Tarado por pica desde criança

Sempre tive vontade de contar o que aconteceu comigo ate meus 9 anos,sou do interior, hoje moro no rio de janeiro, sou um homem de 65 anos mas pareço ter bem menos, sou casado pai e avô,pele clara, bronzeado, 1,75 m e 87 kg,vivo modestamente e sou feliz,moro com minha familia e meus filhos,nao sou de conversar muito com vizinhos e nao sou muito de procurar parentes,gosto de me divertir e ainda procuro mulheres embora nao seja como antes,mas o que vou contar se passou a muitos anos, na época eu tinha somente 5 anos e morávamos numa cidadezinha do estado do rio, sempre fui o garotinho bonitinho, ate minha mãe me dizia que eu tinha que ter nascido menina porque tinha uma bunda muito linda,ate hoje me lembro de tudo,acho que tudo começou quando eu ia e voltava da escola, e passava sempre na frente de uma garagem de ônibus, eu era um garoto tímido e de pouca conversa, todas as vezes que eu passava na frente dessa garagem tinha uma pessoa na porta que me comprimentava e me dava balas, sabe como era e são as crianças, não podem ver balas e eu não era diferente, um dia quando eu voltava da escola ele estava la e me perguntou se eu queria brincar de dirigir ônibus de verdade, me falou que dentro da oficina tinha um consertando e que se eu quisesse ele ia me ensinar, na mesma hora eu falei que sim, que se ele quisesse me ensinar eu ia gostar muito, então ele mandou eu entrar e fechou o portão da garagem com cadeado e mandou eu entrar no ônibus, tirou o macacão que ele usava e ficou so de cuecas e mandou eu tirar meu uniforme porque eu ia sentar no colo dele, falou que se eu ficasse de roupa poderia machucar o piru dele, eu falei que não estava de cueca por baixo, disse a ele que se eu tirasse o uniforme eu ia ficar pelado, ele falou, melhor ainda tira que você vai gostar e me ajudou a tirar a minha bermuda do colégio, sentou no banco do motorista e me colocou no colo dele e mandou eu ficar brincando de dirigir e eu estava adorando, eu fazia movimentos para virar o volante e minha bunda estava sempre em movimentos em cima do colo dele, notei logo de cara que tinha uma coisa grande e quente encostando no meu cuzinho, inclusive ele me pegava pela cintura e ficava movimentando minha bunda enquanto eu brincava, sempre acontecia depois de um certo tempo eu ali no colo dele me esfregando ele soltava um leite grosso na minha bunda e era muito bom, eu gostava, depois disso ele me limpava e mandava eu ir para casa para que meus pais não ficassem preocupados e me dizia para eu não falar nada com ninguém e eu confirmava, ao lado da minha casa tinha um vizinho que tinha um filho de uns 8 anos e que toda tardinha ia la para casa e ficava brincando comigo de cavalinhom me lembro que ficávamos em cima da minha cama eu engatinhando e ele em cima da minha bunda, os dois de roupa e tanto meu pai como minha mão ao passarem na porta ficavam olhando nossa brincadeira e não falavam nada, eu so tinha 5 anos, não maldava nada, isso acontecia todos os dias, com o passar dos dias eu fui me acostumando a passar na garagem do ônibus, gostava quando acabava a aula, arrumava minhas coisas e ia rapidamente para la, o portão já ficava encostado, eu entrava e fechava por dentro e o mecânico, já ia tirando a roupa e eu também e íamos para dentro do ônibus, ele continuava sentado no banco do motorista já peladão com o piruzão durão que parecia um cabo de enchada e me colocava no colo dele e mandava eu ficar esfregandoe eu obedecia, já estava achando muito bom, ele mandava eu ficar de 4 no outro banco e ficava me sarrando, passava um creme na porta do meu cuzinho e além de esfregar a cabeçona na portinha ficava forçando a entrada, até que um dia entrou a cabeça e eu senti muitas dores, ele mandou eu me acalmarfalou que a dor ia passar e que ele não ia enfiar mais nesse dia, ficou com a cabeça la dentro algum tempo e derrepente encheu meu cuzinho de porra, nesse dia ele ficou engatado em mim mais de