Bia, sobrinha da minha esposa. Minha loucura !!

Encontrei este site esta semana, e não consigo parar de ler alguns contos.
Uns dá para ver que são fakes, mas outros parecem verdadeiros.
O que vou narrar agora está acontecendo de fato, e por favor não atirem pedras. Isto a sociedade já faz !!
Sou casado e tenho 29 anos. Adoro sexo. Por minha vontade transaria todos os dias, mas minha esposa não tem todo este apetite.
Vamos lá… minha esposa tem vários sobrinhos, e uma em especial freqüenta muito nossa casa. Vou aqui chamar a menina de Bia. Ela tem apenas 8 anos. É uma criança normal, magra de cabelos curtos. Branca e olhos castanhos.
Desde que me casei ela vem aos finais de semana e fica conosco. Até levamos a menina para viagens curtas que fazemos, tipo na Praia, Campos do Jordão, Monte verde etc.
Sempre tive muito carinho e respeito por ela, e jamais pensei em abusar de uma menina tão inocente. Mas tudo muda. As coisas mudam e as pessoas também.
No feriado de 7 de setembro deste ano, que caiu em uma quarta feira, optamos por ir para a praia. Eu e minha esposa tínhamos banco de horas e assim matamos a quinta e a sexta.
Fomos para o apartamento de um casal de amigos que fica no Guarujá.
Levamos a Bia conosco.
Ainda no caminho ela dormiu no banco traseiro, e minha esposa tocou em um assunto que me deixou preocupado:
– Amor, tenho uma coisa para te contar que a minha irmã falou comigo hoje quando trouxe a Bia.
– O que houve ? – perguntei
– Minha irmã disse que a Bia está muito assanhada. Está se masturbando a todo momento, e no domingo ela foi flagrada segurando o pênis do vizinho.
– Amor, isto é normal para a idade, crianças são curiosas mesmo – falei
– Então, o menino tem 13 anos e ela só 8 – será que é normal ?
– Nossa… 13 anos já deve até gozar – falei
– Pois é…
– E sua irmã o que fez ?
– Bem, ela brigou com o menino e conversou com a Bia para saber se ele tinha feito algo com ela, tipo estuprado sabe…
– Nossa, nem me fale isto !!
– Parece que ele tentou mas não conseguiu penetrar
– Ainda bem, o menino ia machucar a Bia
– Sim, só que tem uma coisa: A Bia disse que já chupou o pinto dele de outro menino..
– Nossa que menina a Bia está saindo…
– Pois é tenho até medo do que ela vai ser quando crescer.
O assunto morreu aí e seguimos viajem.
Naquela noite eu transei gostoso com minha esposa.
No dia seguinte fomos para a praia e passamos o dia todo passeando pela orla.
No final do dia retornamos.
No apartamento são dois quatros, sendo um deles suíte.
Minha esposa logo foi tomar banho em um e a Bia no outro banheiro… eu fiquei esperando para ver quem terminava primeiro para eu tomar o meu banho e vestir uma roupa seca.
Fui apressar a Bia.
Ao abrir a porta do banheiro sem fazer muito barulho eu ouvi o chuveiro ligado e ela estava gemendo… até me assustei. A Bia estava se masturbando tão concentrada que nem me viu abrir a porta. Fiquei ali imóvel só vendo a cena. Ela gemia parecendo uma gatinha no cio. Resolvi interromper e falei: – Bia você vai demorar, eu quero tomar banho.
Ela ficou toda envergonhada e tampou a bocetinha com as mãos…
– Calma Bia, isto que você estava fazendo é normal e bonito, todo mundo faz… não precisa ter vergonha do tio… eu sempre te vejo peladinha.
Dei a toalha e ela saiu.
Tranquei a porta e fui tomar meu banho. Aquela cena não saia da minha cabeça. Até toquei uma punheta pensando na pequena Bia.
Depois saímos para jantar e minha esposa acabou tomando umas caipirinhas a mais… ao retornar para o apartamento ela só escovou o dente e foi dormir.
Fiquei na sala vendo TV com a Bia.
Me deitei em um colchão que coloquei no chão da sala e chamei a Bia para deitar comigo.
Acho que pelo cansaço do dia, ela também dormiu logo.
Levantei e a peguei, fui colocar na cama.
Ao colocá-la deitada, me veio a imagem dela se masturbando… não sei o que aconteceu comigo, mas o pensamento era de ver a bocetinha e examinar para ver até onde ela já tinha ido nas brincadeiras com os meninos. Será que ela já não era virgem ?
Coloquei ela deitada de barriga para cima. Lentamente abaixei o pijama e vi sua calcinha amarelinha. Toquei levemente sua pepeka e abaixei um pouco até ver a fenda.
Gente isto me deu um tesão descomunal… nunca senti tanto tesão misturado com medo dela acordar ou minha esposa entrar naquele quarto e dar um flagrante.
Esperei um pouco e fui abaixando até ela ficar nua da cintura para baixo.
Não sou especialista em pepeka de criança, mas a dela me pareceu mais vermelhinha do que eu imaginava. Me inclinei e dei um beijinho naquela delicia. Senti um cheiro gostoso. Um frescor natural da pouca idade. Gostei muito.
Repeti os beijinhos leves e demorados. Passei a língua suavemente, sentindo um sabor até então desconhecido.
Meu pau estava explodindo de tão duro.
Coloquei para fora e iniciei uma punheta.
Molhei meu dedo com minha saliva e tentei empurrar. Neste momento ela se mexeu e parei.
Vi que ficava imóvel e segui na minha loucura.
Meu dedo encontrou o buraquinho pequeno e fiz movimentos leves. Fiquei com a impressão que se eu empurrasse entraria inteiro, mas não fiz isto.
Me deitei sobre ela sem colocar peso algum. Fiquei me equilibrando até encostar meu pau naquela pepeka infantil.
Não demorou muito e gozei bem na fendinha, só encostando por fora mesmo.
Peguei papel e limpei tudo, coloquei a calcinha e o pijama e fui dormir.
No dia seguinte acordei com medo dela contar algo, mesmo sem saber se ela estava dormindo ou acordada. Se contasse algo eu estaria fudido.
Fiquei na sala vendo TV até que a Bia entrou na sala. Veio logo para meu colo.
Segurei a pequena no colo e dei bom dia seguido de um beijinho na testa, e falei:
– Bom dia princesa, você dormiu bem ?
– Nossa Ricardo, eu dormi muito… nem vi quando você me levou daqui da sala para o quarto.
– Que bom Bia que você dormiu bem, assim pode brincar hoje o dia todo…
– É
– Você sonhou esta noite ?
– nem lembro tio.
Ficamos ali até minha esposa acordar e depois nos preparamos para ir caminhar na praia.
Minha loucura não parou por aí. Sempre que posso dou uma chupadinha com ela dormindo e acabo gozando sem penetrar. Consegui tirar algumas fotos e fazer vídeos dela peladinha. Dormindo e no banho. Todos os dias eu bato punheta vendo estes materiais. Não penso em transar com ela tão cedo. Apenas chupar já me deixa muito feliz.
É um prazer sem igual !!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 3 votos)
Loading...