# #

Levo pica desde cedo mas passei a gostar depois de velho

1827 palavras | 19 |3.67

ola, esse é meu primeiro conto, conforme o titulo, tenho 63 anos, sou casado com mulher, pai e avô.
relutei muito em escrever esse episódio, mas achei interessante, porque acredito que muitos coroas da minha idade ou até mais ou menos idosos, na infância, tiveram alguma relação homossexual, com amiguinhos ou até com adultos, que nessa época era normal, um garotinho ser seduzido por uma pessoa adulta.
exatamente o que aconteceu comigo dos 5 aos 8 anos…
tudo começou quando eu vinha da escola e passava na frente de uma casa e sempre encontrava um rapaz de uns 30 anos, fazendo alguma coisa no quintal, nessa época eu tinha 5 anos, e era um menininho muito bonitinho e gostosinho, perninhas grossas e uma carinha de inocente, na verdade eu era totalmente inocente, já havia visto esse moço la no quintal desde a segunda feira, quando voltava da escola e na quinta ele me chamou e perguntou se eu não queia ajuda-lo depois da aula, falou que me daria doces e balas e um dinheirinho para eu comprar merenda, nessa época não existia essa moleza que tem hoje dos alunos lancharem de graça nas escolas, respondi a ele que ia ver se minha mãe deixava, ele então me deu um abraço e me levou até o portão e ficou me olhando ir embora, eu morava uns 200 metros da casa dele.
normalmente quando eu chegava em casa, tomava meu banho, almoçava, colocava um calçãozinho larguinho, sem camisa e ia brincar com os amiguinhos, alguns da minha idade e outros já com 10 12 anos que moravam perto e brincavão também, no caminho para casa fui pensando se devia avisar minha mãe ou não, eu estava com medo dela não deixar ou então ir la confirmar com o moço para ter certeza que eu estava lá, ela ja havia feito isso uma vez que fui com meu amigo para a casa do tio dele; achei melhor proceder como eu fazia todos os dias e sair para brincar e ir para a casa do moço.
dito e feito, fui direto para a casa dele e quando chegui lá, ele estava sentado em baixo de uma árvore, na sombra, porque estavamos no verão e estava muito quente, eu cheguei suando, mesmo sendo pertinho e quando entrei ele me deu um copo d’agua, me chamou para me ensinar o que eu tinha que fazer, esse moço morava sozinho, era filho único e seus pais haviam morrido num desastre de carro a uns 8 meses, me levou na cozinha e mandou eu varrer e esfregar o chão que estava muito sujo porque ele tinha tantas coisas para fazer e não dava tempo, me deu uma vassoura um balde, um litro de cloro, um pano de chão e me explicou como fazer, fiquei la fazendo o serviço e ele foi fazer outras coisas…
depois de uns 40 minutos, eu tinha terminado e suava muito, fui perguntar se tinha mais alguma coisa para eu fazer, ele me levou na sala e mandou eu fazer a mesma coisa, ficou me olhando, vendo que eu estava muito suado, e ele tambem estava bastante suado, falou para irmos tomar banho para nos refrescarmos e depois continuariamos…
na minha inocência, não vi nada de mal nisso, porque eu ja estava acostumado a tomar banho na represa com meus amigos…
tiramos a roupa e entramos no chuveiro e deixamos a agua fria escorrer por nossos corpos e ele pegou o sabonete e falou que ia me esfregar igual minha mãe fazia comigo e era verdade eu ainda não tomava banho sozinho e começou a me passar o sabonete, passava no meu corpo todo, mas me lembro muito bem que ele ficava bastante tempo passando a mão na minha bunda e ficava enfiando o dedo no meu cuzinho, me dizia que era para limpar bem… comecei a notar que o piru dele fou ficando duro, muito duro, era muito grande e grossão e como estava duro, ficava batendo no meu rosto a todo instante, ele com o dedo dentro do meu cu, mandou eu segurar o pinto dele e passar bastante sabonete e eu assim o fiz, obedecia tudo que ele mandava eu fazermandou eu ficar esfregando o pinto dele na minha boca e passar a lingua, eu fazia isso também, estava saindo um creme e eu lambia tudo, tinha um gostinho bom, ja tinha se passado uns 30 minutos que estavamos no chuveiro e ele falou para eu não me enchugar e limpar a sala peladinho, me deu 2 almofadas e mandou eu me ajuelhar nelas quando estivesse esfregando o chão, falou que era para eu não ficar com o juelho vermelho e minha mãe achar ruim, assim eu fiz e comecei a trabalhar, ele saiu e voltou logo, sentou-se num canto da sala numa cadeira e ficou me olhando, eu para esfregar o chão, ficava de 4, ajuelhado nas almofadas e ia esfregando o chão, passado uns 15 minutos eu ja tinha esfregado um bom pedaço, ele mandou eu parar e descançar um pouco, perguntou se eu queria descançar no colo dele, eu estava peladinho e ele so de calção, achei legal ele ter me chamado para ficar no colo dele e fui, assim que sentei, notei que o pinto dele estava duro novamente e ele ficou acariciando minha cabeça com uma