,

Conhecendo a Cunhada

Há 2 anos 1 ★ 5.00

Meu nome é Bruno e vou contar aqui dividindo em capítulos como “conheci” minhas cunhadas. Hoje sou noivo da Larissa um mulherão, branca, alta com cabelos escuros e um belo conjunto de curvas mais acentuados em sua traseira. Ela tinha duas irmãs que também eram lindas cada uma a sua maneira eram elas Carla e Maria.

Vou começar contando sobre como “conheci” Carla mais a fundo (rsrsrs).

Carla era a cunhada do meio a mais próxima de Larissa elas moravam juntas ainda na época do ocorrido. Ela era Branca também, com cabelos um pouco mais claros que o de Larissa, também era alta porém era a mais gordinha das três, porém uma gordelícia uma baita cavala tinha tanto seios como bumbum avantajados, ela namorava já há muitos anos e elas sempre combinavam de sair em casal então tinhamos um contato mais próximo.

Um belo dia combinaram de tirar um fim de semana para irmos a praia Eu, Larissa, Carla e Jorge. Eu nunca havia conhecido nenhuma praia havia mudado do interior a pouco tempo e estava ansioso os dias passaram rapidamente e lá estavamos nós prontos para a viagem. Larissa chegou com Carla pontualmente em minha casa as 6:30 da manhã como combinado anteriormente ainda estava em estado letárgico na cama quando ela buzinou fui levantando para iniciar minha arrumação, ela sempre era as motoristas nas nossas viagens ela adorava dirigir.

Larissa tinha a chave de minha casa e concluiu que ainda estava dormindo, para adiantar pediu a Carla que já entrasse para me chamar enquanto ela buscaria Jorge para ganhar tempo. Carla não se importou já que tinhamos uma razoável intimidade e me considerava da família, Larissa arrancou com o carro e Carla foi logo entrando, nesse momento eu estava entrando no banheiro para tomar uma ducha rápida e topei de frente com Carla apenas de cueca ela tomou um baita susto ao me ver naquela situação e virou de costas imediatamente dizendo:

– Que que é isso Bruno quer me matar do coração vai colocar uma roupa.

Eu ri da situação e respondi rindo:

– Kkkkk… eu estou na minha casa você que é a intrusa estava indo tomar banho, deu sorte normalmente faço esse trajeto pelado … kkkk.

Adorei aquela situação achava minha cunhada uma bela gostosa mas nunca tinha tido oportunidade de mostrar meus dotes para ela. Terminei de caminhar até o banheiro e falei:

– Pronto, já estou no banheiro agora por favor fique na sala e espere só um poquinho que daqui a pouco vou estar pronto para ir.

Módestia a parte sou um cara boa pinta, moreno, alto e bem trabalhado na academia. Minha ferramenta também era de bom porte, Larissa sempre deixou claro para todas que gostava de uma rola grande então me disse que sempre procurou esse padrão.

Carla ficou meio atordoada com aquilo mas pensou um pouquinho e passou já que estava indo para praia e lá ia ver eu de sunga várias vezes então nada demais né.

Tomei meu banho, coloquei minha roupa, arrumei minha mala e partimos rumo a praia.

A viagem demorou foi uma chatice, Carla e Jorge dormiram praticamente a viagem toda, Larissa estava extremamente focada na direção e eu fiquei lá de companhia mas a toa pois nem conseguia conversar direito pois ela estava extremamente concentrada na estrada. Fiquei pensando durante o caminho qual seria a reação de Carla caso estivesse sem cueca… Será que ela viraria de costas imediatamente ? Secaria um pouquinho antes ? O que ia falar ? Pensei, pensei e pensei e só consegui concluir uma coisa caso ela desce mole entrava na rola.