meia hra so com a cabeça la dentro, mandou eu ir ao banheiro me lavar e vestir o uniforme e ir embora, isso já era umas 13 hrs, no caminho quando passava na frente de uma obra abandonada meu amiguinho estava me esperando e me chamou la para dentro dizendo que ali seria melhor para brincarmos de cavalinho, falei que tinha que ir para casa almoçar porque estava com fome e ele me falou que a brincadeira não seria demorada e que eu ia gostar muito, ficou pelado e mandou eu ficar também, tinha um colchão usado la na obra e mandou eu ficar de 4 engatinhando que ele ia montar e vi que ele nesse dia já estava de pau duro, continuei engatinhando de 4 e ele veio por tras e colocou a cabeça do pau dele na portinha de meu cu, que ainda estava meio dolorido mas não parava de piscar, como eu acabara de deixar o mecânico enfiar aquela cabeçona a pouco tempo, nem senti que o piru dele entro todinho no meu cu e ele ficou socando, socou muito e eu estava adorando, ele ainda não gozava por ter somente 9 anos mas meteu muito e eu gostei e fiquei pensando que no dia seguinte a picona do mecânico deverias entrar bem mais fácil, nem consegui dormir direito a noite pensando nessas coisas que eu já estava gostando muito, no dia seguinte quando voltei da escola, entrei na garagem e o mecânico me recebeu e fomos para dentro do ônibus e ficamos peladinhos os dois, nesse dia ele nem deixou eu ficar brincando de dirigir, mandou eu me sentar no banco e colocou o pauzão dele na minha boca e mandou eu chupar, a cabeça nem entrava na minha boca de tão grande e eu ficava lambendo, ai ele mandou eu ficar de 4, passou um creme e foi enfiando,até estranhei mas logo me lembrei que estava entrando fácil apesar da dor porque meu amiguinho meteu muito em mim hoje e meu cu já estava se acostumando, isso virou rotina, meu amigo e o mecânico me cumiam todos os dias e eu já estava viciado e adorando apesar de ter ainda somente 5 anos, ficamos nesse triangulo por uns 6 meses, ate que nos mudamos para uma cidade próximo e la tinham muitas crianças da minha idade e maiorzinhas eu ainda so tinha 5 anos, os meus novos amiguinhos e amiguinhas eram um pouco mais velho que eu, tinham entre 9 e 11 anos, tina um time infantil na escola e quase todo dia jogávamos bola e na hora de tomar banho, eles quando viram minha bunda, todos ficaram de pau duro em baixo do chuveiro e eu como já estava acostumado e já estava com muita saudade deixava ele fazerem o que queriam, tinha dia que eu dava para mais de 8 meninos, muitos já gozavam e eu ia para casa com o cu cheio de porra, continuei dando direto, fui crecendo e continuei dando muito, quando fiz 9 anos, minha bunda já estava mais redondinha ainda e eu já sentia prazer e além de dar para meus coleguinhas durante o dia, na cidade tinha um cinema e eu sempre ia ver uns seriados na seção das 6 hrs e esse cinema, ficavam uns homens adultos, logo na entrada, atrás da ultima fila de cadeiras, esperando quando eu chegava no escuro, me puxavam e colocavam os paus para fora e eu tinha que chupar todos eles e depois encostar a bunda em seus piruzões e sentir um por um entrar com força e soltar muito leite dentro de mim, viciei e dei muito até os 9 anos, ai meus pais tornaram a se mudar e nessa outa cidade eu por incrível que pareça, passei a dar so para adutos, todos queriam me cumer e cumiam muito todos os dias, eu saia na rua e alguém me levava para algum canto e me socava a pica, meu cu piscava muito o tempo todo, fui crecendo e como eu sempre fui um garo bonito, as meninas começaram a dar em cima de mim e eu passei a namorar e com 20 anos me casei, hoje tenho 65 anos, a tezao em dar meu cu voltou toda, e estou a procura de umas pessoas discretas para cumer meu cu todos os dias e eu matar as saudades…
moro no rio de janeiro, quem tiver afim de cumer um cuzão de coroa muito gostoso, entre em contato, deixem o zap que adiciono

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,33 de 3 votos)
Loading...