# #

Normal ou Puta? Parte 2

1811 palavras | 0 |3.57

Olhei pro relógio, eram 10 da noite. 11 horas iria buscar a minha sobrinha Camila na festa de aniversario que eu a deixei no começo da noite. Como ela disse que brigou com os Pais e que queria dormir lá em casa, resolvi dar uma ajeitada na cama, troquei o lençol, dei uma limpada na casa, tomei um belo banho, me barbeei e me perfumei. Perto das 11, fui lá busca-la.

Cheguei pontualmente as 11 da noite em frente ao buffet aonde acontecia a festa, e não demorou nem 2 minutos ela saiu, toda agitada, gesticulando, passos desconexos, ou seja, estava chapada, e junto dela, uma outra menina, também bem alterada. Parou na porta do passageiro e pediu pra abrir o vidro.

– tio, essa daqui é a Fernanda, minha amiga. Ela disse pros pais dela que ela ia dormir na minha casa, mas como eu vou dormir na sua casa, então minha casa passa a ser a sua casa. Pode?

Pensei por um momento que ela estava querendo levar alguém pra eu não meter nela

– E aonde ela vai dormir??? Lembra que o quarto de hospedes virou meu escritório e dormir no sofá é doloroso.
– Esquenta não, ela dorme conosco.

Oba, ela deu a deixa. Vai sobrar rola pras duas meninas.

– Claro que pode, entrem…
– Obaaaaaaaaa

Entraram no carro rapidamente. As duas ficaram no banco traseiro, fazendo a maior bagunça, e eu de motorista só assistindo à festa das duas. Chegamos em casa e as duas continuavam festeiras, sem abraçando, contando novidades que aconteceu na festa, sempre com muitas gargalhadas.

Sentei no sofá, e fiquei assistindo as duas em pé, no meio da sala, meio chapadas, sempre com muitos abraços e beijinhos, alguns selinhos entre elas, e aquilo começou a me excitar.

– Tio, tem alguma coisa pra beber? Perguntou Camila
– O que vocês querem?
– Queremos essa aqui, pegando uma garrafa de Passport que era do meu pai
– Sem problemas

Peguei dois copos, coloquei um pouco de gelo, servi a bebida, coloquei uma musica agitada e sentei assistindo as duas dançando sensualmente. Já estava de pau duro em ver aquelas duas se abraçando, e seguidos selinhos entre as duas

– Porque selinhos??? estou esperando beijo de verdade.

As duas ficaram com caras de safadas olhando pra mim, e num olhar fulminante entre as duas, caíram num delicioso beijo de língua, muito fogoso por sinal. Quando terminaram, as duas colaram rosto, e voltaram a fazer a cara de safadas

– gostou Tio?
– Estou gostando, mas queria mais…
– Mais?
– Sim, mas não quero mais beijos, quero mais coisas
– tipo…
– O que vocês quiserem

Uma olhou pra outra, a Fernanda cochichou algo para Camila, e começaram a dançar sensualmente, com muito beijo de língua, até que uma começou a passar a mão por debaixo da outra da outra, levantando as vezes as blusas e mostrando a barriguinha, o sutiã, e as vezes, forçando as calças pra baixo, um pouco da calcinha.

– Ta gostando tio??? desta vez perguntou a Fernanda
– To começando a gostar

E as duas continuaram, numa dança sensual e frenética tirando as duas suas blusas. A Camila, como parecia ser mais safada que a Fernanda, já foi tratando de enfiar a mão na buceta da amiga e beijando o pescoço, deixando a Fernanda todinha excitada. Nesta a Fernanda, solta o sutiã da Camila e começa a apalpar os seios.

Comerei a reparar no corpinho da Fernanda, era um pouco mais gostosa que a Camila, e aquilo estava fazendo ficar mais excitado. Tirei minha camiseta e comecei a passar a mão no meu pau por cima do shorts. Elas olhando minha atitude, começaram a ficar mais safadas. Camila tirou também o sutiã da Fernanda e agora as duas estavam numa esfregação só calças. Novamente colaram rosto e perguntaram:

– Ta gostando, tio?
– Ta melhorando… quase la… mas quero mais

As suas sorriram, e continuaram a esfregação. Uma já chupava com vontade os seios da outra, e aquilo me deixou maluco. Quando a Fernanda abriu as calças da Camila e começou a baixa-las, tirei meu shorts também e fiquei massageando minha rola por cima da cueca box que estava usando.

Elas já não ficaram mais só se beijando, mas ficaram de olho na minha semi-masturbação que estava fazendo, e perceberam que cada roupa que elas tiravam, eu tirava a minha. Mas do que depressa, a Fernanda nem esperou sua amiga tirar suas calças, fazendo isso rapidamente, nessa elas grudaram rosto novamente, como cara de expectativa e ficaram esperando uma reação minha.

nesta hora, eu fiz cara de safado, e sentado, tirei minha cueca, bem devagar e comecei a me masturbar, olhando com cara de safado, disse:

– Vocês querem?
– Eu quero – gritou Fernanda, não tirando os olhos da minha pica
– Eu quero de novo – disse Camila com ar de safada
– Então vem buscar.

A Fernanda saiu correndo na frente já caindo de joelhos, com uma cara de espantada, e bem devagar, pegou numa rola, ficou olhando, e começou a punhetar. Nessa a Camila já veio e caiu de boca, chupando a cabeça da minha rola enquanto a Fernanda punhetava com muito carinho.

