Maravihosa Mulata coroa dos olhos verdes!

Fazia tempo que estava de olho numa antiga conhecida. Uma mulata de olhos verdes, baixinha, peitos medianos mas que chavam a atenção conforme a roupas que usava e uma bundinha bem rechunchuda.
Um dia, por trabalharmos proximos e já nos conhecermos, convidei para um Happy Hour depois de nosso expediente.
Depois de um bate papo, nos conhecermos melhor, soube que ela tinha um filho já adulto e que morava sozinha a pouco tempo. Veio alguns anos para minha cidade a trabalho e acabou ficando após sua separação.
Trocamos uns papos picsntes, que não tinha nenhum namorado, apenas uns ficantes, mas de longa data não dava uma trepada. Achava que não tinha mais idade para bailes e sair apenas para ficar catando homem e tranzando com estranhos. Seu pequeno companheiro “consolo” e uns filminhos pornô na net lhe bastavam para saciar seus desejos.
Mas, tomo liberdade e até mesmo para conduzir a algo mais pergunto para ela:
– Poxa! Você é uma mulher nova com seus quarenta e poucos anos. Como consegue?!
– Haaa… As vezes eu subo um pouco pelas paredes pela falta de sexo mas acostuma. E não tenho quarenta e poucos, tenho 58 anos feitos.
Rapaziada do céu! Quase caio da cadeira e morro engasgado com a cerveja com pedaço de queijo que havia beliscado.
Ela e solta uma risada gostosa e, rindo, indaga”
– Que foi?! Te espantou?!
– Tá mentindo pra mim! Vc tem quarenta e poucos. Podes ter 58 mas teu corpinho é de quarenta e poucos. Aposto que o que tens deibaixo tuas roupas é o corpinho de uma menina nova.
– O que tu aposta?!
– Nossa conta aqui no bar e o Motel e ainda proponho ser teu cacho de vez enquando para vlce dispensar teu consolo.
– Pode ser. Tou curiosa, para não dizer com tesão depois de um elogio destes.
Paguei nossa conta que era em barzinho mediano, fomos no carro dela até um Motel.
Chegamos no motel e ela entra no banheiro para passar uma agua no corpo, e provavelmente, na perseguida. No que sai, ela aparece envolvida num roupão.
– Vai lá passar uma água nele. Só vai ver o meu corpinho depois de sair do teu banho.
Tomo um banho rápido, mais para dar uma ensaboada no cacete, pois tava torcendo em ter aquela noca carnuda chupando ele.
Saio do banho, abro a porta do banheiro dando de cara com ela na porta.
Deus meu, olho para cara dela e ela deixa maliciosamente cair o roupão dela dando de cara com ela nua, com seu corpo moreno, depilada, seios perfeitos e incrivelmente empinados como fosse ima meia taça. Buceta com seus pentelhos pretos e ralinhos.
Meu pau estoura de tesão. Nos envolvemos num abraço e nos trocamos um bom beijo demorado.
Olhou pra ela de pertinho e coxixo no ouvido dela!
– Você é uma mulher linda, muito além do que esperava.
Agora estavamos na cama e começo dando um beijos na boca, pescoço… Caio de boca e chupo aqueles peitos, e que peitos, e caio de boca ora chupando a bucetinha carnuda dela, ora metendo a lingua.
Ela pede mais para chupar segurando minha cabeça. Proponho um 69 e lá estavamos nós, agora recebendo uma chupada no cacete
Vou chupando gostoso aquela boceta e masturbando o rabinhho dela levemente com o dedo.
Ela goza e deixa minha cara melada e me propõe:
– Você não gozou…. Vou sentar no teu cacete e quero toda tua porra dentro de mim.
Inajara começa a cavalgar no meu pau como nunca tinha visto em outra mulher… toco seus seios, ouço seu gemido sutil e quando ela começa a gozar soltando gemidos mais altos e um grito de êxtase bem alto, explodo numa ejaculada na vagina dela como quase impossível ter tido outra igual.
Nos recompomos e ela fixou um pouco deitada sobre mim onde ficamos em silêncio onde o carinho falava por si.
Propôs em fazer um anal nela mas ela queria deixar para uma próxima.
Fez um oral gostoso deixando gozar em sua boca e permitiu que mamase bastante em seus peitos.
Outra hora relato aqui nosso segundo encontro para vocês.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 2 votos)
Loading...