Comecei cedo com um coroa pintudo

Olá, sou Walkiria tenho 33 anos casada com o Beto a 10 mas sem filho.
Quero contar como perdi o cabaço e viciei em coroas.
Tinha 15 anos e morava em uma cidade bem pequena do interior de São Paulo, meu pai tinha uma bar e as vezes eu ia ajudar mas só nas manhãs, a tarde aparecia muitos bebuns e não era legal eu ficar naquele ambiente.
Aos sábados sempre tinha uma turma de coroas que ficavam jogando baralho e as vezes até faziam um churrasco.
Nestes dias eu ficava lá e até ganhava gorjetas por servi-los bem e com atenção.
Um desses coroa era o Seu Macedo, aposentado com seus 64 anos e muito simpático.
Nesta época eu era virgem, só fazia uns boquetinhos e batia punhetinha para os meninos na escola.
Seu Macedo sempre levava frutas para todos já que sua filha tinha um mercado e pra mim era caixinha de morango e kiwi.
Em um desses dias estava chovendo muito e apenas seu Macedo apareceu e ficou conversando com meu pai, as vezes ele me perguntava alguma coisa que respondia mas só isso.
Então meu pai foi preparar as coisas de tira-gosto e fiquei com seu Macedo e ai ele começou a perguntar coisas de namoro, como eu confiava muito nele acabei falando que já tinha namorado sim mas escondido de meu pai.
Depois de muitas perguntas também confessei que já tinha feito com alguns meninos e ele ficou excitado e queria saber mais.
Então me fez prometer que não contaria nada pra ninguém sobre o que ele ia pedi, falei que prometia e ele então me chamou para ir na casa dele na segunda-feira apôs o almoço.
Curiosa acabei indo, vesti uma saia jeans com uma calcinha branca e pequena e uma blusa sem sutiã, meus peitinhos eram bem pequenos, tipo pera.
Cheguei na casa dele e fui recebida com carinho, ele tava de short e sem camisa e perfumado.
Começamos a conversar e as perguntas que me fazia e as respostas o fazia ficar de pica dura, tava pra ver o volume.
Então seu Macedo perguntou se eu poderia fazer com ele o que fazia com os meninos, disse que sim mas tinha que guardar segredos.
Ele tirou minha blusa e mamou nos meus peitinhos com gula que me fez ficar molhadinha, tirou minha saia e calcinha e ai………………….
Nenhum menino tinha chupado minha buceta, era a primeira vez que ia sentir uma língua na PPK.
E foi divino, ele me chupou acho que uns 30 minutos e gozei muito em sua boca.
Agora era hora de retribuir, vi sua pica e achei linda, era muito maior e grosa que dos meninos da escola.
Cai de boca e chupei, chupei muito até ficar com a boca doendo e ele não gozava.
Seu Macedo me batia na cara com aquela pica enorme e eu adora tudo, muito delicia aquele momento.
Pedi pra ele gozar e assim ele fez, tocou punheta na minha cara e recebi muita porra, engoli bastante mas um pouco caiu nos meus peitinhos.
Fui tomar um banho, estava toda melecada de porra, no chuveiro ele chegou e me deu banho bem gostoso e me chupou mais uma vez agora com um dedo no meu cu, aquilo era novidade e tava gostando de ser dedada e chupada na buceta.
Ia ele me enxugou e me levou de novo pra cama, lá chupei ele de novo e agora ele pediu meu cuzinho, disse que ia meter devagar e com carinho.
Aceitei, já queria dá o cuzinho a tempos mas os meninos não sabiam como fazer, com certeza seu Macedo era experiente e ia fazer gostoso.
Ele buscou algo na cozinha e untou meu cu, foi enfiando dedos, primeiro um, depois dois até ficar bem abertinho e ai me colocou de bunda pra cima e começou a meter.
Sentia muito dor mas ele merecia meu cuzinho, com muitas lagrimas, choro e gritinhos conseguir aguentar tudinho dentro.
Assim ele meteu bastante e não gozava, eu não estava mais aguentando de dor e pedi pra ele gozar logo.
Ele me pegou no colo e me levou no banheiro, me deu outro banho e me passou um óleo que me relaxou bastante.
Na volta pra cama ele disse que tava na hora de perder o cabacinho, eu também achava e aproveitei aquele momento e aceitei.
Novamente uma chupada maravilhosa na minha buceta e chegou a hora de me tornar mulher.
Abri as pernas e eu mesmo conduzir a pica na entrada da minha buceta, ele foi forçando e me beijando muito, de repente a pica entrou todinha, vi estrelas mas doeu menos que quando ele comeu meu cuzinho.
Ficamos quietinhos para eu acostumar e aos poucos ele foi fazendo um entra e sai delicioso, como aquilo era gostoso.
Gozei muito na pica do seu Macedo e já bem desinibida falava coisa tipo, me fode seu Macedo, me faz de sua putinha, me arromba meu coroa gostosão.
Estava muito delicia mesmo e pedia mais pica, e que pica grande e grossa me fudendo e me fazendo gozar muito.
Seu Macedo falou que ia gozar e me pegou de jeito metendo com força e gozou enchendo minha buceta de porra.
Eu estava morta, não aguentava mais nada naquele dia.
Novamente seu Macedo foi carinhosos e me deu mais um banho.
Disse que tudo que tinha acontecido ali seria segredo nosso e se quisesse repetir era só avisar.
Fui embora de taxi e em casa disse pra minha mãe que estava com dor de cabeça e ia ficar na cama, estava mesmo com dor no cu e na buceta mas muito feliz.
Agora, adivinha se eu voltei na casa do seu Macedo?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...