Filhinha Ciumenta

Oi meu nome e José Luis, tenho 32 anos, casei com minha mulher Erika aos 21 anos e logo descobrimos que não podíamos ter filho, pois minha mulher tinha um problema no útero que impossibilitava, fizemos tratamento durante 6 anos e nada, então ela me convenceu a adotar uma criança, deixei isso por sua conta, fomos ao serviço de adoção e nos cadastramos e minha mulher passou a visitar abrigos de crianças essas casas de acolhimentos. Certo dia chegou em casa e disse que tinha encontrado a criança que queria adotar. E marcamos o dia de fazer a visita a criança e a assistente social quando chegamos lá minha mulher me apresentou uma menina branquinha de olhos azuis toda tristinha magrinha de uns sete a oito anos de nome Maria Clara. Fizemos a visita minha mulher conversou com a menina e com a assistente social e fomos embora, tentei convencer minha mulher que a menina era grande de mais, além de não ter nossas características como ton. de pele cor de olhos e outras semelhanças que nos pudéssemos dizer é nossa filha, sem as pessoas não divergirem, todos os meus argumentos não convenceram minha mulher. Então foi montado o processo de adoção e em prazo recorde o juiz autorizou adoção. Fizemos os registros da criança que passou a ser nossa filha legal, o tempo foi passando e amenina era um doce obediente carinhosa como e com minha esposa, quatro anos depois minha mulher adoeceu e começou a emagrecer muito e descobrimos que tinha um câncer de útero em estado avançado operou mais um ano depois de operada veio a falecer e eu fiquei com a menina de 12 anos, linda de corpinho perfeito parecia uma boneca de porcelana, o corpo parecia ser desenhado, era minha filha adotiva Maria Clara, contratei uma empregada para o serviço diário porem a noite ela ia para casa dela. Quatro meses depois que minha mulher morreu eu já estava namorando com uma moça de 19 anos e a levei para conhecer minha casa. Maria Clara quando viu a minha namorada ficou emburrada e disse que ia deitar que estava com dor de cabeça e cinco minutos depois esta chorando alto que deu para eu ouvir, foi ate o quarto de minha filha ela estava chorando perguntei o que era e fui tocar a mão nela estava ardendo de febre, mandei a namorada embora e levei Maria Clara ao pronto Socorro, o medico examinou e disse que ela não tinha nada que inclusive não tinha febre e que não tinha dado nenhum remédio a ela, que a febre que eu vi devia ser emocional. Porra fiquei encucado e comecei a conversar com ela o que foi que ela viu, ficou calada e depois de um tempo respondeu FIQUEI COM MUITO ODIO QUANDO LHE VI COM AQUELA MULHER. Argumentei que eu precisava refazer minha vida e que eu tinha que casar e lhe dar uma mãe, ela respondeu que não precisava que só eu e ela estava muito bom, querida eu preciso de uma mulher pra viver comigo, então ela disse e eu não sou mulher, respondi querida você é uma linda mocinha e vai ficar um lindíssima mulher mais o seu pai precisa de uma mulher para cuidar da casa dormir com ele, você sabe essas coisas, ela respondeu então eu vou dormir com você, tá doida você é minha filha, ela respondeu não sou não sou adotada eu me calei e fiquei pensando no que aquela menina falou. Chegando em casa coloquei o carro na garagem e ela entrou, eu também entrei e fui para meu quarto. Cinco minutos depois minha filha entrou no meu quarto e disse que tinha vindo dormir comigo, ela estava com um camisolazinha fina que deixava a amostra suas curva lindas e o peitinho de ninfeta, eu disse Maria Clara vai dormir no seu quarto ela disse não vou dormir com você e a partir de hoje vou ser sua mulher, você sabe que isso é loucura, depois quando você descobrir alguém por quem se apaixonar vai se arrepender, ela disse eu já estou apaixonada por você a muito tempo antes da mãe morrer, e começou a me abraçar e passar a mão no meu corpo e eu pensando o que fazer, nisso ela foi se aconchegando comigo e me beijando no e meu pau querendo estourar dentro do short, preguntei você não vai se arrepender? Disse não eu amo você e tascou um beijo em minha boca. Dai em diante eu reagi pequei e comecei a beijar, passar a língua em sua orelha fazendo ela se contorcer.
Depois conto o resto

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 2 votos)
Loading...