Vizinha novinha sem as chaves

Meu nome é Douglas, tenho 21 anos e vou contar algo q vem acontecendo comigo já a alguns meses. Eu moro sozinho em uma quitinete, passei para a Universidade em outro estado então estou me virando como da.
Um dia estava eu voltando da aula, devia ser por volta de 17:15h mais ou menos, e vejo uma garota meio rolicinha q aparentava ter uns 10 12 anos, sentada na porta da minha quitinete. Pedi licença pois precisava entrar e ela me perguntou se não podia usar o banheiro e ligar para a mãe pois estava sem a chave. Não vi problemas e permiti q ela entrasse, não havia nada demais nisso.
Emprestei o telefone e ela me disse que a mãe iria demorar … comecei a ficar meio tenso pois não sabia o que fazer com aquela garota lá, então comecei uma conversa, ela me disse que se chamava Gabriela, tinha 10 anos, morava na quitinete ao lado com a mãe e que a mesma trabalhava numa loja de calçados que ficava no centro e que chegaria em casa por volta de 20h, e que todos os dias ela ficava sozinha nesse horário mas hoje ela não sabia onde estava a chave.
Eu juro que não havia segundas intenções da minha parte em momento algum … Mas não podia deixar a menina sozinha na rua, então disse que ela poderia ficar lá em casa até o horário da mãe voltar.
Peguei meu notebook e a chamei para ver filmes, não tenho sofá então deitamos na cama e começamos a assistir Detona Ralph que ela escolheu. Ela estava meio sem graça ainda, então fiquei puxando assunto pra ver se ela se soltava mais, comecei a perguntar da vida dela e descobri que a safadinha tinha um namoradinho de 15 anos que trazia as vezes para a casa depois da aula. Nessa hora eu decidi que iria cobrar um pouco a minha hospitalidade.
Comecei a chegar mais p perto dela e dizer que ela era muito bonita e que com certeza ele gostava muito dela, ela que já estava mais a vontade colocou o note do lado e deitou de lado pra mim, me contando que o namorado só vinha porque sabia que ela gostava dele e que ele não ligava pra ela. Confesso que fiquei com peninha na hora, mas não podia perder a oportunidade, então comecei a acariciar o rosto dela e disse que podia ser o namorado dela se ela quisesse. Ela ficou me olhando com um sorriso sem graça, como não demonstrou nenhum tipo de reação eu a beijei. E que beijinho lindo e desajeitado, foi uma delícia, fiquei duro na hora e me sentei colocando ela sentadinha no meu colo, ela não saiu, muito pelo contrário, ficou dando umas reboladinhas muito gostosas com aquela bundinha carnudinha. Perguntei se ela era virgem e ela balançou a cabeça que não, daí já não tive mais duvidas, eu tinha que comer aquela delicinha. Deitei ela na cama e tirei a roupinha dela, tinha pelinhos ralos, peitinho começando a querer crescer, uma graça.
Chupei bastante a bucetinha dela, estava com um gostinho azedinho mas nem me importei, pincelei um pouco o pau nela e meti ate o talo de uma vez só. Ela deu um gritinho nessa hora e eu não resisti, era muito apertadinha, uma coisa magnífica, ela dava pequenos gemidinhos que me deixavam mais doido ainda. Gozei muito rápido com aquela cena dela recebendo todo meu pau naquela xaninha pequena e apertada. Ela ainda me deu uma mamada antes de ir embora.
Sempre que da ainda recebo Gabriela na minha casa, estou só esperando a oportunidade pra comer aquele cuzinho também.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...