Minha Doce sobrinha Laura – pt 1

Autor

Um dia eu estava em casa e recebi uma ligação da minha mãe, ela me disse que minha irmã tinha se separado do marido e que precisava deixar minha sobrinha na casa de alguém por uma semana, para poder resolver a vida, procurar casa pra morar e todas essas coisas burocráticas de relacionamentos falhos.
O ex-marido da minha irmã era um babaca, machista, se sentia no direito de pegar todas e bateu na minha irmã quando descobriu que ela tinha dado um beijo em um cara, desde então o casamento desandou.
Fazia anos que eu não via minha irmã e muito menos minha sobrinha, nunca fui de me socializar muito, meu negocio era dar minhas aulas (sou professor) e jogar meu video-game, nem namorar eu namorava…já estava quase 2 anos sem sexo, mas dessa vez não tive saída.
– Gabriel, sua irmã não tem onde deixar a Laura, vc tem que ficar com ela ai porque é o unico que mora sozinho. – Disse minha mãe sobre minha sobrinha.
Não tive como negar, aceitei…já dava aula para crianças mesmo, então não custava nada, na pior das hipóteses eu poderia leva-la comigo para a escola e apresentar para as meninas (ou não, são tudo má influência, já peguei até uma chupando o pinto do amigo no banheiro…)
Bom até ai tudo bem, mas chegou o dia que minha irmã chegaria lá…
Eu escutei o barulho da chave e sabia que era minha mãe, ela tem minha chave para emergências, então ela entrou me chamando “GABRIEL, GABRIEL”
Eu então respondi e desci as escadas da casa para receber minha irmã, quando cheguei na sala estava minha irmã sorridente, mas não vi Laura.
– Olá maninha, quanto tempo. – Eu disse sorridente. Ela me abraçou e apertou minha bunda, como sempre fez.
– Continua gostoso Garoto. – Disse ela pra mim.
– Cadê Laura, você não ia traze-la?
– Ela está na cozinha bebendo água….Aí está ela.
Quando me virei, me deparei com uma garota extremamente LINDA, na hora eu fiquei encantado com a beleza daquela menina, era branquinha, baixinha de olhos expressivos e negros, cabelos negros e uma boca linda, ainda tinha peitinhos crescendo, não vou revelar a idade assim, mas dava cadeia.
Eu fiquei em silêncio por um tempo, mas não tinha maldade, era só uma admiração a beleza dela.
Mesmo como professor, e sou um professor novo (me formei com 20 anos) nunca tinha visto tamanha beleza em uma menina tão nova.
– Abraça o tio Laura. – Disse minha mãe, mas ela ficou parada se negando com vergonha.
– Deixa a menina, é assim mesmo. – Disse eu. – Daqui a pouco ela se solta.
Então papo fluiu, mas minha irmã teve que ir, ela deu recomendações para Laura do tipo “obedeça seu tio” e eu as levei até a porta, minha irmã novamente me abraçou e disse no meu ouvido sem minha mãe perceber:
– Não vai fazer safadeza com a minha filha como a gente fazia quando criança.
– Você que abusava de mim, sua safada. – Respondi em tom de brincadeira.
Talvez se minha irmã não tivesse me dito isso, meu pau não saltaria na bermuda naquele momento.
Então elas se foram e eu bati a porta…
– Laura, vem cá.
– Oi Tio.
– O que que você gosta de fazer?
– Ver TV, desenhos e cozinhar.
– Otimo, o titio gosta de cozinhar também, qualquer hora vamos fazer isso.
A menina passou o dia vendo TV e jogando meu video-game, demos boas risadas com filmes de comédia e então passou um filme de comédia que falava de espiritos, satirizando o filme atividade paranormal, o nome do filme era INATIVIDADE paranormal.
Demos boas risadas, mas eu via que quando se falava de Sexo ela ficava constrangida. “claro, ela é muito criança, não sabe o que é” pensei!
Então chegou a hora de dormi, coloquei ela na cama e eu fui dormir em um colchão, mesmo minha cama sendo de casal, queria que a menina tivesse privacidade e conforto.
Então ela foi para o banheiro se trocar e quando ela saiu, eu vi algo que eu nunca esperei.
