Novas Esperiencias

Autor

Meu nome é M..Tenho 34 anos, sou bonita e casada com um homem, que como eu, gosta muito de sexo e não tem tabus. Já realizamos diversas fantasias, algumas dele e outras minhas, mas para meu deleite, mesmo nas fantasias dele eu sou sempre a estrela do show. Certa vez, estávamos numa tarde de fim de semana assistindo um filme de vídeo. Meu marido sentado no sofá e eu deitada com a cabeça sobre suas pernas. Depois de algum tempo, comecei a sentir suas mãos acariciando meu rosto, descendo para meus seios, entrando por dentro da blusa para beliscar meus mamilos. Adoro a dorzinha que isso dá. Quando me dei por conta, estava de barriga para cima, com as pernas abertas e meu marido acariciando minha boceta, me deixando molhada. Estava já sem prestar atenção ao filme, só curtindo a sensação quando ele me perguntou se eu aceitaria fazer algo diferente. Perguntei o que era e ele me respondeu que era uma surpresa. Como nunca me arrependi de ceder às suas ideias, disse que sim. Ele então me pegou pela mão e me levou para o quarto, tirou minha roupa, me sentou na nossa cadeira erótica , me colocou uma venda, amarrou meus tornozelos nos apoios dos pés e depois disse que iria sair por uns momentos e que eu ficasse ali quietinha esperando por ele., Aquela situação estava me excitando, eu ali sozinha, nua, com as pernas escancaradas, minha boceta exposta, totalmente indefesa à mercê de uma situação que eu desconhecia. Fiquei na expectativa de, sem mais nem menos, sentir um membro grosso e duro, de outro homem, me penetrando. Isso estava me dando muito tesão, pois eu sabia que uma das fantasias dele era me entregar para outro homem. Ouço então ele dizer que já estava de volta e que ia me lamber. Realmente começo a sentir a boca dele em mim, me fazendo estremecer de prazer. Ele me lambia, chupava meu clitóris, mordia meus lábios vaginais, enfim, estava me proporcionando muito prazer. Depois de algum tempo, senti algo entrando em mim e me enchendo com algum líquido viscoso que inclusive foi depois espalhado pelas redondezas da minha boceta e anus. percebo que ele para de me lamber e começa a me beijar no rosto e me diz que a surpresa está chegando, me deixando com um tesão enorme. Estava pensando no que poderia estar para acontecer quando sinto uma língua diferente,, molhada e rápida me lambendo desde o anus até a boceta, num ritmo fora do normal. Perguntei o que estava se passando, quem estava me lambendo tão gostoso assim, foi quando ele tirou minha venda e pude ver a cabeça do rex, nosso pastor alemão, no meio das minhas pernas. Instintivamente, tentei fechar minhas pernas mas como meus tornozelos estavam presos, mesmo encostando os joelhos, minha boceta continuava sendo lambida. Depois de passado o espanto, recuperei a lembrança de como estava bom ser lambida dessa forma que abri novamente minhas pernas, talvez mais ainda do que antes, e fiquei me deliciando pela sensação que o rex me dava. A medida que eu era lambida, meu tesão aumentava, a cada toque daquela língua em meu clitóris, eu dava um pulo de prazer. Em pouco tempo, o liquido que meu marido havia espalhado em mim foi acabando mas o rex sentindo o cheiro, forçava a língua para buscar o que estava dentro de mim. Estava demais, eu sentia aquele nariz húmido e frio forçando a entrada da minha boceta e a língua me levando ao delírio. Não demorou muito comecei a gozar. Meu marido então me perguntou se eu queria mais, se eu queria ser comida como uma cadela. Do jeito que eu estava, o que queria mesmo era sentir um cacete dentro de mim, disse então que sim, que queria sentir o que uma cadela sente quando tem um macho dentro dela. Meu marido então me desamarrou e me disse para que eu me colocasse de quatro no chão. Não pensei duas vezes, assim fiz, abri bem as pernas e quase de imediato o rex veio fazer umas festinhas em minha boceta com aquela língua maravilhosa, não demorou muito senti que ele subia em cima de mim, me enlaçava pela cintura com as patas dianteiras e fazia movimentos de vai e vem tentando me penetrar, sentia as estocadas que batiam nas minhas pernas, só que não estava conseguindo. Meu marido então pediu para que eu abaixasse meu tronco e encostasse o rosto no chão para que minha bunda ficasse empinada e com isso facilitasse a penetração. Senti a principio a pontinha fina do penis dele me tocando até encontrar minha vagina quando então ele conseguiu me penetrar e numa só estocada senti tudo