Minha Irmãzinha, Meu Pai, Meu Irmão e Eu

Olá a todos, sou o Victor, tenho 18 anos, sou alto, faço academia, tenho um corpo bonito, sou moreno e moro com meus pais, minha irmã e meu irmão. Moramos em uma cidade no interior do RJ, vou chamá-la de CF (mesmo não tendo nada a ver com a sigla). Minha irmã, se chama Victória (todos os nomes são verdadeiros exceto dos locais), ela tem 8 anos e é meio bobinha. Ela é branca, baixinha também, mas é bonitinha. Meu irmão Andre tem 19 anos, mas trabalha e faz faculdade e, meu pai é altão, moreno, tem 38 anos, aparenta ser mais jovem e é muito bonito. Meus pais são casados há muito tempo, eles tiveram seu primeiro filho (Carlos) antes de se casar, com 19 anos. Vamos ao que interessa:

Minha irmã é muito curiosa, porém é uma anta… é muito lerdinha e bobinha, não sabe das coisas e esquece rápido. Em casa, somos muito liberais, mas não significa que andamos pelados e tal. Quando chego da escola, eu fico sem camisa, sem cueca e coloco um short qualquer só para almoçar, tirar um cochilo e depois tomar banho pra ir à academia. Todo mundo em casa trabalha, exceto minha irmã e eu. Enfim… Estávamos em abril, cheguei cansado da escola e decidi que não iria à academia. Minha irmã chega primeiro, mas ela pode ficar sozinha em casa, até porque sabe que não pode mexer em nada de fogo ou algo que possa causar um acidente sozinha. E também temos minha avó que mora na casa do outro lado da rua. Tomei um banho, coloquei o tipo de traje de sempre (sem cueca, sem camisa, só de short), almocei e deitei no sofá. Acabei cochilando, quando foi umas 15h, ela me acordou perguntando se eu não iria à academia, eu disse que não e, voltei a dormir. Mais tarde, acordo excitado, como sempre, pois durmo de barriga pra baixo e meu pau fica pressionado contra o sofá. Levantei e fui ao banheiro, quando voltei, Vic estava em seu quarto. Lanchei e voltei para o sofá e fiquei mexendo no celular.

Mais tarde, na janta, minha mãe anuncia que viajaria por 2 meses à trabalho (ela é gerente de uma filial do banco) e precisaria ir à uma convenção e fazer um curso em SP. Bem, no dia seguinte, fiz o mesmo: cheguei da escola, almocei, cochilei e mais tarde, tomei banho e fui para a academia. Quando cheguei, o carro do meu pai já estava na garagem. Entrei, tomei banho e coloquei um short largo. Meu pai foi tomar banho e minha irmã estava comigo na sala. Ela disse “peraí que eu vou falar com o papai” e eu disse “o papai está tomando banho” e ela disse “o que que tem?” e saiu. Eu fiquei meio “como assim?” e depois fui atrás brigar com ela, mas quando eu vi, ela já estava dentro do banheiro perguntando “o que é isso?” e meu pai disse “é meu pinto filhinha”. Ela acabou tocando seu pinto, meu pai não se aguentou e gemeu… Eu fiquei pasmo, mas ao mesmo tempo eu gostei. Quando meu pai me viu ele levou um susto enorme, eu saí e ele foi para o quarto.

No outro dia (sábado), assim que cheguei da padaria de manhã, ele sentou-se ao meu lado na mesa e disse “filho, desculpa… eu não sei o que me deu, mas foi tão espontâneo! sua irmã é pequena, e minha filha, eu fui errado” e eu o cortei “pai, tudo bem. eu não te julgo, eu sei que foi ela. eu no seu lugar faria o mesmo” e ele perguntou “faria?” eu disse “sim, acontece” e ele disse “é mesmo…”. Eu nunca falei sobre minha intimidade com ninguém da minha família, mas desta vez eu tava me sentindo estranho, eu dormi excitado lembrando da cena e soltei “pai… eu confesso que me excitei com aquilo” então ele surpreso disse “pelo menos não sou o único” perguntei “você se arrepende?” e ele disse “não, acho que não” fiquei surpreso mais balancei a cabeça afirmando, “acho que se fosse comigo também não me arrependeria” falei. “filho, não conta pra ninguém, por favor…já convenci sua irmã e ela promete não contar” eu disse “tranquilo, eu não conto…” e ficamos em silêncio. Quebrei o silêncio dizendo “eu não sou de falar minhas intimidades com vcs, mas eu já fiquei de pau duro por causa da Vic”, então ele disse “é normal meu filho… quando eu era moleque, já peguei sua tia” ele se referiu à sua irmã, minha tia, eu fiquei surpreso e disse “sério?”, ele respondeu “sim, ela pedia pra ver meu pau e ficava pegando nele, então namoramos um ano, mesmo ela tendo namorado. nossa família tem essa hereditariedade, vários primos já me relataram esse tipo de acontecimento”, eu fiquei abobado, mas então criei coragem e disse “se um dia… sei lá, acontecer de acabar rolando algo com a Vic, vc vai ficar bravo?” então ele me surpreendeu dizendo “só se vc não ficar bravo se acontecer comigo” e eu disse “beleza…” então ele disse “quando o seu irmão era pequeno, eu fiquei de férias, então ficava nós dois sozinhos em casa, eu gostava de andar pelado, e ele só sentava no sofá se fosse no colo de alguém, então eu acabava de pau duro. quando ele dormia no meu colo, eu batia uma e gozava na bundinha dele” e então eu fiquei realmente surpreso, mas ele disse “relaxa que não aconteceu com vc, eu parei com isso quando ele fez 11 anos”.

