Comi minha aluna de 13 anos (PARTE IV)

– Você teria coragem de me deixar transar com outro na sua frente?
Aquela pergunta foi como um soco no estômago, me senti enciumado com o simples pensamento de vê-la transando com outro.
– Não amor, não tenho coragem e não quero isso.
– Quando voltarmos pra casa você vai se separar da sua esposa pra ficar comigo?
– Não posso fazer isso.
– Então você vai querer ficar comigo e com ela? Eu vou sentir ciúmes de saber que você também vai transar com ela. Tá certo isso?
– Mas amor…
– Sem mas…o negócio é o seguinte, se você se separar dela eu vou ser só sua, mas se você não se separar, eu também quero ficar com outros.
– Só de pensar em outro com você eu morro de ciúmes, eu te amo!
– oh meu amor, também amo você e não é porque farei sexo com outros que vou deixar de te amar…além disso vai ser gostoso…deixa vai amor!
Ela pegou meu pau e chupou gostoso até eu concordar:
– Tá bom amor, não sou seu dono e também não é justa essa situação. O que você quer fazer?
– Eu vou na piscina do hotel e com certeza algum rapaz vai se engraçar comigo. Aí eu o chamo aqui pro quarto e você fica escondido no banheiro espiando. É só uma rapidinha.
– Tá bom amor, espero que consiga controlar meu ciúmes.
Ela vestiu um biquíni fio-dental e desceu pra piscina que estava lotada de pessoas, inclusive molecada, e da janela do nosso quarto dava pra ver tudo. Não demorou pra um deles chegar nela e puxar papo, um papo que demorou uns 20 minutos e terminou com um beijo na boca; pronto, era o sinal pra me esconder no banheiro. Não demorou muito ela abriu a porta e entrou com o rapaz:
– Você tem certeza que seu pai não vai chegar?
– Tenho, mas tem que ser rápido…vem!
Ela tirou o biquíni, ele tirou a sunga, ela sentou na cama e caiu de boca no pau dele que era bem menor e mais fino que o meu. Depois ela deitou, ele deitou por cima, beijou sua boca, chupou seus peitos e depois deu uma chupada bem sem graça na bucetinha dela, tanto que ela quase não gemeu. A minha vontade era entrar lá e acabar com aquilo, era muito ruim ver minha menina linda se pegando com aquele moleque sonso que nem uma buceta sabia chupar. Ela deu uma camisinha pra ele, que encapou o pau e comeu a buceta dela, mas não durou 5 minutos e gozou.
– Você já gozou?????
– Já sim gatinha, você é demais, muito gostosa!
– Hum…ok então, é melhor você ir agora senão meu pai chega.
Larissa se despediu dele e correu pra cama, onde começou a chorar feito uma louca. Eu corri até ela, sentei na cama e ela também se sentou e me abraçou forte dizendo:
– Desculpa meu amor, foi horrível o que eu fiz e a transa foi pior ainda…me perdoa, eu te amo…ninguém sabe fazer igual você.
– Meu amor, minha menina não se preocupa, eu te amo muito…vamos esquecer disso e se um dia você quiser repetir isso vamos fazer do jeito certo ok?
Beijei sua boca com carinho, deitei-a na cama e chupei aquela bucetinha linda do jeito que ela gostava e depois meti meu pau nela e a comi até a hora de irmos embora. Voltamos pra casa, e continuamos nosso namoro, sendo que nunca mais ela fez sexo com outro, mas um dia se mudou e não a vi mais e também nunca mais me envolvi com meninas novinhas; até hoje nos falamos por whats, ela casou e tem filhos, mas ainda nos amamos.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...