O “titio” da Lorrayne

Continuação de Arrombando a bocetinha da Lorrayne!!
Sempre fui um cara calmo, um cara família, nunca tinha sentido qualquer desejo por meninas pré púberes, não acreditava que crianças sentiam tesão, e não acreditava que uma menina fosse capaz de seduzir um homem a tal ponto que ele cometa uma loucura, sempre fui daqueles que defendiam que o adulto é sempre o culpado e que criança não tem malicia (falo isso referente aos inúmeros casos de “abuso” sexual que se vê nos jornais, onde na maioria das vezes o acusado diz: “ela estava me provocando”, “ela ficava se esfregando em mim”, “ela ficava em cima de mim o tempo todo”), eu lia os jornais e quando via algum relato desses, a primeira coisa que eu falava, assim como muitos falam, era o que cara merecia que violassem ele assim como ele violou a criança inocente… Bom, tudo isso mudou quando eu conheci a Lorrayne, e tive a minha prova de que crianças conseguem ser muito safadinhas, até mais que adultos às vezes. Não entendo bem o que me passou naquele dia (e nos dias e anos que se seguiram), não sei se foi só tara e tesão, sei que o ar de inocência, pureza e malicia que aquela menina exalava era totalmente inebriante. Entenda meu amigo leitor, lorrayne é uma daquelas meninas, que mesmo que vc não tenha essa tara louca, é impossível não olhar pra ela, não olhar para seu corpo, e não apenas seu corpo em si, seus olhos… Não sei explicar muito bem, mas seus olhos são diferentes… Enquanto seu corpo, sua idade, suas ações te mostram inocência, pureza, um certo grau de infantilidade (o que é normal, afinal quando a conheci ela só tinha 11 anos), seus olhos mostram uma mal disfarçada malicia, uma volúpia insaciável… Bom mas vamos ao relato!!
Conheci o Luis no trabalho, cara gente fina, ótimo programador de software (bem melhor que eu tenho que admitir). Luis era um cara reservado, tinha passado por uma longa caminhada com um divorcio com sua ex-mulher presidiária… Sim meu amigo, vc entendeu Bem, presidiária… Nunca entendi bem essa historia, sei apenas que ela era do tipo ciumenta… Mas não um ciúme normal, era aqueles ciúmes doentes, aqueles ciúmes corrosivos (lembram da personagem Eloisa da novela Mulheres apaixonadas, vivida pela atriz Giulia Gan? Pois é, multipliquem por 1000 e vcs vão ter uma vaga idéia da loucura que permeava a cabeça de Regina). Não sei os detalhes bem, mas sei que em um ato de ciúmes ela esfaqueou o Luis enquanto ele dormia…
Luis tinha uma filha de 11 anos, chamada Lorrayne, fruto do seu rápido e conturbado casamento com a Regina, uma menina linda, extremamente branquinha (aquelas meninas de pele alvinha, que quando pega 10 minutinhos de sol já fica com a pele toda vermelhinha), cabelos extremamente negros lisos e compridos até a altura do começo do bumbum. Mas as duas coisas mais lindas em Lorrayne para mim eram sem duvida sua boquinha, uma boquinha muito bem desenhadinha, muito rosinha como se ela constantemente usasse batom, e seus olhos… Que olhos lindos tinha aquela criança eram olhos negros, profundos, cheios de expressão, quando ela olha para alguém, a sensação que se tem, é que ela não está apenas olhando o seu exterior, mas sim escaneando a sua alma!
Há três anos o Luis drasticamente tomou uma decisão que pegou todos os seus familiares de surpresa, ele que desde que saiu do hospital e a ex-esposa foi presa morava com sua mãe juntamente com a pequena Lorry, do nada decide ir morar sozinho com a menina. Entendam, todos ficaram espantados, pois o Luis sempre foi um cara acomodado, meio relaxado, e tomou essa decisão do nada. Simplesmente pegou as coisas dele e da filha e vazou da casa da mãe, alugou um pequeno apartamento no centro de Porto Alegre e se mudou com a menina.