Ao chegar a cidade perdemos um pouco o encanto com a idéia de praia, aquele lugar não era legal como muitas praias que conhecemos era uma cidade dentro de uma ilha bem simples muito diferente de Florianópolis por exemplo, ainda tinha um estilo de roça. Mas tudo bem fomos procurar o hotel que haviamos reservado e para variar ficava do lado ao contrário das praias … rsrs estavámos sem sorte, além disso o hotel enganava muito nas fotos, ao vivo era bem fraquinho. Tinhamos reservados quartos lado a lado jogamos as malas lá e para variar minha cunhada e seu namorado já foram dormir, Larissa merecidamente também.

Após me arrumar no quarto decidi conhecer melhor o hotel rapidamente, Larissa já estava em um sono pesado então sabia que não teria quase nada para fazer além disso naquele momento, praia só seria possível com o carro então só mais tarde ou no outro dia.

O hotel era simples realmente mas ajeitadinho de um lado ficava os quartos, recepção e garagem no outro lado as piscinas com um bar molhado mais ao fundo vestiários em cima havia um salão de jogos com sinuca, pinbolim e ping pong, além de uma área para jogar cartas e jogos de tabuleiro com algumas mesinhas entre as duas partes havia uma grande área verde com um Galpão no meio onde funcionava durante o horário das refeições um restaurante. Como estava pronto decidi entrar na piscina, fui até o bar molhado e solicitei uma caipirinha e fiquei observando o local o movimento era pequeno.

Após algumas horas acredito eu já devia estar na terceira ou quarta caipirinha vi Carla caminhando em direção as piscinas ela acenou e falei para ela chegar mais ela estava de biquini com um shortinho por cima entrou na área das piscinas tirou o mesmo me permitindo a visão de uma bunda enorme que não me lembrava de ter visto anteriormente, ficou próxima a beirada da piscina onde colocou uma toalha e decidiu tomar um sol enquanto conversava comigo.

– E ae meio caidinho aqui né ? – disse Carla.

– É parece um pouco, mas o importante é sair de casa, mudar um pouco né, respirar um ar diferente. Respondi.

– Realmente, pensando dessa forma a coisa melhora rsrs. Vamos ver como será as praias quem sabe né. As vezes a viagem pode até surpreender.

– Sim, claro … Cadê o Jorge ?

– Durmindo ainda… Tá bem cansado tinha trabalhado até tarde o dia antes, eu descansei no carro mas e você não dorme não ?

– Não consigo durmir assim durante o dia, não estou acostumado. Mas dessa forma então podemos dizer que o Jorge então é bom de cama rsrsrs.

– Bobo… sim dessa maneira sim. Mas eu tb não fico atrás, já vc rsrs.

– Rsrsrs … não sei se a Larissa ia concordar.

– Ai bobo to falando de durmir … vamos parar que isso tá virando papo bestá já.

– Eu também uai. Tudo bem estou só descontraindo o ambiente haha.

Assim mudando de assunto a convido a beber uma caipirinha também e ela responde:

– Ah valeu! Não sou muito de beber sou fraca para bebida sou muito fã não.

Eu respondo:

– Nossa, mas essa caipirinha tá espetacular o rapaz disse que tenha uma que é um mix de frutas que as mulheres adoram é bem docinha, essa já está doce imagina essa outra se fosse você eu ia pedir, como eu disse, estamos aqui para mudar um pouco, fazer coisas diferente, relaxar.

– É verdade, pede então lá uma para mim … é bom pra dar uma relaxada mesmo.

Fui até o barman e solicitei de imediato voltei e disse que só faltava uma coisa, ela com cara de paisagem perguntou o que faltava, eu disse que tinha que entrar na água ela respondeu:

– Nãooooo isso não, essa água deve estar um gelo.

– Olha, entra se não vou ser obrigado a jogar você na água, ela está boa demora um pouquinho para acostumar mas depois que acostuma fica uma beleza e depois que bebe uma então melhor ainda. Lembre-se relaxar coisas novas, tem que aproveitar.

