Sorte Grande

Me chamo Julio tenho 28 anos e sou casado Marcia de 23, namoramos e estamos casados a 2, sempre gostei muito de Marcia, pois alem de ser um vulcão na cama, nunca foi daquelas de ficar implicando quando saimos para algum lugar, pelo contrário, quando passava alguma gostosa daquelas que não dá pra não olhar ela só dizia "disfarça viu", o tempo foi passando, nos casamos e ela teve que fazer uma cirurgia em que tinha que ficar de repouso principalmente de sexo por 30 dias, nossa pensa no tormento; faziam 22 dias que ela estava de repouso, já fazia tudo em casa, mas a irmã dela de 16 anos Melissa, veio da outra cidade pra ficar com ela nesse período, um determinado dia, chego em casa mais cedo pois havia faltado luz na empresa e eles liberaram 2h antes, e noto que a casa estava silenciosa, achei que elas havia saido pra dar uma volta, subi então para o meu quarto e ao abri a porta, me deparei com uma cena que me deixou atordoado.
Minha esposa peladinha em cima da cama com os pés pra fora deitada de barriga e minha cunhada ajoelhada no chão com a cabeça no meio das pernas dela, como elas nem notaram minha presença, fechei a porta novamente e fiquei espiando pela fresta, via minha cunhadinha enfiando 2 dedinhos na bucetinha da minha esposa e lambendo o grelhinho, aparentemente ela já tinha alguma experiencia nisso, logo eu vi quando elas foram pra cima da cama e começaram um 69, não acreditava naquilo que estava vendo, o meu tesão era enorme; fiquei matutando como faria pra conseguir fazer parte daquilo, senti que minha cunhadinha estava gozando na boca de minha esposa e quando eu vi que minha mulher chegou ao orgasmo novamente entrei de sopetão no quarto gritando e fazendo o maior escandalo, as duas pularam da cama tentando se cobrir, mandei minha cunhadinha pra fora do quarto e comecei a brigar com minha esposa, falei pra ela arrumar as coisas dela e sumir da minha casa, claro que era só de fachada; ela começou a chorar e dizer que me amava e tal, disse como me ama se está me traindo com sua irmã…ela dizia
-eu te amo,faço tudo pra ficarmos juntos.
– faz mesmo? perguntei.
– faço…
– então me deixa comer sua irmã junto com você?
ela ficou quieta por um momento e respondeu.
– tá, uma vez então,
eu disse,
– uma vez não quero comer quantas vezes quiser,
novamente ela fez um silencio e logo gritou.
-Melissa, Melissa,vem aqui,
poucos segundos a irmã dela aparece na porta toda sem jeito, e pergunta,
– o que foi?
– o Julio viu toda a nossa brincadeira e ele quer se separar de mim, não quero que meu casamento acabe, ele disse que não separa se eu deixar ele ficar com você;
ouve novo instante de silencio, logo ela respondeu com uma pergunta?
– e você deixa?
– se você quiser Melissa, eu deixo, mas com uma condição Julio!
– eu quero continuar brincando com minha irmã,
eu tive que me segurar pra não dar pulos de alegria, sempre foi meu sonho fazer a 3, mas essas são daquelas coisas que não se pede pra uma esposa, agora ela vinha me propor isso.
-falei assim, tá bom, esses dias que faltam de resguardo seu, eu como a Melissa e você brinca com ela, já que tenho que bater punheta pra me aguentar sem fuder com você, ouço Melissa falando,
-nossa que desperdício batendo punheta e eu na siririca por falta de um pau,
nisso meu pau ja dava pulos dentro da cueca, tirei a calça e ouço minha esposa falando, dá ele aqui pra eu mamar, cheguei perto dela e ela já abocanhou como sempre soube fazer com maestria, ela se arrumou e deitou na cama, a irmã dela veio de 4 e começou a chupar a bucetinha dela deixando a bunda pro meu lado, comecei a acariciar a bucetinha dela, enfiar o dedinho, depois mais um, perguntei,
-Melissa você toma remédio?
– tomo respondeu
tirei meu pau da boca da minha esposa e fui guiando pra bucetinha dela, foi mais dificil de entrar do que pensei, mas logo entrou e ela começou a rebolar no meu pau, vi que minha esposa se arrumou e veio por baixo e começou a chupar o grelhinho dela e minhas bolas, não aguentei pois o tesão era muito grande e logo gozei dentro, fui tirando e o leitinho foi escorrendo, comecei a olhar minha esposa lambendo e engolindo meu leite que saia da bucetinha dela, comecei a lamber o cuzinho dela, logo comecei a enfia um dedinho, senti elas gozar novamente no 69.
Depois saimos pra fazer um lanche, e a partir daquela noite começamos a dormir os 3 na mesma cama.
um determinado dia perguntei pra minha irmã sobre como começou aquilo e ela me disse que fazia com a irmã desde que ela tinha 11 anos, que ela tinha ficado uma vez com uma amiga da escola e depois começou a brincar com a irmã quando iam tomar banhos juntas e que sabia que a irmã só tinha dado uma vez pra garotos.
Agora fazem 5 meses que isso começou a acontecer, agora minha cunhadinha só vem pra cá a cada 15 dias, as vezes eu vou buscar ela na rodoviário pq minha esposa está trabalhando e ela ja vem pegando no meu pau no carro, outro dia ela tirou pra fora e foi mamando até chegarmos em nossa casa.
ainda continuamos transando a 3, por isso posso afirmar que tirei a sorte grande.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...