Um dia, eu e o Luis durante o almoço estávamos conversando sobre filmes, séries, e eu disse que era fã da saga Star Wars, ele disse que Tb era, e me convidou para a sua casa para fazermos juntos uma maratona assistindo os seis filmes em DVD que ele tinha em casa, eu como não tinha nada programado para o final de semana disse que eu ia passar o final de semana lá sim, apesar de ter ficado meio preocupado, pois a menina estaria lá, e eu não queria tirar a privacidade dela, mas o Luis disse que não tinha problema, que a Lorry era super tranqüila, e daí me falou uma coisa que eu não entendi no momento:
– RELAXA GURI, LORRAYNE É UM MENINA SUPER DE BOAS, ELA NÃO VAI SE INCOMODAR DE VC ESTÁ LÁ NÃO, CAPAZ ATÉ DE GOSTAR DA SUA PRESENÇA… PELO MENOS ELA ME DÁ UMA FOLGA!
Eu ri junto com ele, apesar de não ter entendido, e até achado um pouco rude da parte dele querer “se livras do peso da responsabilidade de criar uma criança”… Como eu era bobo…
Final de semana chegou, e eu junto os meus “panos de bunda” e me vou para a casa do Luis. Assim que eu chego, ele me recebe todo animado, dizendo que já estava tudo pronto, que ele só ia precisar sair mais tarde um pouco pra comprar “guloseimas” para nós podermos comer assistindo os filmes.
– DÁ OI PRA O AMIGO DO PAPAI FLORZINHA!
Foi ai que eu reparei pela primeira vez na Lorrayne, sim, eu já tinha visto ela outras vezes, em festas da empresa, por exemplo, mas nunca dei muita confiança para ela, e nem ela pra mim Tb. Mas naquele momento… Eu a vi entende? Ela estava deitadinha de bruços no sofá, assistindo Bob esponja que passava na TV, e estava de camisolinha e calcinha branquinha, a camisola toda levantada, já na cintura dela, o bumbum todo pra cima, com a calcinha cobrindo uma bandinha do bumbum, e a outra bandinha toda pra fora, pois a calcinha estava meio dentro do bumbum dela.
– OI, TUDO BEM TIO? TU VAI FICAR NO MEU QUARTO SABIA? NÃO MEXE NAS MINHAS BONECAS EM!
Eu não posso negar, esse misto de boas vindas com a preocupação e até revolta de eu estar invadindo o espaço dela, foram muito engraçados…
– NÃO SE PREOCUPE GATINHA, PROMETO QUE VOU LEVAR EMBORA TODAS AS SUAS BONECAS QUANDO EU FOR PRA CASA…
– NÃO TIO, FAZ ISSO NÃO… PAIIIIIIIIIIII
– DEIXA DE BESTEIRA LORRAYNE, ELE TÁ BRINCANDO. PRA QUE ELE VAI QUERER AQUELES PEDAÇOS DE PLASTICO RISCADO?
– AHHH BOM…
E novamente volta sua atenção para a TV, mais uma vez minha atenção se recaiu naquela bundinha branca. Meus pensamentos se agitaram, comecei a pensar em como seria o cusinho daquela menina, com certeza era rosinha, assim como sua bocetinha Tb deveria ser rosinha. Eu estava nervoso, queria afastar esses pensamentos da minha cabeça, mas não conseguia. O Luis falava e eu não entendia nada do que ele falava concentrado nos músculos daquela bundinha infante, não sei se foi o acaso, ou se a Lorry… Sei lá, sentiu alguém comendo elas com os olhos, mas sei que ela virou o rostinho pra mim, e me pegou olhando pra ela, discretamente ela baixou a vista olhou para o seu próprio, bumbum… E não sei se foi verdade o que vi, ou se foi só a minha imaginação torpe tecendo fantasias, mas vi um sorrisinho sacana se formar no cantinho daqueles lábios.
Talvez eu tenha dado bandeira demais, ou apenas foi mais um acaso, mas o Luis olha para a Lorrayne neste momento e fala:
– FILHA… POXA TÁ CHATO JÁ CHAMAR A SUA ATENÇÃO LORRY! VAI TIRAR ESSA CAMISOLA E COLOCAR UMA ROUPA! ESSA MENINA SE DEIXAR PASSA O DIA TODO COM ROUPA DE DORMIR HENRIQUE, VÊ SE EU POSSO COM UMA COISA DESSAS?
Ela sem reclamar, se levanta do sofá, empinando bem o bumbum, e sai toda serelepe e vai trocar de roupa, volta com uma linda sainha rosa (curtinha, mais não muito e bem soltinha) e uma camisetinha preta onde tinha escrito “Pretty Litlle Girl” (traduzindo: garotinha bonita) e novamente se joga no sofá da mesma forma que já estava.
