uma vida de garoto

Vou contar pra vocês a historia de um garoto. S é verdade ou apenas uma historia? Não importa! Apenas quero compartilhar esta historia!
Este garoto nasceu em 1977 e vou chama-lo de JC. Nascido numa situação muito complicada, JC tem suas primeiras lembranças ja em um pequeno orfanato. por volta de 1981 ou 82!
Um garoto bonito, branco de cabelos e olhos castanhos, estatura mediana e um corpo mais pra magro que pra gordinho. Porém JC era uma criança muito hiperativa, do tipo que não ficava quieto. E pra piorar sua historia, ele ja havia passado por uma adoção frustrada. Esse historico e a idade avançando dificultavam uma nova adoção, e a idade foi passando.
Ja por volta dos seus 7 anos, JC se viu numa nova situação. Foi levado para um novo orfanato, também pequeno e em outra cidade. Deixou pra trás as pessoas que até então conhecia.
Nesse novo lar tinham alguns garotos da sua idade e outros um pouco mais velho. As noites eram muito bem disciplinadas por um homem muito autoritário, o Seu Vicente. Ele era uma especie de guarda que cuidava do orfanato no turno da noite, um homem de uns 50 anos, que chamava muita atenção pelo seu tamanho. Seu Vicente era alto, (as medidas desse conto eu vou calcular com o conhecimento e proporções de hoje). Seu Vicente devia ter mais de 1,85m de altura, era forte, no sentido de tamanho, na verdade era um homem meio gordo, com pés e mãos muito grandes, principalmente para garotos em torno dos 7, 8 anos!
Mesmo todos tendo medo do Sr. Vicente, os garotos bagunçavam bastante, e JC logo chamou a atenção porque seu pinto era um pouco maior que os dos meninos da mesma idade, na verdade os garotos de 8 e 9 anos também ficavam pra trás, e isso era motivo de brincadeiras e risadas no banheiro coletivo onde todos tomavam banho.
A iniciativa das brincadeiras com essa conotação mais sexual partiam do garoto mais velho, o Vanderlei. Ele tinha seus 13 anos, tinha um pinto já bem desenvolvido, com muitos pelos em volta. Porem um pinto comum pra idade dele. Mas ele já gozava, e adorava se masturbar no banho para os meninos menores vê-lo gozando. Haviam outros dois menino, de 12 e 11 anos que também já gozavam e entravam na brincadeira, mas não era tão farto como as gozadas do Vanderlei.
Como sempre acontece em situações assim, os meninos mais novos sofriam, quase sempre com passadas de mão nas suas bundas, piadas e o que hoje a gente chamaria de buling. O Vanderlei deixava claro que tinha alguns preferidos, algumas vezes acabava gozando no corpo desses meninos.
JC, que no outro orfanato era hiperativo, acabou ficando muito quieto nesse novo lar. ele ria das brincadeiras, mas evitava se envolver. Na casa de antes a maioria dos garotos tinham a mesma idade e não existiam essas brincadeiras sexuais.
