,

Meu vizinho descobriu minha esposa 2

Há 2 anos 2 ★ 0.00

As horas não passavam,eu sabendo que James,um negro fortíssimo,de cacete enorme e poderoso, solteiro,de 46 anos,nosso inquilino da casa geminada com a nossa,estava na minha minha casa e na minha cama fodendo minha esposa Giselle,de 32 anos,magra e branquinha,e sabendo que ele tava lá porque ela mesma o havia chamado pra ir lá.
Eu havia descoberto tudo faziam poucas horas,tudo está contado na primeira parte desse relato,como eu havia descoberto e como James agiu comigo quando fui tirar satisfações com ele,e o pior,eu havia concluido que realmente era o principal culpado por aquilo estar acontecendo,não sou homossexual,nunca tive a mínima atração por homens,sempre gostei de mulher,muito da minha,mas tambem nunca tive um grande apetite sexual,nunca fui de dar mais que uma simples foda,e com minha esposa,que exigia namoros e preliminares longas,eu havia ficado menos interessado em sexo do que nos primeiros anos do nosso casamento,enfim,se voce não cuida do teu jardim aparece um bom vizinho para rega-lo e fazer florificar…James,nosso vizinho,negão potente e cacetudo,andava regando o jardinzinho peludinho de minha esposa diariamente…
Eu havia descoberto tudo,na manhã do dia anterior eu tinha visto minha esposa totalmente nua com seu corpo branquinho,debruçada no tanque, gemendo de prazer, com seu macho negro enfiando o cacetão nela,até com certo cuidado,mas com muita firmeza…essas imagens não me saiam da mente,o maravilhoso contraste entre as peles deles,a grossura da base e de parte da haste do majestoso cacete preto que permaneciam sem penetrar nela,o jeito meigo e submisso dela diante dele com olhares melosos pra trás ,que incentivavam o macho a se aprofundar ainda mais em sua bucetinha branca e sedenta de amor…via-se claramente que não era a primeira vez,já havia um bom entrosamento entre os dois,o encaixe se fazia de forma expontanea e natural…
E agora eu estava ali,contando as horas e os minutos passarem,imaginando aquele negão de tora comprida e grossa,devassando nosso leito conjugal e a intimidade de nossa casa,tomando minha esposa totalmente para si e tentando enfiar aquela enormidade no cusinho dela, como ele mesmo havia dito que faria…minhas dúvidas em chamar a polícia e flagrar o adultério já não existiam mais,afinal eu mesmo era um dos principais responsaveis por aquilo que tava acontecendo,e quanto mais eu imaginava o que ocorria naquele momento em minha cama,mais eu me sentia incapaz de reagir,e ficava cada vez mais excitado com o que certamente encontraria,minha esposa muito bem fodida e arrombada por aquele macho extremamente cacetudo…agora faltavam apenas alguns minutos para as 13:00 hs,horario que ele sairia lá de minha casa pra ir ao seu trabalho,e eu queria estar lá logo após sua saída,não queria dar nem um instante para minha mulher descaracterizar o cenário da traição,embora eu não tivesse a mínima intenção de mostrar à ela que eu já sabia o que vinha acontecendo,apenas queria sentir o ambiente,o quarto,a cama,o corpo dela logo após ser usada por seu macho…
Aproximei-me de casa,e com o coração aos pulos vi James passando pelo corredor que separa nossas casas e entrando na sua,imediatamento me dirigi à nossa casa,entrei pela porta da sala e minha esposa estava ali,ainda em pé,vestindo apenas uma camisolinha curtinha e bem solta,ela empalideceu,mesmo sendo bem branquinha ficou ainda mais sem cor,disse a ela que não estava bem e iria deitar um pouco em nosso quarto,ela tentou impedir dizendo que ainda estava todo desarrumado,que eu deitasse ali mesmona sala,na verdade ela queria evitar que eu chegasse à cama onde há pouco ela fora empalada por seu macho,mas eu só pedi que ela providenciasse um chá que eu iria deitar um pouco,ela resignou-se e foi até a cozinha,caminhando com certa dificuldade,o macho realmente tinha sido bem vigoroso com ela,pois mesmo o quarto estando em penumbra pude ver e sentir o clima do sexo total que havia ocorrido ali,o cheiro de sexo era intenso,o lençol apresentava manchas úmidas de gozos,no meio da cama,que ainda estava morna, uma poça de porra,quanto mais detalhes eu descobria mais eu me excitava,tirei toda minha roupa e nu deitei sobre a cama,eu queria sentir aquilo tambem em meu corpo,o contato na pele com a cena do adultério,assim que deitei senti um outro cheiro diferente,vinha de uma toalha totalmente amassada que estava proxima à borda da cama,peguei-a e fui abrindo,logo vi muita porra ali,e logo tambem, vestígios de sangue e de fezes,meu corpo chegou a estremecer,e pelo que vi o desvirginamento anal de minha esposa havia acontecido minutos antes,e pelo que já havia visto do tamanho daquele cacete,deve ter sido uma penetração muito dificultosa e bem dolorosa tambem e pensei,o FDP realmente fez o que disse que faria…mas foi apenas uma constatação,nada que me fizesse ficar enraivecido,pelo contrario,minha ereção foi tanta que até doeu,eu agora só queria ali minha esposa,pra verificar em seu corpo o resultado do suplício a que fora submetida…,eu chamei por ela,ela