Iniciação de Solange

Autor

Esse relato\conto não tem nada a haver com pedofilia e ocorreu a muitos anos atrás em minha infância e adolescência de minha prima de 14 anos começando e assim a sua pratica sexual com um vizinho de nossa avó, sendo este 9 anos mais velho do que ela. Ele iniciou a minha prima na sacanagens, pois depois ocorreram outras situações muito excitantes dais quais e eu passei a ser o seu álibi.

Quero aqui descrever um pouco de minha prima, naquela época ela já era bem desenvolvida comparando com as demais meninas, era relativamente alta, cabelos castanhos escuros e lisos com o comprimento que batia no quadril e uma enorme bunda bem empinada da qual chamava muito atenção por onde passava, mesmo ainda sendo "criança" e ela já era o desejo dos maiores. Quero salientar que apesar da pouca idade a minha prima já era bem desenvolvida e muito maliciosa.

Bem, tudo começou quando ela, minha prima começou a frequentar a casa de uma vizinha de nossa avó, pois tínhamos por habito ir constantemente na parte da tarde na casa de nossa avó, alias, ali se reunião toda a família e todos os primos juntos.

Essa senhora\vizinha ficava sozinha a maior parte do tempo e a minha prima começou a frequentar a casa dela para fazer companhia e assim se deu por alguns dias, ate quem em um dia o filho da vizinha, o Roberto de 24 anos chegou mais cedo do trabalho e neste dia o cara chegou e foi tomar banho, depois foi para a sala e ficou deitado no sofá apenas de calção\shorts assistindo TV, até ai, tudo dentro da normalidade.

A minha prima (Solange, nome fictício) estava na cozinha conversando com a mãe do Roberto e do local que estava não tirava o olho da sala, o Roberto percebendo a curiosidade de minha prima começou a pegar no pau discretamente para ver a reação dela (minha prima) ficava alisando e pegando e a Solange nada fazia, apenas olhava foi então que bem rapidamente ele tirou o pau para fora e mostrou para a minha prima e ela como se nada estivesse acontecendo ficava conversando com a mãe dele e olhando ao mesmo tempo e quando tinha que sair da posição que estava logo voltava para a mesma posição e continuava conversando com a mãe dele como se nada estivesse acontecendo, foi então que o Roberto percebeu que ela estava gostando.

Ele, então se levantou e foi tomar água na cozinha sendo que a Solange estava ao lado da mãe dele na pia, ajudando a lavar a salada e ele malandramente passou roçando o pau nela (roçando na bunda) e ela novamente nada fez e ele começou a investir (rsrs).

Logo, voltou para o sofá e a Solange também retornou para a posição que permitia observa-lo, assim, ele por sua vez tirou o pau novamente para fora e começou a mostrar ciente que ela estava olhando e e ao mesmo tempo ela conversando com a mãe dele e quando a mãe dele se aproximava ela, minha prima logo tratava de dar um toque do tipo: "começava a falar mais alto" e assim, o Roberto percebia e guardava o pau sem levantar suspeitas.

Essa situação ocorreu por dois dias seguidos, isto é, o Roberto mostrando e masturbando\batendo punheta para ela ver e ela fingindo que nada estava acontecendo, pois a mãe dele estava sempre por perto e não possibilitando outras investidas e novas situações, mas no terceiro dia tudo estava se desenrolando da mesma forma, só que a mãe dele foi se deitar mais cedo e ela ficou na sala com o Roberto assistindo TV e ele mais que rapidamente tirou o pau para fora e fez ela pegar no qual ela logo atendeu. Mas, como já estava ficando tarde ela falou que tinha que ir embora e ele a acompanhou levando-a até a porta, tendo que descer uns 30 degraus de escada (era um sobrado) e lá embaixo, antes de abrir a porta para ela poder sair ele pediu para ela pegar novamente e ela atendeu meio sem jeito e logo ele segurou a mão dela e fez ela bater uma punheta, logo, ele segurou na cabeça dela e colocou na boca dela fazendo ela chupar, percebendo que ela gostou soltou a cabeça dela e deixou ela fazer um boquete, mas logo ela ficou com medo, pois tinha receio que a mãe dele pudesse ver e quis sair e ele não deixou segurando na cabeça dela até gozar na boca dela e só depois abriu a porta para que pudéssemos ir embora, no caminho até a casa de nossa avó (quatro casas depois) ela me pediu para não contar nada do que ocorreu para ninguém.

Passou alguns dias e ela voltou ao sobrado só que nesta tarde quase noite a mãe do Roberto havia ido para a igreja e a Solange, sendo que ela não sabia; chegando lá como sempre apertou a companhia e quem atendeu foi o Roberto, dizendo que a mãe não estava em casa, mas ela poderia entrar e esperar, pois a mãe dele logo voltaria e assim ela o fez, subimos as escadas e ficamos na sala.

Neste dia ela estava com uma calça vermelha bem justa e marcava bem as curvas e o quanto a bunda dela era empinada. Voltando, a situação, sentamos no sofá e o Roberto para variar começou a alisar o pau e ela de boa ficou olhando, ele perguntou: e o garoto e ela logo respondeu não vai dizer nada e assim, logo ele ficou de pé ao lado dela e mandou que ela chupasse e ela atendeu de boa, mesmo comigo do lado e ele, o Roberto falou para que eu fosse cuidar e se a mãe dele abrisse a porta era para dar um toque e avisa-los e assim atendi e só fiquei observando tudo que faziam e o tempo foi passando e ela ficando a vontade atende tudo que ele pedia para ela fazer, fazendo uma gulosa, depois pediu para ela ficar de pé e começou a beija-la de língua, virou ela de costas ela estando de pé e abaixou e começou a beijar a bunda dela da qual já era o objeto de desejo e ainda vestida ele encheu a bunda dela de beijos até ficando molhada de tanto ser beijada e ela só olhando para traz e ao mesmo tempo também me olhando, dizia ela que estava preocupada com o retorno da mãe do Roberto, mas depois de um tempo entendi que aquela situação dava muito tesão para ela, pois estava ali na sacanagem com um cara mais velho e outro (no caso eu) olhando a putaria.

Depois, ele fez ela chupar novamente e depois de alguns minutos gozou no rosto dela conduzindo a porra para a boca dela e fazendo ela tomar tudinho, em seguida deitou ela no sofá e tirou a calça dela e quis colocar na xota, mas ela ainda virgem começou a reclamar e iniciou um breve choro, foi então que ele falou para ela virar de costas, pois queria colocar na bunda e após lubrificar bem com a saliva colocou o pau na bunda dela, onde pedia insistentemente para ela abrir e ficar segurando a bunda penetrando-a todinha e começou a comer só parando quando gozou dentro, correu para o banheiro a deixando de bunda para cima e posteriormente a secou e ela naquela posição (de costas e com a bunda empinada) ele voltou a encher de beijos aquela linda bunda se recuperaram e ela falou que tinha que ir embora foi quando ele pediu para colocar novamente na bunda e ela atendeu prontamente e assim, começou a vida sexual de minha prima.

Em outra ocasião contarei como ela começou a fazer com um tio nosso e com um outro vizinho, pois o Roberto contou o que tinha acontecido para os dois marmanjos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...