(Estava plantando uma idéia na cabeça dela, desde cedo estava sentindo um tesão enorme nela e depois que vi o hotel e o local para onde viajamos achei que tinha oportunidade de colocar ela na vara. Eu sou um baita sem vergonha Larissa sempre soube ainda não tinha traído ela mas essa oportunidade estava ficando muito boa.)

Ela decidiu entrar na água por conta, logo que entrou seus mamilos estufaram e ela arrepiou todinha de frio, falei para mergulhar que ajudava acostumar logo em seguida o barman chamou com o drink pronto. Ela buscou no bar molhado e agradeceu ficamos a beira da piscina, bebendo os drinks e conversando mais um pouco.

Resolvemos sair da piscina e perguntei se ela já tinha visto o salão de jogos, ela disse que ainda não e fomos para lá conhecer, ela achou legal disse que era bom para passar o tempo e brincou dizendo que me venceria na sinuca fácil que ela era boa nisso. Respondi dizendo que duvidava pois também era muito bom e resolvemos começar uma partida. Depois de umas três partidas logicamente vencidas por mim disse a ela que ela tinha que aprender muito ainda e que se ela quisesse jogar mais agora tinha que ser valendo, falei que se ela perdesse teria que me pagar uma caipirinha e vice-versa ela topou disse que agora ia me ensinar porque estava faltando motivação. Mais uma partida e para variar ganhei, fomos ao bar e disse a ela que poderia pegar aquela para ela, pois ia ganhar a próxima de novo e ai ela pagava para mim. Ela riu e disse que estava zuando ela mas aceitou. Voltamos ao jogo eu já havia começado ganhando ela estava inconformada e disse:

– Achei que era boa mas nossa sou ruim demais, você vem ganhando todas fácil. Respondi:

– Muito tempo de boteco hahaha aprendi bastante, mas estou com dó de você vou lhe ajudar.

– Opa, quer humilhar ?

– Não jamais vou apenas dar umas dicas hora que você for jogar.

Ela concordou e continuamos, na primeira jogada que foi fazer disse a ela para segurar o taco com mais firmeza e mostrei para ela onde deveria tentar acertar, ela se saiu melhor e quase matou a bola… fiz minha jogada errei propositalmente pois vi que aquele jogo ia trazer oportunidades. Ela foi para a outra jogada dela me posicionei do seu lado e ajudei a segurar o taco de uma maneira mais correta, posicionei as mãos td e mostrei novamente onde bater, ela seguiu tudo corretamente e conseguiu matar a bola, pulou de alegria e eu ri. Na tacada seguinte tentou tudo igual novamente mas errou. Disse a ela que agora o problema não era mais posicionar e sim fazer a jogada correta ela concordou com a cabeça.

Joguei novamente e matei duas e errei para não parecer que estava errando propositalmente. Na jogada seguinte dela resolvi fazer uma investida maior ela se posicionou, eu pedi licença e me posicionei por trás dela, fazendo questão de encostar meu pau em sua bunda ela olhou e disse:

– Que isso, tá doido! Menino do céu se alguém ver isso que vai pensar.

Respondi:

– Calma, só vou te mostrar como fazer a encaçapada correta.

Ela tinha ficado arrepiada, mas deu uma esfregadinha em meu pacote bem de leve, me posicionei perto de seu cangote, mirei e falei para ela tacar… bola na caçapa. Ela agradeceu e saiu de perto foi para próxima tacada ela se posicinou bem de quatro mesmo, aguardou um pouco (acho que esperou para ver se eu chegaria de novo), dessa vez não me posicionei porque senti o clima ela fez uma tacada fácil e acertou.

Na tacada seguinte ela se posicionou de novo e eu disse que ia apenas ajudar rapidamente no posicionamento, ela estava novamente de quatro na mesa me ajeitei por trás dela, encostei meu pau novamente em sua bunda, senti ela arrepiar, forcei ela em direção a meu pau e disse:

– Acho q assim está bom, pode ir ela tacou e errou.