disse que o chá tava descansando e que iria me servir em minutos,insisti chamando e ela veio,quando ela entrou no quarto levantei-me totalmente nu e fui me dirigindo à ela,surpreendida ela mostrou certo mêdo ou apreensão,achou que eu havia notado tudo,abracei-a e beijei-a apaixonadamente na boca,suas narinas exalavam ainda um cheiro forte de sexo,me excitei ainda mais,arranquei sua camisola pelo pescoço,deixando-a totalmente nua,e fui conduzindo-a à nossa(agora tambem do macho) cama,empurrei-a suavemente, ela caiu de costas,nem eu me reconhecia,estava alucinado,ela ficou com as pernas pra fora da cama,separei-as e fui ávidamente procurar sua buceta com minha lingua,ela tambem não acreditava como eu estava assim tão decidido,já lambendo sua buceta fiz ela abrir mais suas coxas,e doido, notei que algumas pregas do seu ânus estavam expostas, avermelhadas,James tinha mesmo sido implacavel,ela foi se aliviando do susto e começou a gemer baixinho,dizia pra eu ter cuidado que ela tava muito sensivel,sentia o corpo dolorido,e quanto mais ela dizia essas coisas mais eu me excitava por ela ter se deixado foder tão vigorosamente,ter se rendido até o desvirginamento total do seu ânus,que estava em estado lástimavel….eu já estava com a visão bem acostumada à penumbra do quarto e podia ver perfeitamente sua buceta que tambem tava bem aberta,ele havia feito barba e cabelo,tinha se enfiado na buceta e no cu,e pelo que senti no gosto de sua boca quando beijei-a ela certamente havia mamado muita porra naquele mastro negro gigantesco….não sou de conseguir dar duas fodas seguidas,porisso eu tinha escolhido uma maneira de fode-la naquele instante,e de tudo o que eu via ali o que mais me atraia era aquele cu com pregas expostas,sim,se ela havia aguentado aquela jibóia negra enfiada em seu ânus ela não teria nenhuma dificuldade em me receber ali tambem,meu cacete é menos que a metade do dele em tamanho e grossura,eu nunca havia fodido o cusinho dela,ela sempre se negou em cedê-lo a mim,e agora eu sabia que aquele lugar já tinha um dono,que havia cravado seu mastro ali,mas ela naquele momento não poderia negar-me nada,eu tava num tesão incrivel,coloquei meu cacete na buceta aberta e encharcada dela,mas só pra lubrificar meu pau,eu queria coloca-lo entre as pétalas daquela flor que seu macho fez desabrochar,quando encostei meu cacete ali ela pulou,me perguntou o que eu tava querendo,que ali não é lugar pra ser penetrado,quase perguntei se só seu macho podia,mas eu tava mesmo determinado e mesmo sob alguma resistencia dela acabei encostando a cabeça do meu pau ali,estava quente,parecia em febre,ela só disse baixinho pra eu não machuca-la,o local tava muito sensivel,mas foi só empurrar um pouco e meu cacete entrou até o saco naquele cu que seu macho havia acabado de arrombar,é indescritivel o que senti naquele momento,que coisa mais deliciosa,internamente ela tava em ebulição,muito quente mesmo,e logo comecei a sentir a gosma da porra que o negro havia injetado ali em grande quantidade,fiquei alucinado e comecei a bombar cada vez mais forte e mais rápido,não teve como segurar,gozei muito rápido,mas com um prazer tão intenso como jamais tivera,e fui supreendido com gemidos de gozos dela,sim,ela tava tendo um orgasmo pelo cu,que loucura…quanta paixão rolou entre nós naquele momento….
entramos no banheiro para tomarmos uma ducha,o banheiro claro ainda pude ver bem mais,ela tinha porra até nos cabelos,entre suas coxas muita porra já seca,incrivel,mas me exciteii novamente,enquanto eu com o chuveirinho banhava com jatos de agua morna seu sofrido e arregaçado ânus,ela acariciava meus cabelos,eu a ensaboei e ela fez o mesmo comigo,minha ereção se completou novamente,ela dobrou seu corpo pra frente,pôs uma de suas mãos pra trás e pegou meu cacete em ereção,ela mesma,pra minha total surpresa,direcionou pra entrada do seu cu e afastou seu corpo em minha direção,tragando meu cacete até os culhões,me deixou doido,e novamente esporrei,e ela agora teve outro orgasmo ainda mais intenso e ruidoso que o outro…
Era uma sexta-feira,não fui mais trabalhar naquele dia,ficamos namorando,mas eu não conseguia mais ter ereção,lá pelas 9 da noite ela foi deitar exausta,fiquei na varandinha de fora,em frente a sala,James trabalha das 14:00 às 22:00 hs,fiquei ali até 23hs mas por ser sexta-feira ele não veio direto pra casa,eu queria que ele puxasse proza comigo e me contasse mais do que vinha fazendo com minha esposa Giselle,e isso aconteceu no sábado….que eu contarei no proximo relato..onde eu escutei e vi muita coisa.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...

,

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Lorenzo

    Estou criando um grupo “CNN News” só de mulheres ousadas, sem frescuras.
    Com sigilo e discrição total “contos, fotos e videos”. WhatsApp (19) 9 83090717

  2. Tony Ba

    Amigo Corno. Muito bom seu conto. Mas pelo que vc narra do roludo e do cacete dele, acho que logo, logo vc será a putinha dele juntamente com a sua gostosíssima mulher. Isto é o que eu faria. [email protected]