– Será que ela aguenta? – Perguntei pra Camila, olhando para a Fernanda.
– Ela Aguenta
– O que eu aguento? – exclamou Fernanda
– A melhor trepada da sua vida – disse Camila com ar de quem já estava com saudades da ultima trepada que tinha levado há horas atrás.

A Camila levantou, puxou a Fernanda para o corredor do apartamento e as duas cochichavam alguma coisa.

– Estou esperando…

Nessa vem as duas, a Fernanda com cara de preocupação e excitação, a Camila com cara de safada, empurra a Fernanda pra frente dela, abaixa a calcinha dela e diz:

– Toma tio, ela é toda sua. Mas deixa um pouco pra mim, tá?

Olhei pra Fernanda, que nada dizia

– Ela te contou?
– Sim
– E Você quer?
– Acho que sim
– Ou quer ou não quer… Ou a gente faz ou não faz

Nessa, a Fernanda meio de encheu o peito, como que se tivesse batendo continência

– Eu quero

Nessa eu levantei rápido, peguei ela pelos braços, como se fosse dar uma bronca

– O que você quer
– Que você faça comigo
– Mas o que você quer que eu faça com você

Nessa eu virei ela de costas pra mim, a mao esquerda comecei a apertar os seios dela, a mao direita fui direto pra buceta dela, e comecei a morder a orelha dela e dizia

– O que você quer que eu faça com você?
– quero que você transe comigo
– Não, não é isso que você quer, você quer mais, oque você quer?

comecei a masturba-la

– Quero que você meta em mim
– Não, você quer mais… o que você quer?
– hummmm, eu quero que você me foda… hummmm
– mas eu só fodo com vagabundas vadias… você é uma vagabunda vadia?

A Camila, que já estava se masturbando na frente dela, e estava se excitando com tudo aquilo, disse

– Ele adora fuder com putas vagabundas, e nos duas somos putas vagabundas

A Fernanda sentindo minha pica rossando sua bunda, seus seios serem acariciados, sentir dedos tocando sua buceta, e sua amiga pelada, em pe na sua frente, quase tendo um orgasmo de tanto se masturbar, não aguentou, virou de frente comigo, me agarrou, quase que subindo no meu colo e começou a dizer muit rápido e gemendo.

– TIO, ME FODE… ME JOGA NA CAMA E METE ESSA ROLA GOSTOSA DENTRO DA MINHA BUCETA, DO MEU CU, ME FAZ SUA CADELINHA… EU QUERO QUE VOCE ME FODA ATE NAO AGUENTAR MAIS

Nesta hora eu peguei ela pela bunda e ela cruzando as pernas em meu corpo a peguei pelo colo, e beijando a levei pra minha cama. Camila foi correndo a trás.
Acabamos deitando junto na cama e sem perder tempo, enfiei minha rola com tudo naquela buceta, e muito violentamente, eu praticamente estuprei aquela menina. A Camila toda hora colocava a mão na boca da amiga pra tentar abafar os gritos que a Fernanda soltava, que não eram de dor, e sim de orgasmo. Camila sem perder tempo, sentou na cara da amiga, de frente pra mim, e enquanto a Fernanda chupava a buceta da Camila, eu beijava a boca.
Fiz as duas trocar de posição, agora Fernanda sentava na cara da Camila, que estava sendo fudida loucamente.

Certo momento as duas começaram a se pegar, e o tesão era grande a ponto de uma começar a arranhar a outra, e quando empinava um cu ou uma buceta, la tava eu bombando.

Faltava currar loucamente o cu da Fernanda, que por sinal tinha um bunda lindamente redondinha.

– Camila, precisamos fuder o cu da sua amiga, mas do jeito que ela mereça

Camila rapidamente sentou na cama, e pediu pra Fernanda cair de boca na buceta dela, deixando o cuzinho da Fernanda totalmente para mim. Comecei a subir na Fernanda, apontei minha rola pro cuzinho e disse no ouvido da Fernanda

– Se prepara, porque agora eu vou te fuder loucamente seu CU.

Ela chupando como louca a buceta da Camila, só deu uma empinada na bunda, como que concordando com tudo aquilo. Enfiei minha rola sem dó nem piedade. Ela soltou um grito, que foi abafado em seguida com a Camila forçando a cara dela para a buceta e lá comecei a bombar sem só aquele cuzinho.

As duas só gemiam, estavam se consagrando duas perfeitas putinhas vagabundas e vadias, e eu estava adorando tudo aquilo.

Antes de terminar, ainda dei umas metidas na Camila e na Fernanda, e quando iria gozar, fiz as duas colarem rostos como faziam todas as horas, seguirei elas pelos cabelos e gozei muuuuito na cara das duas.

Quando soltei, as duas deitaram, ficando as duas largadas como duas putas na minha cama. A visão era maravilhosa.

Fui ao banheiro, tomei um banho bem gostoso quando as duas entraram pra tomar uma ducha comigo. Elas estavam acabadas, mal tinha forças para ficarem em pé. Ajudei ainda um pouco cada uma delas a tomarem o banho, passando um sabonete do cuzinho de uma, um dedinho na buceta da outra, e sai pra arrumar o quarto para dormirmos.

Estava deitando, esperando por elas, quando as duas apareceram com cara de sono, cada uma deitou de um lado da cama e eu no meio. Dei um beijo bem gosto em casa uma e apaguei a luz.

– Camila, sabe quem eu lembrei agora? – disse a Fernanda
– De quem?
– Da Vivian…
– Nossa, se a Vivian estivesse aqui, não teríamos cama para dormir agora
– É mesmo…

– Meninas, quem é essa Vivian?

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,57 de 7 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos