Pedro velho e gordo e a putinha esquecida

bom td começo no aniversario de Emily minha netinha quando ela fazia 11 anos em 01 setembro de 2015 .

bom sou viúvo aposentado gordo e digamos feio , tenho uma filha de 24 anos solteira e um enteado de 35 anos que me deu 2 linda netinha
Magali 13 anos seria comprometida com os estudo e Emily 11 anos sapeca menina que mais parece um menino corre joga bola e sobe nas arvores como um moleque .
como moro sozinho em um sitio perto de são Paulo em Jequitibá onde depois de viúvo me escondi do mundo .
minhas netinhas sempre passaram as ferias escolares comigo ,a nossa convivência sempre normal e mesmo viúvo a 5 anos nunca tinha olhado para elas com desejo de homem .
eu mesmo sabendo que não era um homem de corpo atraente saia com meninas de 19 a 25 anos ,pois sempre fui em zonas e lugar onde se paga para sair com uma novinha mesmo antes, pois não me sentia atraído por mulher de minha idade ,mais nunca fiquei com criança acho isso um cumulo .
mais neste aniversario conheci Flavia amiga de Emily com apenas 11 anos ela me chamo a atenção loirinha de cabelos compridos olhos verde como uma esmeralda pele branca como leite , fiquei inebriado com a beleza daquela menina logo Emily me apresento a ela e toda sorridente falo .
__o senhor que é o avô da Emily ,nhe tava louca para conhecer o senhor ela fica falando do senhor tanto .
__espero que bem .
___o que ela fala tanto do senhor e do sitio que eu to louca para conhecer o senhor me convida queria passar um final de semana lá .
—tudo bem quando a Magali e a Emily for lá tá convidada para ir tmb .
___oba , viu Emily teu vô deixo .
a Emily toda alegre falo .
___valeu vovô .
e sai as duas e começarão a correr ali no quintal da casa do meu enteado ,eu fiquei ali disfarçando mais a voz da Flavia não saia da minha mente e meus olhos sempre tava correndo a procurando ela parecia uma boneca de porcelana com a pele lisinha e um corpinho lindo ,ate me assustei pelo meu interesse nela não era normal .
Não passo muito tempo logo a Flávia me vem com uma moça bonita puxando e chegando perto de mim disse .
__Mamãe olha o vovô disse que posso ir com a Emily na casa dele junto com ela .
me apresentei a ela e fiquei sabendo que seu nome era Fabiana e ficamos ali conversando pois ela parecia a Flávia isto tiro minha atenção da menina pois eu adorava novinha e a Fabiana só tinha 26 anos e dona de corpo lindo .
No dia seguinte acordei e voltei para meu sitio ,depois de uma semana do ocorrido Flávia não me saia da cabeça e me peguei me masturbando pensando na menina eu mesmo tava me estranhando então resolvi descarregar .
fui a são Paulo a negocio e resolvi dar uma passada na praça da Republica lá quase sempre tem umas garotos novinha querendo dinheiro e eu como bom samaritano contribuo .
Procurando uma mais novinha possível qual a minha surpresa quando encostado em uma arvore ali estava Fabiana a mãe da Flávia ela fazia ponto ali .
Quando cheguei perto dela para conversar percebi que ela não se lembrava de mim então nd disse e fechei o preço mais disse que não iria no hotel que ela queria pagaria o dobro mais ela teria que ir em outro lugar.
Ela aceito então fomos ao estacionamento e peguei meu carro partimos em alta velocidade para o meu motel de costume, escolhi o quarto mais caro na recepção (era um dia especial) e finalmente estávamos a sós.
Assim que estacionei o carro, notei o nervosismo no rosto da minha putinha loirinha,mas o brilho em seus olhos verdes demonstravam seu encanto diante da novidade.
Eu não aguentava mais ficar guardada dentro da cueca,então supri seu desejo colocando-a para fora, perguntando à minha putinha se ela já tinha visto um cliente excitado daquela maneira. Ela ficou impressionada quando colocou meu amigo veludo em sua pequena mão branquinha e me deu um beijo delicioso enquanto eu já estava pegando aqueles peitinhos de mamilos róseos quase brancos, revelando à meia luz do interior do meu carro aqueles biquinhos que pareciam pequenas amoras vermelhas de tão ouriçados que estavam. Após me separar daqueles lábios doces, tais amoras foram o alvo da minha boca.
Ah l como eu adorava chupar aqueles peitos empinados e firmes.
meu tesão era grande demais para caber em um carro compacto, então eu saí com meu pirocóptero balançando e fui em direção à menina, que já se encontrava apoiada no carro com o vestido bem levantado, pronta para o pecado. A coloquei devidamente sentadinha no capô e alternei lambidas, beijos
e pequenas mordidas ao longo de suas coxas, até chegar próximo da bucetinha rechonchuda que ainda estava guardada pela calcinha amarela de algodão.
Após ver que o tecido da portaria do prazer já estava melado, aproximei meu rosto daquela gruta cheirosa e tasquei uma leve mordida naquele monte de Vênus ainda oculto. Ela soltou um gemidinho e empurrou minha cabeça contra sua deliciosa prexeca, que eu revelei apenas chegando a calcinha para o lado.
Aquele belo exemplar de buceta tinha sido especialmente trabalhado para a ocasião especial, visto que não havia qualquer vestígio de pelos pubianos .
Adornando tal portal do reino da putaria. Abri os grandes e pequenos lábios com meus polegares e enfiei minha língua bem no buraquinho, para sugar o mel direto de sua fonte. Era lindo como a loirinha se contorcia enquanto minha língua percorria sua prexeca suculenta, especialmente quando eu juntava os lábios em volta do clitóris e fazia uma leve pressão antes de chupá-lo vagarosamente fazendo com que minha putinha apertasse as pernas em torno da minha cabeça e implorasse por misericórdia.
Enquanto a doce menina do cabelo amarelo já implorava por meu vergalhão em seu interior, resolvi ser malvado e mandei que ela subisse para o quarto.
Não fiz isso para valorizar o alto preço daquela suíte master, foi apenas com a intenção de fazer algo bem interessante .
algo que aquela putinha que não me reconheceu nunca mais iria me esquecer .
continua ….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...