Fiquei por ali conversando com o Luis, mas não parava de olhar para a Lorry, e várias vezes nossos olhos se encontraram, e me sentia invadido, estuprado, violão pelo olhar dela, ela encarava e sustentava o olhar, todas as vezes que isso aconteceu, fui eu que não o suportei e tirei a vista!
– HENRIQUE, EU PRECISO REALMENTE IR AO MERCADO AGORA! É COISA DE UMA OU DUAS HORAS NO MAXIMO…
– QUER QUE EU VÁ COM VC?
– NÃO PRECISA, SEI QUE VC ESTÁ CANSADO, DORME UM POUCO… VOU LEVAR A LORRY, ASSIM ELA NÃO FICA TE IMPORTUNANDO.
– QUE TEM EU AI EM?
– VAI COLOCAR UM CHINLO FILHA, VAMOS AO MERCADO.
– AHHHH PAI… AGORA?
– SIM LORRAYNE, AGORA!
– MAS TA PASSANDO MINHA SÉRIE PAI, EU TO ASSISTINDO!
– SÓ QUE VC É BAGUNCEIRA E VAI FICAR INCOMODANDO O HENRIQUE!
– VOU NÃO PAI, EU JURO QUE FICO BOAZINHA… JURO JURADINHO… JURO DE MINDINHO!!! AHHH TIO DIZ PRA ELE QUE EU POSSO FICR VAI.
– DEIXA ELA AI LUIS, EU OLHO ELA!
– TEM CERTEZA? ESSA AI É ESPOLETA EM RSRSRSR
– RSRSRSR FICA TRANQUILO IRMÃO, EU CUIDO DELA DIREITINHO!
– OK ENTÃO… LORRAYNE?
-AFFFFF… OI PAI?
– COMPORTE-SE ENTENDEU NÉ?
E com o sorriso mais safado do mundo:
– PODE DEIXAR VOU ME COMPORTAR MUITO BEM…
Luis sai, eu continuo parado no mesmo lugar que eu já estava.
– VAI FICAR AI É TIO? VEM PRA CÁ… VEM ASSISTIR MINHA SÉRIE COMIGO.
– QUAL É A SERIE?
– THE WALKING DEAD… É DE ZUMBI!
– HUMMM… JÁ OUVI FALAR. É BOA?
– É MUITO LEGAL TIO… VEM… SENTA AQUI… TU VAI VER!!
Eu me sentei ao seu lado. E já estava com o pau estourando dentro da bermuda, ela percebeu, ficou olhando e disse:
– TA ANIMADO EM TIO KKK
– HÃ? COMO ASSIM LORRY?
– SEU PINTINHO TA DURINHO KKKK É POR MINHA CAUSA?
Nossa que menina direta, uma menina de 11 anos apenas.
– TA ME ACHANDO GOSTOSA TIO?
– MENINA, MENINA, VC NÃO DEVIA FALAR ASSIM, SE SEU PAI PEGA VC…
– NÃO QUERO FALAR DO MEU PAI, DEIXA QUE COM MEU PAI EU ME RESOLVO TIO… MAS ME RESPONDE O QUE EU PERGUNTEI. TA ME ACHANDO GOSTOSA?
– VC É UMA MENINA MUITO BONITA LORRAYNE!
– HUMM… OBRIGADA TIO!
E me deu um beijo no rosto, voltando a assistir a sua série. O tempo estava bem quente, eu estava com bastante calor.
– POXA TÁ UM CALOR DANADO, ACHO QUE VOU TOMAR UM BANHO!
Nisso que eu disse, ela dá um pulo no sofá ficando de pé e diz:
– AHHH VOU TB… VOU TOMAR BANHO COM VC!
– NÃO LORRY, É MELHOR VC ESPERAR SEU PAI E ELE TE DÁ BANHO!
Ahhhh tio… E vem se aproximando bem faceirinha de mim… Deixa vai?
E com isso ela me quebrou, eu me entreguei aos encantos e seduções daquela menina, eu que sempre condenei quem dizia que tinha sido seduzido por uma criança, que sempre disse que crianças são inocentes e não pensam em sexo, tive minha boca calada por uma menininha de 11 aninhos e extremamente safada!