Com isso JC foi se tornando muito observador. E numa noite, já pela madrugada, JC acordou e percebeu uns barulhos estranhos, pareciam gemidos e um choro muito contido. Era um quarto grande com vários beliches, JC levantou a cabeça tentando identificar de onde vinham os barulhos, havia alguma pouca claridade no quarto, mas JC escutou sussurros e fingiu dormir. Os barulhos continuaram e JC, hiperativo como sempre, levantou silenciosamente e de pé em pé foi se aproximando da cama do Vanderlei, chegando perto JC se escondeu na cama do lado e notou que Vanderlei estava com um dos seus garotos preferidos na cama, Pra JC era estranho, mas logo ele começou a entender o que estava vendo. Vanderlei estava fodendo o garoto menor, era um garoto de 8 anos que gemia e choramingava, mas Vanderlei abafava sua boca enquanto ficava se mexendo em cima do menino. JC ficou parado em pé ao lado do beliche mais próximo e acabou percebendo que o garoto que dormia no beliche também estava acordado e observando tudo. O garoto do beliche apenas fez sinal para JC ficar em silencio e logo eles observaram o Vanderlei apertar com força o quadril contra o corpo do menino algumas vezes e parar. O garoto gemeu mais alto e o Vanderlei também soltou um gemido. JC entendeu que Vanderlei havia gozado dentro do menino. as quando JC foi voltar correndo pra sua cama, fez algum barulho e ficou com medo do Vanderlei tê-lo visto ali. Ele se deitou e fingiu que estava dormindo, mas sentiu que Vanderlei se levantou e caminhou até o lado da sua cama, passou a mão pelo seu corpo, das costas até bunda e falou que JC seria o próximo, e seria agora! JC estava apavorado, ele percebeu que Vanderlei ja estava colocando a rola pra fora, passando a mão na sua bunda e segurou seu pulso, levando a mão de JC até a sua rola dura. JC resistiu um pouco mas Vanderlei lhe deu um tapa e com medo de apanhar, JC segurou a rola do menino maior. Vanderlei sussurrou que JC iria chupar a sua rola. JC pensou na rola do menino dentro do cu do garoto menor e sentiu nojo, mas sabia que se não fizesse iria apanhar. Mas ouviram um barulho vindo do corredor onde se acendeu uma luz. Certa mente era o Sr. Vicente, Vanderlei correu pra sua cama e JC ficou aliviado. o Sr. Vicente entrou no quarto, que estava mais claro por causa da luz do corredor, caminhou pelas camas observando se os garotos estavam dormindo, foi até a cama do Vanderlei e lhe disse algo que JC não conseguiu ouvir. Depois que o Sr Vicente saiu do quarto o Vanderlei não foi mais na cama do JC. ele se sentiu aliviado, mas estava tremendo e percebeu que seu pinto estava muito duro.
no dia seguinte, Vanderlei mal olhava para JC, não conversava com ele e o garoto que havia sido comido pelo Vanderlei estava meio isolado dos outros, as vezes um ou outro garoto passava por ele e dizia algo, pareciam que queriam consola-lo, e parecia que todos sabiam o que acontecera.
JC se aproximou e sentou ao lado do garoto, ficou um tempo cala e depois ele começaram a conversar sobre outras coisas, mas JC estava curioso e perguntou: – Por que ele faz isso com você?- O garoto baixou a cabeça e depois de alguns segundos respondeu:-Ele faz isso com todos os garotos!- JC ficou ainda mais assustado e curioso, e novamente ficou com o pinto muito duro. Eles conversaram mais um pouco sobre isso, ate que JC perguntou:-…e por que meu pinto fica duro quando a gente fala disso?- O garoto olhou pra ele, baixou o olhar na direção do seu pinto e respondeu:-É porque você gosta disso!
JC se indignou e comentou que nunca tinha feito essas coisas, mas o garoto insistiu que se o pinto ficava duro é porque gosta, e começou a contar como era, falou que chupava o pinto do Vanderlei e dos meninos maiores e que eles gostavam de gozar na boca dele e dos meninos menores, mas disse que quando o Vanderlei enfiava o pinto no seu cu doía muito por que o pinto do Vanderlei era grande!
Os dois conversaram bastante até que o garoto chamou JC e eles foram para um canto escondido, o menino quis ver o pinto duro do JC e também mostrou o seu, que apesar de ser mais velho que JC, tinha o pinto um pouco menor e mais fino. JC se assustou quando o menino segurou o seu pinto, depois se abaixou e começou a chupa-lo, era uma sensação boa, e logo JC também chupou o pinto do amigo. Eles brincaram ali por um tempo e saíram, mas pouco tempo depois Vanderlei se aproximou de JC e lhe disse que essa noite ele queria fazer com JC.
JC estava gostando daquelas descobertas, mas tinha medo do que o outro garoto disse, sobre doer. Mesmo assim ele estava curioso sobre como seria com Vanderlei, que era maior e tinha um pinto grande. A noite foi chegando e no banho coletivo houve aquela fara. JC ficou observando muito o pinto do Vanderlei e o comparando com os outros, mas foi na hora de dormir que tudo começou a acontecer….

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...