como tudo começou parte um

meu nome fictício é carlos, hoje tenho 60 anos, sou casado, pai e avô.
a história que vou contar aconteceu na minha infância e foi se aprofundando a minha vida toda, hoje com essa idade, ainda adoro pica e sempre tenho alguém para me cumer.
me lembro que tudo começou quando eu tinha 5 anos, morávamos no interior e tinha muito espaço para brincar, a uns 200 metros de minha casa, morava um senhor de uns 45 anos, branco, alto e forte sua mulher, dna. rosa da mesma idade dele, sempre que eu podia, eu ia visita-los, na minha inocência, nunca percebia as intenções dele e gostava muito das brincadeiras.
ele trabalhava o dia todo na roça e só voltava a tardinha, várias vezes ele quando chegou em casa, me encontrou conversando com a sua mulher, lanchava e ia tomar seu banho,
eu esperava ele sair do banheiro para brincar comigo, num dia ele após o banho, me chamou para ir no roçado com ele, apanhar o seu facão que ele havia esquecido la, sua esposa na mesma hora me incentivou a ir e logo na saída ele me colocou no ombro dele e fomos para o roçado, eu era um garotinho muito bonito, pele bronzeada, e tinha uma linda bunda, nesse dia eu estava só de calção e ele foi alizando minhas pernas até chegar ao roçado, eu estava gostando porque as mãos ásperas dele me fazia cocegas e eu ficava o tempo todo rindo, me lembro que nesse dia ele enfiou a ~sua mão por dentro do meu calção e ficava alizando minha bunda e eu estava gostando, mas sem maliciar nada.
quando chegamos no roçado, ele me colocou no chão e me chamou para me sentar ao lado dele na sombra de uma arvore, porque estava muito quente, ele também estava usando somente um calção e estava sem camisa, quando ele se sentou, o piruzão dele já querendo endurecer saiu para fora do calção e eu fiquei olhando admirado, nem percebi quando ele mandou eu chegar mais perto dele e ficar brincando com o piruzão dele que a essa altura já estava durão, cheio de veias e um cabeção muito grande, perguntei porque ele estava assim e ele me falou que foi porque quando eu estava sentado no ombro dele no caminho para o roçado e ele veio passando a mão na minha bunda, o piru dele ficou assim desde então.
eu continuava admirando e foi ai que ele perguntou se eu podia tirar meu calção para ele continuar passando a mão na minha bunda e me colocar no colo dele, sem malicia eu falei que podia e ele mesmo tirou meu calção e me colocou na frente dele de costas e ficou passando a mão e tentando enfiar o seu dedo no meu cuzinho, ele molhava os dedos na boca e ficava alizando a portinha do meu cu, a essa altura, mesmo eu não sentindo nenhum prazer, já estava gostando e ele percebendo isso mandou eu agachar e colocar meu cu na reta da cabeça do pau dele para ele ficar alizando minha bunda com a cabeçona que a essa altura já estava toda melada do liquido que saia.
eu estava gostando, ele me perguntava se eu estava gostando também e eu respondia que sim e o pau dele ficava cada vez mais durão, estava muito quente e babando muito, a porta do meu cu já estava toda melada e então eu senti entrar a metade da cabeçona e chorei, senti uma dor muito forte e ele tirou e ficou conversando comigo ate a dor passar e me perguntou se eu queria continuar a brincadeira, eu disse vai doer mais, tenho medo… ele me acalmou e falou que só ia doer mais um pouquinho e que logo ia passar, então ele pegou um pacote que estava la no roçado, tirou um creme, e passou muito no meu cu e do piruzão dele, e mandou eu ficar de 4 e empinar bem a minha bunda e começou a esfregar e fou enfiando bem devagar, a cabeça entrou toda e a dor foi bem menor, ele parou um pouquinho e perguntou se podia continuar e eu disse que estava com medo, o piru dele era muito grande, mas estava gostoso sentir a cabeçona dentro do meu cu
então ele ia empurrando bem devagar para não doer, enfiava e parava e ficava me fazendo carinho e a dor foi passando mas eu me sentia entupido por aquele piruzão, já tinha entrado quase a metade quando falou que ia ficar brincando de enfiar e tirar até eu me acostumar, e assim ele fez e quando me dei conta, aqui tudo já estava dentro do meu cu e não doía, foi quando ele mandou eu rebolar e ficou enfiando e tirando, gemia o tempo todo, e derrepente senti um liquido entrando no meu cu e pergubtei o que era aquilo e ele falou que estava gozando, que ia enchermeu cu de leite e que na próxima vez ia encher minha boca.
gozou muito e só tirou a pica de dentro quando ela começou a amolecer,senti um alivio,uma sensação de que haviam me desentupido, me levou até o riacho, me lavou todinho e voltamos para casa, eu no ombro dele novamente, antes de chegar ele me pediu segredo, para eu não comentar com ninguem, porque íamos fazer muitas outras vezes…
ao chegar em casa, meu cu estava todo esfolado e inchado, passei o dedo estava arrombado e ainda escorria o leite dele, tomei banho e fui me deitar.
meu cu não parava de piscar, nem dormi direito, pensando e fiquei passando o dedo até conseguir dormir.
no outro dia, na escola, meus amiguinhos que já adoravam brincar comigo, já admiravam minha bunda na hora do banho após a ginastica e o futebol, começaram a me sarrar e eu dessa vez não relutei e deixei eles brincarem, brincaram muito, todos tinhão idade entre 7 e 9 anos e alguns já sentiam prazer, combinamos de a tarde ir na casa do Marcelo brincar de cavalinho, Marcelo era o mais velho, sua mãe e seu pai trabalham fora e só chegam a noite, e tinha já um piru bem grandinho para seus 9 anos, terminou a aula fui para casa e passei na frente da casa do meu amigo que havia me comido no dia anterior e ele me chamou para entrar porque a mulher dele havia ido na cidade comprar umas coisas, eu mais que depreça aceitei e assim que entrei ele já foi logo tirando meu uniforme, e me sentando no colo dele que já estava com o piru muito duro e babando, e não demorou muito, já foi enfiando aquilo tudo de novo no meu cu que não para de piscar e aceitou aquele piruzão com prazer, não demorou muito e ele encheu me cu novamente de porra, não deixou eu me limpar, colocou um papel higiênico na porta do meu cu arrombado e mandou ei ir para casa para ninguém desconfiar, cheguei em casa por volta das 13 hrs, minha mãe perguntou o porque do atraso e eu falei que estava brincando com uns amigos, que estava suado e que antes de almoçar eu ia tomar um banho, e já fui falando que meus amigos haviam me convidado, para ir brincar na casa do Marcelo depois das 14 hrs… no próximo eu conto como foi a brincadeira com meus amigos…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,00 de 1 votos)
Loading...