O outro lado da história

Olá, não sou escritor e nunca escrevi histórias , perdoem os erros.

Me chamo Alexandre, tenho 29 anos, sou casado e tenho um filho de 9 anos. Sou policial e trabalho na parte interna da delegacia, auxiliando em investigações e papeladas. Durante um turno noturno que eu estava cumprindo o computador que eu usava para trabalhar e passar tempo não queria ligar, e ainda faltava 6 horas até o meu turno acabar. Lembrei que tinha alguns computadores apreendidos numa sala de perícia e resolvi pegar um pra passar a noite tendo algo pra me distrair.
Peguei um notebook preto e liguei na tomada. Estava cheio de vídeos de sexo com crianças, por curiosidade comecei a abrir um por um. A maioria era de meninos de 8, 9 e 10 anos. Aquelas bundinhas rosadas, sem pelo… Os meninos pareciam gostar daquilo, todos rindo, e com cara de prazer. Bati umas 5 punhetas nessa noite, copiei vários vídeos no meu celular pra assistir depois e guardei o note no mesmo lugar pra que ninguém percebesse. Terminado meu turno, fui pra casa com aquelas imagens na minha cabeça.
Chegando em casa, meu filho Allan estava de saída para o colégio, assim que botei os olhos nele não pude deixar de lembrar dos meninos dos vídeos. Dei um beijo na bochecha dele e desejei um bom dia. Minha esposa trabalha no mercadinho do pai dela e já havia saído, as vezes só a vejo na hora do almoço e de noite antes de ir trabalhar. Durante o banho , aproveitei pra rever alguns vídeos e bater mais uma punheta, mas minha mente agora estava fixada no meu garoto. Resolvi pegar uma cueca dele no cesto de roupa, peguei a que ele vestia antes de tomar banho pra ir para a escola. O cheiro era delicioso, enfiei tudo na boca pra tentar sentir o sabor, pois o cheiro não era o bastante. Gozei como um animal.

Os dias foram passando e eu não consegui me livrar do pensamento de transar com meu garoto. Até que minha esposa teve que viajar para visitar uma fornecedores do mercado pra negociar novos preços, e ficaria por lá por 6 dias, pois não conseguiu marcar as reuniões no mesmo dia e não compensaria dar 3 viagens pro mesmo lugar em 6 dias.
Essa era minha chance de tentar algo.

1° dia- deixar meu filho me ver nu.
Assim que cheguei do trabalho ele estava saindo para a escola, eu perguntei:

-Tem mesmo que ir hoje pra escola? Tem algum trabalho pra entregar ou prova?

-não, por que?

-Então fica aí em casa, agente joga um pouco de vídeo game e vê uns filmes na netflix…

-sério pai? A mãe vai ficar brava quando souber.

-Se souber! Você vai dizer algo pra ela? Eu não vou!

-Então tá, eu fico em casa! Nem acredito que o senhor vai me ajudar bolar aula hahaha

Entrei no banheiro pra tomar banho e botar meu plano em prática. Enquanto isso , o Allan ia ligando o vídeo game na sala. Sai do banheiro com a toalha no ombro e totalmente pelado. Cheguei na sala, ele me olha com uma cara de espanto e desvia o olhar da minha nudez.

-que isso pai? Vai botar uma roupa!

-Allan, só estamos eu e você em casa. Somos homens e sou seu pai, não tem problema nenhum. Esta muito calor, quero ficar nu pra refrescar…

Pude notar que minha nudez deixou ele sem jeito, nunca havia me visto nu antes. Sentei no sofá de perna aberta e começamos a jogar. Notei que ele olhava de lado pra meu pau, e parecia estar impressionado com o tamanho, não sou super dotado como um ator porno mais tenho uma rola respeitável de 20cm.

Após 3 partidas chamei ele pra ir pro meu quarto assistir netflix. Ele topou , fui na frente enquanto ele guardava o vídeo game na caixa pra depois instalar no quarto dele, coloquei as botas é o cinto do meu uniforme (minha mulher acha um tesao quando estou só de cinto, com a arma presa na perna e de bota ).

Ele chegou no quarto e achou estranho eu ter colocado o cinto e a bota. Reparei que ele não tirava os olhos do meu corpo.

-Tô experimentando esse cinto e essa bota, são novos. O que você achou?

-gostei…

-tira a roupa também, Allan. Só tá a gente em casa.

Ele tirou e pude notar que seu pênis estava num estado alterado. Não duro, meia bomba. Deitei na cama de pernas bem aberta, deixando a visão livre pra o garoto ver a rola.

Coloquei no seriado sense8, no episódio que tem uma orgia bi, e muita nudez. Durante a cena meu pau ficou duro igual pedra e meu filhão não tirava o olho da minha rola.

-gostou?

-desculpa, pai. E que eu nunca vi um pinto tão grande!

-Você já viu o pinto de quem?

-do renan e do jairo (amigos de escola do meu filho).

-quer tocar nele? Tá duro igual pedra!

-O senhor vai falar pra minha mãe?

-não! Será nosso segredo!

-Então tá… nossa como é quente e duro!

Ele segurava o pau e apertava. Ensinei como bater punheta no meu pau. Vi que o pau dele também havia ficado duro. O meu pau babava muito, e o líquido escorria pela mão do meu filho.

-quer colocar na boca?

-(ele diz que sim com a cabeça)

-tenta colocar o máximo que puder dentro e chupa.

Ele abocanhou como se fosse um sorvete. E chupou como se fosse a coisa mais gostosa do mundo. Deitei na cama e puxei ele pra cima do meu corpo, fazendo um 69 com ele. Meti A língua naquele cuzinho rosa que eu desejei tanto. Ele gemia e chupava ao mesmo tempo. Não resisti e gozei naquela boquinha quente. O sabor daquele cú era delicioso. Ele não gostou muito do sabor do sêmen mais limpou o pau todo.

-pai, engoli toda a sua goza.

-Você já sabe o que é isso?

– haha claro, sei várias coisas, vi tudo na Internet.

-Por isso chupou tão bem.

-quer comer meu cú? Sou virgem e tem que ir com calma!

Continua…
Escreva o que achou, não sei se consegui passar a emoção de quando aconteceu. Espero que tenham gostado. Meu filho hoje tem 11 anos e adora rebolar na minha pica enquanto estou vestido com meu uniforme…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...