casado com duas irmãs continuação…1

Bom, continuando minha historia, para quem não leu a primeira parte CASADO COM DUAS IRMÃS, sugiro ler antes de quantinuar. Resolvemos nos mudar e decidimos mudar para o interior, quem sabe para uma casa no campo ou algo assim, procurei por algumas semanas então encontrei uma chacara, a casa com 3 suites, sala e cozinha conjugadas, banheiro social, e mais um escritorio, e uma boa area de terra, Lu e Le se apaixonaram pelo local na primeira olhada que deram, então decidimos que ali seria nosso lar, comprei o imovel e nos mudamos, minha casa da cidade coloquem em uma imobiliaria para locação, levamos o basico para nossa casa nova, la chegando eu e Lu ficamos com o quarto que fica mas ao fundo da casa e Le o primeiro perto da entrada, a principio parecia que estaria tudo bem e tranquilo, mas eu estava enganado, Lu sempre querendo mais a minha atenção não me largava de mão, a todo momento queria fazer amor, ate a bundinha deixou em comer bem gostoso, mal sabhia eu que era por causa da Le, ela não tava querendo mais dividir o homem dela com a irmã, mesmo assim a Le sempre que podia fazia eu meter nela, ja estavamos a 5 meses nessa, então coloquei as duas sentadas na sala e pus um basta naquela situação, disse que não aguentava mais, que o ciume delas tinha que acabar, já que tinhamos decidido morrar juntos nos 3 com nossas filhas, teriamos que entrar em um acordo para uma melhor convivencia, primeiro pensamos em uma tabela, um dia para cada uma dormir comigo, não funcionou, foi foi que eu disse, as meninas ja dormem nos berços sozinhas, eu quero minhas duas mulheres gostosas na minha cama comigo, a Lu fez cara de braba e a Le de quem não gostou, mas na noite depois que as bebes estavam dormindo peguei ela pela mão e levei para o quarto que não haviamos ocupado, coloquei as duas na cama, tirei minhas roupas e deitei no meio, coloquei cada uma em um bracho dei um beijo de boa noite em cada uma, i fiquei alizando as costas delas, elas foram se acalmando e o negocio foi ficando quente, ja começamos com beijos mais intenços e elas se esfregando em mim, a Le foi mais ousada e me deu op peito pra lamber, a Lu vendo não quis ficar pra traz e tambem me ofereceu seu peito, nisso elas começaram a disputar entre elas quem me dava mais carinho o que uma fazia a outra tentava fazer melhor, chuparam meu pau, deram suas bucetas para eu chupar, ate que enquanto eu chupava gosotoso a buceta da Lu, a Le centa no meu pau e começa a cavalgar gostoso, que delicia, chupando uma e sendo cavalgado pela outra, alizando aqueles corpinhos jovens e tesudos, que noirte maravilhosa, e as bebes nem choraram a noite, ja na madrugada atolando na bundinha da Le e batendo uma siririca pra Lu, ja não gozava mais, caimos os tres na cama e dormimos, apagamos por completo, na manhã seguinmte chega de surpresa minha sogra “amada sogra”, ela entrou pela porta dos fundo e não encontrou ninguem, ela procurou nos quartos e quando chegou no quarto que estavamos descobriu que eu estava com as duas filhas dela na mesma cama, nós 3 pelados dormindo agarrados, ela deu uim berro e começou a nos chingar, chama as filhas de putas, chinas, rampeiras, cadelas, e muito mais, passado algum tempo ela na cozinha, nós ja haviamos nos vistidos, as meninas alimentavam as bebes, então na maior cara de pau eu disse, “é isso ai, to comendo suas filhas sim, e mais, as duas bebes são minhas filhas, fui eu quem embarriguei as duas, e por isso que to com as duas como minhas esposas.” Minha sogra emputecida disso que ia me denunciar, que ia me colocar na cadeia, que eu ia apodrecer la, quando a Lu e a Le, gritaram cala boca mãe, fica quieta, vai denunciar nada, a gente ama ele, ele cuida da gente como ninguem cuidou antes, e se ele for preso como vai ficar as bebes, sem pai? Nós ja nos mudamos para ca para não ter problemas, e o que ta faltando pra senhora para de se meter nas nossas vidas e um macho, mais um que nem o nosso que nos deixou arreganhadas e acabadas essa noite, e as duas começaram a me paparicar, me deram fruta na boca, iogurte, suco e torradas, é vamos alimentar bem ele para poder nos cuidar e fazer amor bem gostoso depois, com isso minha sogrinha querida viu que as duas não iriam mudar de ideia e estavam me apoiando por inteiro, então ela resolveu aceitar a situação, nisso eu disse pra ela, cuida ds bebes, curte um pouco elas que eu vou curtir um pouco mais as truas