mão e a outra ficava me esfregando no pinto dele, derrepente ele falou que ia colocar o pinto para fora porque o calção estava machucando e eu nem respondi, so senti um negocio grande batendo sistematicamente na portinha de meu cuzinho, que estava todo suadinho e ele quando tirou o calção falou que ia passar um creme no pinto e na minha bunda para não me machucar, me lambusou bastante a bunda e o pinto durão dele e mandou eu ir sentando devagar até entrar a cabeça, me avisou que ia doer um pouco mas que ele ia parar sempre que eu reclamasse, estão vendo como é facil um adulto seduzir uma criança… já no primeiro dia, ele enfiou todo pinto dele no meu cuzinho e depois de esperar a dor passar ficou socando até gozarrrrrr, gozou muitooooo, ficou escorrendo e ele olhando e acariciando, meu cuzinho estava inchadinho e dolorido, mas não sei porque, eu havia gostado… ficamos nessa posição por mais algum tempo ele com o pinto enterrado no meu cuzinho e depois mandou eu terminar o serviço.
resumindo; passei a gostar muito de pica, eu dava para quase todos os meus amigos e vizinhos e também para alguns adultos, que ficaram sabendo, e seduzidos pela minha inocência, queriam me cumer tambem… dei muito até meus 8 anos, ai meu pai foi transferido de cidade e tivemos que mudar, por mais estranho que pareça, nessa outra cidade que fui morar, eu passei a meter nos garotinhos e em alguns viados já adultos, levei essa vida cumenco os cuzinhos de todos os meninos até meus 14 anos, ai comecei a namorar e só pensava em mulher, namorei muito e aos 20 anos me casei com essa mulher que vivo até hoje, estou com 63 anos e sómente agora a uns 5 anos, que aquela vontade de dar meu cu voltou toda, talvez porque não tenho mais aquela tezão em meter, mas acho que principalmente por ler muitos contos eróticos, incesto, gays, e outros, derrepente meu cu que estava quetinho voltou a piscarrrrrrrrr, pisca muito, no início, eu não tinha coragem de marcar com ninguém, conversava nas salas de bate papo e nunca tinha coragem de marcar, eu tinha medo, sou muito discreto, casado, pai e avô, isso me fazia recusar todas as cantadas na internet, um dia resolvi comprar um consolo na internet, escolhi um bem pequeno, uns 14 cm, eu não sabia como meu cu ia reagir, quando recebi o consolo, fiz o teste no escritório, comprei creme, passei no consolo e no meu cu, prendi ele na parede e colocava meu cu na reta e ia forçando até que depois de algumas tentativas entrou a cabeça, doeu muito, eu havia voltado a ser cabaço, rsrsrsrs, tirei e dei um tempinho para parar de doer, tentei novamente, entrou a cabeça e o restou tava dificil de entrar, fui forçando mesmo sentindo um desconforto, ( não era dor ) até que ele ultrapassou uma parte do meu cu, e se alojou por inteiro, parei para respirar, coloquei um espelho para ver com era, e fui socando e tirando olhando no espelho, voltei a sentir prazer, depois de uns dias aquele consolo de 14cm, já não me satisfazia, encomendei outro, bem maior e mais grosso e fiquei assim, sendo femea dos meus consolos um bom tempo, as cantadas continuavam nas salas de bate papo e meu cu piscava muito quando eu lia os contos de gays, até que um dia sem querer, peguei um onibus para o centro da cidade, o onibus estava cheio e todo mundo sarrando todo mundo, eu estava de bermuda de laicra, bem fina, senti um pauzão duro forçando minha bunda, fingi que não tinha notado e fui deixando ele me sarrar, estava muito bom aquilo, ai resolvi olhar para tras e vi que o cara que me sarrava também era um coroa, devia ter uns 50 anos, mulato, bonito e forte, não falei nada mas ficava mechendo minha bundfa no pau dele que estava exatamente na portinha do meu cu, acho até que mesmo com a bermuda ele tinha conseguido enfiar porque estava muito bom para ser somente um sarro, derrepente ele falou no meu ouvido que ia decer no próximo ponto e queria que eu dessece também, nem respondi, quando o onibus parou ele foi me sarrando ate na catraca e decemos e fomos para a casa dele, isso devia ser umas 9 hrs da manhã, ele morava sozinho, separado da mulher, me cumeu até umas 10 hrs da noite,meu cu ficou toddo inchado e arrombado, mas não parava de piscar, continuei dando para ele um bom tempo, dava para ele e para quem me cantasse, dei muito, dou até hoje, se eu ficar 2 dias sem pica, fico louco, sou muito agradecido aos que me cumeram na minha infancia, hoje tenho o mesmo prazer que tinha quando criança, só que com mais tezão porque sinto prazer, muito prazer, naquela época, era bom, me acostumei, mas nada se compara com o hoje, dou para todos os tipos de pica, pequenas, médias, grandes e grandonas, ja fiz ate dp, sou tarado em picaaaaaaaa.
se gostaram do conto e gostam de meter num cu de coroa, estou as ordens, deixem o contato.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,67 de 9 votos)

