pau dele, a Duda mexendo na bucetinha e com um dedo e com o outro na boca, a Paloma olhando pro pau do irmão e minha filha mordendo o lábio inferior – então só vai ter mais se vocês guardarem segredo! – todos concordaram, peguei o Gustavo e sentei ele no meu colo de frente pra mim e disse – filha, vai ensinando umas coisinhas pra suas amigas que eu vou fazer o mesmo com o Gustavo – minha filha subiu na cama com suas amigas e começaram a subir uma em cima da outra, a se chuparem, a se pegar e masturbar umas às outras e eu, deitei com o Gustavo por cima de mim e começamos a nos beijar de uma forma bem quente, ele não soltava meus cabelos, adorou mexer neles, e eu adorei ele fazer isso, quando o pinto dele ficou duro de novo, eu deitei ele na cama e pensei em quem eu iria fazer sentar no pau dele, pensei "se tá no inferno, senta no colo do diabo!!" e peguei a irmã dele e sentei ela no pau dele, ela me abraçou e disse que doía, eu olhei no olho dela e disse pra ela se acalmar, virei e disse pra todas – olha, vai doer e talvez saia sangue, mas a recompensa é muito boa!
Elas confiaram em mim e eu peguei a Paloma e deitei por cima do irmão e disse pra ela apertar se doesse, dobrei as duas pernas dela deixando ela bem aberta, peguei na cintura dela e comecei a levantar e abaixar, com pouco tempo ela já estava transando freneticamente com ele enquanto minha filha me chupava, então eu vi a Duda sozinha, eu mandei ela me chupar no lugar da Lúcia e a Lúcia chupá-la, então formou-se essa orgia deliciosa que durou cerca de uma hora, pareceram séculos de puro prazer, com sexo lésbico, incesto, pedofilia, suspiros e urros de prazer daqueles anjinhos que me serviram super bem, trocamos algumas vezes de posição deixando o Gustavo foder cada bucetinha, cada cu e cada boca, eu chupei o pau dele de novo depois de ele ter fodido minha filha, e chupei cada uma, a Duda, enquanto a Paloma me chupava, a Paloma enquanto minha filha me chupava e minha filha enquanto o Gustavo me fodia…essa delícia durou até eu gozar enquanto chupava minha filha e o Gustavo fodia meu cu por iniciativa dele, quando ele viu aquele cu, naquela bunda, bem depiladinho e da cor da minha pele, não deve ter resistido, gozei, mas continuei chupando minha filha, engolindo sua buceta até ela gozar, quando aconteceu, ela caiu sobre mim, o Gustavo começou um 69 com ela em cima de mim, assistir aquilo tão de perto com a Duda e a Paloma transando do lado, foi indescritivelmente prazeroso…

Obrigado por ler, deixem suas opiniões nos comentários que eu sempre passo para lê-los! Beijos! Amo vocês, meus leitores!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,67 de 3 votos)
Loading...