Me arrepiei com seu toque

Hoje em dia o mundo anda muito evoluído e sou a favor de experimentar todo o tipo de experiência.
Mesmo eu sendo um pouco tímida, também tenho as minhas histórias e não me arrependo de nenhuma delas.
Eu sempre reluto sair com qualquer um, mas basta me tocar de jeito que eu me derreto e aí você já sabe que já me ganhou. Rs
Essa história é de quando eu fiquei pela primeira vez com uma mulher, isso mesmo uma mulher.
Você pode até não gostar, mas eu juro foi realmente muito excitante.
Tudo começou com umas brincadeiras, os meninos que trabalham comigo sempre perguntava onde estavam os meus namorados, porque eu nunca aparecia com ninguém.
Eu dizia que eu era reservada, e realmente sou, só que eles não acreditavam e falavam, essa porra só pode ser viada, é bonita e não tem ninguém na cola.
Eu só ria, do que adianta ficar insistindo.
Realmente eu sou bonita, nenhuma beldade, mas atraio olhares. Sou aquela falsa magra, tenho bumbum e coxas que dá para encher a mão com vontade e uns seios bem apetitosos, sou morena Clara, cabelos castanhos e longos, olhos também castanhos e uma boca carnuda.
Bom, voltando ao meu trabalho. Nessas insinuações, eu percebi que tinha uma menina que sempre se animava, era só alguém começar a brincadeira e ela já vinha atiçar. Todo mundo já sabia da opção sexual dela, mas eu levava todos na esportiva, sabia que era só zoeira.
Nós trabalhamos no comércio e ficamos atrás de um balcão, o espaço não era tão pequeno, mas de uns tempos para cá e comecei a notar que ela fazia de tudo para esbarrar em mim…
Antes de continuar vamos dar nomes aos bois, o nome dela é Nathália, confesso que ela é muito bonita, branquinha de olhos claros, não tem nada de masculino. Só que não era a minha praia, eu gostava, gosto de homem, mas para não deixar uma situação desconfortável eu deixava ela me tocar, era toque simples, sem muitos apertőes. Quando vinha me perguntar alguma coisa pegava na minha mão, quando eu estava conversando com alguém ela chegava para conversa por trás de mim e sutilmente os seus seios ( bem generosos) encostava nas minhas costas. Eu sentia os seus biquinhos duros e isso foi me dando um calor.
Eu estava gostando disso, esses toques essas esbarradas, Mesmo ela sendo mulher, comecei a ter fantasias com ela e até me masturbar pensando nela, mas ia ficar só nisso porque eu nunca fiquei com mulheres e bem sei se ia saber me comportar nesse situação, mas como eu disse é só Me tocar de jeito que eu me derreto e foi isso que aconteceu. Alguns dias atrás eu fiquei responsável de abrir a loja, cheguei meia hora antes e ninguém tinha chegado, fui para o vestiario para colocar o uniforme, encostei a porta tirei minha calça, coloquei rapidamente, tirei a blusa e quando eu colocar a de trabalho alguém empurrou a porta com tudo e acertou na minha cabeça. Eu fiquei segurando o rosto reclamando de dor e foi quando eu ouvi a voz da Nathália pedindo desculpas e dizendo que não sabia que eu estava ali.
Eu não respondi so fiquei segurando o meu rosto, nem lembrava que eu estava só de sutiã.
A nathy chegou mansinho;
– Tira a mão, deixa eu ver se vai ficar todo.
Tirei a mão e ela começou a alisar o meu rosto, olhando bem nos meus olhos. A dor até passou, eu queria desviar daquele olhar, mas ela tem uns olhos tão lindo, queria arrumar um motivo para fugir, mas eu só conseguia me concentrar nos seus carinhos.
Não demorou muito e ela me beijou com vontade e eu correspondi, as mãos foram para minha cintura, alisando a minha barriga, apertando um pouquinho, e elas foram subindo até alcançar os meus seios. Esquecendo de onde estávamos ela desprendeu meu sutiã e soltou vários beijinhos no meu seios, eu estavam adorando, passava a mão na cabeça dela incentivando até que ela se empolgou e abocanhou um seio enquanto acariciava o outro.
Nossa que delícia, aquela boca quente me sugando, sua mão já estava descendo e entrando na minha calcinha, eu me entregava sem pensar e ela sentiu o quanto eu estava molhada.
Até que lembrei que logo os outros funcionários iam chegar e eu tive que parar a brincadeira.
Ela fez um beicinho tão lindo e disse que eu não ia escapar que ela ia me chupar todinha.