Vi que ela estava em choque, senti que era a hora de aproveitar e falei para ela que iriamos treinar para ela continuar jogando, toda tacada agora era desse jeito eu me ajeitava atrás dela, nas últimas tacadas percebi ela tb tirando uma casquinha e esfregando o rabão no meu pau ai investi de vez. Quando ela se levantou após sua última tacada a lacei pela cintura com as mãos, encoxei forte e começei a beijar seu pescoço ela totalmente arrepiada e entregue disse:

– Aiiiiiiii, não podemos para, nossaaa.

– Calma, só estamos nos conhecendo melhor cunhada. Já desloquei uma das mãos para dentro de sua calcinha do biquini e a outra foi por dentro do sutiã, sua bucetinha estava pegando fogo e ensopada, ela se entergava aos poucos mas disse:

– Vamos parar por aqui, está gostoso mas se alguém chegar aqui agora o que fazemos ?

– Sei lá, mas isso está bom de mais para acabar assim vamos curtir mais um pouquinho já soltando a parte de cima daquele biquini e liberando aqueles peitões, segurei com as duas mãos o mesmo dei mordidas em sua orelha e senti que ela colocou a mão para trás e começou a alisar meu pau, imediatamente tirei a sunga e deixei ela sentir meu pau direito ela gemeu e disse:

– Que loucuraaaa, que pau é esse enorme, não tinha reparado que era tão grande de manhã.

Virei ela de frente e disse:

– Então repara agora fica a vontade sua irmã adora você também vai adorar se quiser experimentar tá no ponto. Aposto que o do Jorge é bem menor e que você nunca entrou em uma vara desse tamanho né ?

Ela acariciava batendo uma leve punheta, estava impressionada com ele e disse:

– Hum … o dele é menor sim mas ele sempre me satisfez, desse porte nunca experimentei mesmo, mas não podemos você é meu cunhado.

– Para de se fazer de santinha, se não quisesse não tava praticamente pelada aqui batendo uma pra mim sua safada vamos nos divertir um pouquinho.

Fui pra cima dela novamente passei a beijar sua orelha, pescoço a forçei contra a mesa e passei a chupar seus peitos, deliciosos ela estava toda arrepiada e começava a gemer de leve quando estava me preparando para rancar sua calcinha e chupar sua buceta ouvimos um barulho vindo em direção a sala de jogos, ela me empurrou desesperada pegou suas coisas e correu para o banheiro, eu fui andando em direção a sala onde ficava a mesa para os jogos de tabuleiro, sentei puxei a mesa mais para o meu lado e aguardei seria difícil disfarçar alguma coisa eu estava suado e havia aquele cheiro de sexo no ar. Voltando ao assunto sala de jogos quem entrou na mesma foi a Larissa que chegou já perguntando onde estava Carla e pq eu estava suado. Disse para ela que estava calor e que não sabia de sua irmã. Ela não acreditou muito mais a puxei pelo braço e falei para aproveitarmos para namorar um pouquinho (queria que Carla ouvisse td no banheiro).

Já começei nos amassos com Larissa e para disfarçar ranquei rapidamente minha sunga e a coloquei para mamar ela não se fez de rogada e caiu de boca, ela era ótima nisso sugava meu pau como se não fosse ter outra oportunidade e dizia:

– Delícia de pau… adoro chupar esse pauzão.

Falei pra ela que ia comer ela ali mesmo que era pra ela caprichar na mamada e deixar ele bem molhadinho.

Ela disse que não, queria meter com tempo para gente ir para o quarto. Dessa maneira disse para ela se apressar então porque tava louco de vontade já guardei a ferramenta inchada na sunga e fomos para o quarto lá a coisa foi boa teve meia nove, cavalgada, papai-mamãe e tudo que tinha direito inclusive finalizando enrabando ela de quatro. Larissa estava esgotada depois de tudo havia gozado muito e disse que eu estava insaciável mas não entendia o que tinha de diferente.