filhas, levei elas pra o quarto e fudemos gostosoaté perto do meio dia. Depois disso nossas vidas ficaram muito melhor, agora nos ja estavamos mais liberados em casa e passamos a andar pelados, nossas filhas foram crescendo em tambem entraram no ritimo, em casa sempre todos pelados, os anos foram passando as meninas entraram pra o colegio e ai começou uma nova jornada em nossas vidas, nossas filhas começaram a trazer amiguinhas pra casa, entao ja não podeamos estar sempre pelados, a não ser quando elas fizeram 9 anos e nesta epoca tinha 3 amiguinhas que sempre estavam em nossa casa, Juliana 10 aninhos, Cibele e Marta 9 aninhos, certo dia estavamos todos em casa e as tres amiguinhas delas chegaram para passar o findi com elas, na noite de sabado, minhas filhas sem maldade simplesmente tiraram as roupas e ficaram peladinhas, nisso a Le viu e para não deixar as 3 amiguinhas delas constrangidas tambem tirou a roupa ficando peladinha tambem, as meninas ficaram meio assustadas de inicio, mas foram conversando e se soltando ate que nem estavam mais encomodadas com a situação, só que começou a curiosidade, elas começaram a perguntar pra minhas filhas se elas não tinham vergonha de ficarem assim na minha frente, e elas disseram que não, depois perguntaram se eu tambem ficava pelado e elas responderam que sim, que a gente so não tava ficando mais porque elas tavam indo la em casa, nisso a Juliana pergunta, então voces ja viram o pirulito do pai de voces, sim, a toda hora porque, tu quer ver, não não não é isso, tenho vergonha disse a Juliana, nisso minhas filhas me chamaram e disseram que as amiguinhas querian ver meu pirulito, eu respondi que não poderia, que elas não estavm acostumadas com o nosso estilo de vida e depois se elas falassem para alguem eu poderia ir ate preso, neste momento a Le como sempre mais ousada e espontrania falou, quem sabe voces não querem tambem tirar as roupas, e nossas filhas ahcaram o maximo e incentivaram, Cibele de imediato aceitou e ja foi ficando peladinha, a Marta meio com vergonha disse que tirava a parte de cima mas queria ficar de calcinha e shorts de dormir e assim o fez, ja a Juliana ficou quieta e não falava nada, a Lu então perguntou o que eatava acontecendo que ela não falava nada e nem tirava a roupa, nisso a Juliana conxichou no ouvido da Lu, “é que eu to mestruada”, a Lu confortou ela e disse que ficasse de calcinha e shorts tambem como a Marta, ela foi tirando aos poucos e revelando um corpinho lindo de mais, agora elas ja estavam todas prontas e nossas filhas me olharam e disseram, e o pai não vai tirar não, eu disse vou tirar, mais vou ficar de cueca, ja que a Marta e a Juliana estam de shortinho de dormir, e fiquei de cueca Box, jantamos e as meninas começaram a brincar, fizeram uma bagunça e aquele corpinho da Juliana lindo agora mais drscontraido me deixava com muito tesão, a Lu percebeu mas não falou nada naquela noite, a findi passou as amiguinhas foram embora e eu pude fazer amor gostoso com minhas esposas. Passados uns 3 dias do findi ewstavamos eu, a Lu e a Le no quarto quando a Lu larga aquela bomba, “Tu tava loucpo de tesão na Juliana sabado a noite né?” eu fiquei meio sem jeito mais acabei concordando, a Lu e a Le conversaram coxichando e depois me perguntaram se eu tinha tesão pelas nossas filhas, na hora disse que não, que nunca havia olhada nossas filhas desta forma, passou o assunto encerrou mais aquilo ficou em minha cabeça, dormimos, na madrugada eu sinto que algo tocava meus labios me despertando meio sonolento, e me deparo com a Le segurando a Cri que estava acachada com a bucetinha na minha cara, esfregando pra fima e pra baixo, ela queria ver qual seria minha reação, acho que nao ddecepcionei ela pois meu instinto fez eu colocar a lingua naquela bucetinha e dar uma lambidas, depois chupei gostoso e a cristina pela jeito tava gostando, a Le fez a cris segurar na cabeceira da cama e continuar me dando a bucetinha pra mamar, meu pau ficou duricimo e a Le caiu de boca nele ate eu gozar e ela engolir tudinho que loucura nisso a Cris gozou, algo meio timido mais muito gostozo, não em grande quantidade mais ela ficou toda tremula e depois meio que desfaleceu, assim começamos nossa vida incestuosa com minhas filhas, no outro dia a Cris fala pra fernanda o que tinha acontecido, a Lu muito puta da cara não falou com nos o dia todo, mas na noite todos de banho tomado, a Le pega a Cris e diz, vamos