A brincadeira ficou séria

Autor

Olá pessoal! A história que vou contar não é minha. Alguém me mandou e achei interessante. Porém não sei se é real ou fictícia. E ele ainda não me mandou o final, mas ai vai…
Na época do ocorrido eu tinha 13 anos e minha irmã 12 anos. Éramos muito próximos e brincávamos sempre juntos. Brincávamos sempre em casa, mas naquele dia estávamos em um campinho próximo. Jogávamos bola e nos divertíamos muito quando chegou um garoto. Ele devia ter a mesma idade que eu ou um pouco mais velho. Seu nome era André. Ele foi entrando na brincadeira de mansinho e quando demos conta já estávamos rindo e correndo juntos como se já nos conhecêssemos a muito tempo. Quando cansamos de correr atrás da bola sentamos à sombra de um muro e ficamos conversando. Foi quando ele comentou que a casa atrás do muro onde estávamos sentados estava abandonada e que ele já tinha entrado lá para brincar com alguns amigos. E nos convidou pra entrarmos lá. Fiquei meio desconfiado, mas minha irmã parecia interessada então concordei. Pulamos o muro e entramos. Uma das portas estava apenas encostada e dava acesso à sala da casa. Estava tudo vazio e empoeirado, então caminhamos atrás do André até um dos quartos. O quarto estava iluminado pela luz que entrava por algumas frestas da janela quebrada. Havia um sofá velho e alguns papelões no canto da parede. André pulava no sofá, ria e nós entramos no clima… Então ele se jogou no sofá e disse que vinha sempre ali com uma prima e uma colega da prima. Minha irmã quis saber oque ficavam fazendo ali. André deu um sorriso maroto e falou que brincavam de namorar. Ficamos curiosos pra saber como era e ele disse que ficavam nus e faziam algumas coisas diferentes. E de um salto se pôs de pé e disse: _Vamos brincar de namorar? Olhei pra minha irmã e ela sorria como se estivesse a fim. Fiquei meio encabulado mais excitado com a ideia. André já tinha tirado a camiseta e então baixou o short e ficou só de cueca. Já dava pra ver pelo volume que ele estava de pau duro. Então ele me desafiou: _ Você não vai tirar? Tá com vergonha? Não quis parecer medroso então fiz o mesmo tirando a camiseta e o calção. Eu também estava de pau duro. Imaginava mil coisas e não conseguia tirar os olhos do André. Percebi que ele olhava pra minha irmã e sorria. E quando me virei vi que ela tinha tirado o shortinho e ficado só de calcinha. Ele era novinha, mas já tinha peitinhos salientes que pareciam estar mais agudos por baixo da blusinha que ela usava. André falou pra ela: E você? Não vai tirar a blusa? Pensei em não deixar e levar minha irmã embora, mas eu também queria ver. Minha irmã sorriu e começou a puxar a blusa pra cima. Vi sua barriguinha sendo descoberta e aos poucos os peitinhos saltaram. Eram pequeninos mais seus biquinhos estavam durinhos e apontando pra nós. Nunca tinha visto e tive vontade de por a mão. Ela perguntou: _ Oque a gente faz agora? André não disse nada e chegou pertinho de mim. Eu não era inocente. Sabia bem oque estava rolando. E pra minha surpresa minha irmã também parecia bem à vontade. Senti André encostar o pau na minha perna e passar a mão na minha bundinha. Ele começou a puxar minha cueca pra baixo e meu pau duro saltou pra fora… O tesão era grande e não esbocei nenhuma reação. Minha irmã olhava curiosa, então André a chamou pra perto. Ela veio sem vacilar. André passou a mão pelos peitinhos dela. Minha irmã parecia estar gostando. Então ele me pediu para baixar a calcinha dela. Me abaixei e puxei a calcinha para baixo, minha irmã ajudou a tirá-la por completo. Olhei a bocetinha dela. Que linda. Já tinha visto minha irmã nua, mas quando ela era bem pequena. Agora estava diferente… Mais inchadinha, carnuda e a rachinha pequenina e fechadinha. Enquanto eu baixava a calcinha da minha irmã André tratou de tirar sua cueca. Seu pinto era um pouco maior que o meu mas bem mais grosso. Já tinha muito pelo também. Achei muito bonito… Então ele veio por trás de mim e ficou esfregando o pau na minha bundinha… Apesar de gostar eu me afastei. Então ele pediu pra minha irmã deitar de bruços no sofá e erguer a bundinha. Minha irmã estava se saindo uma verdadeira putinha, pois obedeceu sem reclamar. Do jeito que ela ficou dava pra ver toda a bocetinha dela. André salivou a mão e passou na cabeça do seu pinto. Chegou por trás dela e encostou-se à xaninha da minha irmã. Percebi que ela deu uma mexidinha, como que querendo mais. André começou a forçar o pau pra dentro então ela reclamou que estava doendo. Falei pra