,

Mariana, Marilia e Marcos

13-05-17 Por 3 ★ 3.50

Esse conto é verdadeiro, realmente aconteceu, nunca esqueci desses fatos, hj moro a 230km desta cidade, hj tenhu 32 anos.
Meu nome é Rafael, ficticio, quando eu tinha uns 12 anos morava numa pequena cidade do interior. Cidade de interior antigamente não tinha muro de uma casa para outra era cerca, como eu tinha 12anos, eu sou branco, cabelos castanhos claros, na época era magro e alto, nada atletico, passava da minha casa para a da vizinha sem maiores problemas. A vizinha la de casa morena bem clara, tinha uns 16anos (Mariana) , sua mãe trabalhava, ela fica sozinha o dia todo com dois irmaos, um menino de 11 anos(Marcos) e uma menina de 12 anos(Marilia) – usarei nomes ficticios. O pai dela assim como o meu era vaqueiro, passava vários dias tocando a boiada estrada a fora.
Assim, a Mariana sempre me chamava para eu ir brincar com o Marcos, era uma rotina, uma amizade desde infância, minha mãe não gostava muito que fosse, mas como tinha muita amizade com Marcos sempre ía, até porque estudavamos na mesma sala. Observação: Nos quatro além de vizinhos, estudavamos na mesma Escola, pela manhã, a tarde era fazer o dever de casa e brincar.
No começo a intenção da Mariana na minha ída era fica livre do Marcos, e as duas ficarem zoando conosco ou vendo novelas ou revistas.
Certo dia, a Marilia me chamou Rafael venha cá, como sempre fazia. Então, pedi a minha mãe, como sempre minha mãe não demore lá, então eu ía, passava pela cerca.
Neste dia foi diferente, quando estava brincando com Marcos, vi as duas nos olhando e rindo, quando aproximei e perguntei o que elas estavem vendo, a Marilia – É nada não.
Rafael – É sim, se não me mostra vou dizer pra sua mãe.
Marilia – Tá bom, mostramos, mas será um segredo nosso.
Então o Marcos, tambem se aproximou e quis ver tambem, o segredo passou agora a ser dos quatro, juramos nunca dizer nada a ninguém.
Elas nos mostrou uma revista de mulheres peladas, nessas revistas, tinha chupadas, boguetes, e outras coisas mais.
Nesse instante, mesmo tendo pinto pequeno, ele ficou duro. Eu fiquei sem saber o que fazer, elas começaram a rir e eu sai correndo para casa.
No outro dia, quando cheguei em casa da aula, a Mariana me chamou como sempre, o Marcos ja tinha me falo que ela queria falar comigo na Escola, e eu passei a manhã toda a evitando. Mas, depois do almoço não deu, Ela me chamou, e eu acabei indo, até porque queria ver aquelas fotos de novo.
Ao chegar la logo ela estava sozinha em casa, o Marcos e a Marilia tinham ido a padaria comprar um lanche, ao entrar ela veio me interrogando. Mariana – vc contou a sua mãe o que viu aqui ontem?
Rafael – Não. Prometi que não contaria e não contei a ninguem.
Mariana – ela percebeu que vc saiu daqui de pinto duro? Fiquei com vergonha, mas respondi.
Rafael – Não, eu disfraçei, fiquei na varanda até passar.
Nisso chegaram a Marilia e o Marcos. Mariana – como vc não contou nada a ninguem, vamos te colocar numa brincadeira nossa, mas vc não vai contar nada a ninguem e vai fazer tudo o que eu mandar, ta dentro ou ta fora?
Rafael – tou dentro.
Sem eu esperar ela tirou a blusa, fiquei em extase, numa tinha visto uns peitinhos, assim na minha frente, ainda por cima sem o sutiã. Eu inocente e abestado, ali parado. Meu pau logo levantou, então ela pegou minha mão e pôs no peito dela. Mariana – pode alisar, beijar ninguem vai saber, só nos quatro. De pronto fiz o que ela mandou, começei a beijar, alisar, uns seios morenos, bicos, medianos, lindos, umas areolas lindas, tamanho laranjinha, deslumbrantes. Quando menos espero, a Marilia tambem tira, foi demais para mim, tamanho cerejas, ainda nascendo, dessa fez não esperei mandar eu pegar, já fui pegando, e beijando, enquando alisava a Marilia, o Marcos alisava a Mariana, depois nos trocamos.
Então, a Mariana pediu para mim descer o short, fiquei meio sem jeito, mas tinhamos um acordo e não iria descumprir, e prontamente fiz, meio incabulado, mas fiz, era a primeira vez, que ficava pelada para uma garota, nisso o Marcos tambem ficou, então veio a parte mais gostosa, a Mariana começou a chupar meu pau, foi um momento de extase, medo, receio e vergonha, mas ela estava fazendo como na revista. e estava adorando a brincadeira, nisso a Marilia foi fazer boquete no Marcos, depois de algum tempo elas inverteram, certo momento, saiu de mim algo que nunca tinha visto, pois nunca havia batido nem punha, um liquido, nao era jatos não, era algo bem menor, mas que me deixou relaxado, meio zem, e com muita felicidade. Quando pensei que a minha felicidade já tava completa, a Mariana se deita na cama, e exige que chupe a xota dela, ela tira a roupa, fica totalmente nua, fiquei morto de tesão, naõ sabia o que fazer, ela sabia tudo e mais um pouco, e foi me ensinando o que fazer e como fazer, fui chupando, chupando, ela gemendo, gemendo, os outros só olhando, eles tambem nun tinha feito antes, ela puxava os lencois como uma louca, ela ia ao deliria quando chupava o grelo, fazia dele um canudinho, aquela buceta morena, peludinha, pelos ralinhos, toda vermelhinha por dentro, me deu muito tesão, no começo foi um misto de tesão e nojo, depois esqueci o nojo, e chupava com prazer, a Mariana gozou, tivemos que parar, tava perto da mãe deles chegar, fui pra casa, cheio de tesão, neste dia não houve sexo, só chupadas, mas foi um momento único e maravilhoso, que continuo em outros dias, que depois irei contar.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 2 votos)

Por ,

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Rafael Eros

    Esse fato é verdadeiro e real, realmente aconteceu, hj postarei a parte II

  2. Pica gostosa20

    Parabéns pelo conto

  3. Rafaella

    Que delicia de conto.. parabens..