bricar com o papai denovo, a Cris olha a Fernanda e diz só se a Fernanda tambem brincar, ok tudo bem e ali na sala mesmo começamos um chupa chupa daqueles, só chupando sem penetrar minhas filhas, a Lu viu e não guentou o tesão entrando na brinmcadeira tambem, os dias foram passando e a gente brincando, no fin de semana as guria marcaram com as amiguinhas para dormirem la em casa denovo, a Lu e a Le me pegaram de canto e disseram, “tu te controla, secega esse teu tesão, aquela Juliana vai vir, e pelo geito não deve estar menstruada hoje, então sem pensar bobagem, ok?”, bom as meninas chegaram a tarde de sabado tipo 14:00 hs e foram pra uma piscina dessas de plastico que eu tinha colocado nos fundos da casa, como a chacara é pra fora e os vizinhos são distantes minhas filhas tomavam banho peladas, com isso as amiguinhas que agora ja não tinham mais vergonha tiraram suas roupas e tambem toram banho peladas, quando reu vi aquela bucentinha lizinha com alguns pelinhos ralos na testainha e aquela bundinha arrebitada da juliana, não consegui segurar e fiquei de pau duro na hora, e como disfarçar, não teve como não, então entrei pra fdentro de casa e fiquei pela cozinha tomando umas cevas pra tentar relaxar, mas não tava adiantando não, e o pior tava por vir, Juliana entra na casa me pedindo um refri, abri o refrigerador e peguei a latinha, quando fui alcançar para a Juliana, a latinha caiu de nossas mãos e rolou, a Juliana foi pegar e inclinou seu corpo pra frente deichando aquela bundinha errebitada empinada em minha direção, e pude ver melhor aquela bucetinha com as perninha um pouco abertas, por um vasilo irresponsavel , me ajoelhei tão rapido que nem tinha percebido e segurando firme a cintura da Juliana cai de boca naquele cuzinho rosadinho e naquela bucetinha inchadinha, ela se assustou que não conseguiu nem gritar, só tentava se desenciliar e sair, mais eu erstava segurando firme e enfiando minha lingua em seus buraquinhos, ela foi se entregando ao prazer e ja não tentava mais se soltar, ao contrario forçava seu corpinho contra minha boca e lingua, continuou enclianada pra frente e agora se apoiou no balcão e começou a gemer e dar umas reboladinhas, minhas maos ja não a seguravem mais, e sim passeavam pelo seu corpinho, e ela toda arrepiadinha e gemendo cada vez mais, não tinha percebido mas a Cristina e a Fernanda foram ver porque a Juliana estava demorando e estavam olhando eu chupar a amiguinha delas, nisso dou mais uma chupada e enfio a lingua o quanto deu na bucetinha da Juliana que agora souta um gemido mais alto e se estremesse todinha gozando em minha boca, que coisa maravilhosa, sentir aquele gozo quente gostozo, de uma ninfetinha virgem, seu corpo se solta todo quase caindo, seguro ela em meus braços, e só neste momento que percebo a minha plateia, 6 mulheres olhando eu fazer Juliana gozar em minha boca, Cibele estava com as maos entre as pernas, a Marta com o rosto todo vermelho, uma perninha esfregando na outra e com uma mão no meio das perna precionando a bucetinha, a Lu e a Le ja esclamando um pouco de indiguinação falaram, “ok nos dicessemos pra ti, segura teu facho, segura teu tesão, e na primeira oportunidade tu ja ta chupando a menina, ta que pelo gento ela gostou, mas tu tinha que ter segurado o tesão, a gente te pediu isso.”, a Fernanda sem falar nada surpreende todos, chegou bem perto de mim, levou a mazinhas em minha cabeça meio que fazendo um cafune, fala “ ok, agora e minha vez.” E puchou minha cabela de encontro com a bucetinha dela, nisso eu de pau dura chupando mais uma bucetinha, recebo um carinho de bucetinha novinha na cabeça do meu pau, Cibele segurava meu pau e esfrgava seu bucetinha na cabeça dele meio que forçando no buraquinho, acho que alguem ja estava tentando comer ela, então a suruba ficou formada, depois daquele dia sempre tinha minta chupeta e esfregha esfrega, Juliana por sua vez começou a frequentar mais seguido nossa casa indo passar praticamento todos os finais de semana com nos, saia do colegio na sexta e ia direto la pra casa, Cibele tambem das suas escapadas e ia la pra casa, só que antes de chegar em nossa casa, ela pedia pra eu buscar ela na estarada, ela foi a primeira a perder a virgindade, mas esta eu conto em outra opornunidade,
Espero que tenham gostado, se gorarem coloquem nos comentarios…..ai eu continuo contando a minha vida pra vcs.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...