Surpresa boa!

Fazia mais de dois anos que eu não tirava umas férias, e já andava meio cansado, extressado, aí um amigo meu me disse tu estás precisando sair, ir para um lugar em que tu possas ficar sózinho, descansar, relaxar, sem te preocupar com nada. Diz ele eu conheço um lugar, é aqui na cidadezinha na subida da serra, e uma senhora que mora meio para fora da cidade, num lugar muito bonito, muito tranquilo, ela tem a casa dela, e ela mandou fazer quatro cabaninhas atrás da casa, na beira de um matinho onde corre uma sanga, e tem até uma cachoeira que de noite ou ás vezes mesmo dia quando está tudo quieto se houve o barulho suave da cachoeira. Ela ficou viúva a uns anos atrás e fez isso para ter um ganho, e com certeza ter companhia, ela não aluga para qualquer um, é só para conhecidos ou recomendados. As cabaninhas tem tudo, ela serve café da manhã, almoço, janta, lanche da tarde e sempre tem frutas e doces produzidos por ela.
Ele me deu o telefone, liguei para ela, e no dia combinado fui. Era um lugar realmente lindo e calmo, fiquei com a cabana 03, era de tarde ajeitei minhas coisas, e fui reconhecer o local, a dona estava sentada na área da casa junto com o filho dela, um gurizote loirinho, cara de criança mais ou menos uns onze aninhos, ela disse que serviria a janta as 8:30hs., e perguntou se eu queria na cabana ou na casa, eu claro pedi na cabana, quando foi 8:30 bateram na porta era o guri trazendo uma bandejão com a janta, entrou largou a bandeja em cima da mesa e ficou conversando um pouquinho, ai falou que tinha que ir pois tinha mais janta para entregar, peguntou se podia voltar outra hora para conversar, eu disse que sim, jantei, abri um vinho que eu tinha levado, to sentado numa poltrona degustando meu vinho e olhando um filme na tv, quando batem na porta, era o guri, entrou, eu voltei para minha poltrona, ele disse tá olhando filme, posso olhar junto, eu disse claro vamos olhar, ele veio bem tranquilo e sentou no meu colo, eu levei um susto, e disse não quer sentar na poltrona, ele disse assim fica melhor, o senhor não se importa né, ele sentou, se escorou em mim, e de vez em quando dava uma mexidinha com a bunda, aquilo me deu uma tesão e logo meu pau ficou duraço, ele sentiu, e se ajeitou melhor para ficar em cima dele, de vez em quando ele passava a mãozinha no meu pau, aí perguntou se eu deixava ele ver, eu disse tu não é muito pequeno para estas coisas, ele disse eu gosto, então tudo bem, eu estava com uma cueca samba canção de seda, bem solta, ele baixou o elástico e o pau apareceu, ele disse é lindo, fez carinho, beijou deu umas lambidinhas na cabeça, chupou um pouquinho, e perguntou se eu não queria por nele, eu disse tu não aguenta, vou só encostar na portinha, coloquei ele de joelhos em cima da poltrona, ficou com a bundinha bem altura certa, cuspi naquele cuzinho pequeninho encostei a cabeça e fiquei ali brincando, aí ele jogou a bundinha para tras, e eu firmei o pau e a cabeça se foi, ele deu uma gemidinha e ficou parado, eu fui empurrando devagarinho, com todo o jeito, quando vi estava tudo dentro, olhava e aquele cuzinho estava esticado no pau, dei umas estocadas, e resolvi levar ele para a cama, cara botei deitadinho de bundinha para cima que loucura de bundinha, cuspi bem no cuzinho de novo, deitei em cima,e fiquei olhando, eu corpo e tamanho de adulto, e aquela coisinha linda, novinha sumia embaixo de mim, encaixei o pau no buraquinho e meti tudo pra dentro, ele aguentou firme, me abracei forte nele, tramei minhas pernas nas dele e fudi com vontade, com desejo, com tesão, tirava e botava num ritmo gostoso, beijava o rostinho, as orelhinhas, a nuca e fudia, quando veio o gozo parece que o saco virou do avesso, era tanto leite que eu não imaginava ter, urrei, gemi, chorei de prazer, fiquei ali deitado, fazendo carinho e falando doce no ouvidinho dele, o pau foi amolecendo e saíndo por conta, resvalou pelas coxas dele lambuzando com resto de porra, levantei, levei ele para o banheiro, lavei ele, me lavei, e ele disse já está tarde vou embora, posso vir amanhã, eu disse pode vir sempre que quiser, fodi ele nos dez dias em que fiquei la, descobri que eu não era o primeiro, outros já tinham feito o serviço, mas o que importa!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)
Loading...