dentro de mim , achava eu. É uma sensação otima, sentir o peso do animal nas nossas costas, as patas nos apertando pela cintura e puxando de encontro à ele, um cacete entrando e saindo num ritmo frenético, e diferentemente do homem, entra fino e depois vai engrossando dentro de nós, e sem diminuir de velocidade. Imediatamente me veio mais um gozo, muito forte, muito bom. Ele ficou me bombando durante um bom tempo, gozei inúmeras vezes até que senti ele diminuir um pouco a velocidade dos movimentos e um calor que começou de dentro para fora da minha vagina, era o gozo dele que me inundava em quantidade que chegava a transbordar e escorrer pelas minhas pernas. Ele então saiu de dentro de mim e veio me lamber, eu estava tão sensível que não deixei, me virei para fazer carinho nele, acho que em retribuição pelo prazer inigualável que ele havia me dado, quando vi aquele cacete enorme que não sei como aguentei dentro de mim, balançando, não resisti e fui tocá-lo. Fiquei surpresa com a bola de tamanho considerável que ele tinha quase no final do penis, perguntei ao meu marido se eu havia levado com aquilo tudo ao que ele me respondeu que não, que havia impedido que ele metesse. Fiquei imaginando então que se havia sido tão bom sem aquela bola, imagine com ela. Me deu a louca e disse para meu marido: quero dar para o rex novamente mas desta vez, quero tudo, quero sentir esses 25 cm com bola e tudo dentro de mim! Você tem certeza? Perguntou ele. Sim, tenho e quero agora, estou com muito tesão ainda. Ele me disse que esperasse um pouco para que o penis do rex diminuísse de tamanho. Eu então me deitei no chão, dobrei meus joelhos e pedi ao meu marido que viesse me comer enquanto esperava, ele não se fez de rogado, se ajoelhou no chão em frente à minha boceta, me pegou pelas pernas e me puxou de encontro à ele, e pelo movimento de entra e sai, ia expulsando o semem que estava dentro de mim, fazendo-o escorrer pelo meu anus, foi delicioso. Ele me comeu por um bom tempo, me fez gozar novamente graças às bombadas fundas que me dava e as mordidas em meus mamilos. Mais uma vez senti um macho gozar em mim. À essa altura, nosso pastor já estava pronto para mim outra vez. Fiquei deitada no chão para descansar um pouco até que senti aquele nariz frio me cheirando e uma língua lambendo meu rosto, fiz carinho nele, abri minhas pernas e chamando atenção dele, dei umas palmadinhas em minha boceta para que ele fosse para lá, não deu outra, lá foi meu amante canino me deliciar, só que dessa vez, abri bem os lábios com meus dedos para que ele pudesse lamber bem fundo, queria muito, o tesão era demais. Chegou um momento que não aguentava mais, me coloquei de quatro e esperei que meu macho me cobrisse. Quando senti ele me montar, levei minha mão para traz para poder guiar seu cacete para dentro de mim. Logo logo senti a penetração, continuei segurando para sentir na mão o quanto estava entrando, percebi que a bola rapidamente chegou à um tamanho razoável, meu marido disse então para que eu soltasse pois ia crescer muito e se não metesse agora, ia ser difícil depois. Larguei e quase de imediato, senti a bola entrar, já um pouco grossa, me fez dar um pulo pois doeu um pouco. Mas depois de estar lá dentro, era uma delicia indescritível, sentia aquele caroço andando dentro de mim, sentia que a cada estocada, ficava maior, chegou um ponto que me doía um pouco mas o prazer se me sentir totalmente cheia, com as paredes da vagina esticadas, compensava. O ápice foi quando ele parou de bombar e me fez sentir além da quantidade de semem, aquela bola me arregaçando toda por dentro, parecia que ia me arrebentar. Gozei feito louca, gritei, chorei, cravei minhas unhas em meu marido. Foi o máximo! Como foi a primeira vez que fui comida por um cão fiquei com medo de deixar ele sair de dentro de mim e sentir dor, fiquei uns dez minutos, de quatro esperando que aquela enorme bola diminuísse. Agora eu já sei que não dói, inclusive é até gostoso quando sinto meus lábios vaginais sendo abertos para dar passagem ao nó . Depois dessa maratona, fui tomar um banho e terminar de assistir o filme. E não deixei de agradecer ao meu marido pela tarde de prazer. Desse dia em diante, não passa uma semana que eu não seja comida pelo nosso cão pelo menos uma vez. Isso já faz parte na nossa vida sexual. E recomendo às mulheres que possam, experimentar.BJSSSSSSSSSSSSSSSSSS Até!!!!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...