A realidade é que estava louco era para comer Carla estava puto de Larissa ter chegado bem naquela hora pois ela já é marmita de todo dia… Marmita deliciosa lógico comi com gosto, mas tava querendo naquele momento era um cardápio diferente e se não fosse ela ter acordado teria papado Carla como entrada, prato principal e sobremesa do jeito que a coisa estava indo seria serviço completo.

Passou alguns dias a coisa havia esfriado e a praia também estava completamente sem graça. Carla me tratou com frieza nos dias seguintes não deu espaço para eu aborda-lá e até me evitava.

Sabia que mais cedo ou mais tarde apareceria oportunidade de me aproximar de novo e apareceu.

Jorge foi embora e falou para Carla voltar conosco pois teve uma emergência em seu trabalho e não poderia ficar mais.

Com isso no outro dia por uma questão de alinhamento intergalático acredito … kkkk.

O cenário praticamente se repetiu Larissa dormindo eu e Carla no salão dejogos.

Aquilo deixou meu pau igual uma rocha na hora, ela percebeu, falei para ela pegar o taco para treinarmos mais um pouco ela disse que o que havia acontecido não poderia acontecer novamente que não era certo e deveria me comportar cheguei bem perto dela e falei que não estava conseguindo ser comportado perto dela e que ela já tinha visto o estado que eu havia ficado disse que ela queria mas estava com medo para ficar tranquila que seria um segredo nosso, ela pensou um minuto fez q ia sair agarrei ela e já fui beijando ela não recusou ao contrario sua lingua entrelaçou na minha com força decidi não perder tempo coloquei meu pau para fora imediatamente e ela disse:

– Nossa essa sua rola é demais para eu resistir … Larissa minha irmã me desculpe mas vou ter q experimentar isso.

Ela foi punhetando e olhando com um sorriso sacana no rosto agarrei seus cabelos segurei forte sua cabeça e já coloquei ela ajoelhada de frente pra mim com meu pau na altura de seu rosto bati com ele na sua cara e disse:

– Sabia que você não ia resistir, você não passa de uma biscatinha safada, vai pagar um boquete gostoso agora para começar e vou te comer todinha igual seu corninho nunca fez com você bati o pau em sua cara ela estava em extase acho que queria aquilo mais q eu já.

E caiu de boca com jeito, mostrou que era realmente uma profissional, começou nas bolas chupando uma de cada vez, e foi subindo para o mastro e disse:

– Que delícia de rola, passei dias sonhando com isso desde aquele dia, na hora do banho batia siririca imaginando essa rola. É bom você cumprir com o que disse e fazer valer a pena.

Mandei um tapa em sua cara e disse:

– Quem falou que você podia parar de mamar biscate. Mama mais e fala menos. Você vai gostar tanto que vai virar minha puta.

Ela voltou a mamar em um misto de capricho e raiva. Lambuzava meu cacete mamando com aquela boca delicisosa quentinha.

Puxei ela de volta pra cima tirei sua roupa toda deixei ela peladinha, sua buceta estava encharcada coloquei a de costas pra mesa e cai de boca, chupei deliciosamente aquela bucetinha depilada e carnuda. Ela pediu para mudar de posição pois queria continuar mamando meu pau.

Não autorizei disse a ela que não tinha mais moleza não q agora era ferro, ela sorriu e falou:

– Então vem, soca essa viga gostosa aqui quero tudo.

Hora que ela disse isso fiquei doido nem lambuzei nem pensei em camisinha nem nada cai por cima e enterrei com tudo ela gemeu gostoso, começei a bombar forte, entrava e saia com vontade de sua buceta e ela não se fazia de santa trançou as pernas por minhas costas e pedia pra socar forte.

– Vai tesudo, quero tudo vai, mete fundo com força, não queria me comer agora come.