Ela estava com um Baby doll rosinha, era um shortinho largo de tecido mole e uma camiseta de alcinha até a metade da barriga, mas a camiseta era larga e os biquinhos do peito dela ficava quase aparecendo, as aurelas eram grandes e macias, eu quase pude sentir o gosto…
Não sei se foi o tesão de 2 anos se fuder ninguém, ou se foi por minha irmã ter falado aquilo. Eu me virei e fui dormir, o ar-condicionado gelado fazia frio e eu me cobri, certifiquei que ela estava coberta e me virei tentando dormir, mas eu fiquei pensando em tudo, na risada linda dela, no quanto ela era linda, no que minha irmã disse e na cena dela saindo do banheiro…Meu pau tava babando tanto que eu sentia minha samba canção (que era a unica coisa que eu vestia) se molhando toda.
Eu segurei ele e dei duas apertadas gostosas, dei uma suspirada mas evitei porque a moral batia na porta da minha mente, eu não podia pensar nisso.
Por volta das 1 da manhã, eu já tinha conseguido cochilar, então senti alguém entrando me baixo do meu edredon, era Laura.
– Oi Laura, o que foi. – Perguntei antes dela sair de baixo.
Ela saiu debaixo do edredon e seu rosto ficou a um palmo do meu e ela disse:
– To com medo, Tio Gabriel. – Perdi noção do tempo olhando dentro daqueles olhos e vendo aqueles lábios lindos.
– Medo de que gatinha?
– Medo de espirito me pegar. – Criança se assusta com qualquer coisa.
– Quer dormir com o tio? – Ela só balançou a cabeça. – tudo bem, pode ficar ai.
Ela me abraçou e eu fechei os olhos, meu pau foi ficando mais duro, mais duro, e eu abri os olhos depois de um minuto, ela estava me olhando, olhando minha boca, meu rosto.
– Que foi Laurinha? – Perguntei.
– Nada tio, eu nunca vi barba, a sua é bonita, posso passar a mão?
– Pode. – Então ela colocou aquela mãozinha no meu rosto e alisou meu rosto, tenho certeza que suspirei e escorreu um pré-gozo do meu pau. Mas eu estava em desespero moral.
– Vem, vamos pra cama pq lá tem mais espaço, assim a gente pode ficar mais a vontade. – Pensei que assim poderia me livrar dela e livrar meu pensamento disso tudo.
Fui pra cama, me deitei e virei de costas pra ela, mas ela me abraçou por trás, jogou a perna sobre mim e então eu pude sentir seus peitinhos nas minhas costas, QUE DELICIA, eu fiquei doido, apertei meu pau sem ela ver, quase toquei uma, mas fiquei com medo, ela dormiu e eu ali de PAU DURO, já quase 3 da manhã, ela se virou e eu não senti mais seu corpo, senti a cama leve e tive medo dela ter levantado sozinha, e por não conhecer a casa cair da escada.
Foi então que coloquei a mão para trás sem olhar, minha mão foi direto na bucetinha dela, por baixo do shortinha largo, eu senti meus dedos entre os lábios da buceta dela, fiquei ali por três segundos sem entender o que era, então meu pau percebeu e novamente quase gozei, só dei uma apertada nele e soltei um suspiro.
Então me virei de volta e tentei dormir, de pau duro mesmo, caí no sono.
No outro dia acordei e ela já tinha levantado, fui até o banheiro e vi que já tinha até tomado banho, me lavei, escovei os dentes e fui pra sala, quando cheguei lá, ela estava de cabelos molhados sentada assistindo desenho, então ela olhou e sorriu.
Vi que meu pau não tinha esquecido dela.
Quando olhei mais atentamente tive outra surpresa, os cabelos molhados dela deixavam a camisola transparente, e eu podia ver os biquinhos do peito dela, eram rosinhas e grandes, já estavam como uma pera… fui a loucura, e fiquei doido brigando com minha moral.
Sentei no sofá, esperei ela se distrair e dei uma apertada no meu caralho, pra ver se ele relaxava…Contive o suspiro.
Ela ficava rindo dos desenhos e então se levantou e pegou uma caixinha de suco para beber, quando voltou, ao invés de sentar no sofá, ela sentou no meu colo, eu fiz até um “UI” de susto…
Meu pau não tinha amolecido. ela sentou como se não fosse nada. E então ficou assistindo o desenho, eu não aguentava mais, segurava a cintura dela, olhava pro teto, pedia a Deus pra tirar esse pensamento da minha cabeça, foi então que eu senti que tava tudo perdido, ela deu duas reboladinhas enquanto eu segurava a cintura dela, não contive o prazer :
Ela olhou pra trás e disse.