Beleza. Aquela conversa foi boa, mas eu não tinha nada em mente pra fazer com a Vic, acho que não queria fazer nada mesmo, até pq eu nem tinha tesão nela, só as vezes que eu ficava de pau duro.

Os dias se passaram, e quando se passou 2 semanas, eu cheguei da academia, meu pai estava com ela no quarto. Ele dizia “ele fica desse jeito, ele fica menor e mole e pode ficar bem grossão. ele tbm pode derramar um leite tbm” e ela respondia “que legal”. Pela abertura da porta eu vi ele colocar sua cueca e dizer “pronto, agora vai brincar”, então fui para meu quarto. Mais tarde, jantamos e fomos dormir. Eu dividia o quarto com meu irmão, ele estava dormindo, levantei para beber água, quando passei em frente ao quarto do meu pai, Vic estava acordando ele. Decidi ver onde isso ia chegar. Ela o acordou e pediu “papai, deixa eu ver seu pinto de novo?” ele respondeu “agora filha? era pra vc estar dormindo” ela disse “por favoooor! deixa só eu dar uma olhadinha” então abaixando sua cueca ele disse “tá bom meu anjinho, faz o que vc quiser”. Ela ficou alisando o pau do meu pai, ela balançava, apertava e meu pai gemia. Até que ele disse “faz isso” e ensinou ela a bater uma pra ele. Ela começou a movimentar pra cima e pra baixo rapidamente, ele deu uns gemidos fortes e disse “vou gozar princesa” e então eu pude ver a porra do meu pai espirrando em seu abdômen. Nossa! Era muita porra, eu fiquei muito excitado, corri para o banheiro bater uma.

No outro dia, lá vinha eles dois para a mesa o café, soltinhos. Eles sentaram um ao lado do outro, então meu pai disse “Vi, vou precisar ir em AC (uma outra cidade, levava 3h até lá), devo voltar amanhã. Cuida da Vic?” respondi “Cuido pai”. Mais tarde, quando voltei da academia, cansado e suado, Vic já veio saidinha em cima de mim “Vi… papai já foi. agora vc que vai cuidar de mim” eu disse “tá, vou tomar banho”. Enquanto estava lá começando o banho, ela bateu na porta, pedindo pra abrir, que tava com medo. Quando abri, ela disse “obrigado Vi…” eu perguntei “que foi? O que vc tá com medo?” ela respondeu “nada, só queria entrar” eu disse “mas eu tô tomando banho!” ela respondeu “e daí? continua” eu bufei e disse “vira de costas pra mim vestir a roupa” ela disse “não precisa” eu gritei “precisa sim Victória!” ela disse “aiii, não grita comigo! o papai deixa eu ver”, eu respondi já sem paciencia “tá!”. Tentei colocar a cueca por baixo da toalha, mas a toalha caiu. Estava pelado, e minha irmã vendo. Ela disse “nossa que bonitinho seu pinto Viii” eu respondi debochadamente “obrigado vic”, então ela disse “posso tocar?” eu, que estava me vestindo parei, pensei e acabei me excitando. O tesão falou mais alto, respondi “pode”. Ela se aproximou, colocou a mão no meu pau e começou a movimentar como se estivesse batendo uma pra mim. Aquilo era delicioso! Comecei a gemer, ela começou a bater uma pra mim mais rápido e eu vi que meu pai ensinou certinho ela. Aquilo era demais… eu, virgem, só tinha no máximo dado uns beijos nas meninas, estava sendo masturbado pela minha irmazinha. Que delicia… Mandei ela apoiar o braço, e comecei a “foder” sua mão. Em instantes meu pau inflou e soltou jatos de porra,sujando a parede toda. Nunca tinha gozado tanto na minha vida! Que gostoso.

No dia seguinte, meu irmão sério veio conversar comigo. Ele disse que acordou com a mão da Vic no pau dele e me perguntou se eu sabia de alguma coisa. Eu falei pra ele perguntar para o papai. E foi o que ele fez, quando meu pai chegou, um tempo depois ele explicou a situação e o papai disse “é uma fase, logo passa”. Eu saí com uns amigos da escola, fiquei de dormir na casa de um, mas decidi voltar pra casa. Quando cheguei no quarto, sem fazer barulho para ninguém acordar, Vic estava punhetando Carlos. Eu não fiquei surpreso, mas Carlos quase infartou de susto… Após eu explicar que nossa irmanzinha era uma máquina de punheta para os homens da casa, Carlos se contentou e então acabamos ensinando nossa irmanzinha a chupar. Espero que gostem, é tudo verdade… Ela ainda chupa a gente, mas não queremos penetrá-la. Ela só engole meu gozo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 4 votos)
Loading...