ele não machucar minha irmã e ir devagar pois seu pinto era grande e grosso. Então André disse_ Então vem você, seu pinto é mais fino que o meu. Olhei pra minha irmã e ela sorriu. Entendi que ela queria. Então me posicionei atrás dela. Meu pau estava durinho. André cuspiu na mão e esfregou no meu pino. Então me encostei à bocetinha da minha irmã e senti como estava quentinha e meio lambuzada pelo André. Então forcei e meu pinto entrou gostoso. Ela gemeu um pouco mas não reclamou de dor. Ela parecia já saber oque fazer. Mexeu o bumbum e se ajeitou. Então André segurou meu quadril e empurrava pra frente e puxava pra trás. Estava muito gostoso e minha irmãzinha gemia de tesão. André então disse que faria algo pra me dar mais tesão… Encostou o pinto na minha bunda. Senti que ele já tinha salivado o cacete. Eu não estava mais raciocinando… Estava muito gostoso. Meter na bocetinha da minha irmã e sentir André forçando o pau no meu cuzinho. Parei um momento e esperei ele encaixar… André abriu minha bunda com uma das mãos e com a outra segurava o pinto direcionando no meu buraquinho que já estava todo melado de saliva. Quando encaixou ele segurou no meu quadril e empurrou. Senti aquele pinto grosso me abrindo. Doía, mas eu o queria todo. Deixei-o entrar até o fim. Que delicia. Meu pau latejando dentro da xaninha da minha irmã e André todinho atolado no meu rabo. Aquele trenzinho estava delicioso… Ficamos nos mexendo por um tempo… Sentia André ofegante perto do meu ouvido. Seu cacete era grosso. Meu cuzinho estava ardendo, mas não queria que parasse. Ele bombava gostoso. E no mesmo ritmo eu enfiava na bocetinha da minha irmã. Quando ouvimos um ruído na porta e para nosso espanto tinha um homem de pé na porta filmando tudo com seu celular. Fiquei parado com o pau na bocetinha da minha irmã. Nós dois olhávamos para o sujeito assustados. Mas André continuava a meter em mim. Foi quando o homem disse_ Mete forte nesse veadinho André. Eles se conheciam… Tentei sair mas André me segurou forte. O homem na porta continuou:_ Mete gostoso porque depois sou eu. André respondeu: _ Eles não te aguentam não. Mas o sujeito disse: _ Aguentam sim. A mocinha já é grandinha também… Então ele mandou minha irmã sair debaixo de mim e chegar perto dele… Ela estava assustada mas obedeceu… André não parava de me comer. Estava muito gostoso, mas fiquei com medo pela minha irmã. Ela ficou de pé em frente ao homem e ele começou a acariciar os peitinhos dela. Ele então abriu i zíper e baixou a calça. Vi o volume sob a cueca e me assustei. Quando ele tirou o pau pra fora não acreditei… Era enorme e grosso. Maior que o do André. O homem não parava de filmar. Então pegou a mão da minha irmã e colou no seu cacete, que estava duro e gigante. Ela punhetava ele devagar sem tirar os olhos daquele membro. Não sei se ela estava com medo ou fascinada. Então o homem, que aparentava uns 40 anos segurou a nuca dela e foi puxando ela pra perto da sua rola. Então disse: _Abre a boquinha que você vai mamar putinha. Minha irmã não teve como se soltar e abocanhou aquele cacete. Ele movimentava a cabeça dela na sua rola a ponto dela se engasgar as vezes. Senti que o André tinha gozado dentro do meu cuzinho e saiu. Seu pau já estava mole… Então o homem entregou o celular para o André e sentou no sofá. Puxou minha irmãzinha e a pôs sentada em seu colo. O pinto dele ficou entre as pernas dela e vi a bocetinha dela roçando no corpo daquele cacetão. Dava pra ver a cabeçona daquele cacete entre as perninhas da maninha. Ele me chamou pra perto e disse: _Vem mamar aqui veadinho gostoso… Estava com medo mas obedeci… Abocanhei aquela cabeçona e comecei a chupar… Minha boca estava pertinho da bocetinha da minha irmã… Ele gemia enquanto eu mamava e acariciava os peitinhos dela. Ele pediu para minha irmã sair. Então pude ver o cacete todo… Parecia ainda maior. Virou-me de costas e me puxou ao seu encontro… Fez-me apoiar com as mãos em meus joelhos e encostou a cabeçorra no meu cuzinho que ainda estava melado com a porra do André. Ele ficou brincando um pouco na entradinha e eu estava adorando… Mas ele segurou meu quadril e me fez sentar na rola dura de uma vez só… Aquele homem me arrombou o cu… Senti uma dor terrível… Pensei que ia desmaiar… Parecia que uma tora tinha sido enterrada no meu cu… As lagrimas estavam escorrendo do meu rosto. Fechei os olhos , o sujeito me segundo pela cintura me fazia subir e descer no seu cacete. Fechei meus olhos e esperei que terminasse…
Contatos: paulo_hz@yahoo.com.br