Ela veio se chegando a mim, e carinhosamente começou a beijar a minha boca, eu sentia os lábios macios daquela menininha, conseguia sentir a respiração dela…
– TIO HENRIQUE, EU POSSO VER SEU PINTO?
– VC DEIXA EU VER SUA PPKINHA TB?
E ela sem nenhum pudor, tira a roupinha inteira, ficando nua na minha frente, o bumbum encostado no encosto do sofá, ela em pé sofá, abre as perninhas e com os dedinhos abre bem a bocetinha pra mim… Eu não sou de ferro, pego ela pela cinturinha e a deito no tapete, e me acabo naquela xoxotinha rosa, chupo ela como se não houvesse amanhã, como se o pai dela não pudesse aparecer a qualquer instante, escuto ela gemendo alto
– AI TIO HENRIQUE… FAZ ISSO SIM TIO… TA GOSTOSO TITIO…
E sinto ela estremecer em minha boca, sinto o gosto do gozinho dela, e aquilo me deixou louco de tesão.
– VEM CÁ LORRY, CHUPA O PINTO?
Não precisei perguntar duas vezes, ela tirou minha bermuda e cueca e caiu de boca em um boquete que parecia feito por uma deusa sexual, ela chupava todo o meu pau, lambia, sugava toda a babinha…
– TIO?
– OI?
– EU QUERO QUE O SENHOR ME DÊ LEITINHO NO MEU COFRINHO DE LEITE…
– SEU COFRINHO DE LEITE? O QUE É ISSO?
– ELE FICA DENTRO DA MINHA PPKINHA TIO… EU MOSTRO AO SENHOR!
E se arreganha toda pra mim mostrando a bocetinha arrombadinha…
– COLOCA AQUI TIO, É AQUI QUE PAPAI COLOCA LEITINHO PRA MIM…
– SEU PAI FAZ ESSAS COISAS COM VC?
– SIM… DESDE QUE EU TINHA 8 ANOS… A GENTE SE GOSTA MUITO! E AI TIO? VAI COLOCAR OU NÃO?
– CLARO…
E começo a enfiar a rola naquela bocetinha novinha, nem preciso dizer que a rola entrou sem resistência, sem sangue, sem gritos… Comecei a foder aquela menina, aquela criança, que nem se fode gente grande, e ela gritava, ela gemia, e eu sentia todas as vezes que ela gozou no meu pau..
– VAI TIO FAZ LEITINHO NO MEU COFRINHO FAZ…
Aquilo de cofrinho me deixava louco de tesão, era mais uma vez a inocência dela falando.
– VOU GOZAR LORRY… VOU COLOCAR LEITINHO NO SEU COFRINHO AGORA…
– VAI TIO VAI…
E gozo feito um cavalo naquela boceta, antes de tirar o pau dela, ela coloca a mãozinha na xoxotinha, aparando o sêmen que escorria e junta tudo na mãozinha levando para a boca e bebendo tudo.
– HUMM… SEU LEITINHO É MAIS GOSTOSINHO QUE O DE PAPAI…”
Isso me deixou louco na hora, meu pau ficou novamente duro, e encostado como estava em sua bundinha, ela olha e diz:
– ELE TA QUERENDO ENTRAR NO MEU BUMBUM
– VC QUER QUE ELE ENTRE NO SEU BUMBUM?
– QUERO MUITÃO, COME MEU BUMBUM TIO?
Pego ela e abro novamente suas pernas, deixando ela na posição de franguinho assado, e começo a comer aquele cusinho, que Tb minha rola entrou sem muitas dificuldades, já há três anos que o pai a comia quase que diariamente, e estava enfiando muito e muito forte naquele cusinho lindo…
– VOU COLOCAR LEITINHO NO SEU BUMBUM LORRY…
Ela gozava loucamente, enquanto eu comia o seu cusinho, ela se tocava e se estuprava com os dedinhos, gemia mais que uma cadela, e todo esse cenário me fez gozar novamente… Gozei jatos e jatos de porra quente e branca dentro daquela bunda branca de criança dela…
Olho pra ela, ela sorrindo e aponta para trás de mim, eu me viro e espantado vejo o Luis olhando aquilo que eu estava fazendo com a filhinha dele…
– MUITO BONITO NÃO É?

Continua…

OS: O conto acima é apenas um conto, totalmente fictício, mas espero que gostem… Grata e com todo meu coração
Giulia <3

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 4 votos)
Loading...