– QUe isso tio?
– o que Laura?
– Esse negocio duro na minha bunda?
– Não é nada. – eu disse, mas ela riu saca e respondeu.
– É sim, meu pai sempre me colocava no colo dele e me fazia mexer segurando na minha cintura. – Eu quase caí para trás, meu cunhado fazia putaria com a Laura. – Mas ele falava umas coisas estranhas e fazia uns sons estranhos, depois minha bunda ficava toda “suada”.
– é mesmo? – Queria encerrar o assunto.
– É, era assim ó. – Ela começou a rebolar e olhar pra minha cara, eu mordia o lábio enquanto segurava a cintura dela. – ISSO TIO, ISSO… Ele fazia assim.
– Mas pode parar, não pode fazer isso.
– MAS EU GOSSSSTOOOO. – Eu fiquei maluco, foi quando eu perdi a noção.
– Vira de frente então Laura, senta de frente. – Ela virou, colocou uma perna em cada lado e encaixou a bucetinha no meu pau. – Agora rebola.
Eu evitava gemer, evitava tudo, mas tava muito gostoso, muito.
agarrei aquela bundinha maravilhosa e pressionei no meu pau, ela mordeu a boca e fez um barulho de prazer, eu pensei ” MEU DEUS, ELA JÁ GOSTA” ai continuei, abracei ela pela cintura e então chupei o pescoço dela, ela se entregou completamente e só rebolava…
Então eu novamente tive uma crise moral e me levantei.
– NÃO TIO!!! TEM QUE SUAR NA MINHA PERNA. – dizia ela.
– Não Laura, agora não.
– Mais tarde??
Fiquei em silêncio, fizemos outras coisas para nos distrair, mas a noite caiu e veio a hora de dormir.
Ela colocou outro pijama, mas esse era só a camisa, ela ficou de calcinha de pano, não aguentava mais, meu pau ia explodir.
deitei na cama e ela veio logo se aconchegar em mim, foi então que ela ficou de conchinha e meu pau ficou na bundinha dela. Ela parecia saber o que era, empinava a bunda e encostava no meu pau.
E eu dizia
mas o tesão era de mais, quando me vi já estava chupando o pescoço dela, ela suspirava e então se virou.
– que sensação é essa Tio? – Perguntou ela.
– teu pai nao fazia assim?
– Não, ele só fazia aquilo no sofá na hora do futebol. – Aquele filho da puta escroto.
– Quer que eu pare? – Ela virou de frente e então disse a dois dedos da minha cara.
– Não, ta gostoso.
Eu não aguentei, cheguei perto da boquinha dela e dei um beijo de lingua gostoso, ela resistiu mas depois gostou, minha lingua invadia a boca dela e meu pau já estava pra fora da cueca…
Eu peguei a mãozinha dela e perguntei.
SIM – Foi ela dizendo…Foi então que levei a mão dela até meu pau, coloquei e ela soltou um risinho, mas deu um apertão, a safadinha já sentia muito tesão.
Ela tocava uma punheta gostosa pra mim, então sem eu perceber ela tirou o edredom e olhou pro meu pau.
– NOSSA TIO, QUE COISA QUENTE E ESTRANHA.
– É pra mulher se divertir.
– COMO?
– Pode colocar na boca Laura, só colocar na boca e chupar igual um pirulito.
então ela baixou e colocou ele na boca.
– É meio salgado.
E continuou fazendo olhando pra mim, aquela boquinha Linda, chupando meu caralho todo, ela engolia minha vara até a metade, era incrível, eu já tinha perdido a noção de tudo.
Segurava no cabelo dela e fazia ela subir e descer na minha rola, ela engasgava aos poucos mas gostava, eu ria de prazer e felicidade, aquela menina linda, maravilhosa, mamando minha rola, aquilo era lindo…já não ligava pra moral, ela já tinha idade pra saber certo e errado (eu acho)
Então ela começou a se empolgar, eu fui ficando com mais tesão e então.