Fiquei o dia todo pensando nisso, estava até meio aérea.
E a safadinha aproveitou bem mais de mim naquele dia, acho que era para não deixar eu esfriar. Ela até chegou falar no meu ouvido que os dedos dela tinham o meu cheiro e que era delicioso.
A cada minuto que passava eu ficava com mais vontade de tocar nela e voltar a beijar a sua boca.

Quando acabou o expediente, eu vi ela indo embora sem falar comigo, nem um tchau, nada.
Mesmo eu não gostando de mulher, fiquei um pouco chateada.
Me troquei e fui embora. Entrei no ônibus ainda desconfortável pela situação e porque ela me deixou bem molhada.
Foi quando recebo uma mensagem no whats
* Oi já saiu? Desce aqui no ponto de casa que eu vou te esperar lá.
Meu ônibus fazia o mesmo trajeto da casa dela, só que eu descia bem mais pra frente…

Como foi dito ela estava mesmo me esperando.
Perguntei porque ela foi embora sem falar nada e pior ainda, se era para eu descer aqui porque não me deu uma carona.
– Eu não queria que ninguém ficasse zoando a gente.
– Eles zoam de qualquer jeito. Kkk

A casa da Nathy era pertinho. Assim que chegamos lá ela voltou a me beijar, nem parecia que a gente ficou esse tempo todo separada.
Tiramos a roupa uma da outra, pela perimeira vez eu pude ver aquelas tetas grandes, pesadas, mal cabia nas minhas mãos que são bem delicadas.
Eu alisava, apertava. Na verdade eu não sabia o que fazer direito, dei uns beijos e olhei para ela pedindo permissão para chupar.
– Claro boba. * Disse isso rindo de mim
Suguei o seios e ela suspirava, dizendo que tava amando que desde a primeira vez que me viu ela pensava em nós assim.
Desci a minha mão para a buceta dela, eu não sabia se podia enfiar a mão assim.A verdade era que eu parecia uma virgem, sem saber o que fazer. Rsrs
Sem pensar muito, comecei a tatiar a sua buceta que tava quente, molhada e com o grelo duro.
A Nathy estava alucinada e é tão bom ver alguém respondendo assim as suas carícias.
E sem aguentar muito, fomos para a cama e ela me beijou inteira, sua língua rastreando meu corpo até chegar na minha buceta.
Ela deu uma mordidinha na minha coxa e depois deu um beijo para amenizar. Eu fiquei o tempo todo observando, era muito excitante. Quando ela me abriu com as mãos e me olhou como se eu fosse uma fruta suculenta eu quase gozei. Ela abaixou a sua boca em mim e me lambia, chupava Com vontade, fechei os olhos e fiquei só sentindo as sensações , não demorou muito eu estava me contorcendo, gozando feito louca na boca na Nathy.

E eu como uma Boa aprendiz fiz o mesmo com ela. No começo foi estranho encostar a boca numa buceta, mas foi só ela começar a gemer que eu fiquei feliz em agradar e chupei com gosto até ela gozar.
Subi e dei um beijão de língua nela. Olhei a vi que ela estava sorrindo.
– Que foi?
– Nada, só que eu sempre soube que vc era viada. Rs
– Sou nada, fui só com vc. * Sorri meio sem jeito
– Eu fui sua primeira?
– Ahãm.
-Então espera só um pouquinho que eu vou pegar um presente pra ti.
Fiquei imaginando o que ela ia aprontar agora. Deu até um nervoso. Vai que ela chama mais alguém . E eu não queria , a minha Química era só com ela.
Não demorou muito ela volta vestindo uma cinta que tinha um pênis de Borracha no meio.
Era um pênis perfeito, borracha macia.
– Você é louca. * Eu ri muito.
– Não sou não, mas quero deixar vc louquinha e te agradar de todas as formas.
Nos beijamos de novo e ela pediu para eu ficar de quatro para me comer. Fiz o que ela pediu, ela enfiou aquele pênis gigante e Grosso em mim e começou a me fuder com vontade socando tudo até eu gozar de novo.
Ficamos assim, aproveitando uma da outra o resto do dia e foi delicioso..
Por isso que eu digo, toda experiência é válida.
Adorei ser a putinha da Nathy.????

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,50 de 2 votos)
Loading...