Iniciação com o meu primo gostoso (Parte I)

Há 1 ano 4 ★ 0.00

Bom, a minha primeira vez aconteceu a 10 anos atrás, com o meu primo. Eu me chamo Ricardo Bruno, tenho a pele parda/negro claro, 1,70 cm de altura, olhos negros e cabelo crespo. Na época em que isso aconteceu eu tinha 14 anos, faltava 3 meses para eu fazer 15, era São João.

Estávamos toda a família reunida na fazenda que ficava longe da cidade, festejamos, curtimos, rimos e brincamos muito. Já tinha passado 3 dias seguidos só de festas na fazenda (sim, minha família adora uma festa). Na tarde do terceiro dia, a festa já tinha acabado e todos já estavam se preparando para ir para casa.

Porém, todos começaram a discutir pacificamente quem iria dormir na casa de quem, pois tinha muitos familiares de outros lugares que não tinham lugares para dormir.

A fazenda era do meu tio Diego, e quem morava lá era apenas o Diego, e o seu filho mais velho, Miguel, que tinha na época 18 anos, pele caucasiana, não muito alto, 1,80 cm, e musculoso. Depois de uma longa discussão, chegamos em um acordo. Eu ofereci meu quarto na cidade, que tinha uma cama de casal e uma beliche, para os familiares dormirem e me ofereci para dormir na fazenda com o tio Diego e o primo Miguel. Todos concordaram e assim, foi. Todos saíram da fazenda, até o tio Diego, que disse que ainda tinha umas coisas para fazer na cidade.

Ficamos sozinhos na fazenda, eu e o Miguel. Ainda era 15:00 hrs e só escurecia às 18:00 hrs, então concluímos que tínhamos muito tempo para fazer o que quiser adentro à roça. Saímos da casa e fomos colher manga, brincamos, corremos, comemos e em uma dessas brincadeiras o Miguel acabou passando a mão pela minha bunda, sobre o short azul que destacava a minha cueca branca e a minha bundinha (aqueles levinhos que os jogadores de futebol usam). Ele disse-me que foi sem querer, e eu acreditei. Depois fomos ver os cavalos, alisamos eles, e escovamos seus pelos.

Voltamos para a casa, já era 16:00 horas e daqui a pouco o tio Diego iria voltar e ele odeia quando a gente fica sujo pra ele. O Miguel resolveu tomar banho e me chamou para fazer o mesmo, eu fui. Adentramos o banheiro da casa mas o chuveiro estava quebrado. Então fomos para o chuveirão que ficava do lado de fora da casa, eu estava apenas com uma toalha branca cobrindo o meu quadril e as minhas partes, estava sem cueca e sem o short por baixo. Meu primo também estava assim, quando eu vi ele de toalha eu quase delirei de tesão.

Na verdade eu tinha um desejo sexual secreto para com o meu primo, eu ja bati punheta diversas vezes pensando como seria usurfruir daquele corpo, aqueles braços e peitoral malhado, e já imaginei muito ser arrombado pela aquela piroca, que eu nunca vi mas presumi ser enorme.

Liguei a torneira, e o ruim do chuveiro do fundo é que você tem que esperar 15 minutos para que a água começasse a cair, e foi o que fizemos. Ele pegou a única cadeira que tinha por ali e sentou, com as pernas largadas e um pouco abertas. Eu fiquei apoiado em uma pilastra que ficava na frente da cadeira onde ele estava sentado, à uns dois metros do mesmo, admirando a paisagem da fazenda. Ele levantou a cabeça para o teto com os olhos fechados e começou a cantar uma música de Bon Jovi. Ao ouvir seu péssimo canto eu me virei para ele e me deparei com uma situação que me fez perder o fôlego, suas bolas estavam penduradas no ar, balançando lentamente, bolas inchadas, ensosas, bolas grandes e deliciosamente bonitas. De repente, ele abre os olhos e me pega vendo suas partes, imediatamente eu disfarcei e comecei a olhar para um quadro que estava atrás dele.

Passou-se 6 minutos e eu, ainda com a cena do saco em minha cabeça, ainda admirava a paisagem da fazenda. De repente sinto uma mão pegar no meu membro que estava um pouco duro, e sinto ele respirar em meu ouvido.

– Seu amiguinho está acordando não? – Disse ele ofegante.

Imediatamente senti o seu pênis ainda debaixo da toalha relar em minha nádegas que também estavam cobertas. Para não perder o controle e a minha aparência heterossexual, mandei ele se afastar e disse que não era viado. Ele apenas se afastou e sentou-se novamente.

– Então quer dizer que você não quer isso?

Ao ouvir ele dizer isso, me virei curioso e vi a sua toalha no chão, e em sua mão estava a piroca mais bonita que eu já vi na vida, cabeça rosa, 24 centímetros, veias pulsantes, me fizeram delirar. Ele me chamou com os dedos e perguntou se eu não estava afim de bater pra ele:

– Quer bater uma pra mim, priminho? – Disse ele fazendo movimentos de sobe e desce bem lentos.

– Ei, não, eu não sou viado não!

– Vem cá, ninguém vai saber disso. E eu sei que você quer muito.

Minha mente retrucou mas meu corpo cedeu, fui me aproximando aos poucos dele e me ajoelhei, leve minha mão ao seu pau que estava pulsando e deliciosamente quente. Comecei a bater com movimentos leves de vai e vem, quando, de repente, ele me fez um pedido que me colocou em uma situação indecisa:

– Bota a boca, bota! – Disse ele ofegante e olhando para cima com os olhos fechados.

Obedeci, passei a língua pela cabeça do seu pauzão, depois passei-a pelo corpo do membro e finalmente abocanhei aquele monstro delicioso. Fui fazendo movimentos de vai e vem lentos que começaram a ficar rápidos. Eu só ouvia ele delirando de prazer, tirei a boca e dei uma cuspada maravilhosa que cobriu todo o seu pau com saliva, aboncanhei novamente, e me arriscando tentei colocar toda o pau na boca, mas faltou 5 centímetros para fazer isso, antes de me engasgar. Voltei a chupar com mais voracidade, dei outra cuspada e finalmente consegui fazer uma garganta profunda perfeita, o que aumentou e muito o tesão dele. Ele segurou o meu cabelo com as duas mãos, puxando o mesmo e me deixou parado, cuspiu em minha cara e começou a foder a minha boca, o que me fez engasgar várias vezes. Ele me deu um tapa na cara o que marcou, e voltou a fuder a minha boca. Ele parou e me levantou, me colocou em seu colo e me deu um beijo de língua maravilhoso, o que selou nosso elo entre primos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    [email protected] sou novim

  2. Gostoso João

    Delícia de conto, queria ter um primo assim para fazer o mesmo comigo ? Bati aquela punheta só imaginando tudo e gozei bem gostoso ❤️

    • Tony

      Mandem contato

  3. DOM ORPHEU

    bom conto, pelo que vi alem de vc virar putinha dele ele ainda te dominou e usou como bem quis continue