# #

19 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Roger

    Amei

  • Responder Luiz

    Tambem tenho 66 anos e passei a gostar de dar o cusinho para outro homem ha 1 ano. Foi um vizinho que me convenceu deppoois de muita relutância e descobri que adoro um piru.

  • Responder willian

    oi gostei do conto

  • Responder Anderson

    Queria eu ter a sorte de encontrar um garotinho como esse. Adoraria fazer isso. Adoro putaria. [email protected]

  • Responder Anônimo

    queria ter essa sorte de encontrar tantas picas de ativos a minha disposição, para mamar gostoso e dar meu cu, passivo discreto de Recife, [email protected]

  • Responder Anônimo

    Velho viado……nojento todos vcs gays honrem sua família. .Seus filhos. …vcs nao prestam pra nada mesmo

    • Anônimo

      kkkkkk ficastes com inveja do autor do conto, cu piscando, boca salivando e rodo arrepiadinho ne? sai do armário, e vai chupar picas e dar muito o teu cu, se realmente abominasses os gays não irias ler os contos. kkkkk

  • Responder Ii

    [email protected]

    • Anônimo

      kkkkkk sai do armário, ficaste com o cu piscando, a bica salivando e louca pra estar no lugar do autor do conto.

  • Responder EUcarinhoso

    bom conto,me add no skype, carinhoso93

  • Responder [email protected]

    me procura
    meu Skype é [email protected]

    • Luciano

      tentei te adicionar, mas nao o encontrei..
      lu69pas

  • Responder Lucas

    Seu conto me fez relembrar o passado. Experimentei o troca-troca com 10 anos, mas só fui agasalhar um pau no rabo com 13 ou 14 anos. Fodi uma buceta pela primeira vez aos 16 anos, casei aos 21 e só fui sentir coceira no cu com 46 anos. Trepei com homem quando fui a SP em 2011 numa sauna. Foi uma delícia. Foi apenas aquela vez. Hoje masturbo meu rabo com um consolo de 16×4. Não tenho coragem de ir atrás de homens.

  • Responder Silvio Martins

    Gostei muito do seu conto. Esse tipo de desejo acontece com diversos homens na maturidade mas geralmente é reflexo das brincadeiras de infância.
    [email protected]

  • Responder casado

    caraca que contos gostoso!!!! tenho muita vontade de dar tbm tenho 24 anos sou casado mas sempre tive a curiosidade de dar e chupar!!!!