Enteado safadinho

09-03-17 3 ★ 2.00

Meu nome é Rildo sou um cara bem liberal para mim o importante é ser feliz, e em falando de sexo para mim tudo vale, já comi muita bunda de macho, como também já fui putinha de muito macho. Sou casado e minha mulher nunca desconfiou que as vezes seu maridão sai com outros homens. ela não é uma mulher linda e nem gostosona, é normal qualquer homem transaria com ela sem pensar duas vezes, o que mais me atrai nela é o tamanho da sua buceta, quando nos vamos a praia ela só tira a canga para entrar na agua. Estamos casados a dez anos e nossa vida sexual é de um casal normal, trepamos pelo menos duas vezes na semana e o que eu mais gosto é de chupar a bucetona dela e ela adora , sempre pede para gozar na minha boca e sempre é atendida, geme como uma vadia na minha língua e pede para dar umas mordidinha nos seus grandes lábios. Nossa privacidade foi quebrada com a chegada do filho dela do primeiro casamento, ele tem dezenove anos, meio franzindo mais bonitinho. certo dia estava dando aquela chupada em minha esposa e percebi que não tinha fechado a porta do quarto, notei que o safadinho estava batendo uma punheta vendo aquela cena, fiz que não estava vendo e fui mudando de posição para ele ver melhor a buceta de sua mãe, isso aumentou o meu tesão e procurei uma posição para ver a pica dele, que rola grande senti uma vontade enorme de largar aquela buceta e correr para receber o leitinho que estava prestes a sair daquela mastro, logo ele gozou e saiu de vagar pensando que ninguém o tinha visto. Fazia tempo que eu não chupava uma rola e meu cuzinho já estava ficando virgem, fiquei pensando um jeito de chegar até ele sem pressão. Quando minha esposa estava em casa sempre pedia para ela colocar uns shortinhos de lycra para sua buceta ficar bem amostra para ele, ela sem entender o que estava se passando colocava inocentemente, o safadinho ficava doido não tirava os olhos da buceta da mãe e corria para tomar banho e bater uma punheta.
Em uma sexta feira cheguei cedo do trabalho, entrei e vi tudo calmo, quando passo pelo banheiro percebo a porta entreaberta e vejo a danadinho batendo uma com a calcinha da mãe na boca e outra enrolada na sua grande rola, pensei essa é minha grande chance de ter essa rola no meu cuzinho. Esperei ele gozar para entrar em ação, empurrei a porta de vez e o moleque só faltou desmaiar de susto e vergonha, ele tremia e chorava pedia para não contar para mãe e fazia tudo que eu pedisse, abracei ele e disse que isso era normal um filho sentir tesão pela mãe, e falei que já sabia que ele ficava batendo punheta enquanto eu comia sua mãe. Mandei ele tomar banho para quando sua mãe chegar agente sair para comer uma pizza, e fiquei no banheiro vendo ele tomar banho, logo meu pau ficou duro como pedra e meu cuzinho piscava louco para engolir aquela pica, que agora estava flácida. Perguntei se podia tomar banho com ele, ele disse que tudo bem, tirei minhas roupas e entrei no box já com o pau duro e pedi para ele passar a bucha nas minha costas, ele começou na parte de cima e ia descendo mas nunca chegava na minha bunda, foi quando eu fiquei de frente para ele e disse que estava morrendo de vontade de chupar a sua rola e queria que ele gozasse na minha boca e comece o meu cuzinho, ele relutou e se afastou, puxei ele pelo braço e dei um beijo em sua boca e prometi que eu ia preparar a buceta da sua mãe para ele chupar e gozar dentro. Na mesma hora o meu beijo foi correspondido trocamos muitos beijos e nossas rolas já estavam babando de tanto tesão me abaixei e comecei a lamber aquela cabeça de pica bem devagar como lambe um sorvete de chocolate, ele gemia e pedia para colocar toda aquela rola na minha boca, eu resistia a máximo, adoro ver os homens suplicando para eu engolir as suas rolas. Quando ele disse que não aguentava mais, eu engolir aquela rola negra e recebi um jato de chocolate branco que desceu garganta abaixo e escorreu pelos meus lábios que o mesmo veio e me deu um beijo para limpar a minha boca do seu maravilhoso leitinho. Fomos para o quarto para ficar mais confortável, nos atracamos em beijos e chupadas, pedi para ele enfiar aquela rola no meu cuzinho, passei bastante lubrificante e ele foi metendo bem devagar e falava que nem lembrava mais da buceta de sua mãe, e que agora eu era a sua mãezinha,
Quando sentir aquela rola toda no meu cu comecei a rebolar como uma puta que eu sempre fui, ele me dava uns tapas na minha bunda e dizia goza minha mãe gostosa, eu vou alargar essa bunda sua safada, pedi para sentar no seu cacete porque essa posição eu me sinto como uma vadia cavalgando em uma rola negra e grossa que agora era só minha, gozamos juntos e ficamos rindo do acontecido, fomos tomar um banho e recebi a melhor chupada da vida meu cacete já não aguentava mais e gozei na boquinha dele. Tomamos banho e ficamos só de toalha assistindo tv, isso era para a mãe dele e se acostumando com nos dois pelados dentro de casa. Isso já esta acontecendo, nos dois só andamos pelados e de pau duro dentro de casa, minha mulher não desconfia de nada, só falta bolar um plano para ele chupar e comer a buceta da mãe. Aguadem!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,00 de 1 votos)

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    Cara amei esse conto entre em contato e manda seu contato quero fotos suas e do seu enteado. [email protected]

  2. Cara Bom

    Gente do céu!!! Isso é nojento!!! sexo com a mãe…

  3. Admirador do Amor

    Que delicia de conto.
    tô torcendo pro plano de vocês da certo.
    Serão uma família muito feliz