A empregada do sindico

Meu nome é Armando, tenho 39 anos e trabalho numa imobiliária. Fui chamado pelo sindico para ver um probleminha num prédio, nada de grave, apenas um mofo que havia dado em um apartamento. Tratei de verificar na sexta feira, o sindico disse que ia a praia e não estaria na sexta, mas sua empregada iria me receber. Cheguei as 3h da tarde como combinado, fui recebido por Clara a empregada do casal. Ela vestia um vestidinho curto onde suas coxas reluziam naquele final de primavera, mas seus peitos eram o que mais me chamaram a atenção. Muito simpática e sorridente, estava me encantando por ela. Ela percebeu meus olhares em seu decote, disse ter que ir no quarto, e quando voltou, percebi que tinha mais um botão do vestido solto. Pensando que tinha dado muita sorte do botão ter soltado, esticava mais o olhar para seus peitos de cor jambo, lindos e cheios, de um amanho gostoso. Me levou até o quarto do casal, onde estava a parede a ser consertada, agachou-se para mostrar e pude ver um dos seios saindo pelo decote, ela levantou e deixou ele para fora, só colocando para dentro depois de eu dar uma pequena admirada. Sorriu e notei que ela tinha gostado da minha atenção nela. Reclamou do calor, e segurando pela gola do vestido deu uma abanadinha para dentro, em direção dos seus ricos peitinhos. Falei que eram bonitos e pedi para dar mais uma olhadinha. Quando ela começou a me mostrar, peguei em seu vestido e tratei de me mostrar eu mesmo, ela segurou em minhas mãos para me conter, mas minha boca foi em direção dos peitos dela, beijei os dois e depois comecei a mama-los. Após os primeiros suspiros dela, suas mãos foram soltando das minhas mãos e se entregando ao desejo. Fui descendo seu vestido e deixando ela só de calcinha branca, seu corpinho jovem era perfeito, a cor da pele era igual em todo o corpo, sem nenhuma marquinha de sol. Deitei ela na cama e fui beijando todo o corpo, quando estava beijando sua barriguinha, ela já foi me oferecendo sua bucetinha cheirosinha, com minha língua fiz ela gozar, agora ela estava preparada para ser penetrada. Coloquei ela de quatro, quando vi seu cuzinho rosinha e limpinho, me obriguei a dar umas lambidinhas nele também. Ela passou a rebolar sua bunda na minha cara, arrisquei a colocar a cabeça do pau na entrada do cuzinho dela para ver qual seria sua reação. Ela continuava rebolando sem dizer nada, aquele buraquinho gostoso dava umas escapadinhas da cabeça do meu pau. Quando acertei o alvo, sua reboladas fizeram com que meu pau a penetrasse de vagar até entrar todo. Segurando em suas ancas fui tirando botando, ela mordia o travesseiro e arranhava o lençol. A cada grunhida dela, meu tesão ia aumentando, por baixo ela ia se masturbando. Quando ela desabou na cama com seu gozo, cai por cima dela, gozando em seguida. Disse a ela que estava com tanto tesão e não tinha trazido a camisinha e tinha gozado tudo dentro dela. Ela me disse que não tinha problema, que seu ex namorado também só gozava sem camisinha dentro do cuzinho dela. Ela tinha brigado com ele a quase 4 meses e esta sem fuder desde esta época. Tinha gostado muito da sua bundinha que até esqueci de comer sua bucetinha. Marcamos outros encontros quando seus patrões fossem sair de novo, mas ela só podia ligar para a imobiliária, pois sou casado. Ainda transo com ela sem camisinha, me cuidando sempre na hora de gozar, tiro da bucetinha e gozo naquele cuzinho maravilhoso e carente. Suas gemidas de prazer são o meu combustível para gozar muito no seu cuzinho. É tudo que um homem deseja, uma mulher que sabe e gosta de dar, no cuzinho ela nunca diz não.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 2,00 de 1 votos)
Loading...