ferias de verao com mamãe parte 11

Minha mãe largou a minha pica e disse: -Teremos toda a noite para darmos prazer um ao outro, e quero que você goze enquanto chupo seu pau, mas agora prefiro que goze comendo minha buceta, quero senti-la de novo me enchendo lá…Pode aguentar um pouco mais, filho?

– Claro que sim, mãe, venha… Abra as pernas que agora mesmo te fodo, mas aguenta um pouquinho,para eu te comer essa xoxota, assim tambem aguentarei um pouco mais!

– Ok, filho,você é um otimo amante, vamos, come essa xoxotinha da mamãe! Me disse isso com voz de criança enquanto caía na cama e abria suas gostosas, tostadas pelo sol e bem torneadas pernas e me mostrava sua racha totalmente humida. Mamãe se acomodou, dobrou a almofada e colocou a cabeça sobre ela, estava meio tombada e meio sentada, eu estaqva alucinado perante a beleza dela nua, cheguei perto dela e nos beijamos trocando os sabores das nossas linguas;

– Tambem vou saborear essa tua xoxota como até hoje ninguem o fez! Minha mãe riu-se e disse: – Por muito mal que faça vai ser a melhor de certeza, porque teu pai deve Ter feito isso um par de vezes e nem era comer, era só beijar,por isso é novo para mim tambem, filho, come isso como nunca ninguem fez!

Fui baixando até a virilha de mamãe e ela levantou uma perna, flexionando-a pelo joelho e abrindo-se um pouco mais, estava totalmente aberta perante mim, sua xoxota florescia em frente a minha cara, não podia crer, estava a um passo de saborear a buceta de minha propria mão, isso era incrivel, realmente incrivel… A xoxota dela era especial, é linda,como já havia dito, seus labios vaginais não são exageradamente grandes, ficam de acordo com sua vagina, e ficam bem marcadas nas suas calcinhas, tinha tudo bem rosinha e com os pelos publicos ralinhos, muito bem depilado dos lados e tambem nas virilhas, onde não havia nem um pelo, havia uns pouquinhos, ralinhos,na parte superior da vagina, tudo muito superficial…

Era maravilhoso, perfeito mesmo… Ela se depilava com cuidado,se cuidava muito,sem duvida… Era a gloria meter a boca entre esses labios vaginais lisos como seda, tinha um perfume revigorante, deixaria qualquer homem de pau duro já que ela não desprende aquele odor forte quando está excitada e molhada como algumas mulheres. Primeiro comecei a beija-lo, comecei como se deve fazer uma boa chupada de buceta, desde abaixo até encima, de vez em quando soltava minha lingua para passar em toda a sua fenda, em toda a racha, ela estremecia toda quando eu fazia aquilo, banhava minha lingua com seus gostosos fluidos, pouco a pouco ia metendo minha lingua em seu interior, comecei a penetra-la com a lingua e mamãe levantava seu cú para me ajudar na tarefa, já estava gemendo e suas mãos começaram a me tocar na cabeça, seus dedos entravam entre meus cabelos, estava claro que mamãe gostava que seu proprio filho estivesse saboreando e chupando sua buceta, estava começando a gostar da coisa.

Estava passando minha lingua em toda a racha quando comecei a meter um dedo dentro,metia pouco a pouco enquanto minha lingua procurava o seu clitoris e comecei a comer a serio. Minha mãe estava louca, gemendo de prazer enquanto eu lambia e chupava seu “botãozinho magico”, já levava dois dedos dentro e continuava insistindo em comer a parte posterior da vagina, no teto da sua gruta, estava decidido a encontrar o ponto G dela, mamãe começou a mover as pernas de um lado para o outro, abria e fechava as pernas com mais frequencia enquanto gritava:

– Assim, Eduardo, isso é maravilhoso, você está comendo minha vagina toda, filho, que bem você faz isso… segue assim, come a buceta da mamãe, ohhhhhh, OHHHHHH, OHHHHHHHH, AHHH, AHHHHHH, OHHHHHHOHO, AHHHHHH, OHHHHHHAH…

Minha mãe estava a mil por hora, enquanto eu seguia papando o seu clitoris com a lingua, ela estava viajando na minha lingua, arrancando gritos de prazer que inundavam o dormitorio de minha mãe, ela se contorcia e se jogava fortemente contra mim, fechava as pernas com a minha cara no meio, ficando colado aquela maravilhosa xoxota, ela levantava os quadris e a cintura fazendo com que tambem eu levantasse minha cabeça para não abandonar em nenhum instante a minha “refeição” entre as pernas dela…

– Você está me matando de tesão, filho, está me matandooooooooooooooo!!!!!!!!!!

Ela gritava, e de repente sem avisar, ela começou a Ter uns espasmos que inclusive se levantou da cintura para cima, se dobrou sobre mim sem dizer nada, apertando minha cabeça fortemente contra sua xoxota, então minha mãe começou a gritar como eu nunca tinha ouvido, foi para trás com o corpo entre gritos e espasmos fortíssimos de prazer, ela estava gozando como uma louca, entao ela olhou para a minha cara e gritou, enquanto levantava os quadris de novo:

– Que há, filho, que se passa??? Então, soltou pela sua vagina um finissimo chorro de um liquido esbranqueado, quase transparente, que veio direto na minha cara, e logo depois gritou mais forte e soltou outro chorro bem maior, que se abriu no ar como uma agua-viva e acertou em cheio na minha cara, mamãe gritava como uma louca, finalmente entendi o que estava acontecendo, ela estava tendo uma daquelas ejaculações femininas, estava gozando desesperadamente e seus gritos ecoavam pela casa:

– FILHOOOOOOOOO, MEU FILHOOOOOO, NÃO AGUENTO MAIS, ESTOU GOZANDO DE NOVO, FILHOOOOOOOO, NÃO PARO DE GOZARRRR, O QUE ESTÁ FAZENDO COMIGO, FILHOOOOOOOOOOO!!!!!!!!! Eu havia encontrado o “botão nervoso” dentro de sua cavidade vaginal, o ponto G, e eu estava metendo os dedos enquanto ela gozava, ela dava mais espasmos e voltou a dobrar-se contra mim, agora me agarrava os cabelos com mais força e sua estava com um semblante de prazer que quase gozo só de olhar para ela…

– Não aguento mais, filho, gozei não sei quantas vezes, não aguento mais de prazer, você é a minha vida, Eduardo!!!!!! Minha mãe ficou caída de boca e olhos abertos, as pernas ela estirou completamente, enquanto eu beijava seu pubis, seu ventre e seus seios…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 3 votos)
Loading...