– Sua biscate tava louca pelo meu cacete, tomaaaa…. vai sair daqui com a buceta inchada.

Ela gemia de tesão e eu arfava como um touro por cima dela, coloquei suas pernas sobre meus ombros e continuei lhe castigando, ela estava toda arrepiada e gemia urrava e pedia pra meter q ela tava sentindo falta de ser bem comida e nunca tinha sentido um cacetão daquele.

Tirei tudo de uma vez, beijei seu pescoço puxando o cabelo e falei:

– De quatro, sua biscate… bem arreganhada quero você toda aberta pro seu macho.

Ela arrebitou o rabão abriu bem as pernas encostou a cabeça na mesa de sinuca virou de ladinho e falou:

– Assim ? Vem pintudo, que rola você tem, minha maninha tá bem servida vou fazer mais visitas para vocês para ajudar ela dar conta.

– Ah é tá gostando né sua biscate, tá de quatro pra levar rola do namorado da sua irmã e pedindo mais, botando galho naquele seu namorado frouxo corninho.

Me ajeitei por trás e entrei de uma vez só, ela gemeu forte e pediu para esperar um pouquinho só para ela sentir tudo no fundo. Deixei ela curtir um pouco, ela rebolava no meu pau e decidi que era hora de voltar ao trabalho dei um tapão naquela bunda deliciosa deixando minha mão marcada em seu rabo e começei a bombar forte de novo, segurava forte em sua cintura e castigava sua buceta, ela gemia mas era de completo prazer e tesão e anunciou que ia gozar eu caprichei mais e passei a bombar segurando o pau no fundo de sua buceta e dessa maneira ela gozou suas forças diminuiram fui retirando devagar o pau de sua buceta e falei:

– O que aconteceu com minha puta ? Não gozei ainda quero mais dessa buceta.

– Nossaaaa!!! Você tá acabando comigo, mas vou ordenhar esse leite dessa tora pode deixar como vc quer agora ?

Encostei de pé na mesa de sinuca pedi para ela se levantar e comecei a lhe comer em pé, por trás ela já se arrepiou toda novamente e com um sorriso safado na boca disse:

– Está gostando ? Você é um cavalo insaciávei vaiiiiii mete mete, melhor viagem q já fiz ai ai ai gostoso.

– Fica tranquila que isso é só o começo vou fazer serviço completo barba, cabelo e bigode em você seu cuzinho não sai daqui sem levar rola.

Ela mostrou certa preocupação eu falei para ela me cavalgar, ela não pensou duas vezes me pediu para sentar em cima da mesa e qdo vi já cavalgava como uma doida … eu já não aguentava mais aquilo estava uma delícia e avisei que iria gozar ela pulou imediatamente e disse:

– Calma ai, falei que ia ordenhar o leite dessa tora e quero beber tudo.

Ela voltou a mamar com vontade uma delícia, mamava, chupava, lambia as bolas hora que anunciei o gozo ela mamava a cabeça com gosto e eu enchi sua boca de porra, ela não se fez de rogada e bebeu tudo que conseguiu, limpou meu pau como conseguiu veio no meu ouvido e disse:

– Tora de qualidade, tem leite de qualidade acho q vou querer um pouco para o café da manhã amanhã.

Disse a ela que se preparasse q iria visitar seu quarto para ela beber seu leite.

Haviamos perdido a noção da hora e local que estávamos achei melhor me trocar hora que fui colocar minhas roupas reparei em um vulto que fugia e aparentemente havia espiado td … fui me aproximando da porta e reparei no barman da piscina voltando ao seu posto ele deu uma piscadinha voltei ao meu local dei outra tapa na bunda da minha nova puta e disse a ela que era melhor nos comportar pois sua irmã já devia estar para acordar.

Esse foi apenas o começo de uma viagem onde conheci minha cunhada profundamente.

Foram dias e dias de profundo conhecimento.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...

,

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Dan

    QUANDO VAI SAIR A PRÓXIMA?