Segurei a cabeça dela e gozei na cara dela, não na b oca, ela se assustou, mas ria, eu gozava litros e litros de porra, as vzs entrava na boca, as vzs ela cospia, as vzs engolia, a cara toda melada.0:21
Gozei muito… foi então que ela riu e eu ri tbm
: coloquei ela no banheiro e comecei a dar banho nela, passei sabão no corpo todinho.Quando eu passava sabão na bucetinha dela ela Ria, e eu sem perceber fiquei de pau duro de novo, ela já segurou e sem avisar colocou na boca, já estava gostando da coisa.
Eu soquei o pau na boca dela algumas vezes, mas queria levar ela pro quarto de novo.
Então a levei e deitei-a na cama e sem eu forçar ela mesma me puxou para cima dela e me beijou, mas dessa vez foi algo apaixonado.
Ela chupava minha lingua, colocava a dela na minha boca, eu então finalmente fui descendo e lambi os peitinhos dela, labi, chupei, apertei, me deliciei todo…me arrependi de não ter gozado nesses peitinhos.
Então desci mais e beijei as coxas, a bucetinha e então finalmente dei uma boa chupada nela, passava a lingua no clitoris dela, eu aprendi a fazer sexo oral na minha irmã, e agora fazia na filha dela… era maravilhoso.
Eu chupava com vontade, sem machucar ela, claro.
Fiz ela ficar doidinha, e me impressionei quando ela se contorceu e senti aquele liquido viscoso na minha lingua, QUE COISA MARAVILHOSA, fiz a Laura gozar…
Ela gozou muito e então parecia que tinha desmaiado, eu fiquei assustado, mas logo ela voltou rindo e saltitando.
– TIOOOOO QUE COISA GOSTOSSSSSAAA!!! – E me abraçou, fiquei doido, meu pau ainda muito duro.
– Quando quiser mais, me fala.
– AGORA!!! QUERO DE NOVO! – Disse ela, eu segurei meu pau e sacudi de prazer.
– Tá, mas agora eu vou colocar isso aqui em você. – E sacudi a pica, ela apenas riu e deitou.
Eu fui em cima dela, já tinha pego o KY na gaveta, passei na minha piróca toda, lambi mais a bucetinha dela, coloquei Ky no dedo e enfiei o dedo dentro da buceta dela.com todo cuidado, senti o cabaço da Laura, ela não reclamou, enfiei mais o dedo, ela não reclamou e então senti o cabaço se desfazer e ela nem ligou, fiquei feliz.
Me levantei e me posicionei em cima dela, lambuzei mais meu pau com KY, segurei ele na base e então fui enfiando, a cabeça, ela franziu o rosto eu parei, então empurrei mais e ela franziu de novo, ela segurou meus braços e apertou, eu fui empurrando, empurrando e quando parei ela segurou meus braços e me puxava, era como se ela quisesse tudo, para minha surpresa ela aguentou tudo.
Soltou un suspiro e eu tbm.
Então esperei ela se acostumar, ela olhou nos meus olhos e gemeu, sorriu e eu comecei a me movimentar, ela estava aguentando, foi então que intensifiquei os movimentos, ela aguentava tudo, aguentava e gemia, eu estava impressionado.
Então eu socava com vontade e ela gemia dentro da minha boca, eu já estava maluco, foi então ela fechou os olhinhos e começou a gemer alto, eu parei.
— Não tio, isso é muito gostoso. – E então voltei a socar. – Não para não.
Meu pau entrava e saía com força, ela amava…Eu já estava quase gozando, foi então que ela disse:
– TIO, faz que nem meu pai faz na minah mãe.
– Como?
– Ela fica assim, Ó! – E ela ficou de quatro e empinou a bunda, eu não aguentei, dei uma pincelada e aquela bucetinha foi engolindo meu pau todo.
então fiz ela mexer na bucetinha, ela ficou maluca, rebolava, mexia na buceta, gritava, mordia o travesseiro, foi quando eu coloquei o dedão no cuzinho dela e começou a piscar, piscar e piscar.
Meu pau ficou duro e eu senti ela gozando.
Foi então que aumentei minhas estocadas e gozei lá dentro
Abaixei com ela ainda de quatro, lambi minha porra que escorria e então lambi o cuzinho dela, ela deu um sorriso, eu sabia que ia comer aquele cu uma Hora
foi assim que começou a semana mais gostosa da minha vida
comendo a Laura, minha gostosa

Quem quiser falar comigo para brincarmos de tio e sobrinha, mando video meu…ou pedir continuação, me manda um email contodasobrinha@gmail.com
e mantenho atualizado os contos no Casa dos contos eróticos